quinta-feira, 8 de dezembro de 2022 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Degrau acima

Postado em 6 de dezembro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Com 1.173 votos nas recentes eleições e a etiqueta de “suplente de deputado federal” adquirida, o policial penal Juarez Soares (CIDADANIA) garante, desde já, que não vai concorrer à vereança em 2024. Candidato à Câmara tijuquense em cinco oportunidades – e eleito para a legislatura 2017-2020 –, ele considera que os objetivos agora devem ser outros.

“Meu nome fica à disposição para a eleição majoritária”, revela ao Blog antes de pontuar que, independentemente da candidatura, deve se aliar a setores de oposição para confrontar o grupo que atualmente administra o município. Pois, então?!

Pazes e mais áudios

Postado em 21 de novembro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Houve quem apostasse que o vice-prefeito de São João Batista, Almir “Déi do Gás” Peixer (MDB) — seguramente aquele que mais vezes esteve no comando do município no mandato atual, na região —, jamais teria uma nova oportunidade na chefia do Executivo. Os palpites têm motivo: as acusações públicas, em setembro, do prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB) sobre o adjunto “fazer rolo” com a retirada, sem permissão, segundo ele, de um documento da prefeitura para fins político-eleitorais.

Mas as rusgas parecem ter sido superadas com o fim das eleições. Pedroca entrou novamente em férias e passou, hoje, o bastão para Déi, que administra a Capital Catarinense do Calçado nos próximos 15 dias.

TURBULÊNCIA

O mandatário batistense vem passando por um período turbulento na gestão. A greve dos professores da rede municipal, de acordo com as especulações, tem sido uma das principais razões.

Por mensagens de áudio — que, obviamente, como todas as outras que ele enviou antes, durante e depois da campanha de 2020, passaram a ser compartilhadas sucessivamente nas redes de conversação online do município e da região —, Pedroca chegou a criticar severamente vereadores de oposição que teriam remetido salgadinhos para os professores que se reuniam no protesto. Pois, então?!

Bandeiras à parte

Postado em 23 de fevereiro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Ver um prefeito em visita a Brasília na companhia de um dos principais vereadores de oposição é como encontrar uma mosca branca. Principalmente quando os partidos que representam têm rivalidade histórica e militância ferrenha no município. Por bênção de Santa Paulina ou evolução natural da classe política, Nova Trento vem dando exemplo nessa questão.

Na virada da quinzena, o mandatário neotrentino Tiago Dalsasso (MDB) e o vereador Jucelino Marino Chini (PP) — que, a propósito, teria intenção de concorrer à prefeitura em 2024 — deram-se as mãos e foram juntos à capital federal em busca de recursos. De tão afinados, estiveram, inclusive, lado a lado, nos gabinetes dos senadores das bandeiras que carregam, Dário Berger (MDB-SC) e Esperidião Amin (PP-SC), no Congresso.

Se fosse um conto, teria quem duvidasse. Mas há fotos. Várias. Institucionais e pessoais. Para dizer e mostrar que a política partidária deve se restringir às campanhas e que, passado o pleito, o todo é que precisa vencer.

Ponte em construção

Postado em 11 de fevereiro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

“Na política, temos que construir pontes ao invés de muros”. Assim respondeu a vereadora Neli Ferreira (MDB), ontem, em entrevista ao programa LINHA DE FRENTE, na TV Vip, quando perguntada sobre uma possível — e antes inimaginável — conjuntura entre MDB e PP para a disputa da prefeitura de Canelinha em 2024.

Mais incisiva opositora dos governos de Antônio da Silva (PP) na Câmara Municipal, a parlamentar, nos últimos tempos, tem sido vista frequentemente em confraternizações com o ex-prefeito e seus correligionários. O bom convívio, inclusive, é estendido ao presidente do Legislativo municipal, Robinson Carvalho Lima (PP), a quem ela fez questão de elogiar durante a conversa.

