terça-feira, 16 de julho de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Rejeição aconselhada

Postado em 10 de julho de 2019

Mais um capítulo da saga do ex-prefeito Valério Tomazi (MDB) contra a malha do Tribunal de Contas vem à tona. A mudança de postura de parte dos vereadores governistas — que antes absolveriam o ex-mandatário tijuquense, e agora devem votar pela rejeição das contas de 2016 — tem a ver com a presença, ora informal, do empresário e ex-prefeito Uilson Sgrott (DEM) na sede do Legislativo municipal, quinta-feira (4).

Sgrott não esteve na Câmara apenas, como se supôs, para divulgar a programação da Festa de São Cristóvão. Antes da sessão, ele se reuniu com os parlamentares pró-governo como porta-voz do Conselho, o escrete cola-branca que participou da organização da campanha de 2016 e que continua orientando politicamente a administração municipal. Foi pedir aos confrades que votem conforme a recomendação do TCE, pela rejeição.

Na sexta-feira (5) pela manhã, o empresário encabeçou nova reunião com os vereadores situacionistas. Desta vez, no gabinete do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) — que juntou a orientação dos conselheiros com a notícia do envolvimento do ex-prefeito Elmis Mannrich (MDB) na articulação pró-Tomazi e decidiu liberar a bancada para votar como quisesse.

BIFURCAÇÃO

Quem, neste momento, está em sinuca de bico é o presidente do Legislativo tijuquense, vereador Vilson Natálio Silvino (PP). Se mantiver a decisão, acompanhar a orientação do Conselho e votar pela rejeição, vai, certamente, desagradar a colega e tutora Elizabete Mianes da Silva (PSD) — que articula a absolvição de Tomazi entre os governistas, assim como articulou a eleição da presidência da Câmara em favor do progressista.

Mas, se decidir salvar o ex-prefeito e contentar Bete, abespinha a congregação e, sobretudo, o amigo e mentor Helio Gama, que integra o grupo de conselheiros da administração municipal. Ou seja: se ficar o bicho pega, e se correr o bicho come.

Fala, Geremias!

Postado em 9 de julho de 2019

Cauteloso, o empresário Geremias Teles Silva vem ao Blog assegurar que, apesar do excelente trânsito na administração municipal, não se envolve na gestão do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e tampouco sugere ou instiga alterações no staff da estrutura pública de Tijucas. Ele rechaça, sobretudo, a informação de que teria aconselhado a troca de comando na Secretaria de Obras, Transportes e Serviços Públicos do município, publicada sob o título “Prenúncio do fim” na semana passada. “Torço apenas para que tudo corra bem, como tem acontecido. Méritos do prefeito. Não tenho qualquer poder nessas escolhas, e nem quero ter”, reforça.

Teles Silva garante, ainda, que a comentada aposta com o ex-vereador Antônio Zeferino Amorim – sobre o prazo para a conclusão da nova Ponte Bulcão Viana – não existe, e que tudo não passa de conversa de botequim. “Nem temos nos falado, faz muito tempo. Não tem isso. As pessoas inventam, querem ver o circo pegar fogo”, conclui.

Prenúncio do fim

Postado em 2 de julho de 2019

As fotos dos eventos sociais e institucionais não mostram, mas a parceria entre o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e o vice-prefeito Adalto Gomes (PL), pelo menos no campo político, já não existe. O adjunto tijuquense, aliás, só não entregou o comando da Secretaria Municipal de Obras, Transportes e Serviços Públicos ainda porque aguarda a assinatura da ordem de serviço para o asfaltamento da Avenida Beira-Rio – e, obviamente, os créditos da obra. Mas o fim está cada vez mais próximo.

Na sexta-feira (28), Gomes se reuniu com apoiadores e definiu um prazo: 120 dias para entregar o cargo e abandonar o governo. Correligionários do vice-prefeito insistem na indicação de um substituto, mesmo com a inevitável ruptura.

EXECUTIVO E LEGISLATIVO

O conflito chegou, sobretudo, à Câmara Municipal. Vereadores governistas já não defendem o secretário e vice-prefeito quando o tema “obras” vem à pauta; e se juntam aos oposicionistas para culpar o ex-petista por qualquer ingerência na infraestrutura do município. Gomes vem sendo fritado, e tanto no Executivo quanto no Legislativo virou persona non grata.

SUBSTITUTO

No ninho cola-branca, conselheiros de Mariano Rocha já tramam a troca de comando na pasta de Obras. As investidas começaram na primeira quinzena de junho, durante os encontros de celebração dos 159 anos de Tijucas. O eloquente vereador Rudnei de Amorim (DEM) – coincidentemente ou não, um dos críticos mais incisivos do vice-prefeito na Câmara – é quem teria a preferência de figuras clássicas do Conselho, como os empresários Geremias Teles SilvaUilson Sgrott, para assumir o posto.

O querer e o poder

Postado em 13 de março de 2019

Na reunião com o Conselho – escrete cola-branca que participou da organização da campanha de 2016, e que continua orientando politicamente a administração municipal –, em que anunciou a intenção de concorrer novamente à prefeitura de Tijucas em 2020, o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) deixou o caminho aberto para os demais interessados. “Me coloco à disposição, mas, se houver, aqui, mais alguém com o mesmo desejo, abro mão da candidatura e presto total apoio na campanha”, pontuou o chefe do Executivo tijuquense.

