segunda-feira, 9 de dezembro de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Consistência

Postado em 28 de novembro de 2019

Vereadores e pré-candidatos ao Legislativo tijuquense, filiados a pequenos partidos da base governista, devem migrar para PSD, PP ou DEM em fevereiro de 2020. Essa foi, pelo menos, a orientação do Conselho na reunião com a bancada situacionista, ontem.

Com o fim das coligações proporcionais, o plano é que, ao invés de seis ou sete, a base seja composta por três chapas consistentes, de candidaturas efetivas.

Bancada contrária

Postado em 27 de novembro de 2019
Foto: Divulgação

Entre os vereadores de situação, há uma força-tarefa para impedir que o vice-prefeito Adalto Gomes (PL) seja escolhido, novamente, para compor chapa com o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) no pleito majoritário de 2020. Embora o adjunto tijuquense mantenha o favoritismo, a bancada governista na Câmara, por motivos pessoais e/ou ideológicos, tem maioria contrária ao bis da dupla.

Hoje, a propósito, os parlamentares situacionistas têm reunião com o Conselho — convencionado de empresários e líderes colas-brancas que orientam politicamente a administração municipal —; e devem tratar do assunto.

CONVERSA AFIADA

Presidente do Legislativo, o vereador Vilson Natálio Silvino (PP) é um dos que preferem — ou preferiam — a mudança na chapa governista para 2020. Mas ontem, porém, esteve com Gomes, amistoso e sorridente, na Secretaria Municipal de Obras, Transportes e Serviços Públicos.

Se o tom for suave, hoje, na reunião com o Conselho, imagina-se que o encontro entre o parlamentar progressista e o vice-prefeito tenha sido proveitoso. A foto, aliás, mostra que a harmonia, a diplomacia e a amizade continuam na ordem do dia.

Convocação

Postado em 20 de novembro de 2019

Os vereadores situacionistas estão convocados para, na próxima semana, discutir o planejamento das eleições de 2020 com Helio GamaRogério de SouzaUilson SgrottGeremias Teles SilvaRoberto Vailati e companhia.

O recôndito Conselho — grupo formado por empresários e líderes colas-brancas para orientar politicamente o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) e a administração municipal de Tijucas — tem pressa. As estratégias para as próximas eleições repousam na mesa e a impaciência retumba.

Vice em pauta

Postado em 23 de outubro de 2019

Nas paragens dos Emirados Árabes Unidos e Europa, onde curte férias, o vice-prefeito Adalto Gomes (PL) certamente nem imagina, mas tem sido tema frequente das reuniões do Conselho — escrete formado por empresários e lideranças colas-brancas que trama a reeleição do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e orienta a gestão municipal. Dias atrás, a reedição da dupla em 2020 tinha a preferência da grande maioria dos 16 membros do grupo; e as definições ficaram para os próximos encontros, entre novembro e dezembro.

Uma proposta concreta ainda não foi apresentada a Gomes em razão de um fato novo. Discute-se agora, no Conselho, a possibilidade, ora distante — mas muito bem vista —, da candidatura de Mariano Rocha ao parlamento catarinense em 2022. Se a semente germinar, o candidato a vice, no pleito que se avizinha, deve ser um canário legítimo, com plumagem amarelo-ouro e churrio genuíno.

Articulação vitoriosa

Postado em 22 de julho de 2019

Por nove a três, o ex-prefeito Valério Tomazi (MDB) conseguiu os votos necessários na Câmara, quinta-feira (18), para escapar da malha do TCE (Tribunal de Contas do Estado) – que recomendou a rejeição das contas do município em 2016 – e das ações repressivas da Justiça Eleitoral.

Tomazi e o ex-vice-prefeito Ailton Fernandes (PSD) estiveram na platéia e acompanharam o julgamento, voto a voto. O clima de tensão, no entanto, não contrariou as previsões. A articulação venceu, e o placar arquitetado nos bastidores se confirmou.

