segunda-feira, 21 de outubro de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Escritório regional

Postado em 5 de agosto de 2019

Em gratidão aos 3.895 votos conquistados em Itapema (ou 13,25% dos eleitores do município), a deputada estadual Ana Paula da Silva (PDT) decidiu abir um escritório regional na cidade. O objetivo, segundo ela, é continuar próxima da região da qual é a principal representante na Assembleia Legislativa. Além de ter sido prefeita de Bombinhas entre 2013 e 2018, a parlamentar foi, ainda, presidente da Amfri (Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí).

O espaço foi inaugurado no sábado (3), na Rua 250, na Meia Praia. Paulinha deve dar expediente no local a cada 15 dias, sempre às segundas-feiras.

Gangorra

Postado em 9 de julho de 2019

O jogo está virando. O livramento do ex-prefeito Valério Tomazi (MDB) das censuras do Tribunal de Contas e sanções da Justiça Eleitoral, que parecia ajustado na Câmara Municipal, já não é mais tão certo. O abarcamento do também ex-prefeito Elmis Mannrich (MDB) nas articulações provocou fissuras; e o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD), embora nutra estima e gratidão ao antecessor, lavou as mãos e liberou os vereadores governistas para decidir como quiserem.

Neste momento, Tomazi está na corda bamba. O presidente Vilson Natálio Silvino (PP), mais os colegas Ecio Helio de Melo (PP) e Rudnei de Amorim (DEM) passaram a fazer coro com Juarez Soares (CIDA) pelo “voto técnico” – que acompanha a recomendação do TCE, pela rejeição das contas de 2016 do Executivo municipal. É o limite para o ex-prefeito. Se perder outro vereador, a vaca vai para o brejo.

IMPASSE

Nas entranhas do MDB, a vereadora Fernanda Melo Bayer não esconde a insatisfação de ter que absolver Tomazi. Por si, diz aos mais próximos, ela daria o quinto – e letífero – voto pela rejeição; para ser justa com o que acredita e para contrariar a colega Elizabete Mianes da Silva (PSD), que enreda o perdão ao ex-prefeito nas coxias do Legislativo.

O partido, inclusive, estaria propondo que a vereadora pedisse afastamento temporário do cargo, para que o suplente imediato Oscar Luiz Lopes – ou o próximo, Lauri Cardoso – assumisse o posto e votasse favoravelmente ao ex-mandatário tijuquense.

Selfie

Postado em 7 de fevereiro de 2019
Foto: Divulgação

Presidente do Legislativo tijuquense, o vereador Vilson Natálio Silvino (PP) também esteve, evidentemente, na cerimônia de posse dos deputados estaduais, sexta-feira (1), na Assembleia Legislativa, em Florianópolis, e fez questão de registrar a selfie com o amigo João Amin (PP), com quem firmou compromisso nas eleições de 2018.

Vilsinho tem relação estreita com a família Amin e, no recente pleito geral, teve participação direta nos 485 votos que o deputado estadual reeleito somou na Capital do Vale.

Primeiro da fila

Postado em 7 de fevereiro de 2019
Foto: Divulgação

Alguns adias apenas como deputada estadual foram suficientes para que a itapiranguense Marlene Fengler (PSD) – recordista de votos em Tijucas nas eleições de 2018 – tivesse uma certeza: as visitas do secretário de Administração e Finanças do município, Rosenildo de Amorim, ao seu gabinete, na Assembleia Legislativa, com o pires na mão, serão frequentes.

No encontro, de terça-feira, com mediação do assessor especial da parlamentar, ex-deputado federal Gervásio Silva, Amorim apresentou a lista de pedidos do município. “Encaminhamos muitos projetos e demos continuidade a outros. É o jus à votação que ela obteve na cidade”, comenta o secretário.

Segue o líder

Postado em 3 de dezembro de 2018
Foto: Divulgação

O incógnito campeão de votos da eleição para a Assembleia Legislativa de Santa Catarina deste ano, Ricardo Alba (PSL) – preferido por surpreendentes 62.762 eleitores em 7 de outubro –, esteve em Canelinha no sábado (1) para celebrar o aniversário do xará Ricardo Orlandi (à esquerda).

Na composição do retrato estão, ainda, o advogado Diogo Francisco Alves Maciel, vice-presidente do PP da Cidade das Carâmicas, e o empresário Thiago Peixoto dos Anjos, que comanda as ações do PSDB em Tijucas.

Votos e rezas

Postado em 3 de dezembro de 2018

Presidente do PP em Tijucas e pré-candidato ao comando da Câmara Municipal em 2019, o vereador Vilson Natálio Silvino já encomendou a champagne e os fogos. Tem, garantidos para o pleito interno – marcado para dia 13 –, entre sete e oito votos favoráveis; e mais uma oração.

