domingo, 19 de maio de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Birra

Postado em 13 de maio de 2019

Acusado por grande parte dos emedebistas de “trair o partido” nas eleições de 2016 – quando, supostamente, teria apoiado Elói Mariano Rocha (PSD) contra o correligionário Elmis Mannrich (MDB) –, o ex-prefeito Valério Tomazi vem confessando a gente próxima que nem pensa em deixar o MDB e que, se voltar à cena política de Tijucas, será pelo MDB.

Tomazi é o único ex-prefeito periquito, ainda vivo, não contemplado na tradição de integrar a executiva municipal do partido. E vez ou outra volta à pauta do diretório, sempre que o tema “expulsão” vem à tona.

Candidato ou apoiador

Postado em 6 de março de 2019

Ex-prefeito Antônio da Silva (PP), que governou Canelinha entre 2009 e 2016, vem pondo as manguinhas de fora para as eleições municipais de 2020. Na semana passada, reuniu correligionários e lideranças oposicionistas na Cidade das Cerâmicas para “organizar a coligação”.

Diz que “prega a renovação” e que só assumiria novamente uma candidatura a prefeito “se houver um chamado do povo”; e que estaria disposto, inclusive, a apoiar um candidato que represente uma reformulação na política canelinhense.

Desaceleração

Postado em 5 de fevereiro de 2019

Crescem os burburinhos, tanto nos corredores do paço quanto nas searas oposicionistas, de que o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) estaria desacelerando na intenção de concorrer à reeleição em 2020. O mandatário tijuquense vem se recuperando de outro derrame, ocorrido em dezembro; e limitando as atenções à gestão do município, à saúde pessoal, e nem tanto à política.

Assim, abre-se o caminho para o vice-prefeito Adalto Gomes, que deve deixar o PT nos próximos momentos e continua crente no cumprimento do tratado com o grupo governista, de apoio integral no próximo pleito majoritário. Mas, entre os canários ainda persiste o sonho de firmar a campanha em torno da candidatura do engenheiro Sérgio “Coisa Querida” Cardoso (PSD)  que, mais uma vez, desfaz expectativas e diz que não quer e não vai.

Fala, Mannrich!

Postado em 4 de janeiro de 2019

Sobre a nota “Puxada de tapete“, de ontem, o ex-prefeito Elmis Mannrich (MDB) diz com exclusividade ao Blog que apenas deixa o cargo que ocupa no governo estadual – na diretoria técnica da Aresc (Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina) – se quiser ou se o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) optar pela desativação da agência. “Tenho mandato. Fui sabatinado na Assembleia Legislativa. Só saio em 2 de outubro de 2022. Não existe deputado que possa me tirar”, garante.

A respeito do suposto litígio com o deputado estadual Jerry Comper (MDB) em razão das eleições de 2018, Mannrich afirma que não tem problemas com o parlamentar. “Sei que ele ficou chateado, mas não sei se tentou me prejudicar. Ele entendeu que eu deveria apoiá-lo por conta do meu compromisso com o Aldo (Schneider, de quem Comper era assessor e que faleceu pouco antes das eleições). Se o Aldo fosse candidato à reeleição, eu certamente estaria com ele. Apoiei o (ValdirCobalchini porque somos muito amigos e porque o Aldo faleceu”, pontua o ex-prefeito.

Artilharia pesada

Postado em 29 de novembro de 2018
Foto: Divulgação

A presidente do Poder Legislativo de São João Batista, vereadora Rúbia Tamanini (PSD), topou empunhar o fuzil em demonstração de apoio à luta do comandante da Polícia Militar na região, major Éder Jaciel de Souza Oliveira, contra o crime no Vale do Rio Tijucas. O vice-presidente da Câmara, Éder Vargas (MDB) – recém-eleito para a regência da Casa do Povo em 2019 e 2020 –, porém, esteve mais sereno durante a apresentação, hoje, do armamento que deve reforçar a segurança no município.

Por doações do Ministério Público, do Poder Judiciário e de empresários batistenses, a PM adquiriu mais um fuzil T4 e uma carabina CTT, ambos da Taurus.

Fake news

Postado em 30 de outubro de 2018

O prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido (PSD), se diz vítima das famigeradas fake news nestas eleições. Ele usou o Facebook, domingo (28), para pedir que as pessoas “não participem dessa corrente do mal”. Segundo o mandatário batistense, alguns perfis falsos foram criados na rede social unicamente para “espalhar notícias mentirosas sobre a gestão” da Capital Catarinense do Calçado.

