segunda-feira, 3 de agosto de 2020 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Máximo proveito

Postado em 22 de janeiro de 2020
Foto: Divulgação

Expert em política, a deputada estadual Ana Paula da Silva (PDT) mostrou, dias atrás, como se mata dois coelhos com apenas uma cajadada. No mesmo instante em que quitou um débito com o secretário municipal de Saúde, Vilson “Tem” Porcíncula, ela massageou o ego dos brizolistas de Tijucas e compartilhou os créditos do benfeito.

Paulinha destinou R$ 200 mil em emenda parlamentar para a Saúde tijuquense e, além de gratificar Porcíncula pelo apoio na campanha de 2018, trouxe o PDT da Capital do Vale para a foto — com o pré-candidato a prefeito Thiago Peixoto dos Anjos, o presidente municipal do partido João Luiz Lopes e o vereador Fabiano Morfelle —, como pais da criança. Pois, então?!

Paz e amor

Postado em 16 de dezembro de 2019
Foto: Divulgação

Os vereadores Fabiano Morfelle (PDT) e Fernando Fagundes (MDB), que se abstiveram na reeleição do colega Vilson Natálio Silvino (PP) à presidência da Câmara Municipal de Tijucas, põem panos quentes na questão e posam amistosos para a foto, dias depois da votação.

Morfelle, aliás — que, mesmo na oposição, mantém boa relação com o progressista e trânsito livre na administração municipal — , era especulado entre os votos pró-Silvino na concorrência interna, mas rechaça qualquer tratado com os governistas. “Tenho o maior respeito e carinho pelo Vilsinho. Não conversei em momento algum com ele a respeito da presidência. Se tivesse prometido, eu iria cumprir, como sempre fiz. Me abstive da votação porque o MDB não chegou em um acordo e não apresentou candidato”, explica.

Certezas e surpresas

Postado em 10 de dezembro de 2019

Dez votos favoráveis, duas abstenções e uma falta. A contabilidade final da eleição interna do parlamento tijuquense, ontem à noite, credenciou, novamente, o vereador Vilson Natálio Silvino (PP) à presidência da Casa do Povo em 2020. Os demais membros da mesa são Maria Edésia “Déda” da Silva Vargas (PT), Odirlei Resini (MDB) e Rudnei de Amorim (DEM) na vice-presidência e primeira e segunda secretarias respectivamente.

Na sessão, das certezas e das surpresas restaram a esperada ausência da presidente do MDB municipal Fernanda Melo Bayer — que, manifesta e claramente, não concorda com a reeleição de Silvino — e a aturdida abstenção do neutro Fabiano Morfelle (PDT), que mantém relação amistosa com o progressista e bom trânsito na administração municipal e teria prometido o voto de aprovação. O segundo a se abster foi Fernando Fagundes (MDB).

PERSONA NON GRATA

Recado maior, entretanto, recebeu o emedebista Odirlei Resini. Acusado de trair o partido na primeira eleição de Silvino, no fim de 2018, ele colheu, ontem, a revindita dos confrades. Os outros três vereadores do MDB presentes na sessão foram contrários à eleição do correligionário na primeira secretaria da Casa — e só computaram abstenções porque o regimento interno do Legislativo tijuquense veda o voto de rejeição.

TOALHA JOGADA

A bancada de oposição não apresentou nomes. Nem para a presidência e tampouco para os demais cargos da mesa diretora. O domínio do grupo situacionista na Câmara Municipal de Tijucas, neste momento, é total e irrestrito.

Pacto pedetista

Postado em 5 de novembro de 2019
Foto: Divulgação

Conforme prenunciado no Blog, o suplente de vereador Vagner Felizardo (segundo, à direita) tomou assento na Câmara Municipal de Tijucas, ontem — na cadeira do PDT e do titular Fabiano Morfelle (quarto) —, para satisfação do presidente municipal da legenda, João Luiz Lopes, do vogal e conselheiro do partido Antonio Luiz Dias e do pré-candidato brizolista à prefeitura Thiago Peixoto dos Anjos.

