segunda-feira, 27 de dezembro de 2021 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Desenvolvimento urbano

Postado em 23 de dezembro de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

Figura crucial na transformação imobiliária de Tijucas, o empresário Alexandre Lamim, popular Puera, da BR Lamim Empreendimentos, esteve com o prefeito em exercício Sérgio Fernandes Cardoso (PSD) ontem no paço municipal. Foi apresentar uma proposta de parceria público-privada que pode impulsionar ainda mais o desenvolvimento urbano da Capital do Vale.

 

Na última vez que isso aconteceu, nas transições dos governos de Elmis Mannrich (MDB) e Valério Tomazi (MDB), e a chegada do Parque Residencial Mata Atlântica, a cidade mudou de status e passou a atrair milhares de moradores e investidores. Nas estimativas da gestão municipal, Tijucas deve ter, entre os próximos cinco e dez anos, mais que o dobro da população atual. Lamim continua contribuindo com a expansão urbana e, como mais recente projeto, apresentou à comunidade o Loteamento BR Felice.

Do público para o privado

Postado em 21 de janeiro de 2019
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Agora ex-diretor de Tributos da prefeitura de Tijucas, o gabaritado corretor de imóveis Maércio Laus deixou o cargo para assumir a gerência de vendas da BR Lamim Empreendimentos. Foi seduzido pelos projetos da empresa, e acertou os ponteiros com o empresário Alexandre “Puera” Lamim, um dos idealizadores do conceituado Loteamento Mata Atlântica.

Com a aquisição, a BR Lamim espera aprimorar o relacionamento com os corretores da cidade. A empresa considera que a classe seja o motor dos negócios que empreende e acredita que Laus, que conhece o mercado e os profissionais de A a Z, seja a pessoa certa agora no lugar certo; especialmente pelo excelente trânsito nas imobiliárias e a boa imagem que construiu junto à sociedade tijuquense em 25 anos no ramo.

Quórum ameaçado

Postado em 3 de agosto de 2017
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O servidor público federal Henri C. M. da Silva, que protocolou, em abril, ofício no Poder Legislativo de Tijucas que requeria o afastamento dos parlamentares indiciados na Operação Iceberg, volta à Câmara Municipal hoje, amparado pelo vereador Esaú Bayer (PMDB), para reivindicar soluções em razão da insegurança e das constantes faltas de energia elétrica no Loteamento Mata Atlântica, no Universitário.

Não pelas reclamações, mas pela presença do reclamante – persona non grata para determinados edis –, o quórum da sessão está ameaçado. Nos corredores do poder, alguns vereadores vêm antecipando suas ausências no encontro legislativo desta noite. Pois, então?!

CULPA DA CELESC

Sobre as quedas de energia no loteamento, o empresário Alexandre Lamim, da BR Lamim Empreendimentos, responsável, na época, na sociedade Laus & Lamim Empreendimentos e Participações, pela estruturação do Mata Atlântica, sustenta que as cobranças são necessárias e importantes. “Instalamos, nós mesmos, a rede elétrica e de iluminação pública nos loteamentos Mata Atlântica I e II, e fomos obrigados, assim como toda loteadora é, a doar tudo para a Celesc, que incorporou a rede ao seu patrimônio. Mesmo assim, a estatal não faz a ligação de um novo loteamento sem que antes a prefeitura se responsabilize pelo pagamento da TIP (taxa de iluminação pública). Não bastasse isso, a Celesc não atende a demanda do consumo existente”, revela.

Para o empresário, “faltam investimentos em subestações, que estão defasadas há muitos anos. E o consumo das cidades continua crescendo assustadoramente”, conclui.

Satisfação

Postado em 21 de março de 2017
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A inauguração, quinta-feira (23), às 15h, do Jardim das Esculturas, na Avenida Beira-Mar, em São José, é motivo de muito orgulho para o empresário Alexandre Lamim, o Puera, que administra a BR Lamim Empreendimentos em Tijucas.

Todas as oito obras, produzidas por artistas de sete países Brasil, Alemanha, Espanha, Irã, Japão, Macedônia e Taiwan durante o Simpósio Internacional de Esculturas em Pedra, no ano passado, foram talhadas no mármore Corteccia, extraído da jazida da Mineração Congonhas, em Camboriú, outro dos empreendimentos de Lamim.

De acordo com a prefeitura, o parque é o primeiro do mundo com acessibilidade para deficientes visuais. As esculturas têm descrição em braile e mapa tátil, além de miniaturas das obras para total compreensão das formas.

Arte plena

Postado em 24 de março de 2016
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

Entre os dias 2 e 22 últimos, São José sediou a edição inaugural do Simpósio Internacional de Esculturas em Pedra. O evento, organizado pela prefeitura em parceria com o Instituto Jorge Schröder, contou com artistas de sete países Brasil, Alemanha, Espanha, Irã, Japão, Macedônia e Taiwan.

Os escultores usaram como matéria prima o famoso mármore Corteccia, extraído da jazida da Mineração Congonhas, em Camboriú, de propriedade do empresário Alexandre Lamim, o Puêra, bastante popular em Tijucas pelo loteamento e desenvolvimento urbano do Parque Residencial Mata Atlântica. As obras ficarão expostas permanentemente na Avenida Beira-Mar de São José.