Na publicação, Cândido não especifica quais são as fake news que atormentaram, recentemente, o governo de São João Batista; mas o Blog, que tem fontes de A a Z, apurou. Uma das postagens perniciosas informava que servidores comissionados do município estavam sofrendo perseguição e sendo exonerados porque não aceitavam declarar apoio ao candidato a governador Gelson Merisio (PSD), para quem o prefeito fez campanha. E, de fato, não é fato. Não há registros, pelo menos oficiais, de demissões na administração batistense nas últimas semanas.

Guerra interna

Postado em 24 de outubro de 2018

Aquele buliçoso passarinho incolor, que tudo sabe e tudo vê, chega para detalhar o trâmite da eleição para a presidência da Câmara Municipal de Tijucas. De acordo com a ave sinistra, o tratado entre os vereadores Juarez Soares (PPS) – atual presidente do Legislativo – e Vilson Natálio Silvino (PP) para a sucessão do comando da Casa do Povo foi para as cucuias. O pepessista deve mesmo quebrar o protocolo e assumir a candidatura à reeleição, independente de convenções preestabelecidas.

Silvino, que já estaria ciente da perfídia, vem confirmando a postulação e acreditando que consegue, ainda assim, levar no peito e assumir a gerência do Legislativo tijuquense em 2019.

ULTIMATO

Diz o passarinho, ainda, que Soares procurou a bancada situacionista para apresentar a proposta: a reeleição e a consequente manutenção da mesa diretora, com os governistas Maria Edésia da Silva Vargas (PT) e Rudnei de Amorim (DEM) na triarquia de comando. E que, se não houver conformidade, deve pinçar os companheiros de mesa entre os apoios que receber, sejam eles governistas ou opositores da administração municipal.

TIRA E PÕE

Quem quer que seja o representante da bancada de situação no pleito interno da Câmara, o adversário, pelo menos, está definido. A ave bisbilhoteira garante que Esaú Bayer (MDB) já reuniu as tropas e declarou oposição, tanto a Juarez Soares quanto a Vilson Silvino.

As condições mudariam, no entanto, se os parlamentares situacionistas lançassem candidaturas avessas. Ou seja: se o pepessista e o presidente municipal do PP forem adversários na concorrência do Legislativo, Bayer se resguardaria e apoiaria a reeleição do atual presidente.

Pedido indigesto

Postado em 23 de outubro de 2018

Com a proposta de intensificar o apoio à candidatura de Gelson Merisio (PSD) ao governo do Estado, o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) reuniu, mais uma vez, o colegiado municipal de Tijucas e vereadores governistas para invocar mais veemência no convencimento do eleitorado.

O vice-prefeito e secretário municipal de Obras, Transportes e Serviços Públicos, Adalto Gomes (PT) – que acompanhou Décio Lima (PT) no primeiro turno –, era um dos presentes na reunião. Ele aceitou trabalhar por Merisio e pediu que a administração municipal manifestasse, na contrapartida, apoio a Fernando Haddad (PT) na disputa do segundo turno da eleição à presidência da República; momento em que um silêncio ensurdecedor se fez notar no encontro. Pois, então?!

Caminho aberto

Postado em 18 de outubro de 2018

Nem bem terminaram as eleições para a legislatura 2019-2022 na Alesc, e as negociações para composição da mesa diretora do Legislativo fervem nos bastidores da política catarinense. E a região, há décadas em segundo – ou terceiro, ou quarto – plano, agora vem sendo altamente considerada.

Que ninguém se surpreenda caso a ex-prefeita de Bombinhas, Ana Paula da Silva (PDT), eleita em quinto lugar entre todos os postulantes ao parlamento catarinense, inicie o quadriênio no comando da Assembleia. A convenção vem sendo desenhada; ela quer, e já tem apoiadores.

Prêmio

Postado em 16 de outubro de 2018

Dizem as colunas políticas do Estado que pelo menos um catarinense estará no escalão superior de Jair Bolsonaro (PSL) se o capitão de reserva do Exército for eleito presidente da República. A informação se dissemina a partir da própria executiva estadual do PSL. Seria um “prêmio” pelos barrigas-verdes terem confiado ao presidenciável a maior votação proporcional do primeiro turno entre as 27 unidades federativas do Brasil.

Há um frenesi, no Vale do Rio Tijucas, para que, se eleito, Bolsonaro convide o deputado federal reeleito Rogério “Peninha” Mendonça (MDB-SC) – por quem nutre grande estima –, de Nova Trento, para um ministério.

Em tempo: o neotrentino, aliás, sempre disse que apoiaria o amigo em qualquer circunstância, independente dos desígnios do MDB. E pouco antes do primeiro turno reuniu prefeitos, vereadores e líderes emedebistas da região para um “manifesto de apoio suprapartidário a Bolsonaro”.