Felizardo é o terceiro suplente do PDT a experimentar a vereança nesta legislatura; e fica no cargo por 30 dias. A próxima, segundo o pacto pedetista, é a auxiliar de enfermagem Michele de Camargo.

Rodízio

Postado em 4 de novembro de 2019

Terceiro suplente do PDT, o representante comercial Vagner Felizardo — que somou 230 votos nas eleições de 2016 — assume hoje, logo mais, a cadeira do correligionário Fabiano Morfelle no parlamento tijuquense. O rodízio do partido na Câmara, que já prestigiou a professora Consuelo Azevedo e o presidente municipal da legenda, João Luiz Lopes, é uma das diretrizes dos brizolistas na Capital do Vale e vem sendo cumprido à risca.

A assistente de enfermagem Michele de Camargo (PDT), que alcançou a marca de 195 votos na eleição passada, é a próxima da lista, e quem deve, muito em breve, experimentar a vereança.

Vira, virou

Postado em 18 de setembro de 2019
Foto: Divulgação

Se as portas do PL se fecharam para o ex-presidente do partido em Tijucas, empresário Ricardo Oliveira, as do PDT ficaram escancaradas.

Na semana passada, o ex-liberal passou às fileiras brizolistas sob aprovação e celebração de três dos principais nomes da legenda no município — o vereador Fabiano Morfelle, o presidente João Luiz Lopes e o pré-candidato a prefeito Thiago Peixoto dos Anjos.

Portas abertas

Postado em 12 de setembro de 2019

A regência do PDT tijuquense tem um modus operandi claro e manifesto no processo intra-eleitoral: ter portas abertas em todas as frentes políticas, partidos e correntes ideológicas. Esse modelo de comportamento foi discutido internamente e vem sendo levado à risca nos últimos meses.

Bastiões da legenda no município, o empresário Thiago Peixoto dos Anjos — que pretende concorrer à prefeitura em 2020 abarcado nos brizolistas — e o vereador Fabiano Morfelle têm sido vistos, juntos ou distantes, vezes festejados e outras discretos, nos mais variados eventos políticos da Capital do Vale. As convenções municipais do PL e do PP, dias 30 e 9 últimos, foram exemplos. Em ambos os encontros, o PDT esteve representado; e assim deve seguir até o momento de separar o joio e o trigo.

Reafirmação

Postado em 10 de setembro de 2019
Foto: Léo Nunes

O vereador Vilson Natálio Silvino fez suspense, mas, no fim, reassumiu, sem surpresas, a presidência do PP tijuquense por mais um mandato. A cerimônia de homologação da única chapa, por aclamação, ontem, na sede social do Jardim das Amendoeiras, contou com progressistas de Tijucas, Canelinha, São João Batista, Major Gercino e Nova Trento, e, destacadamente, com o prestigiado senador Esperidião Amin, acompanhado da mulher, a deputada federal Ângela Amin, e do filho, deputado estadual João Amin — seguramente, os maiores expoentes do partido no estado.

Nem somente, porém, os pepistas formaram o quórum do evento. Além do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e do vice-prefeito Adalto Gomes (PL), que estiveram na mesa de honra, representantes de outras legendas — como o ex-prefeito Uilson Sgrott (DEM), os vereadores Rudnei de Amorim (DEM), Fabiano Morfelle (PDT) e Odirlei Resini (MDB), mais o empresário Thiago Peixoto dos Anjos, que deve concorrer à prefeitura em 2020 no PDT — ainda participaram do ato.

Figuras preminentes do partido, como o ex-prefeito Nilton de Brito, o empresário Helio Gama e o médico Rogério de Souza, evidentemente, também assinaram o protocolo na prestigiada convenção do PP tijuquense.

