sábado, 10 de dezembro de 2022 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Com pesar

Postado em 23 de novembro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A sentida morte do jornalista Carlos Damião, com quem trabalhei no Notícias do Dia, da RIC, não passou despercebida na Assembleia Legislativa. E foi a deputada estadual Ana Paula da Silva (PODE), de Bombinhas, quem protocolou moção de pesar na Casa em razão do ocorrido.

Damião tinha 67 anos. Sofreu um acidente doméstico, quinta-feira (17), em casa, em Florianópolis, e não resistiu. Seu falecimento consternou familiares, amigos, colegas de profissão, lideranças políticas e sociedade catarinense. Era um comunicador nato, além de poeta e cronista.

Perda irreparável

Postado em 20 de abril de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Embora ensolarada, Tijucas amanheceu cinzenta. Amigos, eleitores e admiradores do ex-vereador, ex-prefeito e ex-vice-prefeito Nilton de Brito — do rol de importantes e decisivos personagens da política local — acordaram com a triste notícia da sua partida, durante a madrugada, no Hospital de Caridade, em Florianópolis. Estava internado havia uma semana para tratar uma infecção pulmonar, em decorrência de um tumor descoberto recentemente. Mas o organismo já não respondia aos antibióticos, e os boletins, dia a dia, antecipavam o que estava por vir.

Brito, como era chamado do Oliveira à Santa Luzia, da Itinga à Praça, governou a Capital do Vale entre 1993 e 1996; e mais tarde, de 2001 a 2004, formou dupla com Uilson Sgrott na primeira gestão do milênio. Foi servidor de carreira da Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina) e administrou com os filhos, Rodrigo “Didi” de Brito Rafael de Brito, a extinta revendedora de automóveis Radini Veículos na cidade. No campo social, marcou, também, como presidente do Tijucas Clube nos tempos áureos da sociedade e por muitos e memoráveis carnavais.

Nos últimos anos, aposentado, vivia com a mulher Cláudia Germano de Brito na popular Rua das Amendoeiras, na terra que sempre amou e entre o povo que tanto serviu, e dividia o tempo entre a família, a criação de pássaros e a articulação política da qual nunca quis — ou nunca se permitiu, por liderança fundamental que era — se afastar.

Tijucas perde um dos seus filhos mais ilustres. Morre o “Maior Cola-Branca da Cidade”, que inexplicavelmente era amigo íntimo dos principais adversários. Morre uma parte imprescindível da nossa rica história.

Triste registro

Postado em 18 de agosto de 2021
  •  
  •  
  • 2
  •  
  •  

Fez ontem, com registros de familiares, amigos e eleitores em redes sociais, um ano da morte do ex-vereador Antônio Carlos Flores, o popular Toninho da Casan, de Canelinha. A comoção que marcou o fim da tarde de 17 de agosto de 2020 não foi, e certamente jamais será esquecida.

Toninho foi mais uma vítima da Covid na região. Era uma das figuras mais importantes da cena política do Vale do Rio Tijucas e planejava, naquela ou na eleição seguinte, candidatar-se a prefeito da Cidade das Cerâmicas.

Música triste

Postado em 22 de outubro de 2019
  •  
  •  
  • 41
  •  
  •  

A cidade, uma região inteira, a arte, a cultura, uma legião de admiradores e a noite perderam, de uma só vez, um ilustre e digno representante. O excepcional Kaio Berlinck deu o último falsete no domingo (20) de madrugada, nos braços da mulher, professora Rosimere Furtado. Partiu como queria, sem dor ou sofrimento; mas, para os amigos, fãs e familiares, muito cedo, aos 66 anos, sem pontear mais uma vez o violão ou contar outra anedota.

Foi um dos melhores. Na seresta, nas cordas, no ritmo, na alegria, na sensibilidade e no carisma. Era artista no mais amplo sentido da palavra; de alma, de berço, de vida. Fez história nos palcos e na boemia, na sociedade e além-fronteiras com o Café no Bule — batizado e propalado nas apresentações na tevê, no Programa do Ratinho, no SBT —, e marcou uma geração. A música, em Tijucas e região, tem dois períodos: um antes, e outro depois dele.

Foi-se embora o Kaia multifacetado, que tocava, cantava, animava, interpretava, fazia rir; o Kaia seresteiro, boêmio que não bebia, do samba, da Mere, do Velho Berlinck, da loja de som, dos gestos simples, da gargalhada gostosa, das histórias hilariantes, dos palcos grandes e menores, de amigos em toda parte, de Tijucas, e, agora, da saudade. Que tristeza!

Testemunho

Postado em 11 de abril de 2017
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Único jornalista sobrevivente na tragédia com o voo 2933 da LaMia, que vitimou 71 pessoas entre atletas e comissão técnica da Associação Chapecoense de Futebol, dirigentes esportivos e profissionais de imprensa em novembro, na Colômbia, o narrador Rafael Henzel estaria muito próximo de palestrar em Tijucas sobre a experiência vivida naquele triste episódio.

Diretores da Acit (Associação Comercial e Industrial de Tijucas) planejam trazer Henzel ao anfiteatro Leda Regina de Souza em breve, e os contatos estariam bastante adiantados. Se confirmado o evento, a Capital do Vale seria a segunda cidade catarinense em que o locutor viria especialmente para contar detalhes, vistos e sentidos, da catástrofe que comoveu o mundo.

Comoção e proteção

Postado em 16 de fevereiro de 2017
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os laços entre o deputado estadual Serafim Venzon (PSDB) e Tijucas são cada vez mais fortes. Terceiro mais votado na Capital do Vale em 2014 atrás, apenas, de Elmis Mannrich (PMDB) e Gelson Merisio (PSD) , o parlamentar tomou, mais uma vez, as dores dos tijuquenses na composição de um projeto.

Em razão da recente tragédia que vitimou a jovem Laís Helena Machado, filha da ex-secretária municipal Sheila Dias e do empresário Jonas Machado, Venzon apresentou indicação à Marinha do Brasil para que as normas de regulamentação no uso de jet skis sejam alteradas. O deputado pleiteia a inclusão de capacete e óculos protetores entre os itens de segurança obrigatórios para condutores e passageiros de motos aquáticas. Atualmente, apenas o colete salva-vidas é indispensável.

Lágrima

Postado em 19 de janeiro de 2017
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Muita comoção, ontem, no último adeus à querida Noemia de Souza Reis, de Tijucas e da Reis & Filhos Materiais de Construção, que perdeu a luta contra um câncer no intestino. Era casada com o empresário Valter dos Reis e mãe do também empresário André dos Reis e da professora Juliana dos Reis. Fez-se uma combatente servil por dois anos, desde o diagnóstico; mas padeceu sob as complicações da doença, que se alastrou.

Uma missa de corpo presente está prevista para as 16h de hoje, na Igreja Matriz; e o sepultamento, no Cemitério Municipal de Tijucas, ocorre em seguida.