No grupo, formado por sugeridos postulantes ao cargo máximo do município em todas as eleições – tais como os empresários Geremias Teles Silva (DEM) e Helio Gama (PP), e o médico Rogério de Souza (PP) –, não houve manifestação. Ou quase. A exceção foi o ex-prefeito Uilson Sgrott (DEM), que ergueu a mão e se declarou: “Também quero ser o candidato em 2020”. Passarinho incolor diz que o silêncio, naquele momento, foi ensurdecedor. Pois, então?!

Projeto reeleição

Postado em 1 de março de 2019

O prefeito de Tijucas, Elói Mariano Rocha (PSD), anunciou, ontem, em reunião com o Conselho – escrete cola-branca que participou da organização da campanha de 2016, e que continua orientando politicamente a administração municipal –, que se dispõe à reeleição na concorrência municipal de 2020. O mandatário tijuquense, entretanto, deixou claro que o projeto não se trata de uma imposição, mas de sugestão. Os correligionários entenderam, unanimemente, que, diante da viabilidade da proposta, do trabalho que vem sendo realizado e das chances de sucesso, o chefe do Executivo deve ser o candidato no próximo pleito.

Uma das preocupações do grupo, a propósito, era a saúde de Mariano Rocha – que sofreu outro derrame em dezembro. O alcaide, porém, garantiu que tem energia suficiente para enfrentar o processo eleitoral de 2020 e um possível segundo mandato; e que está 80% recuperado do recente revés.

Chão de pedra

Postado em 28 de março de 2018

Diz o projeto de reconstrução que o piso da nova Ponte Bulcão Viana – cartão postal de Tijucas e elo indispensável entre o Centro e os bairros Pernambuco e Timbé, fechada para o tráfego de veículos desde 2014 e prestes a ser reedificada –, em respeito ao desenho original e manutenção das características históricas da obra, deva continuar sendo de madeira. Mas o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) estaria predisposto a rever essa questão.

O ignoto Conselho – formado por líderes partidários da aliança, empresários e ex-gestores públicos para propor medidas políticas e administrativas no governo – vem convencendo o chefe do Executivo de que o asfalto, em vez da madeira, cairia melhor. Pela segurança e longevidade, quem há de se opor?

Corda bamba

Postado em 2 de fevereiro de 2018

Janeiro terminou. Aquele augúrio de que o vice-prefeito Adalto Gomes (PT) não iniciaria fevereiro no comando da Secretaria de Obras, Transportes e Serviços Públicos do município de Tijucas não se confirmou. Mas o assunto segue na pauta.

Nos porões do poder, o plano de substituir a gerência de Obras continua tratado como prioridade. As cobranças em torno do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD), a propósito, não cessam. Lideranças envolvidas na campanha e, sobretudo, na administração municipal, vão à prefeitura diariamente para se inteirar do tema.

Até no Conselho  formado por líderes partidários da aliança, empresários e ex-gestores públicos para propor medidas políticas e administrativas no governo de Tijucas – não se fala em outra coisa. A troca de comando na pasta é quase uma unanimidade. Nem mesmo o ex-vice-prefeito Roberto Vailati (PT), correligionário de Gomes e participante do movimento, se opõe à mudança.

NÓ APERTADO

Um dos empecilhos, conforme noticiado no Blog sob o título “Descrença“, seria a resistência da vereadora Maria Edésia da Silva Vargas (PT). Para não perder o apoio da edil na Câmara, articuladores do governo iniciaram conversas com Vailati, cunhado e mentor político da parlamentar, antes de oficializar a troca de comando na Secretaria de Obras, Transportes e Serviços Públicos do município.

Corda bamba?

Postado em 13 de julho de 2017

Rolam burburinhos, ainda abafados, sobre uma possível troca de comando na Secretaria Municipal de Saúde de Tijucas. Fontes do blog garantem que o secretário Vilson José Porcíncula, popular Tem, estaria passando por turbulências internas e se equilibrando na corda bamba. Os mesmos informantes afirmam, sobretudo, que um plano B estaria em prática, e que uma gestora de Saúde, cola-branca de família, se prepara, em cursos de aperfeiçoamento e missões em municípios vizinhos para, se necessário, assumir a pasta.

No conselho título do movimento periódico entre líderes colas-brancas para sugerir, orientar e avaliar a gestão do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) , nada se vê, nem nas entrelinhas, que ateste essa informação. “Apenas algumas incertezas, baseadas nas dificuldades que ele (o secretário) mostra nas declarações públicas e na limitação técnica que sabíamos que enfrentaria”, relata um conselheiro.

Alheio às especulações de bastidores, e aparentemente satisfeito, Porcíncula embarcou ontem para Brasília, acompanhado de outras profissionais da Saúde municipal, para a captação de recursos.

Conselho recusado

Postado em 17 de março de 2017

Desde as eleições de outubro, um grupo de colas-brancas vem se reunindo mensalmente para aconselhar, ajudar e sugerir ações ao prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) no governo de Tijucas. O “conselho”  como batizaram  é formado por empresários, líderes partidários da aliança e ex-gestores públicos; que ultimamente vêm se ressentindo com a postura do chefe do Executivo municipal.

De acordo com um canarinho cantador, Mariano Rocha vem evitando esse suporte, e sequer tem comparecido às reuniões do grupo. Numa das mais recentes, com recepção do médico Rogério de Souza, os quitutes esfriaram à espera do mandatário tijuquense, que, depois de muito tempo, atendeu o telefone e informou que estava no interior do município, numa festa de aniversário, e, portanto, impedido de participar da assembleia do “conselho”. Pois, então?!