A aprovação deve vir, principalmente, da bancada governista – com Cláudio Tiago Izidoro (sem partido), Elizabete Mianes da Silva (PSD), Écio Helio de Melo (PP), Maria Edésia da Silva Vargas (PT) e Rudnei de Amorim (DEM) – com as prováveis adesões dos opositores Elói Pedro Geraldo (MDB) e Odirlei Resini (MDB); e a prece vem do religioso Fabiano Morfelle (PDT), que vota no projeto concorrente, seja ele qual for, mas que está “orando pela vitória” do parlamentar progressista. Pois, então?!

Fechando o cerco

Postado em 22 de outubro de 2018
Foto: Luiz Junnior/VipSocial

A imprensa do Vale do Rio Tijucas esteve na pauta do engenheiro Sérgio “Coisa Querida” Cardoso, do vice-prefeito de Major Gercino, Moacir Batisti (PP), dos prefeitos de Nova Trento, Gian Francesco Voltolini (PP), de Tijucas, Elói Mariano Rocha (PSD), e de São João Batista, Daniel Netto Cândido (PSD), e do vereador Antônio Carlos Flores (PSDB), de Canelinha, sexta-feira (19), no Restaurante e Pousada Sítio Nona Lurdes, em São João Batista.

Foi a cartada final para convencer, pelo Quarto Poder e com o argumento de que “as obras no Vale não podem parar”, o eleitorado local a escolher Gelson Merisio (PSD) neste domingo (28). No primeiro turno, o deputado estadual somou 17.087 votos contra 16.283 do comandante de reserva dos Bombeiros, Carlos Moisés da Silva (PSL), nos cinco municípios da região.

Letras e votos

Postado em 9 de outubro de 2018

O jornalista Cláudio Eduardo de Souza, do Jornal Daqui, que manifesta intenção de candidatura à Câmara Municipal nas próximas eleições, celebra a proeza dos 178 votos conquistados em Tijucas – entre amigos e familiares, especialmente nas redes sociais – para a advogada itajaiense Anna Carolina Cristofolini Martins (PSDB), que concorreu à Assembleia Legislativa nestas eleições.

Ele vem confabulando com os mais próximos que, em comparação aos ex-prefeitos Elmis Mannrich (MDB) e Valério Tomazi (MDB), que apoiaram respectivamente Valdir Cobalchini (MDB) e Thiago Marastoni (MDB) e empataram em 187 votos na Capital do Vale, até conseguiu ter um desempenho satisfatório nestas eleições; pelo menos como cabo eleitoral.

Aqui se faz…

Postado em 9 de outubro de 2018

Se tem alguém que, de fato, colheu o que plantou no Vale do Rio Tijucas, foi o ex-governador e candidato a senador não eleito Raimundo Colombo (PSD). Sua melhor posição foi registrada em Tijucas, com 6.654 votos e o segundo lugar, provavelmente mais pelo prestígio dos cabos eleitorais do que propriamente por si. Nos outros municípios com prefeitos do seu grupo político – São João Batista e Nova Trento –, não passou de terceiro e quarto colocado entre postulantes ao Senado, com 4.561 e 2.067 votos respectivamente.

Colombo pagou pelas ausências na região, por ter assinado uma ordem de serviço para a revitalização da SC-410 e a obra ter ficado quase inteira apenas no papel, por nunca ter se interessado pela rota turística do Vale e jamais ter visitado o Santuário de Santa Paulina em sete anos de governo, e, mais recentemente, por ter lavado as mãos – o que gerou litígios homéricos com correligionários locais – quando o imbróglio da penitenciária em Tijucas tirou o sossego da população.

Fato e análise

Postado em 8 de outubro de 2018

Para os catarinenses, um fato: Gelson Merisio (PSD) e Carlos Moisés da Silva (PSL) estão no segundo turno. Para os tijuquenses, uma análise: as urnas responderam satisfatoriamente às requisições do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e do engenheiro Sérgio “Coisa Querida” Cardoso, e mostraram, mais uma vez, que o MDB municipal precisa urgentemente de uma reestruturação integral.

Os periquitos, sempre fortes, perderam duas vezes no mesmo pleito; uma para o ímpeto dos colas-brancas organizados, com a máquina e com unidade, e outra para a “onda Bolsonaro”, que içou o Comandante Moisés a um nível de popularidade jamais imaginado na Capital do Vale. Ou seja: a eleição sempre polarizada nas searas tijuquenses entre amarelos e verdes, desta vez teve, além de um surpreendente personagem – que não foi o candidato do PT, Décio Lima, com seus previsíveis mil e tantos votos de ordem no município –, a ineficiência do MDB local, muito associada às disputas de egos no seio da legenda.

Merisio somou quase o dobro dos votos de Mauro Mariani (MDB) em Tijucas – 7.758 contra 4.187 – e, tal qual no pleito de 2016, instituiu um marco na história dos confrontos entre colas-brancas e periquitos na cidade. Sinais claros de que a administração municipal tem aprovação popular, e do inquietante gangrenamento do MDB tijuquense.