terça-feira, 23 de abril de 2024 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Rota recalculada

Postado em 22 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

A propalada pesquisa que definiria o candidato a prefeito do PL em Tijucas, acordada nas internas da legenda, pode nem ser realizada. Caso seja, não deve ter o peso que principalmente o empresário Thiago Peixoto dos Anjos e o ex-vereador Sidney Machado ansiavam que tivesse.

As novas diretrizes do processo passaram a ser sublinhadas nos últimos encontros da regência do partido, quando orientações para que os três pré-candidatos liberalistas buscassem um acordo que beneficiasse o grupo foram dadas. Independentemente do potencial de votos de cada um, a propósito.

Sobressaem-se, portanto, teorias de que o representante do PL na concorrência majoritária sempre foi o vereador Fernando Fagundes e que aquela conversa decisiva entre o ex-emedebista e o governador Jorginho Mello na véspera da transferência era a garantia para que os procedimentos internos fossem apenas protocolares.

Se antes uma suposta preferência por Fagundes era tratada com discrição, a situação mudou desde que o atual presidente do partido em Tijucas, Alberto Carlos Dolorini, o Tito, foi empossado, há cerca de um mês.

A interferência direta do ex-vereador e ex-deputado estadual André Dadam, que tem muita proximidade com um dos filhos do governador, também passou a ser mais frequente no seio liberalista tijuquense. Ele seria outro que defende a escolha de Fagundes como candidato a prefeito sem a prévia da opinião pública.

Sobre a mesa, estão os argumentos de que o vereador por quatro legislaturas consecutivas teria melhor relacionamento nas esferas superiores do poder e que viria trabalhando mais em prol do PL, com filiações e adesões de lideranças, em comparação aos concorrentes internos.

Consultados pelo Blog, os outros dois pré-candidatos a prefeito do partido, Thiago Peixoto dos Anjos e Sidney Machado, disseram, cada um a seu modo, que continuam acreditando no que foi acordado, que a melhor forma de escolha do candidato segue sendo a pesquisa e que também têm garantias, tanto da regência local do PL quanto do governador, sobre a transparência do processo.

Livre e leve

Postado em 14 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas

O protagonismo do deputado estadual Emerson Stein, de Porto Belo, nas articulações do MDB de Tijucas, chama a atenção. Na cidade em que recebeu mais de 3 mil sufrágios, quando concorreu à uma cadeira na Assembleia Legislativa, em 2022, o parlamentar parece bem à vontade.

Tanto que o portobelense vem sendo peça importantíssima na elaboração de estratégias, no marketing do partido e até mesmo em tratativas com lideranças recém-chegadas ao movimento. A conversa que chancelou a ida do ex-vereador Antônio Zeferino Amorim ao MDB, por exemplo, contou com a relevante presença do parlamentar.

O evento promovido pela executiva local, segundo o presidente do MDB tijuquense, Elmis Mannrich, partiu de um pedido de Stein, que via a necessidade de reunir a militância periquita, com vista ao processo eleitoral que se aproxima.

No encontro, a propósito, o ex-prefeito de Porto Belo fez saudações a vários dos emedebistas presentes e referências aos trabalhos que cada um já desenvolveu, brincou com os já tradicionais jingles do grupo e até se emocionou, em determinado momento.

DESTAQUE

A desenvoltura do parlamentar chamou a atenção do deputado federal e presidente estadual da legenda, Carlos Chiodini, que, por mais de uma vez, afirmou aos presentes que o portobelense era uma grande revelação na política catarinense, opinião reforçada, mais tarde, pelos elogios do deputado estadual Antídio Lunelli.

Conselho

Postado em 10 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas | Arquivo | Linha de Frente

O grupo de empresários, amigos e apoiadores da gestão Eloi Mariano Rocha (PSD), de Tijucas, conhecido por G-8 ou Conselho, não foi consultado pelo mandatário antes ou durante os seus últimos movimentos políticos, sobretudo em atenção ao pleito eleitoral de outubro.

Uma das lideranças envolvidas, o médico e empresário Rogério de Souza, que ao longo das últimas décadas participa ativamente das campanhas colas-brancas, revelou, durante a live CONEXÃO POLÍTICA – Vale do Rio Tijucas e Costa Esmeralda, ontem, que houve uma diminuição na frequência de encontros e, portanto, o distanciamento entre Mariano Rocha e o grupo.

