quarta-feira, 4 de agosto de 2021 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Dito e feito

Postado em 20 de julho de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Pedra cantada no Blog sob o título “Decepção em dobro“, dia 9, deu bingo. O vereador Jucelino Marino Chini deixou a presidência do PP de Nova Trento. Ele não foi convidado para uma reunião dos progressistas locais sobre as eleições de 2024 e decidiu pedir a dispensa do posto. Especula-se, inclusive, que o ex-presidente tenha pretensões de concorrer no pleito majoritário e não faça parte dos planos do partido, que já trabalha com os nomes do ex-secretário de Saúde do município, Maxiliano de Oliveira — candidato a prefeito vencido em 2020 —, e do também vereador Silvio César Correia.

Chini, aliás, vinha sendo cobrado internamente por “posições mais firmes” contra a gestão do prefeito Tiago Dalsasso (MDB) no parlamento neotrentino; e já enfrentava resistência de alguns correligionários.

Decepção em dobro

Postado em 9 de julho de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O presidente do PP de Nova Trento, vereador Jucelino Marino Chini, não deve permanecer por muito mais tempo no partido. Fontes do Blog garantem, inclusive, que ele já teria redigido a carta de desfiliação e aguarda o momento certo para comunicar publicamente a decisão.

Chini não foi convidado para uma reunião dos progressistas com vistas nas eleições municipais de 2024, e estaria se sentindo duplamente desprestigiado: porque foi boicotado no encontro dos correligionários e porque não faz parte dos planos do partido para o próximo pleito na Terra de Santa Paulina. Informações preliminares dão conta de que o PP neotrentino já estaria decidido a trabalhar os nomes do ex-secretário de Saúde do município, Maxiliano de Oliveira, candidato a prefeito vencido na última eleição, e do vereador Silvio César Correia para tentar a retomada da prefeitura.

Paz e amor

Postado em 21 de maio de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

Principais concorrentes no pleito majoritário de 2020 em São João Batista, o prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB) e o ex-vereador Heriberto Eurides de Souza (PSC), enfim, selaram a paz. O encontro, ontem, na prefeitura, durou quase três horas.

 

O candidato vencido, a propósito, já havia tentado aparar as arestas com o chefe do Executivo municipal, meses atrás, em visita ao paço municipal. Mas, naquela feita, foi informado, na antessala, pelo então chefe de gabinete Maxiliano de Oliveira, que não seria atendido. O motivo das rusgas era um processo que a coligação derrotada havia movido contra os vitoriosos.

 

Mote da conversa, aliás, a ação eleitoral foi retirada. O ex-vereador, inclusive, foi entregar ao prefeito os documentos que comprovam a desistência do caso.

 

Eles falaram ao jornal Correio Catarinense, e, enquanto Ramos enalteceu o caráter do adversário no pleito de 2020, Souza fez o que queria na primeira tentativa e se colocou à disposição para contribuir com o desenvolvimento do município.

Sob pressão

Postado em 10 de fevereiro de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ingresso do farmacêutico Maxiliano de Oliveira (PP), de Nova Trento, na direção geral do Hospital Infantil Joana de Gusmão, antes comemorada na região, criou um grande desconforto no governo de Carlos Moisés da Silva (PSL). O corpo clínico do HIJG divulgou nota de repúdio, sexta-feira (5), criticando severamente a nomeação. Na “carta aberta à sociedade catarinense”, médicos e servidores da instituição manifestaram “indignação” com o governo e com a Secretaria de Estado da Saúde. Eles tratam a indicação do neotrentino para o cargo como sendo “de caráter estritamente político” e reivindicam o retorno do médico Roberto Tobaldini para a função.

Max, como é conhecido, concorreu à prefeitura de Nova Trento em 2020, mas perdeu a disputa para Tiago Dalsasso (MDB). Ex-vereador e ex-secretário de Saúde do município, ele estava, desde o início do ano, na chefia de gabinete do prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB), em São João Batista. Especula-se, nos bastidores da política estadual, que sua nomeação esteja relacionada à recente aproximação entre Moisés e o PP.

Convite irrecusável

Postado em 4 de fevereiro de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os préstimos do ex-vereador Maxiliano de Oliveira (PP), de Nova Trento, na chefia de gabinete do prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB), em São João Batista, duraram pouco mais de um mês. Mas ninguém, a não ser o chefe do Executivo batistense, pode lamentar. O neotrentino vai assumir a direção do Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis. O convite, tratado como “irrecusável”, partiu do secretário estadual de Saúde, André Motta Ribeiro, e foi prontamente aceito.

Apesar da nomeação ter sido publicada ontem à noite, Max anunciou a decisão nesta manhã. “Uma grande responsabilidade que me deixa muito feliz e honrado por saber que posso contribuir com a saúde do nosso Estado”, publicou, nas redes sociais, o ex-secretário municipal de Saúde e candidato a prefeito de Nova Trento nas recentes eleições.

