sábado, 10 de dezembro de 2022 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Pazes e mais áudios

Postado em 21 de novembro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Houve quem apostasse que o vice-prefeito de São João Batista, Almir “Déi do Gás” Peixer (MDB) — seguramente aquele que mais vezes esteve no comando do município no mandato atual, na região —, jamais teria uma nova oportunidade na chefia do Executivo. Os palpites têm motivo: as acusações públicas, em setembro, do prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB) sobre o adjunto “fazer rolo” com a retirada, sem permissão, segundo ele, de um documento da prefeitura para fins político-eleitorais.

Mas as rusgas parecem ter sido superadas com o fim das eleições. Pedroca entrou novamente em férias e passou, hoje, o bastão para Déi, que administra a Capital Catarinense do Calçado nos próximos 15 dias.

TURBULÊNCIA

O mandatário batistense vem passando por um período turbulento na gestão. A greve dos professores da rede municipal, de acordo com as especulações, tem sido uma das principais razões.

Por mensagens de áudio — que, obviamente, como todas as outras que ele enviou antes, durante e depois da campanha de 2020, passaram a ser compartilhadas sucessivamente nas redes de conversação online do município e da região —, Pedroca chegou a criticar severamente vereadores de oposição que teriam remetido salgadinhos para os professores que se reuniam no protesto. Pois, então?!

Amigo do inimigo

Postado em 18 de julho de 2019
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A presença do empresário Laudir “Alemão” Kammer na festa de aniversário do vice-prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB), dias atrás, em São João Batista, acendeu o sinal de alerta no paço municipal. Mesmo alguns emedebistas do governo consideraram a recepção do adjunto ao arqui-inimigo do prefeito Daniel Netto Cândido (PSD) uma afronta.

A relação entre Cândido e Pedroca passa por turbulências. O vice-prefeito, inclusive, não deu as caras na cerimônia de reinauguração do Centro Cultural Batistense Professora Maria Roselene Duarte Clemes, anteontem. E as especulações sobre a reavivada estima entre o adjunto e o antagonista do prefeito — e todas as fissuras que nasceram a partir daí — ecoaram no salão.

Mudar faz bem

Postado em 17 de janeiro de 2018
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

“Até o fim do mês”, diz uma fonte muito próxima do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) a respeito da manutenção do vice-prefeito Adalto Gomes (PT) no comando da Secretaria de Obras, Transportes e Serviços Públicos do município de Tijucas. O desgaste era previsto. A pressão popular por melhorias significativas na infraestrutura urbana apressou o processo. Os vencimentos dos prazos como no caso da revitalização da Avenida Hercílio Luz também pesam contra o adjunto tijuquense na gerência da pasta.

Na verdade, a relação entre o chefe do Executivo municipal e seu substituto imediato passa por momentos de turbulência. Até mesmo o Conselho formado por colas-brancas históricos para propor medidas políticas e administrativas no governo precisou intervir; e, por ora, os desentendimentos cessaram.

Nos porões do poder, a troca de comando na Secretaria de Obras, Transportes e Serviços Públicos é dada como certa. Se amistosa, de comum acordo, porém, só o tempo menos de duas semanas, conforme o prognóstico pode dizer. Ninguém fala, no entanto, em nomes para o posto que deve ficar vago.