segunda-feira, 21 de novembro de 2022 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Pazes e mais áudios

Postado em 21 de novembro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Houve quem apostasse que o vice-prefeito de São João Batista, Almir “Déi do Gás” Peixer (MDB) — seguramente aquele que mais vezes esteve no comando do município no mandato atual, na região —, jamais teria uma nova oportunidade na chefia do Executivo. Os palpites têm motivo: as acusações públicas, em setembro, do prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB) sobre o adjunto “fazer rolo” com a retirada, sem permissão, segundo ele, de um documento da prefeitura para fins político-eleitorais.

Mas as rusgas parecem ter sido superadas com o fim das eleições. Pedroca entrou novamente em férias e passou, hoje, o bastão para Déi, que administra a Capital Catarinense do Calçado nos próximos 15 dias.

TURBULÊNCIA

O mandatário batistense vem passando por um período turbulento na gestão. A greve dos professores da rede municipal, de acordo com as especulações, tem sido uma das principais razões.

Por mensagens de áudio — que, obviamente, como todas as outras que ele enviou antes, durante e depois da campanha de 2020, passaram a ser compartilhadas sucessivamente nas redes de conversação online do município e da região —, Pedroca chegou a criticar severamente vereadores de oposição que teriam remetido salgadinhos para os professores que se reuniam no protesto. Pois, então?!

Stand-by

Postado em 10 de maio de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A ex-vereadora e ex-secretária municipal de Assistência Social de São João Batista, Rúbia Alice Tamanini Duarte, continua impedida de assumir a secretaria adjunta de Estado do Desenvolvimento Social. O convite do governador Carlos Moisés da Silva (REPUBLICANOS), feito no fim de abril, ainda aguarda um parecer do município — onde ela cumpre jornada efetiva e precisaria de uma licença. Na semana passada, a Câmara Municipal rejeitou a cessão da batistense para o posto no governo estadual.

O prefeito em exercício Almir “Déi do Gás” Peixer (PSD), com quem Rúbia tem relação muito próxima, decidiu não assinar a dispensa da professora e passou o bastão para o secretário municipal de Educação, Gregório de Souza Filho, que, por sua vez, espera o retorno do mandatário titular, Pedro Alfredo Ramos (MDB), amanhã, para resolver a questão. A orientação teria partido da Procuradoria Geral do município.

Reprovação prenunciada

Postado em 2 de maio de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A ex-vereadora Rúbia Alice Tamanini Duarte — que deixou o comando da Secretaria Municipal de Assistência Social de São João Batista no início de janeiro e recebeu, sexta-feira (29), chamado do governo estadual para ocupar a secretaria adjunta de Estado do Desenvolvimento Social — não deve contar com o aval da Câmara Municipal para se afastar das funções de professora na Capital Catarinense do Calçado. A apreciação do parlamento foi marcada para hoje, e, na boca de urna, conjetura-se que ela não teria os votos necessários para ganhar a causa.

Sequer a bancada situacionista, sobretudo os vereadores do MDB, devem aprovar consonantemente a cessão da batistense para o Estado. Pesa contra ela o imbróglio, ainda velado, mas com capítulos cada vez mais sintomáticos, entre o prefeito Pedro Alfredo “Pedroca” Ramos (MDB) e seu antecessor, Daniel Netto Cândido (PODE), que fez a indicação da professora para o cargo que ocupou até mês passado no governo estadual.

ALTERNATIVA

Segundo consultoria jurídica do Blog, Rúbia não precisaria passar pelo crivo da vereança. Bastava pedir licença não remunerada ao prefeito em exercício Almir “Déi do Gás” Peixer (PSD) — com quem tem excelente relação — e aceitar a nomeação do governador Carlos Moisés da Silva (REPUBLICANOS) para a secretaria adjunta de Estado.

Mas, mesmo que a cessão seja reprovada na Câmara, ela teria, ainda, tempo para recorrer a esta opção.

BASTIDORES

Aos seus, intimamente, a ex-vereadora viria garantindo que seja qual for o resultado da votação no Legislativo batistense, vai aceitar o convite do governo estadual. Nos bastidores, especula-se que ela esteja apenas observando atitudes e posturas de aliados e oposicionistas para compreender a cena política do município e decidir que caminho tomar no futuro.

A exemplo de 2020, quando abriu mão de uma candidatura para contemplar o grupo que integrava, Rúbia se mantém na lista de cotações para a disputa da prefeitura nas próximas eleições da Capital Catarinense do Calçado.

DOIS PESOS

Caso semelhante passou pela Casa no ano passado, quando o Executivo pediu a cessão de outros dois servidores ao governo estadual, dentre os quais Rildo Vargas, tradicional correligionário do grupo governista. Na ocasião foram apenas três votos contrários — todos da bancada do PP — sob a justificativa de que não haveria fundamento legal para a transferência. Os demais vereadores, sem exceção, foram favoráveis.