Neli, assim como Carvalho Lima, têm claras intenções de concorrer ao cargo máximo do município; e atualmente, em condição inédita e histórica, integram o bloco de oposição ao governo de Diogo Francisco Alves Maciel (sem partido) no parlamento da Cidade das Cerâmicas.

Talk show com personalidades da política que tenham relação direta ou indireta com o Vale do Rio Tijucas e a Costa Esmeralda, o LINHA DE FRENTE vai ao ar semanalmente, todas as quintas-feiras, às 19h30, na VipSocial TV e com transmissões simultâneas nas redes FacebookYouTube e Instagram.

Passo atrás

Postado em 9 de fevereiro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A bancada de oposição torceu o nariz para o projeto do Executivo que trata da revisão geral dos vencimentos de servidores municipais e agentes políticos de São João Batista. No texto, estavam incluídos aumentos nas remunerações do prefeito e do vice-prefeito. Os burburinhos de reprovação ecoaram nos corredores da Câmara e, antes que dessem margem a mais uma polêmica, a prefeitura agiu.

Hoje, um substitutivo à proposta chegou ao Legislativo. O documento foi protocolado na Câmara Municipal no início da tarde. Os reajustes nos vencimentos do prefeito e do vice-prefeito foram suprimidos do texto. “Tomamos esta medida para evitar distorções. Quero dizer que, graças a Deus, tenho uma situação financeira estável. Não estou aqui pelo salário de prefeito, mas para ajudar São João Batista”, comentou o mandatário batistense, Pedro Alfredo Ramos (MDB), na justificativa da ação.

BASTIDORES

O pedido de vista partiu de um líder oposicionista, ainda durante a sessão. Mas não sem receber duras críticas de um colega governista, que, no contraponto, alegou que excluir o prefeito e o vice do reajuste prejudicaria o aumento nos salários de professores e médicos do município. Como o próprio chefe do Executivo, mais tarde, aderiu à ideia e encaminhou novo texto, exatamente conforme a proposta da oposição, a indignação do vereador situacionista não surtiu efeito no paço.

Um dos motivos, segundo apurou o Blog, seria de que a remuneração do prefeito serve de teto para todo o funcionalismo, e, ao limitá-la, a administração reprime também alguns super salários da estrutura municipal. Só com esta diferença já haveria uma economia substancial na folha de pagamento. Ou seja, sem querer a oposição acabou ajudando Pedroca.

Sem contraste

Postado em 18 de novembro de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A oposição, em Porto Belo, reduziu-se ao incógnito Republicanos — que, em 2020, apesar de Romario Luiz Tancredo na disputa majoritária, elegeu apenas um vereador: Jonatha Cabral. E o cenário pode ficar ainda mais favorável ao prefeito Emerson Stein (MDB), reeleito com a maior diferença de votos da história do município e pretenso postulante a uma cadeira no Legislativo catarinense em 2022.

Costuras entre o chefe do Executivo portobelense, Cabral e o suplente de vereador Marcos Vinícius Marques (REPUBLICANOS) trazem a legenda para a base de sustentação do governo; independentemente da resistência de alguns membros da comissão municipal do partido. A manobra está em curso, e foi dada como certa nos bastidores políticos da Capital Catarinense dos Transatlânticos.

O titular da cadeira do REPUBLICANOS na Câmara, que se aproximou da administração municipal recentemente, licenciou-se da vereança por 180 dias e deu lugar a Marquinhos, presidente do partido em Porto Belo e figura benquista na localidade de Araçá. A proposta é a de que ambos, em curto prazo, passem a frequentar a prefeitura: o suplente em cargo comissionado, e Cabral, de volta ao Legislativo nos próximos meses, como governista. Pois, então?!

