sexta-feira, 29 de maio de 2020 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

“Não sou candidato”

Postado em 18 de maio de 2020

O ex-prefeito Elmis Mannrich (MDB), de Tijucas, não vai concorrer nas próximas eleições municipais. O anúncio foi feito no programa Linha de Frente, na VipSocial TV, quinta-feira (14). O ex-mandatário revelou que conversou com familiares sobre o assunto, que a decisão já foi tomada, e que optou por cumprir integralmente o mandato na diretoria técnica da Aresc (Agência de Regulação dos Serviços Públicos de Santa Catarina) até outubro de 2022. “São questões pessoais, minhas. Mas certamente estarei envolvido no processo eleitoral, trabalhando e lutando pelo MDB”, garantiu.

Mannrich falou, ainda, sobre o pleito de 2016, o clima de animosidade criado no seio emedebista a partir do litígio com o então prefeito Valério Tomazi (MDB), e admitiu que os adversários aproveitaram melhor a reta final da campanha. “A tendência de mudança, o trabalho da oposição, forte, num processo democrático, normal, junto com parte da administração, resultou naquela grande virada”, justificou.

Outros temas, como as alianças com ex-algozes, o contratempo na corrida à Assembleia Legislativa de 2014, os acordos, as batalhas judiciais e o cenário atual no MDB tijuquense também estiveram na pauta da entrevista. Assista na íntegra:

Programa de entrevistas no formato talk show com personalidades da política que tenham relação direta ou indireta com o Vale do Rio Tijucas e a Costa Esmeralda, o Linha de Frente vai ao ar semanalmente, todas as quintas-feiras, às 19h30, na VipSocial TV e com transmissões simultâneas nas redes FacebookYouTube e Instagram.

Casaca virada

Postado em 13 de maio de 2020

Surpresa ou não, o presidente da Câmara Municipal de Canelinha, Arlindo de Simas — que somava 30 anos de oposição declarada ao MDB na Cidade das Cerâmicas —, pulou as trincheiras, quebrou o retrovisor e se juntou aos ex-adversários. Desde a janela de transferências partidárias, no mês passado, ele é emedebista.

A aproximação entre Simas e o staff político do prefeito Moacir Montibeler ficou evidenciada na eleição da presidência do Legislativo, no fim de 2018. Naquela feita, o então vereador do PL, que mantinha discurso neutro, foi pivô de uma manobra do MDB e da administração municipal para tirar o comando da Casa do Povo dos rivais, e chancelou o tratado. A filiação ao partido que sempre combateu era questão de tempo; e se confirmou.

Vai e volta

Postado em 12 de maio de 2020

Com a volta do ex-secretário de Desenvolvimento do município Jean Carlos de Sieno dos Santos (PP) para a Câmara Municipal de Tijucas — para concorrer outra vez ao Legislativo nestas eleições —, Cláudio Tiago Izidoro (PP) passou novamente para a suplência. Mas não por muito tempo. Há uma força-tarefa em curso para que o ex-emedebista seja reconduzido ao parlamento tijuquense nas próximas semanas. A manobra, porém, dependeria do poderio econômico do município.

Decidido a não disputar o próximo pleito, o vereador Odirlei Resini (MDB) seria realocado no comando da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Meio Ambiente; e, com a vaga aberta na Casa do Povo, Izidoro voltaria à vereança. A ideia do prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD), em suma, seria prestigiar tanto um quanto outro — ambos dissidentes do MDB que abraçaram a proposta governista.

Internamente

Postado em 4 de maio de 2020

Uma corrente proposta por condutores eméritos do MDB tijuquense começa a ganhar corpo no cerne do partido. Figuras egrégias, como ex-presidentes e membros destacados das fileiras emedebistas, vêm defendendo a aliança com o PDT e a indicação de um candidato a vice-prefeito na chapa inicialmente encabeçada pelo empresário Thiago Peixoto dos Anjos para o pleito majoritário.

Consultada pelo Blog, a presidente municipal do Manda Brasa e vereadora Fernanda Melo Bayer diz que desconhece o movimento, e que não acredita no sucesso da proposta. “Uma agremiação com 1.380 filiados vai acompanhar outra com menos de 400?”, questiona.

Pré-candidata declarada à prefeitura, a parlamentar, porém, não descarta a conjuntura. “Somos um partido democrático. Vamos depender de uma votação com os filiados. Eu, particularmente, não serei vice de ninguém. Mas temos outros nomes no partido que poderão comprar essa briga”, pontua.

Coração partido

Postado em 11 de março de 2020

Suposto pivô das disputas internas no MDB de São João Batista, o vereador Leôncio Paulo Cypriani decidiu, ontem, se desfiliar do partido. Enviou duas cartas: uma para o cartório da 53ª Zona Eleitoral, pedindo a baixa no registro de filiação, e outra para os “companheiros” de Manda Brasa, explicando os motivos da saída.

