quarta-feira, 4 de agosto de 2021 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Pasquim

Postado em 16 de julho de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Nos bastidores da política de São João Batista, tentou-se plantar a notícia de que o chefe de gabinete Juliano Peixer receberia, nos próximos momentos, a carta de exoneração e um convite para se desfiliar do MDB. A informação passou a ser disseminada hoje no WhatsApp, em redação de autor anônimo.

De acordo com o texto, Peixer vem sendo acusado de traição ao prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB) e aliança escusa a setores de oposição. Diz a nota que o chefe de gabinete estaria informando adversários do prefeito sobre temas tratados em sigilo na gestão, inclusive, com fotos de reuniões privativas na sede do governo municipal.

Fontes ligadas ao paço, entretanto, garantem que as informações são absolutamente falsas, com motivação unicamente política e forjadas para gerar instabilidades na administração. Até o momento, a prefeitura não se manifestou sobre o assunto.

Tchau e obrigado

Postado em 4 de maio de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Assessora de Comunicação na prefeitura de Nova Trento até ontem, a publicitária Adriana Carla “Drica” Soares jogou a toalha e limpou as gavetas. Em comunicado aos colegas, ela informou que pediu exoneração do cargo porque trabalhava demais e recebia de menos.

Segundo Drica — que, entre 2017 e 2020 comandou a Imprensa no governo de Moacir Montibeler (MDB), em Canelinha —, o expediente da prefeitura de Nova Trento, das 7h às 13h, não era suficiente para cumprir a demanda de trabalho na Comunicação, e, na comparação com outros municípios da região, o ordenado era menor. “Eu ficava até as 19h para dar conta. Mas sou grata pela oportunidade”, pontuou.

Depoimentos e retorno

Postado em 30 de abril de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As manifestações por conta da exoneração do ex-prefeito Daniel Netto Cândido (PSL), de São João Batista, do cargo de Secretário Adjunto da Secretaria estadual de Desenvolvimento Social, não cessam. Entre as mais promissoras revelações da política no Vale do Rio Tijucas em todos os tempos, o batistense, pelo que se percebe, conseguiu, em menos de três meses, encorpar o rol de admiradores — desta vez, em toda Santa Catarina. Nas redes sociais, lideranças do Estado inteiro comentaram o fato.

É o caso da secretária de Assistência Social de Leoberto Leal, Marilda Otto Alves, que escreveu que “os bons profissionais são deixados de lado por questões políticas” e que os catarinenses perdem com essa decisão. De Imbuia, a secretária Cláudia Ferreira acrescentou que Cândido “tem visão, entendimento e competência para o exercício da função” antes de dizer que o ex-prefeito de São João Batista “em pouco tempo fez muito”.

O depoimento do vereador João Nilson Venera (PP), de Campo Alegre, também chamou a atenção. Segundo ele, Cândido “abriu portas no momento mais crítico da cidade quando intermediou o acesso à Secretaria de Estado da Saúde e agilizou a liberação de recursos para leitos clínicos de tratamento da Covid-19 no Hospital Municipal”.

QUASE CERTO

A volta de Daniel Cândido ao governo estadual depende exclusivamente do retorno do governador afastado Carlos Moisés da Silva (PSL) à cadeira. Nos bastidores da política catarinense, esta e outras renomeações são dadas como certas. Não se tem tanta certeza, entretanto, que o batistense retome o cargo especificamente na Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social, onde, de acordo com as manifestações, vinha realizando um trabalho satisfatório.

As tratativas seguem à toda nos porões do poder. As definições ficam para a próxima sexta-feira (7), na batida do martelo sobre o regresso de Moisés ao posto de governador.

Adeus ou até logo

Postado em 28 de abril de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ex-prefeito Daniel Netto Cândido (PSL), de São João Batista, não responde mais por secretário de Estado adjunto do Desenvolvimento Social. A exoneração foi publicada agora no Diário Oficial. O ex-mandatário batistense, que permaneceu no cargo por dois meses e meio, divulgou uma mensagem de gratidão — sobretudo ao governador afastado Carlos Moisés da Silva (PSL), por quem chegou ao posto — assim que tomou conhecimento da decisão. Assista:

 

Há expectativas, entretanto, para que Cândido volte ao governo estadual caso Moisés retome a cadeira de governador. Os próximos 15 dias serão decisivos na trajetória do ex-prefeito e propalado postulante à Assembleia Legislativa em 2022, que pode, em breve, celebrar um descanso sabático de duas semanas ou lamentar, mais ainda, a tumultuada disputa política que se instalou no Centro Administrativo catarinense.

Duro de matar

Postado em 27 de maio de 2020
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

O diretor do Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto) de Tijucas, Jilson José de Oliveira, não dá o menor sinal de que vá jogar a toalha. Conforme noticiado no Blog, ele já garantiu aos servidores da autarquia que permanece no cargo e, como se percebe na foto — no registro do vereador Juarez Soares (PP), hoje, durante a vistoria das obras de esgoto da Rua Antônio Apolônio Vargas com o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) —, vem cumprindo as demandas da função normalmente.