Casaca virada

Postado em 31 de maio de 2021
  •  
  •  
  • 9
  •  
  •  

Dias depois de anunciar publicamente a desfiliação do MDB e criticar a gestão do prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB) — que ajudou a eleger em São João Batista, em 2020 —, o empresário Sílvio Eccel, da Rádio Clube, posou para a foto com o presidente municipal do PP, ex-vereador Fábio Norberto Stürmer, que foi candidato a vice-prefeito na principal chapa de oposição.

Silvinho almoçou com Stürmer e amigos, no sítio do progressista, no interior da Capital Catarinense do Calçado. O comunicador, que se vangloria de ter atuado nas eleições dos nove últimos governos batistenses, diz, agora, que será mais incisivo nas cobranças à administração municipal, “inclusive com documentos, quando for necessário, nos microfones da rádio”. Pois, então?!

Barba, cabelo e bigode

Postado em 26 de novembro de 2020
  •  
  •  
  • 13
  •  
  •  

O prefeito reeleito Emerson Stein (MDB), de Porto Belo, conseguiu não somente a vitória com a maior diferença de votos da história do município e a segunda em proporção no Estado, como ainda deve governar, de 2021 a 2024, praticamente sem oposição. Dos 11 vereadores eleitos na Capital Catarinense dos Transatlânticos, dez compõem o grupo governista — cinco do MDB, três do PL e dois do PP. Do outro lado das trincheiras, apenas Jonatha Cabral (REPUBLICANOS) se elegeu.

A maior baixa da eleição municipal de Porto Belo foi a restringência absoluta do PT, do ex-prefeito Evaldo Guerreiro e da mais rigorosa crítica do governo na Câmara, vereadora Rosaura Rodrigues. O partido que administrou o município entre 2013 e 2016, além de não ter apresentado candidato a prefeito desta vez, sequer elegeu um vereador para a próxima legislatura. Pois, então?!

Cartão vermelho

Postado em 30 de setembro de 2020
  •  
  •  
  • 47
  •  
  •  

O advogado e candidato a vice-prefeito Fernando Rodrigues corrige a nota “Abandono“, de anteontem no Blog, e garante que o vice-presidente do PL municipal Edjalma Matos não pediu desfiliação do partido, mas foi expulso das fileiras liberais. “A decisão foi da comissão executiva do partido. Estamos observando os trâmites legais, e faremos a comunicação para a Justiça Eleitoral nos próximos dias”, completa.

De acordo com Rodrigues, o ex-coordenador da campanha de Adalto Gomes (PL) à prefeitura de Tijucas estava negociando, sem autorização da executiva, com outro grupo de oposição. Matos, segundo o advogado, tentou reiteradamente “vender” a desistência dos liberais do pleito majoritário. “Chegaram a nos oferecer o custeio de todas as nossas despesas até o momento para desistirmos. Lógico que rejeitamos essa proposta absurda. E ele (o ex-coordenador), com a nossa negativa, passou a influenciar os candidatos a vereadores do PL e do Republicanos a retirarem as candidaturas. Por isso, decidimos expulsá-lo”, esclarece o candidato a vice-prefeito.

Corte e costura

Postado em 9 de julho de 2020
  •  
  •  
  • 21
  •  
  •  
Foto: Divulgação

Tudo leva a crer que o PL do vice-prefeito Adalto Gomes e o MDB da principal opositora da administração municipal, vereadora Fernanda Melo Bayer, estarão juntos no pleito que se aproxima. Líderes dos dois partidos, mais representantes do Cidadania e do Solidariedade, reuniram-se nesta noite para tratar da coalizão — que, neste momento, é praticamente certa.

Com espaço cada vez mais reduzido no governo, e as chances de reedição da chapa com Eloi Mariano Rocha (PSD) se esvaindo, o vice-prefeito vem, há algum tempo, buscando acordos nos setores de oposição. Nas coxias da política tijuquense, conjetura-se a união, em chapa MDB/PL, especialmente para estas eleições, de Valério Tomazi e Adalto Gomes, que concorreram, um contra o outro, à prefeitura no pleito de 2012.