segunda-feira, 15 de julho de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Sem retrovisor

Postado em 5 de julho de 2019

Alguns surpresos e outros indignados. Assim estão os emedebistas com a notícia, ora interna, nas searas do partido, de que o ex-prefeito Elmis Mannrich (MDB) estaria articulando, entre vereadores oposicionistas, o livramento do sucessor Valério Tomazi (MDB) das garras do Tribunal de Contas e das sanções da Justiça Eleitoral.

Questionado por confrades periquitos, Mannrich tem dito apenas – parafraseando o padrinho e finado ex-governador Luiz Henrique da Silveira – que “não se pode fazer política olhando no retrovisor”.

Em tempo: desde a pré-convenção do MDB tijuquense em abril de 2016, quando duelaram internamente pelo direito de representar o partido nas eleições municipais daquele ano, Tomazi e Mannrich não se falam, sequer se cumprimentam. Os emedebistas locais atribuem ao ex-prefeito engenheiro, inclusive, a derrota no último pleito majoritário, em que ele, supostamente, teria apoiado a campanha de Elói Mariano Rocha (PSD) contra o correligionário.

Plano traçado

Postado em 24 de junho de 2019

Candidata a prefeita em 2008 e a vice-prefeita em 2012, a empresária Geraldina Mafra, popular Geralda, e o estrategista político Túlio Tavares Santos – responsável direto, há anos, por diversas campanhas vitoriosas no Vale do Rio Tijucas – têm um projeto comum para 2020: renovar o Executivo canelinhense com a eleição do jovem vereador Fernando de Souza (PRB) a prefeito.

Eles têm dito abertamente que Souza apresenta o perfil ideal para encabeçar a via alternativa no próximo pleito majoritário da Cidade das Cerâmicas, e que pretendem encampar a candidatura do parlamentar ao cargo máximo do município. A proposta, inclusive, vem tomando corpo e ganhando adeptos, sobretudo em setores da oposição, no Legislativo e na iniciativa privada.

Exoneração

Postado em 5 de junho de 2019

O autointitulado secretário geral do PSL em Tijucas, Daniel Umbelino, deixou de constar na lista de assessores do deputado estadual Felipe Estevão (PSL) na Assembleia Legislativa. Era um dos cargos sob indicação do servidor público municipal Renato Sartori, de Tijucas, que chegou a presidir uma comissão provisória do partido no município e apoiou o parlamentar nas eleições de 2018.

Assim que Sartori perdeu o comando do partido, Umbelino perdeu o emprego.

Birra

Postado em 13 de maio de 2019

Acusado por grande parte dos emedebistas de “trair o partido” nas eleições de 2016 – quando, supostamente, teria apoiado Elói Mariano Rocha (PSD) contra o correligionário Elmis Mannrich (MDB) –, o ex-prefeito Valério Tomazi vem confessando a gente próxima que nem pensa em deixar o MDB e que, se voltar à cena política de Tijucas, será pelo MDB.

Tomazi é o único ex-prefeito periquito, ainda vivo, não contemplado na tradição de integrar a executiva municipal do partido. E vez ou outra volta à pauta do diretório, sempre que o tema “expulsão” vem à tona.

Candidato ou apoiador

Postado em 6 de março de 2019

Ex-prefeito Antônio da Silva (PP), que governou Canelinha entre 2009 e 2016, vem pondo as manguinhas de fora para as eleições municipais de 2020. Na semana passada, reuniu correligionários e lideranças oposicionistas na Cidade das Cerâmicas para “organizar a coligação”.

Diz que “prega a renovação” e que só assumiria novamente uma candidatura a prefeito “se houver um chamado do povo”; e que estaria disposto, inclusive, a apoiar um candidato que represente uma reformulação na política canelinhense.

Desaceleração

Postado em 5 de fevereiro de 2019

Crescem os burburinhos, tanto nos corredores do paço quanto nas searas oposicionistas, de que o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) estaria desacelerando na intenção de concorrer à reeleição em 2020. O mandatário tijuquense vem se recuperando de outro derrame, ocorrido em dezembro; e limitando as atenções à gestão do município, à saúde pessoal, e nem tanto à política.

Assim, abre-se o caminho para o vice-prefeito Adalto Gomes, que deve deixar o PT nos próximos momentos e continua crente no cumprimento do tratado com o grupo governista, de apoio integral no próximo pleito majoritário. Mas, entre os canários ainda persiste o sonho de firmar a campanha em torno da candidatura do engenheiro Sérgio “Coisa Querida” Cardoso (PSD)  que, mais uma vez, desfaz expectativas e diz que não quer e não vai.

Fala, Mannrich!

