quinta-feira, 30 de maio de 2024 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Comandante

Postado em 15 de maio de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas

Um dos mais tradicionais grupos políticos de Tijucas está sob nova direção. O vereador e pré-candidato a prefeito, Maickon Campos Sgrott, assumiu, na última semana de abril, a presidência do Progressista local, substituindo o então comandante da legenda, ex-vereador Vilson Natálio Silvino.

Vilsinho da Pisobello, como ficou conhecido, foi o responsável pela regência do grupo nos últimos quatro anos. Entretanto, o ex-secretário de Obras e Serviços Urbanos passou o bastão a Sgrott, em movimento com vistas no pleito municipal de outubro.

O Blog apurou que a mudança permitirá que o pré-candidato a prefeito do partido consiga organizar o grupo para as eleições, com base em suas próprias convicções. O start oficial do projeto está marcado para o próximo dia 29, com uma noite de filiações.

Hora delas

Postado em 9 de maio de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

A participação das mulheres nos movimentos políticos tem sido uma das bandeiras de muitos partidos, especialmente após as eleições gerais de 2022. Na região, há um relevante e importante crescimento do PL Mulher, organizado em todo o Vale do Rio Tijucas.

Eventos voltados às alas femininas da legenda foram realizados nos cinco municípios, todos com grande participação. Em Tijucas, o grupo é presidido pela empresária Filomena Mello, irmã do governador Jorginho Mello, o que, sem dúvidas, é um trunfo para novas adesões.

As liberalistas, aliás, promovem palestras com lideranças femininas do partido, atraindo outras mulheres que se indentificam com as ideologias. Já participaram dos encontros a vice-governadora Marilisa Boehm, as deputadas federais Daniela Reinehr e Júlia Zanatta, e a deputada estadual Ana Campagnolo.

PRESTIGIADAS

Embora os encontros sejam voltados preferencialmente ao público feminino, outros líderes do PL na região também são presença marcante, como foi o caso do vereador e pré-candidato a prefeito de Tijucas, Fernando Fagundes, quinta-feira passada, na Live Shows & Eventos.

Fumaceiro

Postado em 7 de maio de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O tom ácido e crítico adotado pelo vereador Maickon Campos Sgrott (PP), de Tijucas, ao apontar problemas do município e, por consequência, falhas do governo de Eloi Mariano Rocha (PSD), não passou despercebido por quem acompanhou, ontem, a sessão ordinária da Câmara.

Sgrott, que sempre esteve alinhado à bancada governista e vem pleiteando o direito de representar o grupo nas eleições de outubro, não aliviou e pontuou alguns descontentamentos da comunidade, sobretudo no trânsito e na limpeza de áreas públicas.

Em uma resposta ao colega de parlamento e de bancada, Claudemir “Bigodinho” Correa (PSD) – que ironizou a quantidade de debates a respeito do “trânsito e dos entulhos” -, o tom foi ainda mais ácido e poderia facilmente ser confundido com o discurso de um oposicionista.

“Se a nossa cidade não tivesse entulhos espalhados como temos, se tivesse as faixas do asfalto e os meios-fios bem pintados, se tivéssemos um portal bonito na região do antigo trevo de acesso a Tijucas, se tivéssemos aquela região embaixo da ponte um pouco mais adequada, se tivéssemos os semáforos mais bem ajustados, muitas reclamações não estariam acontecendo e não passaríamos por esse desgaste”, bradou Sgrott.

BURBURINHO

Já se especula nas rodas de conversa sobre a política local que o parlamentar estaria tentando se “descolar” do governo municipal, evitando, assim, qualquer desgaste dos quase oito anos de gestão. Outros, menos epidérmicos, acreditam que Sgrott estaria apenas atuando de maneira responsável e buscando soluções para o município, acima de qualquer bandeira ideológica. O tempo dará razão a quem tem.

Sem chance

Postado em 29 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

As declarações do prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB), de que caso fosse candidato à reeleição teria o vereador Mário Antônio Garcia Teixeira (PL) como companheiro de chapa, dadas exclusivamente em entrevista ao programa LINHA DE FRENTE, quinta-feira (25), causaram surpresa e agitação nos bastidores da política de São João Batista.

Estranheza maior, a propósito, foi a do presidente municipal do PL, empresário Felipe Lemos. “Não vejo como isso poderia acontecer. Temos uma executiva local que trabalha em consonância com a proposta do Governo Estadual, autonomia absoluta na condução do nosso projeto para o município, e em momento algum nosso grupo avalizou uma conjuntura com o prefeito”, diz, com exclusividade ao Blog.

Lemos frisa que “o PL tem excelentes nomes para a disputa da prefeitura nestas eleições” e que o partido vem participando do bloco de oposição em São João Batista, alinhado ao PP, ao UNIÃO BRASIL e ao PODEMOS. “Conversamos com todas as lideranças que nos procuram, mas representamos a mudança. Buscamos um modelo de gestão diferente, com novas ideias, acreditamos no que estamos construindo e não temos interesse na proposta de continuidade da administração municipal”, reforça o presidente.

