sábado, 31 de outubro de 2020 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Casaca virada

Postado em 9 de outubro de 2020

Há mais mistérios entre o céu e a terra do que pode supor nossa vã filosofia. Braço direito da vereadora e candidata a prefeita Fernanda Melo (MDB) na Câmara, Elizandra Weber deixou a assessoria da parlamentar há 10 dias e agora, surpreendentemente, mostra-se nas redes sociais com o tema de campanha do prefeito e candidato à reeleição Eloi Mariano Rocha (PSD) e apoio declarado à continuidade do projeto governista.

Secretária adjunta do MDB de Tijucas, ela vem usando, ainda, os slogans de postagens #DeixaOHomemTrabalhar#EuNãoQueroMudança nas recentes manifestações. O mundo, realmente, dá voltas. Pois, então?!

Dura na queda

Postado em 16 de setembro de 2020

Presidente do MDB municipal, a vereadora e pré-candidata a prefeita Fernanda Melo sempre disse que tinha o partido nas mãos e, ontem, em convenção municipal do Manda Brasa, provou. Ela foi confirmada por aclamação — mesmo com inúmeras tentativas de sabotagem no próprio ninho periquito — como representante dos emedebistas na corrida à prefeitura de Tijucas. Não bastasse, ainda chancelou o companheiro de chapa, também vereador Elói Pedro Geraldo, que ela mesma escolheu e bancou.

FORÇAS CONTRÁRIAS

Durante o dia, mensagens de uma ponta à outra da Capital do Vale davam como certa a desistência da vereadora e a abertura do partido para os periquitos históricos durante a convenção. Até mesmo a polícia foi chamada a impedir o evento, por denúncias de “aglomeração na pandemia”. Nada bastou; nem as especulações, nem as fake news e nem as forças contrárias. Mesmo com alguns contratempos, tudo aconteceu como ela queria. Pois, então?!

Ferida aberta

Postado em 25 de agosto de 2020

“Em Tijucas, o MDB foi uma mulher espancada, ferida, que teve a casa queimada e chegou à beira da morte; mas que conseguiu sobreviver e vem se restabelecendo, reconstruindo tudo. Agora, quem agrediu e arrasou, que fez todo o mal, quer voltar para a casa que destruiu”. Este foi um dos trechos da parábola que o ex-prefeito Valério Tomazi (MDB) ouviu ontem em reunião do partido, nas dependências do ex-vereador Edson Bayer. Pretenso postulante à vice-prefeitura, o vereador Elói Geraldo (MDB), a propósito, foi um dos que mais apontaram o dedo ao ex-mandatário — que ensaia nova candidatura ao Executivo municipal nestas eleições.

Tomazi, que se transformou no centro das atenções durante o encontro, pediu tempo para pensar. E garantiu que até sexta-feira (28) decide se continua com o plano de candidatura ou joga a toalha.

MAIORIA

A maior parte dos presentes na reunião, entretanto, definiu o nome da presidente municipal do partido e vereadora Fernanda Melo como opção de consenso para a disputa majoritária. A assembleia emedebista foi formada por figuras locais, como, além dos já citados, o ex-prefeito Elmis Mannrich e o vereador Fernando Fagundes, e de outras estâncias, a exemplo do prefeito Moacir Montibeler, de Canelinha, e do deputado federal Celso Maldaner, presidente do partido em Santa Catarina.

Vai e vem

Postado em 3 de agosto de 2020

A cadeira do vereador licenciado Odirlei Resini (MDB), atual secretário de Agricultura, Pesca e Meio Ambiente do município, volta, a partir de hoje, a ser ocupada pelo suplente Cláudio Tiago Izidoro (PP) na Câmara. Por liminar do desembargador Sérgio Bassch Luz, da 2ª Câmara de Direito Público do TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina), o segundo suplente do MDB, Oscar Luiz Lopes, mantinha o posto de vereador desde 14 de julho. Agora, o juiz substituto Luiz Fernando Pereira de Oliveira, da 2ª Vara Cível da Comarca de Tijucas, assinou mandado de segurança revertendo a decisão.

O imbróglio envolve uma discussão antiga: do direito à vaga para o partido ou para o candidato que obteve mais votos na eleição de 2016. De acordo com o mandado de segurança, publicado ontem, “não há prova pré-constituída nos autos ou mesmo notícia de que o empossado Cláudio Tiago Izidoro, primeiro suplente diplomado, tenha sido removido pela Justiça Especializada da lista de suplentes” e “até que haja pronunciamento da Justiça Eleitoral a respeito, eventualmente alterando a ordem dos suplentes, a denegação da segurança é medida que se impõe”.

A representação municipal do MDB foi intimada a apresentar contrarrazões para requerer, mais uma vez, a cadeira em questão. O prazo vence amanhã.

Cartas na manga

Postado em 22 de junho de 2020

Representação oposicionista declarada, o MDB tem alguns trunfos para as próximas eleições em Tijucas. Pelo menos, na concorrência proporcional; com expectativas de um ex-prefeito e de uma ex-vereadora entre os postulantes à Câmara Municipal, além dos atuais e tradicionais parlamentares da legenda.

Especula-se que o engenheiro Valério Tomazi, que governou o município entre 2013 e 2016, volte à cena eleitoral como candidato ao Legislativo. O ex-mandatário corre por fora, ainda, como opção do Manda Brasa para a concorrência majoritária.

Surpresa maior, porém, é a possível candidatura da ex-vereadora Lialda Lemos (ex-PSDB), opositora ferrenha dos governos emedebistas em duas legislaturas, de 2009 a 2016, que, agora filiada ao MDB, vem sendo anunciada como reforço para a corrida proporcional no rol de favoritos do partido. Pois, então?!

