terça-feira, 16 de julho de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Prenúncio do fim

Postado em 2 de julho de 2019

As fotos dos eventos sociais e institucionais não mostram, mas a parceria entre o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e o vice-prefeito Adalto Gomes (PL), pelo menos no campo político, já não existe. O adjunto tijuquense, aliás, só não entregou o comando da Secretaria Municipal de Obras, Transportes e Serviços Públicos ainda porque aguarda a assinatura da ordem de serviço para o asfaltamento da Avenida Beira-Rio – e, obviamente, os créditos da obra. Mas o fim está cada vez mais próximo.

Na sexta-feira (28), Gomes se reuniu com apoiadores e definiu um prazo: 120 dias para entregar o cargo e abandonar o governo. Correligionários do vice-prefeito insistem na indicação de um substituto, mesmo com a inevitável ruptura.

EXECUTIVO E LEGISLATIVO

O conflito chegou, sobretudo, à Câmara Municipal. Vereadores governistas já não defendem o secretário e vice-prefeito quando o tema “obras” vem à pauta; e se juntam aos oposicionistas para culpar o ex-petista por qualquer ingerência na infraestrutura do município. Gomes vem sendo fritado, e tanto no Executivo quanto no Legislativo virou persona non grata.

SUBSTITUTO

No ninho cola-branca, conselheiros de Mariano Rocha já tramam a troca de comando na pasta de Obras. As investidas começaram na primeira quinzena de junho, durante os encontros de celebração dos 159 anos de Tijucas. O eloquente vereador Rudnei de Amorim (DEM) – coincidentemente ou não, um dos críticos mais incisivos do vice-prefeito na Câmara – é quem teria a preferência de figuras clássicas do Conselho, como os empresários Geremias Teles SilvaUilson Sgrott, para assumir o posto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

O que você procura?