Xeque

Postado em 10 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

O ex-vereador Sérgio Murilo Cordeiro e o presidente do Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto de Tijucas), Luiz Rogério da Silva, impuseram situação de absoluto desconforto ao prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) com apenas um movimento no tabuleiro.

Em suma, podaram a autoridade e ataram as mãos do chefe do Executivo tijuquense na articulação governista. Para manter chances de sucesso nas eleições de outubro, Mariano Rocha, em tese, precisaria, agora, render-se aos caprichos do UNIÃO BRASIL e da dupla de estrategistas. O mandatário tijuquense ainda não assimilou o golpe.

Serginho e Rogerinho, para tanto, usaram dissidentes do movimento situacionista, como os vereadores Maurício Poli e Cláudio de Oliveira, e, ao mesmo tempo, mutilaram o PSD, partido do prefeito, com a translação da secretária de Cultura do município, Paula Regina da Silva, e do vereador suplente José Roberto “Betinho” Giacomossi.

Eles criaram a “noiva”, que pode casar com quem quiser e quando quiser. As convenções acontecem apenas 45 dias antes das eleições, e, até lá, estariam aptos a receber cortejos, pedidos de namoro, e avaliar quem seria o pretendente mais vigoroso. Não necessariamente aquele que o voluntarioso alcaide indicar. Pois então…

Emedebista no papel

Postado em 2 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Em raro registro da campanha eleitoral de 2016, Tonho Polícia conversa ao pé do ouvido do candidato a prefeito Elmis Mannrich.

Se o ex-vereador Antônio Zeferino Amorim, de Tijucas, dizia aos quatro cantos do município que “não acompanharia o MDB nem que lhe dessem todas as carretas do (saudoso empresário) Arnaldo Peixoto“, a frase já pode ser desconsiderada.

Afinal, Tonho Polícia, como ficou conhecido, deve assinar, nesta quarta-feira (3), a filiação ao Manda Brasa. O convite teria partido do ex-prefeito e presidente municipal do partido Elmis Mannrich, com quem o ex-parlamentar criou muita proximidade nos últimos anos.

Um dos trunfos de Mannrich para confirmar a adesão, segundo fontes do Blog, seria a possibilidade de alçar Tonho à condição de pré-candidato a vice-prefeito. Em linhas gerais, a dupla poderia ser confirmada mesmo muito antes do pleito.

Amorim, genuinamente cola-branca, passou a frequentar os movimentos emebedistas em 2016, quando, nas tratativas pré-eleitorais, foi preterido pelo grupo que, mais tarde, indicaria Eloi Mariano Rocha (PSD) como representante dos opositores nas eleições. Machucado, o ex-vereador se tornou figurinha carimbada nos eventos públicos dos periquitos.

Fumaça branca

Postado em 28 de março de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

A contumácia do prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) na promoção do vereador Maickon Campos Sgrott (PP) em manifestações públicas, mesmo que o parlamentar negasse peremptoriamente qualquer intenção de candidatura nestas eleições, parece ter surtido efeito. Embora o chefe do Executivo municipal mantivesse o discurso diplomático de que o grupo governista contava com três pré-candidatos, a preferência pelo progressista escapava inesperadamente nos menores movimentos.

Sgrott, agora, tem procurado correligionários para informar, oficialmente, que repensou a decisão e se tornou novamente disponível ao pleito. Uma recente reunião com a regência do Portobello Grupo e os pedidos encarecidos do presidente Cesar Gomes Junior teriam sido o empurrão que faltava, mas, ao que parece, as resoluções haviam sido costuradas muito antes, e sem interferências, nas coxias do poder. Notas que corroboram com a teoria de que a desistência anunciada meses atrás teria sido puro ilusionismo.

Fontes precisas do Blog garantem que a decisão de Mariano Rocha já foi tomada. E não vem de hoje. Para desolação dos outros dois interessados, o vice-prefeito Sérgio “Coisa Querida” Cardoso (PSD) e o vereador Rudnei de Amorim (PSD), que juravam ter a predileção do mandatário tijuquense em qualquer eventual cenário de desempate.

Nem a recente pesquisa que o grupo governista contratou, e que rodou em Tijucas nos últimos dias, foi argumento definidor para a escolha do candidato à sucessão municipal. De acordo com o levantamento, tanto Coisa Querida quanto Amorim superariam, atualmente, o filho do ex-prefeito Uilson Sgrott no questionário espontâneo. “Os números servem, mas não foram o critério decisivo. Avaliamos tudo e teremos o melhor candidato”, diz um participante do propalado grupo de conselheiros da gestão para justificar aquela que deve ser, nos próximos momentos, a indicação do prefeito.