Represália

Postado em 8 de junho de 2020

A predileção do presidente do MDB de São João Batista, Eurli “Irmão” Silva, pelo vice-prefeito Pedro Alfredo “Pedroca” Ramos na disputa interna do partido para o próximo pleito majoritário provocou a ira do vereador Leôncio Paulo Cypriani. Em razão do imbróglio, o parlamentar deixou as fileiras emedebistas e passou para o PSD. A retaliação, pelo que parece, não demorou; e chegou em forma de projeto na Câmara Municipal para mudança de nome da maior obra do atual governo no município.

Já havia se decidido que a suntuosa Terceira Ponte, que está em fase de conclusão, seria batizada Gentil Silva — em homenagem ao primeiro prefeito da Capital Catarinense do Calçado, e ocasionalmente pai do presidente do MDB batistense. Embora tivesse concordado no primeiro momento, Cypriani quer, agora, que a ponte seja denominada José Jovino da Silveira, o Zé Pedreiro, que foi um morador icônico da localidade que recebe a obra. E o litígio, e as rusgas, e as trocas de farpas só aumentam. Pois, então?!

“Não sou candidato”

Postado em 18 de maio de 2020

O ex-prefeito Elmis Mannrich (MDB), de Tijucas, não vai concorrer nas próximas eleições municipais. O anúncio foi feito no programa Linha de Frente, na VipSocial TV, quinta-feira (14). O ex-mandatário revelou que conversou com familiares sobre o assunto, que a decisão já foi tomada, e que optou por cumprir integralmente o mandato na diretoria técnica da Aresc (Agência de Regulação dos Serviços Públicos de Santa Catarina) até outubro de 2022. “São questões pessoais, minhas. Mas certamente estarei envolvido no processo eleitoral, trabalhando e lutando pelo MDB”, garantiu.

Mannrich falou, ainda, sobre o pleito de 2016, o clima de animosidade criado no seio emedebista a partir do litígio com o então prefeito Valério Tomazi (MDB), e admitiu que os adversários aproveitaram melhor a reta final da campanha. “A tendência de mudança, o trabalho da oposição, forte, num processo democrático, normal, junto com parte da administração, resultou naquela grande virada”, justificou.

Outros temas, como as alianças com ex-algozes, o contratempo na corrida à Assembleia Legislativa de 2014, os acordos, as batalhas judiciais e o cenário atual no MDB tijuquense também estiveram na pauta da entrevista. Assista na íntegra:

Programa de entrevistas no formato talk show com personalidades da política que tenham relação direta ou indireta com o Vale do Rio Tijucas e a Costa Esmeralda, o Linha de Frente vai ao ar semanalmente, todas as quintas-feiras, às 19h30, na VipSocial TV e com transmissões simultâneas nas redes FacebookYouTube e Instagram.

Casaca virada

Postado em 13 de maio de 2020

Surpresa ou não, o presidente da Câmara Municipal de Canelinha, Arlindo de Simas — que somava 30 anos de oposição declarada ao MDB na Cidade das Cerâmicas —, pulou as trincheiras, quebrou o retrovisor e se juntou aos ex-adversários. Desde a janela de transferências partidárias, no mês passado, ele é emedebista.

A aproximação entre Simas e o staff político do prefeito Moacir Montibeler ficou evidenciada na eleição da presidência do Legislativo, no fim de 2018. Naquela feita, o então vereador do PL, que mantinha discurso neutro, foi pivô de uma manobra do MDB e da administração municipal para tirar o comando da Casa do Povo dos rivais, e chancelou o tratado. A filiação ao partido que sempre combateu era questão de tempo; e se confirmou.

Vai e volta

Postado em 12 de maio de 2020

Com a volta do ex-secretário de Desenvolvimento do município Jean Carlos de Sieno dos Santos (PP) para a Câmara Municipal de Tijucas — para concorrer outra vez ao Legislativo nestas eleições —, Cláudio Tiago Izidoro (PP) passou novamente para a suplência. Mas não por muito tempo. Há uma força-tarefa em curso para que o ex-emedebista seja reconduzido ao parlamento tijuquense nas próximas semanas. A manobra, porém, dependeria do poderio econômico do município.

Decidido a não disputar o próximo pleito, o vereador Odirlei Resini (MDB) seria realocado no comando da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Meio Ambiente; e, com a vaga aberta na Casa do Povo, Izidoro voltaria à vereança. A ideia do prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD), em suma, seria prestigiar tanto um quanto outro — ambos dissidentes do MDB que abraçaram a proposta governista.

Internamente

Postado em 4 de maio de 2020

Uma corrente proposta por condutores eméritos do MDB tijuquense começa a ganhar corpo no cerne do partido. Figuras egrégias, como ex-presidentes e membros destacados das fileiras emedebistas, vêm defendendo a aliança com o PDT e a indicação de um candidato a vice-prefeito na chapa inicialmente encabeçada pelo empresário Thiago Peixoto dos Anjos para o pleito majoritário.

Consultada pelo Blog, a presidente municipal do Manda Brasa e vereadora Fernanda Melo Bayer diz que desconhece o movimento, e que não acredita no sucesso da proposta. “Uma agremiação com 1.380 filiados vai acompanhar outra com menos de 400?”, questiona.

Pré-candidata declarada à prefeitura, a parlamentar, porém, não descarta a conjuntura. “Somos um partido democrático. Vamos depender de uma votação com os filiados. Eu, particularmente, não serei vice de ninguém. Mas temos outros nomes no partido que poderão comprar essa briga”, pontua.