domingo, 19 de maio de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Rogai por nós

Postado em 8 de maio de 2019

Enfim, alguém, na quase indigência que a região sempre enfrentou no Legislativo estadual, com um mínimo de atenção ao Vale. É do deputado estadual Altair Silva (PP) – promotor da audiência pública sobre a Rodovia SC-108 e a absurda “cratera de Tigipió”, anteontem – o projeto de lei que institui o Fundo de Manutenção e Conservação das Rodovias Estaduais. Seria constituído por 10% da arrecadação do IPVA no estado, mais 10% da receita estadual relativa a multas de trânsito e da exploração comercial das faixas de domínio, e da devolução voluntária do duodécimo dos poderes Legislativo e Judiciário, Ministério Público e Tribunal de Contas.

Silva é natural de Major Gercino e cresceu em São João Batista, e, talvez por isso, seja quem pode advogar, com conhecimento de causa, contra a condição de abandono das rodovias estaduais na região. Um dos piores exemplos é a SC-411, que interliga Tijucas e Nova Trento, e que, há tempos, freqüenta o topo das estatísticas de mortes no trânsito em Santa Catarina.

Sinal vermelho

Postado em 9 de abril de 2019

O diretor-geral da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Mário Rodrigues Júnior, tem visita a Tijucas programada para os próximos dias. Na pauta, estão os semáforos no viaduto entre as avenidas Coleiras e José Manoel Reis, que, desde que foram instalados, há cerca de dois meses, têm gerado insatisfação total em motoristas e empresários das proximidades.

Uma comissão, integrada, inclusive, pelo comandante da Polícia Militar de Tijucas, major Eder Jaciel de Souza Oliveira, se reuniu com o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) na semana passada para cobrar resoluções. Os reclamantes querem o fim das filas nas sinaleiras e do longo tempo de espera para a travessia entre as avenidas.

Mariano Rocha deve aproveitar o encontro com o diretor-geral da ANTT para, ainda, tratar, mais uma vez, da construção do elevado no KM 161 da BR-101, que beneficiaria o trânsito de todo o Vale do Rio Tijucas.

Susto

Postado em 14 de novembro de 2018

O prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido (PSD), vem agradecendo a Deus e às mensagens e telefonemas de amigos e familiares desde que se envolveu em acidente de trânsito, nesta manhã, na SC-410, em Canelinha. Ele seguia para Florianópolis, para uma reunião na Caixa Econômica Federal, quando o carro que dirigia, um GM/Cruze LTZ, foi atingido na traseira por um VW/Saveiro.

A coordenadora de Comunicação e Imprensa, Dirleni Dalbosco, e a coordenadora de Planejamento do município, Daniela Schlemper Muniz, também estavam no carro. Ninguém se feriu, felizmente.

Presente e passado

Postado em 20 de agosto de 2018
Foto: Dirleni Dalbosco

Atualmente, a vigorosa São João Batista se destaca nacionalmente na manufatura calçadista, mas a economia do município, anos atrás, já esteve fortemente atrelada à produção de açúcar. E foi esse, justamente, o norte da conversa entre o prefeito Daniel Netto Cândido (PSD) e os bastiões da PortobelloCesar Gomes JuniorCesar Gomes, hoje pela manhã.

O encontro, proposto pelo prefeito de Tijucas, Elói Mariano Rocha (PSD), tratou das transformações no trânsito e no sistema viário da cidade; e o mandatário batistense aproveitou o ensejo para agradecer o crédito e os investimentos do Portobello Grupo em São João Batista, na época em que a extinta Usati gerava emprego e renda para a comunidade.

Os Gomes, pai e filho, garantiram ao chefe do Executivo municipal que nutrem grande carinho por São João Batista e sua gente.

Metralhadora

Postado em 7 de novembro de 2017

O vereador Rudnei de Amorim (DEM) vem recebendo cumprimentos dos mais variados nas redes sociais por conta do eloquente discurso, ontem pela manhã, na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina), a respeito da morosidade na resolução dos problemas do tráfego nas marginais da BR-101 em Tijucas. “Dezenas de reuniões já foram feitas. E nunca se apresenta uma solução. Só nos enrolam. Me causa estranheza que essa portaria existe desde março de 2015, e apenas em dezembro de 2016, entre Natal e ano novo, quando a cidade estava vazia, e na troca de governo, foram efetuadas as obras”, bradou o parlamentar.

Amorim criticou também o motivo das alterações no trânsito dos acessos à cidade e o desrespeito à principal empresa do município. “Desviaram 70% da nossa travessia para um shopping em Porto Belo, que nem está funcionando e nem sabemos se terá sucesso. Fizeram três pistas no acesso a Tijucas: duas em sentido Porto Belo e apenas uma para nós tijuquenses. Defendo a comunidade, os empresários e a Cerâmica Portobello, que detém quase 50% da nossa arrecadação, que tem mais de 2 mil funcionários, e que estes precisam acessar a cidade vizinha e retornar a Tijucas para poder trabalhar. Perdoem a minha indignação. Mas não é justo! Estamos de saco cheio!”, concluiu.