Aos correligionários, Cypriani pontuou, “de coração partido”, que considera “injusta e desmedida a responsabilidade (atribuída a si) pelas discórdias no seio da agremiação”. Na despedida, no entanto, o vereador acrescentou que continua apoiando o governo do prefeito Daniel Netto Cândido (PSL) e que, “com certeza”, vai participar das eleições de outubro, “seja como candidato a vereador, vice-prefeito ou prefeito por outro partido”.

Contenda interna

Postado em 4 de março de 2020

Engana-se quem pensa que a volta triunfal do vice-prefeito Pedro Alfredo Ramos ao MDB — em cerimônia festiva com a presença de emedebistas ilustres, como o senador Dário Berger — esmoreceu as pretensões do vereador Leôncio Paulo Cypriani (MDB) de candidatura no próximo pleito majoritário de São João Batista. O parlamentar garante que o evento não representou a vontade do Manda Brasa batistense, e que apenas nove dos 60 membros do diretório municipal participaram do encontro.

Figuras basais do MDB da Capital Catarinense do Calçado, como o vereador Eder Vargas e a ex-presidente do partido, Rosane Sartori Rosa, sequer teriam sido convidadas. “Destes nove presentes, três, inclusive, votariam comigo numa possível eleição interna”, pontua Cypriani. Pois, então?!

Enquete sem partido

Postado em 26 de fevereiro de 2020

A presidente do MDB tijuquense e vereadora Fernanda Melo Bayer não gostou de ver a bandeira do partido atrelada à imagem do ex-vereador Antônio Zeferino Amorim nas enquetes pré-eleitorais da internet. Partiu dela a determinação para que o perfil “NKD Publicidade” no Facebook não vinculasse o nome do policial militar de reserva à legenda, alegando que Tonho Polícia não é filiado ao MDB e, portanto, não pode ser o representante emedebista no próximo pleito majoritário.

A medida gerou intempéries entre familiares do ex-vereador e o comando do MDB municipal. Irmão e braço direito do candidato a vice-prefeito em 2012, Henrique Amorim não poupou críticas à atitude da presidente; e até o termo “retardada” foi atribuído a ela em mensagem de áudio enviada ao grupo de conversação online “Pomba Branca”. Pois, então?!

Vai e vem

Postado em 11 de fevereiro de 2020

O impetuoso pedido de desfiliação do vice-prefeito Pedro Alfredo “Pedroca” Ramos do MDB, em caráter “irrevogável e irretratável”, vem ganhando contornos dramáticos em São João Batista. O presidente municipal da legenda, Eurli “Irmão” Silva, vem segurando o trâmite interno enquanto alguns correligionários tentam mobilizar uma força-tarefa que poderia manter o grupo unido em torno do adjunto batistense.

Entre os líderes convocados a interceder estaria o deputado federal Rogério “Peninha” Mendonça (MDB-SC), que mantem relação estreita com a administração municipal e com todas as alas do Manda Brasa batistense. Uma reunião emergencial foi agendada para sábado (15), na Sociedade Recreativa 19 de Julho.

Reciclagem

Postado em 6 de fevereiro de 2020

A tendência da renovação parece ter chegado ao tradicionalíssimo MDB de Nova Trento. Vereador de primeiro mandato, o jovem Tiago Dalsasso, de apenas 26 anos — que preside o partido na Terra de Santa Paulina —, vem despontando na preferência da militância emedebista para a próxima concorrência majoritária.

Pós-graduado em Gestão Pública, o parlamentar aparece em todos os cenários nas pesquisas pré-campanha e desbanca nomes habituais da legenda, como o da ex-prefeita e ex-secretária regional Sandra Regina Eccel. Dalsasso tem apoio, sobretudo, de setores da iniciativa privada e já revelou: quer o cargo máximo do município nestas eleições.

Gota d’água

Postado em 4 de fevereiro de 2020

O motivo basal da saída do vice-prefeito Pedro Alfredo “Pedroca” Ramos do MDB tem nome, sobrenome e cargo público: Leôncio Paulo Cypriani, advogado, vereador eleito com a maior votação da história de São João Batista, e, agora, publicamente, pré-candidato a prefeito pelo Manda Brasa nestas eleições.

No sábado (1), Cypriani reuniu amigos, correligionários e apoiadores no sítio que mantém no interior da Capital Catarinense do Calçado e, extraoficialmente, lançou a pré-candidatura ao cargo máximo do município. A postura do parlamentar foi a gota d’água na relação do adjunto tijuquense com a cúpula emedebista do município, que já vinha desgastada. Pedroca, inclusive, ao deixar o partido, falou em “evitar desavenças”.

APOIO DO PREFEITO

Em entrevista exclusiva concedida ao colunista no quadro “Política” do Jornal Vip, no Portal VipSocial, em janeiro, o prefeito Daniel Netto Cândido (PSD) confirmou o compromisso com o MDB para as eleições deste ano.

Cândido deixou claro, sobretudo, que o apoio acordado se limita à indicação do partido, e não necessariamente ao nome do vice-prefeito. O mandatário batistense pontuou, ainda, que o candidato governista “precisa continuar o trabalho que vem sendo realizado, e que tenha a mesma dedicação para ‘melhorar a vida das pessoas’ mostrada no atual governo”.