PELA TANGENTE

Último a votar, o presidente do Legislativo, vereador Vilson Natálio Silvino (PP), encontrou um jeito de contentar gregos e troianos. Com o perdão a Tomazi já garantido pelos colegas, restou, apenas, se abster. Nem sim, nem não.

Silvino não contrariou a colega e tutora Elizabete Mianes da Silva (PSD), que pedia insistentemente clemência ao ex-prefeito; e nem o Conselho – formado por apoiadores do governo municipal –, que queria a validação do entendimento do TCE.

BANDEIRA E RAZÃO

Única emedebista a votar contra a absolvição de Tomazi, a vereadora Fernanda Melo Bayer cumpriu a promessa, neste caso, de ser justa com o que acredita, independente das convicções partidárias.

Serviu ao MDB apenas como anfitriã, quando recebeu os correligionários e o ex-prefeito para tratar do assunto, no escritório de advocacia que mantém na cidade, e na hora agá – certa ou errada, pontos de vista à parte – decidiu com a consciência.

Rejeição aconselhada

Postado em 10 de julho de 2019

Mais um capítulo da saga do ex-prefeito Valério Tomazi (MDB) contra a malha do Tribunal de Contas vem à tona. A mudança de postura de parte dos vereadores governistas — que antes absolveriam o ex-mandatário tijuquense, e agora devem votar pela rejeição das contas de 2016 — tem a ver com a presença, ora informal, do empresário e ex-prefeito Uilson Sgrott (DEM) na sede do Legislativo municipal, quinta-feira (4).

Sgrott não esteve na Câmara apenas, como se supôs, para divulgar a programação da Festa de São Cristóvão. Antes da sessão, ele se reuniu com os parlamentares pró-governo como porta-voz do Conselho, o escrete cola-branca que participou da organização da campanha de 2016 e que continua orientando politicamente a administração municipal. Foi pedir aos confrades que votem conforme a recomendação do TCE, pela rejeição.

Na sexta-feira (5) pela manhã, o empresário encabeçou nova reunião com os vereadores situacionistas. Desta vez, no gabinete do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) — que juntou a orientação dos conselheiros com a notícia do envolvimento do ex-prefeito Elmis Mannrich (MDB) na articulação pró-Tomazi e decidiu liberar a bancada para votar como quisesse.

BIFURCAÇÃO

Quem, neste momento, está em sinuca de bico é o presidente do Legislativo tijuquense, vereador Vilson Natálio Silvino (PP). Se mantiver a decisão, acompanhar a orientação do Conselho e votar pela rejeição, vai, certamente, desagradar a colega e tutora Elizabete Mianes da Silva (PSD) — que articula a absolvição de Tomazi entre os governistas, assim como articulou a eleição da presidência da Câmara em favor do progressista.

Mas, se decidir salvar o ex-prefeito e contentar Bete, abespinha a congregação e, sobretudo, o amigo e mentor Helio Gama, que integra o grupo de conselheiros da administração municipal. Ou seja: se ficar o bicho pega, e se correr o bicho come.

Fala, Geremias!

Postado em 9 de julho de 2019

Cauteloso, o empresário Geremias Teles Silva vem ao Blog assegurar que, apesar do excelente trânsito na administração municipal, não se envolve na gestão do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e tampouco sugere ou instiga alterações no staff da estrutura pública de Tijucas. Ele rechaça, sobretudo, a informação de que teria aconselhado a troca de comando na Secretaria de Obras, Transportes e Serviços Públicos do município, publicada sob o título “Prenúncio do fim” na semana passada. “Torço apenas para que tudo corra bem, como tem acontecido. Méritos do prefeito. Não tenho qualquer poder nessas escolhas, e nem quero ter”, reforça.

Teles Silva garante, ainda, que a comentada aposta com o ex-vereador Antônio Zeferino Amorim – sobre o prazo para a conclusão da nova Ponte Bulcão Viana – não existe, e que tudo não passa de conversa de botequim. “Nem temos nos falado, faz muito tempo. Não tem isso. As pessoas inventam, querem ver o circo pegar fogo”, conclui.

