domingo, 12 de julho de 2020 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Dano moral

Postado em 17 de junho de 2020

A juíza Maria Cristina Slaibi, da 3ª Vara Cível do Rio de Janeiro, condenou o ator e comediante Gregório Duvivier a pagar uma indenização de R$ 25 mil por danos morais ao empresário Luciano Hang, de Brusque, por uma postagem feita no Twitter em maio do ano passado.

Na publicação,  Duvivier escreveu: “to tisti alguém mata o véio da havan (sic)”. Dois dias depois, o comediante usou a mesma rede social para justificar que não estava desejando a morte do empresário, mas “apenas reproduzindo um meme”. Hang processou o artista.

Em sua decisão, a juíza entendeu que Duvivier excedeu o limite da liberdade de expressão ao usar o verbo “matar” na postagem e explicou que a condenação por dano moral tem “caráter repressivo-pedagógico”. A magistrada ordenou ainda que o comediante exclua, em 48 horas, a palavra “mata” da publicação.

Recuo

Postado em 26 de novembro de 2019

O desconforto criado na administração municipal com a declaração do chefe do departamento de Estrada de Rodagem, Renato Sartori, de que haveria “laranjas” no setor, teve desdobramentos hoje.

Sartori publicou um pedido de desculpas ao prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) e ao secretário de Obras, Transportes e Serviços Públicos do município de Tijucas, vice-prefeito Adalto Gomes (PL). Na postagem, o servidor em cargo comissionado admitiu o erro. “Me expressei mal. Tinha gente se metendo no meu trabalho e só queria cuidar do meu espaço”, escreveu.

Símbolo da paz

Postado em 2 de outubro de 2019

O grupo “Pomba Branca”, com 190 membros reunidos no WhatsApp para comentar a política de Tijucas, tem “confraternização” marcada para sábado (5). E se as contendas são frequentes no aplicativo, com simpatizantes das mais variadas correntes defendendo — e atacando — partidos e líderes com unhas e dentes, no evento, com churrasco e muita cerveja, não deve ser diferente.

O nome do grupo, a propósito, é bastante sugestivo. Então, que uma revoada de pombas brancas drapejem no encontro, para lembrar os presentes, sempre, de que liberdade de expressão, de opinião e de escolha continuam na moda.