Chá de cadeira

Postado em 1 de fevereiro de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Segundo colocado na recente eleição majoritária de São João Batista, o ex-vereador Heriberto Eurides de Souza (CIDADANIA) não foi recebido pelo prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB), dias atrás, na prefeitura. Ele permaneceu na antessala, com o chefe de gabinete Maxiliano de Oliveira por cerca de uma hora, mas não conseguiu a esperada audiência com o mandatário batistense.

De acordo com Souza, a intenção era “desejar sucesso” e dizer que “como empresário e alguém que ama a cidade, estaria à disposição para ajudar”. Mas não foi desta vez.

RECONCILIAÇÃO

Em entrevista ao LINHA DE FRENTE, quinta-feira (28), na VipSocial TV, Pedroca garantiu que a reconciliação não tarda. “Tenho certeza que ele virá (novamente) na prefeitura, ou eu vou até a imobiliária dele, e nos daremos as mãos. Porque não tenho e não preciso de inimigos. Temos que nos unir, para o bem de São João Batista”, disse o prefeito.

Assista ao programa na íntegra:

alk show com personalidades da política que tenham relação direta ou indireta com o Vale do Rio Tijucas e a Costa Esmeralda, o LINHA DE FRENTE vai ao ar semanalmente, todas as quintas-feiras, às 19h30, na VipSocial TV e com transmissões simultâneas nas redes FacebookYouTube e Instagram.

 

Dito e feito

Postado em 14 de dezembro de 2020
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Conforme antecipado na nota “Partidos à parte“, de terça-feira (8) no Blog, o vereador e candidato a prefeito vencido em Nova Trento, Maxiliano de Oliveira (PP), vai compor o colegiado do prefeito eleito Pedro Alfredo Ramos (MDB) na vizinha São João Batista, a partir de 2021. O martelo foi batido neste fim de semana.

Max deve ter uma função estratégica na gestão — em princípio, na chefia de gabinete do prefeito —, para orientar Pedroca na tomada de decisões que necessitem de uma visão mais técnica da administração pública. O grupo de transição já prepara o anúncio oficial, que deve ser lançado nos próximos momentos.

Partidos à parte

Postado em 8 de dezembro de 2020
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os préstimos do candidato a prefeito vencido em Nova Trento nestas eleições, vereador Maxiliano Oliveira (PP), devem ser aproveitados. Não na Terra de Santa Paulina, onde os adversários reinarão pelos próximos quatro anos, evidentemente; mas na vizinha São João Batista. O progressista tem convite do prefeito eleito Pedro Alfredo Ramos (MDB) para ocupar um cargo de primeiro escalão no governo da Capital Catarinense do Calçado e prometeu bater o martelo nesta noite.

Max ocuparia um posto estratégico na gestão, para, em suma, orientar Pedroca na tomada de decisões que necessitassem de uma visão mais técnica da administração pública.

Nem se precisa dizer que tanto em Nova Trento quanto em São João Batista, onde MDB e PP rivalizam ferozmente, o assunto vem sendo tratado com muita cautela.

ELEIÇÕES 2020: Vale e Costa Esmeralda

Postado em 16 de novembro de 2020
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

DITO E FEITO

De ponta a ponta, na região inteira, os prognósticos se confirmaram. Dos oito municípios que compõem a Costa Esmeralda e o Vale do Rio Tijucas, apenas Canelinha e Nova Trento travaram a bolsa de apostas na pré-eleição e, até a abertura das urnas, não apontavam favoritos para o pleito. Nos outros, as eleições majoritárias foram mero cumprimento de protocolo e, no fim das contas, serviram apenas para medir a distância entre os mais cotados e os adversários.

BOMBINHAS

Na praiana Bombinhas, o prefeito Paulo Henrique Dalago Müller (DEM) nadou de braçada, confirmou as expectativas e venceu com 73,53% dos votos válidos. Ele manteve os números da parceira e antecessora, atual deputada estadual Ana Paula da Silva (PDT), que venceu em 2016 com 72,92% da preferência do eleitorado, e conquistou, ainda, mais nove indicações. Paulinha, há quatro anos, fez 7.802 votos e Paulinho, agora, 7.811.

Os adversário de Dalago Müller neste pleito foram o advogado e administrador Mário Pera (PSDB), que somou 1.575 votos (14,83%), e o subtenente de reserva dos Bombeiros, Clodomar da Silva (PL), que fez 1.237 votos (11,64%).

PORTO BELO

Nada menos surpreendente que a reeleição do prefeito Emerson Stein (MDB) na Capital Catarinense dos Transatlânticos, com 83,24% da preferência dos eleitores. Foi a maior diferença proporcional de votos — e uma das maiores da história — da região.

A bem da verdade, ninguém, nem em Porto Belo e nem na vizinhança, talvez nem no grupo opositor, acreditou que o farmacêutico Romario Luiz Tancredo (REPUBLICANOS), que somou 1.669 votos (16,76%) contra 8.288 de Stein, pudesse desbancar o atual mandatário. Era pedra cantada. E deu bingo.

ITAPEMA

A prefeita Nilza Simas (PSD) também tinha situação amplamente confortável em todas as pesquisas. Confirmou o favoritismo, conquistou 63,74% do eleitorado (18.557 votos) e garantiu a reeleição.

