quarta-feira, 21 de agosto de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Ideologia à parte

Postado em 7 de agosto de 2019

Os maiores expoentes do PT na região vêm, pouco a pouco, cedendo à pressão popular. O ex-prefeito Sabino Bussanello, de Itapema, foi o primeiro a deixar o partido; recentemente, o vice-prefeito de Tijucas, Adalto Gomes, confirmou a desfiliação; e, agora, o ex-prefeito Evaldo Guerreiro, de Porto Belo, passou a considerar uma migração.

Guerreiro tem um convite do PRB portobelense para se filiar à legenda e concorrer novamente à prefeitura da Capital Catarinense dos Transatlânticos em 2020. A proposta vem sendo estudada.

Antes e agora

Postado em 30 de julho de 2019

“Quando formamos a chapa, em 2016, a possibilidade de reeleição havia sido extinta. E, realmente, o Adalto (Gomes, vice-prefeito de Tijucas) seria a nossa opção para 2020. Mas a reeleição tornou a ser legitimada, e o grupo decidiu que o projeto deveria ser mantido no próximo pleito”, diz o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) sobre o imbróglio com o adjunto, que tem gerado uma série de especulações nas rodas políticas da cidade.

O vice, por sua vez, ainda acredita na inversão da dupla para 2020 e diz que “Mariano Rocha sabe que existe esse compromisso”. Pois, então?!

Fala, presidente!

Postado em 18 de julho de 2019

Presidente do PT em Tijucas, o servidor público municipal Diogo dos Santos assina correspondência ao Blog para ressalvar a nota “Grupo fechado“, de ontem. A carta reconhece a importância do vice-prefeito Adalto Gomes “em todos os momentos do partido”, mas esclarece que não há, neste momento, uma definição sobre o apoio petista no pleito majoritário de 2020. “Nossos debates giram em torno da escolha de uma nova direção e da formação de uma nominata forte de candidatos a vereadores que representem o PT nas eleições de 2020”, pontua.

Santos diz, ainda, que o apoio a Gomes, “ou a qualquer outra alternativa que possa surgir”, não está descartado, mas reforça que essa discussão, por ora, “não está na pauta” do partido.

Grupo fechado

Postado em 17 de julho de 2019

Se tem uma coisa da qual o vice-prefeito Adalto Gomes pode se orgulhar, é da lealdade dos seguidores que amealhou na caminhada política. Embora o grupo de apoio do adjunto tijuquense se divida em opiniões, existe a garantia — em comunicados pessoais ao Blog — de que a última palavra, sempre, em qualquer circunstância, é a do líder.

Na migração para o PL, todos compreenderam — mesmo os petistas, companheiros de uma vida. Nas suposições de uma conjuntura oposicionista para a disputa do pleito majoritário em 2020, eles apoiaram. E nas recentes discussões sobre a manutenção da chapa com Elói Mariano Rocha (PSD), o grupo acompanhou. Ninguém arreda. O que Gomes decidir, é lei. Pois, então?!

Panos quentes

Postado em 10 de julho de 2019

De malas prontas para o PL, o vice-prefeito Adalto Gomes jura que não falou, em reunião com apoiadores, sobre um “prazo de 120 dias para entregar o comando da Secretaria de Obras, Transportes e Serviços Públicos do município” — embora as precisas fontes do Blog continuem reafirmando a informação.

Gomes garante, inclusive, que continua no governo até o fim do mandato, “seja como secretário ou apenas como vice-prefeito” e que não descarta qualquer convenção política para as eleições de 2020, sobretudo a manutenção da dupla, na mesma ordem, com o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD).

O adjunto tijuquense, no entanto, segue crente na inversão da chapa. “Temos um compromisso. Continuo acreditando que ele (Mariano Rocha) vá cumprir”, diz.

Mudar faz bem

Postado em 8 de julho de 2019

Pedra cantada no Blog fechou o bingo. O vice-prefeito Adalto Gomes, enfim, deixou oficialmente o PT – partido onde militou por 30 anos, foi eleito vereador em três legislaturas consecutivas (2001 a 2012) e concorreu à Assembleia Legislativa (2010) e à prefeitura de Tijucas (2012). O pedido de desfiliação foi assinado ontem, com direito a carta de agradecimento aos companheiros.