Desta vez, a expectativa diz respeito à eventual mudança dos votos situacionistas e as motivações, alegações e satisfações a partir daí.

Relações públicas

Postado em 21 de fevereiro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Definitivamente, os representantes máximos do Executivo de São João Batista são um perigo com um microfone na mão. E, normalmente, fazem muito mal a si mesmos. Porque têm a pecha de serem homens simples, do povo, sem rebuscamento, ou porque, de fato, precisam ser orientados sobre a atuação política — independentemente da administrativa — e a pertinência do cargo que ocupam.

O titular da cadeira, Pedro Alfredo Ramos (MDB), já ficou conhecido por dizer o que pensa publicamente; e durante as eleições de 2020, que quase pôs em risco por manifestações nada ortodoxas em redes sociais e, sobretudo, por mensagens de áudio vazadas, teve de ser tolhido, inclusive, de entrevistas, debates e conversas ao telefone durante a campanha. Agora, o vice-prefeito Almir “Déi do Gás” Peixer (PSD) resolveu provocar a ira do Legislativo ao dizer, na rádio, que os vereadores batistenses são “um bando de rapaz pequeno“.

E o contraponto veio na mesma toada. De opositores, da bancada neutra e até de governistas. Enquanto o presidente da Câmara e correligionário Edésio Pedrinho Tomazi (PSD), mais ponderado, respondeu, na tribuna, que “os parlamentares não estavam (no Legislativo) para brincar, mas para trabalhar e contribuir com o Poder Executivo”, o vereador Gustavo Grimm (CIDADANIA), que recentemente se envolveu em contendas com Pedroca e setores do governo, foi à forra e sugeriu que o vice-prefeito devesse se preocupar mais com outras questões “como, por exemplo, empregar o próprio genro na prefeitura”. Pois, então?!

Coluninha | 13-01-2022

Postado em 13 de janeiro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

RETORNO

A prefeitura de Tijucas informou, hoje, que o Posto de Identificação — que faz o encaminhamento dos RGs — retoma o expediente nesta sexta-feira (14), em horário normal. Os atendimentos no setor haviam sido suspensos em razão de servidores infectados por Covid.

Mais cedo, porém, a administração municipal emitiu comunicado para dizer que apenas um caso positivo foi registrado e que todos os agendamentos de amanhã em diante serão mantidos.

FESTA PARTICULAR

Presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) em Tijucas, o empresário Daniel Luz, da rede de lojas Fitland e da Tendência & Design, vai comemorar aniversário neste sábado (23) cercado de amigos como tem feito anualmente. Organizou, com grupo no WhatsApp e lista VIP, uma festa particular com atrações diversas para convidados especiais.

DEDO NA FERIDA

O vice-prefeito de São João Batista, Almir Peixer (PSD), disse, em entrevista à Rádio Clube, que nunca houve assistência social de verdade no município antes da gestão de Rúbia Alice Tamanini Duarte na pasta — que enfrentava problemas internos com o prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB) e seu grupo político, e pediu exoneração do cargo na semana passada — e que ela “foi humilhada pelo próprio time”.

Peixer, assim como a ex-secretária, também manifesta lealdade ao ex-prefeito Daniel Netto Cândido (sem partido); e, muito provavelmente, se não medir o que diz, pode ser o próximo a provocar a ira do atual mandatário e seus conselheiros.

TERCEIRA TEMPORADA

Talk show com personalidades da política e da sociedade que tenham relação direta com o Vale do Rio Tijucas e com a Costa Esmeralda, o programa LINHA DE FRENTE, que o colunista apresenta na VipSocial TV reestreia em nova temporada na próxima quinta-feira (20).

O vice-prefeito de Tijucas, Sérgio “Coisa Querida” Cardoso (PSD), que cumpriu 30 dias, em dezembro, na chefia do Executivo municipal, vem para a primeira entrevista do ano.

Rescisão e hombridade

Postado em 10 de janeiro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Além da habilidade e da competência demonstradas em ações de repercussão nacional no comando da pasta, a ex-secretária municipal de Assistência Social do município de São João Batista, Rúbia Alice Tamanini Duarte, comprovou mais um valor, semana passada, quando pediu exoneração do cargo: a hombridade. Independentemente dos resultados alcançados, ela vinha sofrendo um processo de fritura interna desde que o prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB) sugeriu mudanças no colegiado para a virada do ano. Pesava contra a gestora, desde que assumiu o posto, a lealdade ao ex-prefeito Daniel Netto Cândido (sem partido), atual secretário adjunto de Estado do Desenvolvimento Social e pretenso candidato ao parlamento catarinense nas próximas eleições.

O clero governista tenta de todas as formas, apesar do apoio de Cândido no pleito de 2020, exorcizar o fantasma do antecessor na atual gestão do município. E, inclusive, vem anunciando apoio a outro postulante ao Legislativo estadual: o deputado Jerry Comper (MDB), que vai concorrer à reeleição. Nesta conta, evidentemente, sobram todos aqueles que manifestam proximidade e alguma gratidão ao ex-prefeito.