Prenúncio do fim

Postado em 2 de julho de 2019

As fotos dos eventos sociais e institucionais não mostram, mas a parceria entre o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e o vice-prefeito Adalto Gomes (PL), pelo menos no campo político, já não existe. O adjunto tijuquense, aliás, só não entregou o comando da Secretaria Municipal de Obras, Transportes e Serviços Públicos ainda porque aguarda a assinatura da ordem de serviço para o asfaltamento da Avenida Beira-Rio – e, obviamente, os créditos da obra. Mas o fim está cada vez mais próximo.

Na sexta-feira (28), Gomes se reuniu com apoiadores e definiu um prazo: 120 dias para entregar o cargo e abandonar o governo. Correligionários do vice-prefeito insistem na indicação de um substituto, mesmo com a inevitável ruptura.

EXECUTIVO E LEGISLATIVO

O conflito chegou, sobretudo, à Câmara Municipal. Vereadores governistas já não defendem o secretário e vice-prefeito quando o tema “obras” vem à pauta; e se juntam aos oposicionistas para culpar o ex-petista por qualquer ingerência na infraestrutura do município. Gomes vem sendo fritado, e tanto no Executivo quanto no Legislativo virou persona non grata.

SUBSTITUTO

No ninho cola-branca, conselheiros de Mariano Rocha já tramam a troca de comando na pasta de Obras. As investidas começaram na primeira quinzena de junho, durante os encontros de celebração dos 159 anos de Tijucas. O eloquente vereador Rudnei de Amorim (DEM) – coincidentemente ou não, um dos críticos mais incisivos do vice-prefeito na Câmara – é quem teria a preferência de figuras clássicas do Conselho, como os empresários Geremias Teles SilvaUilson Sgrott, para assumir o posto.

O querer e o poder

Postado em 13 de março de 2019

Na reunião com o Conselho – escrete cola-branca que participou da organização da campanha de 2016, e que continua orientando politicamente a administração municipal –, em que anunciou a intenção de concorrer novamente à prefeitura de Tijucas em 2020, o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) deixou o caminho aberto para os demais interessados. “Me coloco à disposição, mas, se houver, aqui, mais alguém com o mesmo desejo, abro mão da candidatura e presto total apoio na campanha”, pontuou o chefe do Executivo tijuquense.

No grupo, formado por sugeridos postulantes ao cargo máximo do município em todas as eleições – tais como os empresários Geremias Teles Silva (DEM) e Helio Gama (PP), e o médico Rogério de Souza (PP) –, não houve manifestação. Ou quase. A exceção foi o ex-prefeito Uilson Sgrott (DEM), que ergueu a mão e se declarou: “Também quero ser o candidato em 2020”. Passarinho incolor diz que o silêncio, naquele momento, foi ensurdecedor. Pois, então?!

Projeto reeleição

Postado em 1 de março de 2019

O prefeito de Tijucas, Elói Mariano Rocha (PSD), anunciou, ontem, em reunião com o Conselho – escrete cola-branca que participou da organização da campanha de 2016, e que continua orientando politicamente a administração municipal –, que se dispõe à reeleição na concorrência municipal de 2020. O mandatário tijuquense, entretanto, deixou claro que o projeto não se trata de uma imposição, mas de sugestão. Os correligionários entenderam, unanimemente, que, diante da viabilidade da proposta, do trabalho que vem sendo realizado e das chances de sucesso, o chefe do Executivo deve ser o candidato no próximo pleito.

Uma das preocupações do grupo, a propósito, era a saúde de Mariano Rocha – que sofreu outro derrame em dezembro. O alcaide, porém, garantiu que tem energia suficiente para enfrentar o processo eleitoral de 2020 e um possível segundo mandato; e que está 80% recuperado do recente revés.