Gomes, que pretende pleitear novamente o cargo máximo do município em 2020, deve protocolar o ingresso no PL (ex-PR) nos próximos momentos. Os detalhes da transferência já foram acordados com líderes estaduais do partido – e o deputado estadual Nilso Berlanda (PL), um dos maiores caixas-altas de Santa Catarina, dono de uma cadeia de lojas de eletrodomésticos no estado, teve participação decisiva no trâmite.

Prenúncio do fim

Postado em 2 de julho de 2019

As fotos dos eventos sociais e institucionais não mostram, mas a parceria entre o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e o vice-prefeito Adalto Gomes (PL), pelo menos no campo político, já não existe. O adjunto tijuquense, aliás, só não entregou o comando da Secretaria Municipal de Obras, Transportes e Serviços Públicos ainda porque aguarda a assinatura da ordem de serviço para o asfaltamento da Avenida Beira-Rio – e, obviamente, os créditos da obra. Mas o fim está cada vez mais próximo.

Na sexta-feira (28), Gomes se reuniu com apoiadores e definiu um prazo: 120 dias para entregar o cargo e abandonar o governo. Correligionários do vice-prefeito insistem na indicação de um substituto, mesmo com a inevitável ruptura.

EXECUTIVO E LEGISLATIVO

O conflito chegou, sobretudo, à Câmara Municipal. Vereadores governistas já não defendem o secretário e vice-prefeito quando o tema “obras” vem à pauta; e se juntam aos oposicionistas para culpar o ex-petista por qualquer ingerência na infraestrutura do município. Gomes vem sendo fritado, e tanto no Executivo quanto no Legislativo virou persona non grata.

SUBSTITUTO

No ninho cola-branca, conselheiros de Mariano Rocha já tramam a troca de comando na pasta de Obras. As investidas começaram na primeira quinzena de junho, durante os encontros de celebração dos 159 anos de Tijucas. O eloquente vereador Rudnei de Amorim (DEM) – coincidentemente ou não, um dos críticos mais incisivos do vice-prefeito na Câmara – é quem teria a preferência de figuras clássicas do Conselho, como os empresários Geremias Teles SilvaUilson Sgrott, para assumir o posto.

À espera

Postado em 11 de junho de 2019

Se a relação entre prefeito e vice, de fato, desandar, Elói Mariano Rocha (PSD) já teria um nome (?) para substituir Adalto Gomes (PT) no comando da Secretaria Municipal de Obras, Transportes e Serviços Públicos de Tijucas: Renato Sartori, atual chefe do Departamento de Estrada de Rodagem.

Quem goza da confiança do presidente deposto do PSL conta que ele esfrega as mãos à espera do confronto final, e vem revelando que tem a garantia de Mariano Rocha para, assim que o desacerto se consumar e Gomes deixar o governo, assumir a pasta de Obras. Pois, então?!

Casa nova

Postado em 29 de maio de 2019
Foto: Divulgação

O vice-prefeito Adalto Gomes esteve ontem com o deputado estadual Nilso Berlanda para acertar, de vez, a filiação ao PR – que deve mudar, em breve, para PL.

No fim de 2018, o adjunto tijuquense havia decidido deixar o PT e, desde então, procurava um partido que pudesse dar sustentação à programada candidatura a prefeito de Tijucas nas eleições municipais de 2020. Opções como PSB, Patriota e PV também foram consideradas nesse ínterim.

Na foto, Gomes e o chefe de gabinete Márcio Poletto emolduram Berlanda, na Assembleia Legislativa, em Florianópolis.

Debandada

Postado em 28 de maio de 2019

A frase “o último que sair apaga a luz” vem caindo bem ao PT em Tijucas. Assim como o vice-prefeito Adalto Gomes, o primeiro suplente de vereador da legenda, Sivoney Silva, deve oficializar, nos próximos momentos, a desfiliação do partido que mais vezes governou a República. Com 31 anos de petismo, ele acatou as súplicas da família e anunciou o fim.

Silva somou 126 votos nas eleições de 2016 e era o substituto imediato de Maria Edésia da Silva Vargas (PT) na Câmara Municipal. A segunda colocada do PT, Cláudia Raitz Büchele, que alcançou 292 votos no último pleito, havia se transferido para o PSD no início de 2018.