“As reuniões ficaram um pouco mais escassas e perdemos um pouco do contato com o prefeito. Mas, por estratégia. Não vamos convidá-lo para todas as reuniões. Mas, sim, para aquela que a gente acha importante a participação dele. Nas últimas, optamos por não estarmos com o prefeito”, disse o ex-secretário de Saúde do município.

Souza ponderou, inclusive, que a importância do cargo concede ao mandatário o papel de “maior líder político” da cidade. O que, por lógica, lhe daria o direito de organizar o grupo governista no projeto de sucessão à sua maneira.

“Como maior líder político do município, o prefeito tem toda a liberdade para fazer o trabalho de pré-campanha ao seu modo. As definições de acerto ou erro, só podem ocorrer lá na frente, quando soubermos dos resultados efetivos deste trabalho. Neste momento, ele se cercou das ideias e das atitudes que ele achou melhor para o momento e assim fez”.

Entretanto, o empresário garante que o G-8 participará ativamente dos processos e que, muito em breve, os membros do grupo serão procurados por Mariano Rocha. “Isso acontecerá naturalmente. Em algum momento, o prefeito vai tomar essa atitude. Até porque isso sempre ocorreu informalmente. Chega um momento em que é um por todos e todos por um.

COISAS DIFERENTES

Progressista por convicção, o médico tijuquense compartilha a ideia de que PP e PSD, embora estejam juntos e integrem o mesmo movimento na Capital do Vale, são “coisas diferentes”.

“PP e PSD não são a mesma coisa. PP é PP, PSD é PSD. São parceiros políticos. Mas nunca concordei com essa ideia de ‘deixa o PP vir porque é tudo a mesma coisa, farinha do mesmo saco’. Conversa! Não é. Comungam da mesma ideia, mas não é a mesma coisa”, afirmou.

Presença confirmada

Postado em 10 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas | Arquivo | Linha de Frente

Os mais atentos observadores do cenário político de Tijucas notaram, dias atrás, a ausência do ex-prefeito Valério Tomazi no evento de filiações do MDB local. O fato, somado à recente decisão do ex-mandatário em retirar sua pré-candidatura à prefeitura, semanas antes, foi o suficiente para que pulgas se aconchegassem atrás das orelhas de muita gente.

Em entrevista ao programa LINHA DE FRENTE, quinta-feira passada (4), o presidente do MDB tijuquense, Elmis Mannrich, afirmou que Tomazi havia informado, algumas horas antes do evento, que não participaria do ato por um problema particular.

Consultado pelo Blog, o ex-mandatário garantiu que o contratempo impediu sua presença, mas reforçou que acompanhará e apoiará o projeto emedebista. “Estou participando para o sucesso do pleito”, resumiu.

Infidelidade

Postado em 8 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

Um dos problemas do prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) poderia ter sido facilmente resolvido se o vereador Maickon Campos Sgrott (PP) estivesse, agora, filiado ao PSD. Mas a manobra não seria simples.

Havia uma ordem expressa na executiva estadual do partido do prefeito para que, caso a ficha assinada por Sgrott chegasse, fosse imediatamente rejeitada. Ao preterir duas opções peessedistas para apostar no pré-candidato do PROGRESSISTAS, Mariano Rocha provocou a ira dos correligionários na cúpula. Embora siga dizendo, convenientemente, que “em Tijucas PSD e PP são a mesma coisa”, a ideia passa longe de ser assimilada na ponta da pirâmide em Santa Catarina.

CONSEQUÊNCIA

Com isso, o mandatário tijuquense pode, agora, ter acumulado outra preocupação. Os recados têm sido francos e o futuro incerto. Ninguém, neste momento, poderia garantir que Mariano Rocha chegue ao período eleitoral no comando do PSD municipal.

A exemplo de 2008, quando uma determinação da regência estadual do DEMOCRATAS mudou da noite para o dia os rumos da legenda em Tijucas, a possibilidade de intervenção no PSD passou a ser fortemente especulada. A propósito: o partido do prefeito continua como “órgão provisório” no município.