Tira cá, põe lá

Postado em 26 de março de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas

A lacuna que se abriu com o distanciamento entre o PL e o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) pode ser devidamente preenchida. O interesse em um acordo parece mútuo para a regência liberalista em Tijucas e o ex-prefeito Elmis Mannrich (MDB). As negociações têm se intensificado nos últimos dias.

Os entraves, em princípio, seriam os projetos e as expectativas para as eleições de outubro. Uma vez que o PL tem três pré-candidatos a prefeito, Mannrich, por ora, não abre mão da cabeça de chapa. Mas as conversas devem continuar até que uma das partes decida ceder.

Como trunfo, os liberalistas teriam um cargo de alto escalão no governo de Jorginho Mello para oferecer ao ex-prefeito em troca do apoio do MDB. Mannrich, caso aceitasse, ficaria entre os coordenadores de campanha, ou, na melhor das hipóteses, a depender de consenso, candidato a vice-prefeito.

Uma colocação estratégica no governo estadual não seria novidade para o ex-chefe do Executivo tijuquense. Entre 2015 e meados de 2021, Mannrich vagueou por autarquias como Imetro-SC (Instituto de Metrologia de Santa Catarina) e Aresc (Agência Reguladora de Serviços Públicos de Santa Catarina), sempre em postos de comando, durante as gestões de Raimundo Colombo (PSD), Eduardo Pinho Moreira (MDB) e Carlos Moisés da Silva (REPUBLICANOS).

ÚLTIMO ATO

Cientes das tratativas com a principal força de oposição, e na tentativa derradeira de uma reaproximação, interlocutores da administração municipal teriam sondado lideranças do PL sobre a possibilidade de uma retomada. As respostas foram claras e concisas: “neste momento, não”.

Pergunta capciosa

Postado em 25 de março de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Bruno Collaço | Agência AL

Uma pergunta específica em recente pesquisa eleitoral realizada em São João Batista intrigou entrevistados e observadores da política local. No questionário, a indagação sobre a influência do deputado estadual Camilo Martins (PODE) no eleitorado batistense surpreendeu e fugiu à regra.

Das três, uma. Ou o proponente do levantamento foi o ex-prefeito e suplente de deputado estadual Daniel Netto Cândido, agora no PSD, que tem relação estreita com Martins e pretende concorrer novamente à prefeitura nestas eleições; ou partiu de adversários, na tentativa de atribuir a contratação da pesquisa ao ex-mandatário; ou os estatísticos foram à Capital Catarinense do Calçado sob ordens da deputada estadual Ana Paula da Silva, atual presidente do PODEMOS catarinense, que teria interesse em fortalecer o partido na cidade e, ciente da proximidade entre o parlamentar correligionário e a principal liderança batistense da atualidade, quer saber até onde pode ir.

Na prática, e em consideração ao resultado das eleições gerais de 2022, a resposta seria simples. A influência do ex-prefeito de Palhoça na comunidade batistense seria, na melhor das hipóteses, quase nenhuma. Afinal, ele recebeu apenas 119 votos em São João Batista no pleito passado.

Reaparecimento

Postado em 19 de março de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas | Arquivo

Que ninguém se surpreenda caso o advogado e ex-vice-prefeito Roberto Carlos Vailati ressurja no jogo político de Tijucas nos próximos momentos. O atual presidente do PSB local, de acordo com fontes precisas do Blog, teria interesse, mais uma vez, no encaminhamento eleitoral da cunhada Maria Edésia da Silva Vargas, a Déda, mas agora em projeto amplamente audacioso.

A diretora do Procon municipal manifestou, tempos atrás, desejo de concorrer à prefeitura nestas eleições. Se por impulso ou orientação, sabe-se apenas que a ex-vereadora ganhou respaldo, inclusive, no PT tijuquense, especialmente com a mudança de comando e a chegada do irmão, Adenio da Silva, na secretaria de Formação do partido.

Vailati, que mantem o controle do PSB e teria atuado decisivamente para a tomada do PT no município, estaria projetando um bloco alternativo para a disputa do pleito de outubro. Especuladas divergências com o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD), de quem vem se distanciando gradativamente, corroboram com essa sugerida proposta de independência eleitoral.

ISOLAMENTO

Negociações com as demais correntes do município, entretanto, enfrentariam grandes barreiras. Pesariam contra o ex-vice-prefeito as rusgas do passado e a ideologia das bandeiras que defende.

Uma conjuntura com o MDB – que foi bem-sucedida em 2004 – esbarraria na péssima relação entre Vailati e o ex-prefeito Elmis Mannrich, presidente municipal do partido e pré-candidato emedebista à prefeitura.

Com o PL, no entanto, as chances de acerto seriam ainda menores por conta da pauta nacional e da rivalidade extremada entre movimentos de esquerda e direita.