Comes e bebes

Postado em 20 de agosto de 2019
Foto: Divulgação

Na selfie, o vereador Fabiano Morfelle mais os suplentes André MirandaJoão Luiz Lopes com o anfitrião e pré-candidato a prefeito Thiago Peixoto dos Anjos, todos do PDT, quinta-feira (15), em Santa Luzia, no churrasco que o administrador do Hotel do Valle promoveu e que o empresário Leonardo “Nadinho” dos Santos patrocinou.

Os proventos vieram de uma aposta entre Peixoto dos Anjos e Nadinho sobre os votos dos vereadores tijuquenses na absolvição do ex-prefeito Valério Tomazi (MDB), que teve as contas de 2016 embargadas no TCE (Tribunal de Contas do Estado). O pedetista venceu o páreo e convidou os amigos — especialmente os correligionários — para saborear o triunfo.

Ausência e defesa escrita

Postado em 1 de julho de 2019

Na berlinda do TCE (Tribunal de Contas do Estado) – que recomenda a reprovação das contas do Executivo tijuquense em 2016 –, o ex-prefeito Valério Tomazi (MDB) não atendeu ao chamado da Câmara Municipal, quinta-feira (27), para se justificar na tribuna. Em vez disso, protocolou a defesa por escrito na Casa do Povo. O ex-mandatário atribui as falhas na execução orçamentária daquele ano à recessão econômica do país e aos repasses estaduais e federais que, segundo ele, não foram honrados com o município.

Os vereadores têm, a partir de agora, 20 dias para apreciar e julgar as contas municipais de 2016. Tomazi precisa que nove parlamentares contrariem a recomendação do TCE para não sofrer as sanções da Justiça Eleitoral – que podem resultar em oito anos de inelegibilidade.

LEGENDA E RESSENTIMENTO

O ex-prefeito dispensou o uso da tribuna, mas não parou de articular nos bastidores. Fez reuniões com os vereadores do MDB – mais o pedetista Fabiano Morfelle, que compõe a bancada de oposição – e reafirmou o propósito de permanecer no partido e contribuir nos próximos pleitos.

Os votos dos oposicionistas parecem encaminhados. Mas não sem ressalvas. Presidente do MDB municipal, o vereador Fernando Fagundes teria pontuado, durante o encontro com Tomazi, que “se a votação fosse no ano passado, os emedebistas certamente seriam contrários à aprovação das contas, porque a mágoa (com a postura do ex-mandatário nas eleições de 2016, quando teria preferido Elói Mariano Rocha (PSD) ao correligionário Elmis Mannrich) ainda era muito grande”.

CABO ELEITORAL

Na bancada governista, a vereadora Elizabete Mianes da Silva (PSD) é quem vem arrebanhando votos em favor de Tomazi. Por influência da professora aposentada, os colegas Vilson Natálio Silvino (PP), Odirlei Resini (MDB) e Ecio Helio de Melo (PP) devem optar pela aprovação das contas.

Em tempo: no pleito proporcional de 2016, Bete, que chegava do MDB sob grande desconfiança e uma projetada dificuldade nas urnas, teria sido amplamente apoiada pelo ex-prefeito e garantiu a reeleição.

VOTO GARANTIDO

Secretário de Obras, Transportes e Serviços Públicos no governo de Tomazi, outro que deve votar em favor da aprovação das contas de 2016, por gratidão, é o vereador Cláudio Tiago Izidoro (sem partido).

INDECISOS E CONTRÁRIOS

Diante das projeções, o ex-prefeito deve conseguir a absolvição. Os votos contrários, neste momento, podem ser, no máximo, três.

O estreante Juarez Soares (CIDA) vem repetindo sistematicamente que pretende fazer uma opção técnica, a partir do entendimento do TCE, pela rejeição. Braço direito da administração municipal na Câmara, Rudnei de Amorim (DEM) ainda não se decidiu, e diz aos mais próximos que a ausência de Tomazi na última sessão “mudou tudo” e que ficou “muito chateado” com a postura do ex-prefeito. E a advogada Fernanda Melo Bayer (MDB) já manifestou, internamente, que, por ideologia, deve contrariar, sempre que puder, as intervenções da colega Eliazabete Mianes da Silva.