Sentimentos

Postado em 8 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas

O ex-prefeito Elmis Mannrich, de Tijucas, diz ter notado pelas ruas do município um “sentimento de mudança”. Em paralelo, o presidente local do MDB avalia que o partido há muito tempo não se unia tanto em prol de um projeto político.

Em entrevista ao programa LINHA DE FRENTE, quinta-feira (4), o pré-candidato emedebista à prefeitura ponderou que o cenário atual é muito diferente de 2016, quando o resultado das eleições foi negativo para a legenda. E que hoje, inclusive, o povo tijuquense fala da sua gestão com “saudade”.

“Agora, a cada dia que passa, a população está com mais saudade do Elmis, com o gabinete aberto, atendendo a população, trabalhando todo dia, chegando na prefeitura às seis horas… Eu peguei uma situação de mudança e aconteceu aquele fato. Chega uma hora que as pessoas querem mudar, às vezes, pra pior. Mas querem mudar. Com certeza querem mudar de novo, mas pra melhor. Porque conhecem o que já fizemos pelo povo de Tijucas”, disse o ex-mandatário.

Mannrich pontuou, ainda, que obras de alta aprovação popular são importantes, mas que o atendimento à comunidade não pode ficar em segundo plano. O emedebista frisou também que vê a cidade “parada”, “abandonada” e “triste”.

“É importante ouvir os reclames da sociedade e visitar as pessoas. Fizemos isso com propriedade, mas com simplicidade. Gostamos disso. Tijucas ficou sem (os desfiles de) 7 de Setembro Reveillon, Carnaval, Festival de Talentos… Por isso o nosso partido se colocou à disposição do município. Conhecemos a população e sabemos da necessidade”, disse.

MORRO ABAIXO

Embora destaque a relevância da militância histórica do MDB no processo, o ex-prefeito reconhece a importância de uma composição que fortaleça a proposta. Haveria, inclusive, em andamento, conversas com outros grupos de oposição que tenham o mesmo projeto de “mudança”.

“O ex-governador Luiz Henrique (da Silveira) sempre colocava pra nós: ‘se puder fazer uma eleição morro abaixo, não vamos fazer morro acima’. Hoje tenho convicção de que podemos ganhar a eleição mesmo que PL e UNIÃO tenham projetos próprios. Mas, temos conversado com os dois”, revelou.

Nova troca

Postado em 6 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

“A minha vida partidária é uma tragédia”. A frase, promulgada há quase quatro anos pelo presidente do Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgota), Luiz Rogério da Silva, de Tijucas, em entrevista ao programa LINHA DE FRENTE, nunca fez tanto sentido quanto agora.

Isso porque, em novembro passado, os noticiários tijuquenses reportavam o retorno do ex-vice-prefeito ao PSDB, com pompa e circunstância, na condição de presidente da legenda. Recentemente, em nova participação no Talk Show político, Rogerinho explicava as articulações para o fortalecimento do grupo.

Cinco meses após o retorno, o agora ex-presidente anuncia a saída do partido. Ontem (5), ele assinou a ficha de filiação ao UNIÃO BRASIL. O movimento, especula-se, tem vistas no pleito eleitoral de outubro, mais precisamente na construção de uma chapa majoritária.

Embora ainda não exista uma justificativa clara para a troca de legenda, pode-se resgatar uma outra frase dita ao LINHA DE FRENTE, em 4 de junho de 2020. “Eu nunca pensei, em momento algum, em um partido. Nunca tive um time. No futebol até tenho, sou botafoguense. Mas, na política, eu gosto dos amigos”, afirmou Silva.

Errata: Na chamada para o texto, citamos erroneamente que Rogerinho presidiu o PSDB municipal por sete meses. A regência, na verdade, durou cinco meses.

Hora do troco

Postado em 4 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas

Pedra cantada pelo Blog, o ex-vereador e candidato a vice-prefeito vencido em 2012, Antônio Zeferino Amorim, de Tijucas, oficializou a adesão ao MDB, que vem projetando uma retomada da prefeitura após oito anos de gestão cola-branca.