Postado em 4 de janeiro de 2019

Sobre a nota “Puxada de tapete“, de ontem, o ex-prefeito Elmis Mannrich (MDB) diz com exclusividade ao Blog que apenas deixa o cargo que ocupa no governo estadual – na diretoria técnica da Aresc (Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina) – se quiser ou se o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) optar pela desativação da agência. “Tenho mandato. Fui sabatinado na Assembleia Legislativa. Só saio em 2 de outubro de 2022. Não existe deputado que possa me tirar”, garante.

A respeito do suposto litígio com o deputado estadual Jerry Comper (MDB) em razão das eleições de 2018, Mannrich afirma que não tem problemas com o parlamentar. “Sei que ele ficou chateado, mas não sei se tentou me prejudicar. Ele entendeu que eu deveria apoiá-lo por conta do meu compromisso com o Aldo (Schneider, de quem Comper era assessor e que faleceu pouco antes das eleições). Se o Aldo fosse candidato à reeleição, eu certamente estaria com ele. Apoiei o (ValdirCobalchini porque somos muito amigos e porque o Aldo faleceu”, pontua o ex-prefeito.

Artilharia pesada

Postado em 29 de novembro de 2018
Foto: Divulgação

A presidente do Poder Legislativo de São João Batista, vereadora Rúbia Tamanini (PSD), topou empunhar o fuzil em demonstração de apoio à luta do comandante da Polícia Militar na região, major Éder Jaciel de Souza Oliveira, contra o crime no Vale do Rio Tijucas. O vice-presidente da Câmara, Éder Vargas (MDB) – recém-eleito para a regência da Casa do Povo em 2019 e 2020 –, porém, esteve mais sereno durante a apresentação, hoje, do armamento que deve reforçar a segurança no município.

Por doações do Ministério Público, do Poder Judiciário e de empresários batistenses, a PM adquiriu mais um fuzil T4 e uma carabina CTT, ambos da Taurus.

Fake news

Postado em 30 de outubro de 2018

O prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido (PSD), se diz vítima das famigeradas fake news nestas eleições. Ele usou o Facebook, domingo (28), para pedir que as pessoas “não participem dessa corrente do mal”. Segundo o mandatário batistense, alguns perfis falsos foram criados na rede social unicamente para “espalhar notícias mentirosas sobre a gestão” da Capital Catarinense do Calçado.

Na publicação, Cândido não especifica quais são as fake news que atormentaram, recentemente, o governo de São João Batista; mas o Blog, que tem fontes de A a Z, apurou. Uma das postagens perniciosas informava que servidores comissionados do município estavam sofrendo perseguição e sendo exonerados porque não aceitavam declarar apoio ao candidato a governador Gelson Merisio (PSD), para quem o prefeito fez campanha. E, de fato, não é fato. Não há registros, pelo menos oficiais, de demissões na administração batistense nas últimas semanas.

Guerra interna

Postado em 24 de outubro de 2018

Aquele buliçoso passarinho incolor, que tudo sabe e tudo vê, chega para detalhar o trâmite da eleição para a presidência da Câmara Municipal de Tijucas. De acordo com a ave sinistra, o tratado entre os vereadores Juarez Soares (PPS) – atual presidente do Legislativo – e Vilson Natálio Silvino (PP) para a sucessão do comando da Casa do Povo foi para as cucuias. O pepessista deve mesmo quebrar o protocolo e assumir a candidatura à reeleição, independente de convenções preestabelecidas.

Silvino, que já estaria ciente da perfídia, vem confirmando a postulação e acreditando que consegue, ainda assim, levar no peito e assumir a gerência do Legislativo tijuquense em 2019.

ULTIMATO

Diz o passarinho, ainda, que Soares procurou a bancada situacionista para apresentar a proposta: a reeleição e a consequente manutenção da mesa diretora, com os governistas Maria Edésia da Silva Vargas (PT) e Rudnei de Amorim (DEM) na triarquia de comando. E que, se não houver conformidade, deve pinçar os companheiros de mesa entre os apoios que receber, sejam eles governistas ou opositores da administração municipal.

TIRA E PÕE

Quem quer que seja o representante da bancada de situação no pleito interno da Câmara, o adversário, pelo menos, está definido. A ave bisbilhoteira garante que Esaú Bayer (MDB) já reuniu as tropas e declarou oposição, tanto a Juarez Soares quanto a Vilson Silvino.

As condições mudariam, no entanto, se os parlamentares situacionistas lançassem candidaturas avessas. Ou seja: se o pepessista e o presidente municipal do PP forem adversários na concorrência do Legislativo, Bayer se resguardaria e apoiaria a reeleição do atual presidente.