ISOLAMENTO

Ao tempo em que o município de São João Batista protagonizava um projeto piloto do governo federal e Rúbia recebia convites para audiências com o presidente da República e ministros em Brasília, a troca de comando na Assistência Social era dada como certa e discutida sistematicamente nos bastidores da gestão municipal. A pressão política e a hesitação constante do prefeito acerca do assunto minaram a relação e culminaram no pedido de exoneração. Na quarta-feira (5), a então secretária se despediu da equipe e anunciou a saída do cargo nas redes sociais.

Na manhã seguinte, o prefeito em exercício Almir Peixer (PSD) anunciou a servidora efetiva Naldir da Silva Alexandre — que já estava definida como substituta desde outubro de 2021, conforme antecipou o Blog sob o título “Ebuliçãopara a gestão da pasta.

Laços e costuras

Postado em 10 de agosto de 2021
  •  
  •  
  • 5
  •  
  •  

Se o prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB), de São João Batista, tem compromisso com o deputado estadual e pré-candidato à reeleição Jerry Comper (MDB) na corrida à Assembleia Legislativa de 2022, o vice, Almir “Déi do Gás” Peixer (PSL), pelo menos, vem manifestando apoio absoluto e irrestrito ao ex-prefeito Daniel Netto Cândido (PSL), por quem nutre muita gratidão. O adjunto batistense deixou claro, semana passada, em entrevista ao LINHA DE FRENTE, na VipSocial TV, que vai se dedicar à campanha do conterrâneo e correligionário nas próximas eleições.

REFORÇO

Estima-se, ainda, que o empresário Sílvio Eccel convença Ramos — com quem tem relação muito próxima — a movimentar parte da estrutura do município em favor de Cândido. O dono da Rádio Clube e o secretário adjunto de Estado do Desenvolvimento Social estiveram juntos, dias atrás, e reafirmaram a parceria, vitoriosa e produtiva em duas eleições à prefeitura da Capital Catarinense do Calçado, agora para o parlamento catarinense.

Corridão e politicagem

Postado em 6 de julho de 2021
  •  
  •  
  • 22
  •  
  •  

Os vereadores Nelson Zunino Neto (PP) e Mateus Galliani (PP) entraram para a lista negra do prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB). Em entrevista à Rádio Clube, o chefe do Executivo batistense se referiu aos parlamentares como “falsos, mentirosos”, acusou a dupla de “politicagem” — na votação sobre um projeto que conveniaria o pagamento de aluguel para que uma empresa têxtil se instalasse no município — e ameaçou responder com “um corridão” caso os progressistas pisassem na prefeitura.

Nos microfones da Câmara, em atenção às declarações do prefeito, Galliani alfinetou: “Politicagem é nomear o genro do vice-prefeito como chefe de gabinete do vice-prefeito”, em referência, clara e manifesta, à contratação do estudante Tarcísio Kammers Filho, namorado da filha do vice-prefeito Almir Peixer (PSL), para a chefia de gabinete do sogro. Pois, então?!

Sem confirmação

Postado em 23 de junho de 2021
  •  
  •  
  • 18
  •  
  •  
Foto: Divulgação

Conforme noticiado no Blog, o prefeito de Canelinha, Diogo Francisco Alves Maciel (PSL), jantou com o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) na segunda-feira (21) à noite. Mas a confirmação de apoio ao chefe do Executivo estadual na campanha de reeleição ficou para outro momento. Segundo fontes ligadas ao paço canelinhense, as definições devem ocorrer futuramente, de acordo com as contrapartidas para a gestão da Cidade das Cerâmicas.

 

O encontro, aliás, teve participação do ex-prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido (PSL), atual secretário adjunto de Estado do Desenvolvimento Social, que tem, inclusive, a incumbência de promover a aproximação entre Moisés e líderes do Vale do Rio Tijucas.

CARDÁPIO

Hoje, a propósito, o governador se reúne, novamente na mesa de jantar, na Casa d’Agronômica, com vice-prefeitos do PSL. Da região, estão convidados o canelinhense Antonio Carlos Machado Junior e o adjunto de São João Batista, Almir “Déi do Gás” Peixer.

Tudo em casa

Postado em 23 de março de 2021
  •  
  •  
  • 10
  •  
  •  

Tijuquense residente em Florianópolis, o estudante Tarcísio Kammers Filho, que cursa Direito na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), é, desde semana passada, chefe de gabinete do vice-prefeito Almir Peixer (PSL), o Déi do Gás, na administração municipal de São João Batista. A nomeação, com remunerações mensais de R$ 5,5 mil, foi assinada na quinta-feira (18) pelo prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB).

Aptidões técnicas e coincidências à parte, Kammers Filho tem como maior vínculo com a gestão ou com a política local a circunstância de ser namorado da filha do adjunto batistense, a quem, agora, além de sogro, ele deve chamar de patrão. Pois, então?!