No primeiro contato com a nova militância, ontem, Tonho Polícia não escondeu as mágoas que alimenta desde o fatídico episódio ocorrido em 2016, quando foi preterido pelo então grupo de oposição, que optou pela candidatura de Eloi Mariano Rocha (PSD). O policial militar aposentado classificou o ato como uma “rasteira”.

O movimento teria sido o ponto de partida para a aproximação entre Amorim e o grupo que sempre combateu. “Eu não esqueci, e vocês sabem bem da rasteira que me deram. Acho que chegou a hora de dar o troco”, bradou o ex-vereador, para deleite dos emedebistas.

AVAL FRATERNO

Sabe-se que Tonho é irmão da vereadora Nadir Olindina Amorim (PSD), integrante da bancada governista na Câmara e provável candidata à reeleição. Segundos após a assinatura da ficha de filiação, o ex-parlamentar garantiu ter recebido o apoio familiar. “Falei com minha irmã Nadir, que é do 55, e ela me incentivou a vir para o 15”, revelou.

SOLDADO

Questionado pelo Blog, Amorim afirmou que está à disposição do partido para qualquer missão e, mais precisamente, para qualquer um dos três cargos em disputa: vereador, vice-prefeito e prefeito. “Quero ajudar”, pontuou.

Chapa empoderada

Postado em 4 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Prefeitura de Tijucas

A especulada candidatura de uma mulher no pleito majoritário de Tijucas, em outubro, ganhou força a partir dos últimos acontecimentos na política da Capital do Vale. E a favorita para a representação feminina no processo seria a secretária de Cultura, Juventude e Turismo, Paula Regina da Silva (PSD).

Isso porque a vereadora licenciada pretende continuar no comando da pasta, mesmo ao término do prazo de desincompatibilizações, o que indica um desinteresse em concorrer novamente ao Legislativo. Além disso, Paulinha, como se apresentou nas urnas, revelou que deve retornar à Câmara em maio, para a conclusão do mandato.

O movimento permitiria que ela concorresse apenas na eleição majoritária. Nos bastidores do poder, a professora vem sendo apontada como possível candidata a vice-prefeita em chapa com o vereador Maickon Campos Sgrott (PP), escolhido da gestão para a sucessão municipal.

Ao Blog, com exclusividade, a secretária pontuou que não tem pressionado o grupo pela preferência, mas revelou que abraçaria a oportunidade se ela aparecesse. “Ao Legislativo, não quero mais. Para vice-prefeita ou prefeita, eu até iria. Mas sem pressionar e desde que fosse uma indicação natural”, explicou.

HISTÓRICO, MAS NÃO INÉDITO

A primeira e, até os dias atuais, única mulher a concorrer no pleito majoritário, em Tijucas, foi Priscila Santiago da Rosa, então no PRB – hoje Republicanos -, quando dividiu chapa com o candidato a prefeito da legenda, Adair Santinho “Mão-Santa” Bertotti, em 2008.

Esverdeados

Postado em 4 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

O MDB de Tijucas reuniu, ontem, parte da militância do partido para uma noite de filiações. O evento foi liderado pelo pré-candidato a prefeito e presidente da executiva local, Elmis Mannrich, com participação vultuosa do deputado estadual Emerson Stein.

Participaram do ato, ainda, o deputado federal e presidente estadual do MDB – que ocupa a vice-presidência nacional do partido -, Carlos Chiodini, e o deputado estadual Antídio Lunelli, além de importantes emedebistas da região, lideranças ativas ou que contribuíram no passado com o partido.

Dentre as cerca de 30 fichas de filiação assinadas no evento, algumas ganharam destaque. Entre elas, as dos ex-vereadores Antônio Zeferino Amorim (ex-PL) e Juarez Soares (ex-CIDA), do vereador Cláudio Eduardo de Souza (ex-PDT) e do ex-vereador de Bombinhas, Flávio Henrique Souza (ex-PL).

NOVOS NOMES

O partido confirmou, ainda, a adesão de outros pré-candidatos, já com histórico de participações no pleito municipal e que, no passado, frequentaram o movimento emedebista. São os casos do ex-vereador Fabiano Morfelle (ex-PDT), da suplente de vereadora Consuelo Azevedo (ex-PDT) e do ex-servidor público municipal André Ferreira (ex-PSC).