Os demais concorrentes na eleição majoritária na Cidade dos Ultraleves foram o engenheiro Andre de Oliveira (PODE), que fez 8.415 votos (28,9%); o coronel de reserva do Exército, Paulo Sergio Feres Alves (PL), que somou 1.400 votos (4,81%); e o advogado Moacir Cesar Matiolo (PT), que conseguiu apenas 743 votos (2,55%).

TIJUCAS

As projeções também se confirmaram na Capital do Vale. Franco favorito, o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) levou a eleição a eito. Trouxe o engenheiro, ex-diretor do Sebrae/SC e empresário Sérgio Fernandes Cardoso (PSD) para a chapa, avultou as chances de sucesso no pleito, e fez valer o prenúncio das pesquisas. Professor Eloi conquistou 59,36% do eleitorado (12.151 votos), impôs diferença de 7.923 votos aos adversários, e se tornou o vencedor de uma eleição em Tijucas com a maior distância entre concorrentes da história — quebrando o recorde de Elmis Mannrich (MDB), que derrotou o advogado Roberto Carlos Vailati (então no PT) em 2008 com vantagem de 6.252 votos.

Na sequência, ficaram o empresário Thiago Peixoto dos Anjos (PDT), com 4.238 votos (20,7%); a advogada e vereadora Fernanda Melo Bayer (MDB), com 3.145 votos (15,36%); o policial rodoviário federal aposentado e vice-prefeito Adalto Gomes (PL), com 556 votos (2,72%); e o empresário Sidney Machado (PSC), com 381 votos (1,86%).

CANELINHA

Única aposta é que a concorrência ficaria polarizada entre o prefeito Moacir Montibeler (MDB) e o advogado Diogo Francisco Alves Maciel (PSL); e que o ex-prefeito Antônio da Silva (PP) não teria fôlego para brigar no topo. Mais que isso, ninguém dizia. No fim da contagem, a vitória foi do estreante — que conquistou 42,22% do eleitorado (3.132 votos) e superou em apenas 309 votos o mandatário da Cidade das Cerâmicas. Disputa acirrada até as últimas urnas.

Tonho ficou com 19.72% da preferência dos eleitores e somou 1.463 votos.

SÃO JOÃO BATISTA

Embora todos os indicadores apontassem para uma vitória acachapante do candidato governista, vice-prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB), não foi bem o que aconteceu. O vereador Heriberto Eurides de Souza (CIDADANIA), que entrou no pleito majoritário como azarão, fez jogo duro e se manteve com chances até o último quarto da apuração. No fim, entretanto, Pedroca confirmou o favoritismo e venceu com 48,66% da preferência do eleitorado (7.363 votos). Betinho alcançou 41,26% (6.243).

A pastora evangélica Fernanda Adorne (PSC) somou 892 votos (5,9%) e ficou na terceira posição, enquanto os empresários Estevan Nascimento (PL) e Angelo Zunino Azambuja (PT) ficaram em quarto e quinto, com 470 (3,11%) e 163 votos (1,08%) respectivamente.

MAJOR GERCINO

No menor município do Vale, nada de surpresas. O atual prefeito Valmor Pedro Kammers (PSL), que angariou o tradicional — e ex-rival — MDB para a campanha de reeleição, fez 60,48% (1.590) dos votos válidos e garantiu mais quatro anos de mandato.

O ex-prefeito João José David (PODE), que tentava voltar ao paço, somou 1.039 votos (39,52%).

NOVA TRENTO

Esta, sim, era a disputa mais imprevisível da região. De certeza, apenas que o pastor evangélico Luiz Andre Teixeira da Costa (PSC) seria o terceiro colocado e que o confronto se resumiria, voto a voto, entre os vereadores Tiago Dalsasso (MDB) e Maxiliano de Oliveira (PP).

Dalsasso abarcou 54,42% (4.650 votos) do eleitorado e levou o MDB neotrentino de volta ao poder após de 12 anos. Max ficou com 44,07% da preferência (3.765 votos), enquanto Pastor Andre Costa fez apenas 129 votos (1,51%).

Aliança mantida

Postado em 29 de abril de 2020
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os rumores sobre a suposta decisão do PP neotrentino de concorrer em chapa pura na eleição majoritária, publicados no jornal Correio Catarinense de São João Batista semana passada, foram rechaçados ontem pelo presidente municipal da legenda, Jucelino Chini. De acordo com o periódico batistense, o diretório progressista teria se reunido secretamente para sentenciar o rompimento com o PSDB e definir os nomes de Maxiliano de Oliveira (PP) e Josemar Franzoi (PP) como respectivos pré-candidatos a prefeito e vice no projeto governista.

Em entrevista ao jornal O Trentino de Nova Trento, Chini garantiu que a informação não procede, e que “a coligação vitoriosa que elegeu Gian Francesco Voltolini (PP) e Jaison Marchiori (PSDB) em 2016 continua forte”. O presidente do PP projetou, ainda, que a aliança com os tucanos deve se manter “não apenas nas eleições deste ano, mas também nas seguintes”.