O desligamento de Oliveira do posto era dado como certo nos canais extraoficiais da cidade, no fim da semana passada. Na bolsa de apostas do paço, inclusive, as faturas, que pendiam quase todas para a exoneração, agora estão mais equilibradas.

Saída adiada

Postado em 26 de maio de 2020
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia do Jornal Razão, sexta-feira (22), abalou as estruturas da administração municipal de Tijucas. A publicação deu conta da exoneração do diretor do Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto), Jilson José de Oliveira, que, segundo o texto, seria o “grande culpado” do “quadro caótico” da autarquia.

Oliveira, no entanto, segue no comando do Samae e, embora se especule o contrário, comunicou à equipe que vai permanecer no cargo. Ao Blog, com exclusividade, o diretor diz que a prefeitura deve emitir uma nota oficial em breve para explicar a situação.

Cabo de guerra

Postado em 9 de janeiro de 2020
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Que ninguém convide o radialista José Carlos Trindade e a mulher, vereadora Neli Ferreira (MDB), para o mesmo evento em que o prefeito Moacir Montibeller (MDB) estiver. A relação entre eles azedou. Nos bastidores da política de Canelinha, fala-se em rompimento. Aos seus, eles reclamam da soberania do chefe do Executivo canelinhense — que cumpre o quarto mandato no cargo máximo do município e planeja a reeleição — nas bases emedebistas e ameaçam combater o alcaide na pré-convenção do partido.

Segundo fontes do Blog, o casal estaria tentando uma composição com o vereador Antonio Carlos Machado Junior (MDB) para elevar as chances de vitória contra Montibeller numa possível concorrência interna.

RUSGAS

O escanteamento de Neli em dezembro de 2018, quando foi exonerada do comando da Secretaria de Saúde e devolvida à Câmara Municipal, pesou na conta. Desde então, ela e o marido vêm protestando contra a dinastia de Montibeller no partido e da falta de espaço e reconhecimento.

Em julho, a propósito, Trindade se dispôs, publicamente, à disputa majoritária da Cidade das Cerâmicas e garantiu que, se preciso fosse, bateria chapa no diretório com o prefeito ou qualquer um que se apresentasse como opção do MDB para o próximo pleito.

Decisão sob revisão

Postado em 22 de abril de 2019
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O prefeito de Canelinha, Moacir Montibeller (MDB), deu, como prazo, até hoje à noite para que a secretária de Saúde do município, Maria Jucélia Grippa Sousa, reveja o pedido de exoneração do cargo, comunicado na terça-feira (16).

Jucélia, como é conhecida, comandou a pasta por apenas três meses; e surpreendeu a todos, sobretudo governistas e vereadores de situação, com a entrega da carta de demissão ao prefeito. Até o momento, a administração municipal não emitiu uma nota oficial sobre o assunto – seguramente porque Montibeller ainda tem esperanças de que a secretária, ou ex-secretária, volte atrás.

Carta de adeus

Postado em 17 de abril de 2019
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Três meses e seis dias. Este foi o tempo em que a secretária de Saúde do município de Canelinha, Maria Jucélia Grippa Sousa, permaneceu no posto. O pedido de demissão chegou à mesa do prefeito Moacir Montibeller (MDB) ontem, no fim da tarde. A notícia surpreendeu, sobretudo, governistas e vereadores de situação.

Os motivos ainda são desconhecidos. Nos porões do poder, comenta-se que a secretária tenha entrado em desacordo com Montibeller sobre mudanças no orçamento da pasta e decidido deixar o cargo. Até o momento, a administração municipal não se manifestou oficialmente sobre o assunto. Publicações, em tom de despedida, de colegas de trabalho nas redes sociais, no entanto, confirmam o fato.

Inferno astral

Postado em 6 de março de 2019
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Situação complicada para o ex-secretário regional Jones Bosio, que comandou a extinta Secretaria de Desenvolvimento Regional de Brusque – e do Vale do Rio Tijucas – até março de 2015 e esteve entre os candidatos a deputados estaduais nas últimas eleições. Ele foi condenado a seis anos de prisão em regime inicial semiaberto por irregularidades em pelo menos nove processos licitatórios da SDR entre 2013 e 2014. De acordo com as investigações do Ministério Público, várias licitações, na época, foram direcionadas para a empresa Múltiplos Serviços e Obras Ltda.

Em sua defesa, Bosio explicou que a Secretaria Regional, no período dos fatos, trabalhava com uma comissão de licitações composta por três servidores; negou que mantivesse contato com as empresas convidadas e sequer fazia indicações. O ex-secretário disse, ainda, que assinava um grande volume de documentos, até mesmo sem saber do que se tratavam, porque confiava na equipe.

DESGRAÇA POUCA É BOBAGEM

A partir da condenação, Jones Bosio perdeu, ainda, o cargo que ocupava desde o início de fevereiro na Câmara Municipal de Brusque. A portaria de exoneração foi assinada pelo presidente do Legislativo, vereador José Zancanaro (PSB), que não informou o motivo. O ex-secretário regional ocupou por exatos 28 dias a assessoria de imprensa da Casa.