domingo, 3 de março de 2024 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Ato oficial

Postado em 8 de fevereiro de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Bruno Collaço | Agência AL

O ex-prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido (PODE), tomou posse oficialmente, nesta quarta-feira (7), como deputado estadual interino. Cândido, que já estava na função desde o último dia 30, mas, no ato de hoje, estreou no plenário e foi recebido pelos colegas de parlamento.

Cândido discursou por cerca de 20 minutos. No texto, agradeceu pelos votos recebidos, pelo apoio dos amigos e familiares, relembrou histórias da infância e os primeiros passos na política, além de destacar ações dos períodos em que governador a Capital Catarinense do Calçado.

Em seguida, foi a vez dos deputados estaduais e novos colegas do batistense dedicarem alguns minutos de homenagem. Falaram, em sequência, Altair Silva (PP), Emerson Stein (MDB), Nilso Berlanda (PL), Lucas Neves (PODE), Luciane Carminatti (PT), Matheus Cadorin (NOVO), Júlio Garcia (PSD), Tiago Zilli (MDB), Carlos Humberto (PL), Ivan Naatz (PL) e Mauro de Nadal (MDB).

Ao término dos discursos, parte da plateia, praticamente toda convidada pelo ex-mandatário, aplaudiu, de pé, o novo deputado catarinense.

“É um sonho de criança. Não apenas meu, mas do meu pai, de São João Batista e de toda a região, que, há muito tempo esperava para ter um representante pra chamar de seu. Hoje, São João Batista e região tem esse deputado pra chamar de seu”, disse, com exclusividade ao Blog, minutos após a cerimônia.

Balbúrdia

Postado em 23 de junho de 2021
  •  
  •  
  • 17
  •  
  •  

Pai do prefeito Diogo Francisco Alves Maciel (PSL), o contabilista Cidney Nery Maciel não se conteve, ontem, na Câmara Municipal de Canelinha, durante a sessão. Para qualquer juízo que fosse feito ao governo da Cidade das Cerâmicas nas tribunas, ele, da plateia, murmurava, discordava, respondia e interrompia. Alguns vereadores, inclusive, pediam seguidamente ordem na Casa e que cessassem as manifestações no auditório.

O clima ficou insustentável, no entanto, quando, na quarta interrupção de Maciel aos discursos dos parlamentares, o vereador Francisco Honorato Cardoso Filho (MDB) pediu à presidência que externasse publicamente quem protagonizava o tumulto e que desse “nome aos bois”. O pai do prefeito, enfurecido, partiu para a discussão. Disse que não admitia ser chamado de “boi” e, na saída, em frente à Câmara, teria tratado o emedebista por “crente sem-vergonha”.

A tensão aumentou, ainda, com a chegada da irmã do prefeito, suplente de vereadora Caroline Alves Maciel Moskorz (PSL), para defender o pai e cobrar parcimônia do parlamento — especialmente do presidente Robinson Carvalho de Lima (PP), com quem teve um acalorado embate —, que, segundo ela, estava promovendo uma “humilhação” à família Maciel com aquele nefando espetáculo. Pois, então?!