Trânsito lento

Postado em 6 de novembro de 2017

Quem pode dizer que o diretor da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Jorge Bastos, está errado? Hoje pela manhã, para defender as mudanças no tráfego das marginais da BR-101 em Tijucas, em debate na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) com autoridades municipais entre elas, o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e estaduais, ele justificou que a ação sempre esteve aberta à participação da comunidade tijuquense. “Os responsáveis pela realização de audiências públicas são os prefeitos, que são representantes legítimos da cidade. Mas, se eles dão anuência, o processo está coberto”, disse, em atenção à outorga do então prefeito Valério Tomazi (PMDB) para as modificações no trânsito, em 2016.

As discussões continuam. Principais interessados na revogação da portaria nº 133, que autorizou a Autopista Litoral Sul a promover as mudanças, os deputados estaduais Altair Silva (PP), Mário Marcondes (PSDB) e Serafim Venzon (PSDB) continuam marcando posição. O argumento que persiste é o de que “a população nunca foi consultada”, conforme reforçou, hoje, o deputado estadual João Amin (PP), presidente da Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano.

Perdas e gratidão

Postado em 19 de outubro de 2017

Comoção geral pelo infortúnio do empresário João Francisco de Campos, popular Titico, despachante estabelecido em Tijucas a décadas, que teve o escritório assaltado ontem, funcionários rendidos sob a mira de armas e grande prejuízo material. “Fazer o quê?! Pelo menos soube que tenho muitos amigos. As polícias Civil e Militar, além da Guarda Municipal, na pessoa do Alvino (Aurélio Mueller, diretor da Ditran (Diretoria de Trânsito e Transportes) de Tijucas), me surpreenderam pelo apoio que me deram”, relata ao blog.

Campos, entretanto, faz uma observação acerca das recentes mudanças no tráfego da Rua Athanásio Antônio Bernardes – que passou a ter sentido único em maio – e relaciona com a ocorrência. “Estou há 15 anos nesse endereço, e nunca havia sofrido um assalto. Agora, com a rua pouco movimentada, ficou complicado”, desabafa.

Mesmo com os contratempos do revés, o empresário enaltece o trabalho das polícias, que foram sensíveis e atuantes ao máximo, segundo ele, no momento em que foram acionadas. “Nem sei como fazem tanto com tão pouco. Temos apenas um policial para fazer boletim de ocorrência e um delegado. Mas me ajudaram muito. Merecem meu respeito e gratidão”.

Bate e rebate

Postado em 13 de outubro de 2017

O jornalista Moacir Pereira, colunista do Diário Catarinense, publicou, ontem, que “prefeito, vereadores e a população de Tijucas têm posição contrária ao fechamento (“das saídas da BR-101, na cabeceira da ponte sobre o Rio Tijucas”)”, proposto pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) em 2016 para beneficiar o Outlet Premium, em Porto Belo, e que a medida foi adotada para atender “pedidos do senador Dário Berger (PMDB-SC), segundo informações de Brasília”. As notas foram compartilhadas ipsis litteris pelo presidente da Acit (Associação Comercial e Industrial de Tijucas), médico Rogério de Souza, no Facebook, e provocaram reação imediata do assessor regional do senador, ex-vice-prefeito e ex-vereador Luiz Rogério da Silva, o Rogerinho.

Em comentário, na postagem, Silva transcreveu declarações de Berger, que contestou as notícias. “Por diversas vezes, ao lado do prefeito, do vice-prefeito e de vereadores da cidade participei em Brasília de reuniões junto com a diretoria da ANTT para discutir a melhor saída para essa questão. Sempre estive ao lado do poder público local, acreditando serem os porta-vozes da comunidade”, afirmou o senador, por intermédio do assessor.

Água mole em pedra dura

Postado em 19 de setembro de 2017
Foto: Divulgação

Depois da reunião, hoje pela manhã, na Acit (Associação Comercial e Industrial de Tijucas), a comitiva de Tijucas que trata dos problemas no trânsito das marginais da BR-101 ocasionados pelas alterações realizadas pela Autopista Litoral Sul com anuência da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) esteve, agora à tarde, na Secretaria de Estado da Infraestrutura.

Além do secretário de Obras, Transportes e Serviços Públicos do município, vice-prefeito Adalto Gomes (PT), participaram da audiência com o secretário Luiz Fernando “Vampiro” Cardoso (PMDB), em Florianópolis, o empresário Sizenando Andriani, os vereadores Rudnei de Amorim (DEM) e Juarez Soares (PPS), e os deputados estaduais Ana Paula Lima (PT) e Altair Silva (PP).

Cara a cara

Postado em 13 de setembro de 2017

Acompanhado dos vereadores Rudnei de Amorim (DEM) e Vilson Natálio Silvino (PP), o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) está em Brasília para uma audiência na ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). A comitiva tijuquense espera, de uma vez por todas, resolver os problemas que a portaria 339/2015 trouxe ao trânsito da cidade, nas marginais da BR-101.

Principais afetados com as mudanças, como o Portobello Grupo que, inclusive, cobra a concessionária Autopista Litoral Sul na Justiça e os empresários de transportes de carga, além de moradores da localidade de Imacol  que tiveram os acessos à cidade interrompidos , estão na torcida por um desfecho positivo nessa reunião. Em agosto, autoridades municipais, regionais e estaduais discutiram o tema em audiência pública; mas os protestos da comunidade, pelo que parece, não surtiram o efeito esperado.