sábado, 10 de dezembro de 2022 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Com pesar

Postado em 23 de novembro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A sentida morte do jornalista Carlos Damião, com quem trabalhei no Notícias do Dia, da RIC, não passou despercebida na Assembleia Legislativa. E foi a deputada estadual Ana Paula da Silva (PODE), de Bombinhas, quem protocolou moção de pesar na Casa em razão do ocorrido.

Damião tinha 67 anos. Sofreu um acidente doméstico, quinta-feira (17), em casa, em Florianópolis, e não resistiu. Seu falecimento consternou familiares, amigos, colegas de profissão, lideranças políticas e sociedade catarinense. Era um comunicador nato, além de poeta e cronista.

Mínimos detalhes

Postado em 24 de julho de 2020
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  

Pode parecer um acontecimento sem muita importância, mas para o prefeito Emerson Stein (MDB), de Porto Belo, um cidadão se ferir numa boca de lobo quebrada é motivo para desassossego. O chefe do Executivo portobelense usou o Facebook, há pouco, para se desculpar, assumir a responsabilidade pelo incidente e pedir para que a população ajude a fiscalizar e que caminhões não trafeguem sobre os bueiros, a fim de evitar danos à estrutura.

“Queria poder ver e saber de tudo, mas infelizmente não é possível. Nossas equipes estão no local, consertando”, publicou.

Susto

Postado em 14 de novembro de 2018
  •  
  •  
  • 7
  •  
  •  

O prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido (PSD), vem agradecendo a Deus e às mensagens e telefonemas de amigos e familiares desde que se envolveu em acidente de trânsito, nesta manhã, na SC-410, em Canelinha. Ele seguia para Florianópolis, para uma reunião na Caixa Econômica Federal, quando o carro que dirigia, um GM/Cruze LTZ, foi atingido na traseira por um VW/Saveiro.

A coordenadora de Comunicação e Imprensa, Dirleni Dalbosco, e a coordenadora de Planejamento do município, Daniela Schlemper Muniz, também estavam no carro. Ninguém se feriu, felizmente.

Caminho aberto

Postado em 8 de maio de 2017
  •  
  •  
  • 1
  •  
  •  

A caminhada para as Paralimpíadas de Tóquio, em 2020, começa nesta semana para o tijuquense Ymanitu Silva. Ele desembarcou hoje em Nantes, na França, para o Open de Vandee, primeiro torneio da temporada 2017. De lá, viaja para Israel, no Oriente Médio, para mais duas competições válidas pelo ranking mundial.

Naquele fatídico maio de 2007, Silva sofria o acidente que culminaria com a perda dos movimentos das pernas. E hoje, exatamente uma década depois, ele desponta como um dos principais nomes do tênis Quad para atletas em cadeiras de rodas no país. São os limões da vida; e a limonada que se pode fazer deles.

Desrespeito ou mal-entendido?

Postado em 28 de abril de 2017
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O assunto é delicado. Portanto, também são absolutamente compreensíveis a aflição e a revolta do empresário Jonas Machado, de Tijucas, quando acusa publicamente a vereadora Fernanda Melo de ser indecente, desrespeitosa e desumana. Recentemente, a parlamentar remeteu, embrulhada em pacote, uma sandália da jovem Laís Helena Machado vitimada naquele trágico acidente com motos aquáticas em fevereiro ao pai, que recorreu às redes sociais para explicitar o desgosto com o ato. “Já não foi suficiente mentir descaradamente no processo da Marinha para inocentar o amigo dela e do Davi (Melo, pai da parlamentar), ela me envia esse presente (sic) que só me fez lembrar do que eu passei vendo minha filha morrer nos meus braços”, diz o texto, publicado no Facebook e num grupo de conversação instantânea por smartphones.

De fato, num primeiro entendimento, sem maiores detalhes, julga-se a atitude como de péssimo gosto e inegavelmente cruel. E que, obviamente, não se ajusta a alguém que ocupa uma posição destacada na sociedade, que se fez pela excelência profissional e pelo juízo além da média, e que, aparentemente, não encontraria motivos suficientes para atacar, de maneira tão vil e mesquinha, um pai terrivelmente dolorido.

Como o direito ao contraditório continua sendo uma das imprescindíveis balizas do bom jornalismo, o colunista contatou a vereadora, que evitou estender a polêmica. “Nesse caso, a palavra é de prata e o silêncio é de ouro. Precisamos orar e pedir ao Criador muita luz à Laís e muita sabedoria e discernimento à família”, definiu ela.

Contudo, em mensagem de voz que o blog teve acesso através de terceiros – direcionada aos familiares e amigos, Fernanda explica que enviou o calçado da garota ao pai porque, como esteve próxima e testemunhou o acidente, percebeu objetos dos envolvidos espalhados no mar, recolheu e guardou na intenção de devolver num segundo momento. Ainda no áudio, ela diz que teria tentado, insistentemente, contato pessoal com o empresário para a devolução da sandália e entrega de uma moção de pesar avalizada pela Câmara Municipal, em solidariedade à família; e que, por não ter conseguido o encontro, decidiu enviar.