terça-feira, 23 de julho de 2024 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Passo atrás

Postado em 22 de julho de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo | Prefeitura de Canelinha

Uma das três postulantes apresentadas pelo MDB para o pleito de outubro, a ex-secretária municipal de Educação, Rosângela Maria Leal Cordeiro, de Canelinha, retirou oficialmente a sua pré-candidatura à vice-prefeitura.

Rosângela comunicou as lideranças locais emedebistas sobre a decisão nos últimos dias e alegou problemas pessoais. Entre eles estaria a negativa familiar, sobretudo dos filhos, que não gostariam que a mãe participasse da política.

Fontes do Blog revelam que a ex-secretária havia sido indicada pessoalmente pelo ex-prefeito Moacir Montibeler, com quem trabalhou na gestão 2017/2020. Mesmo com o incentivo do líder máximo do partido no município, Rosângela decidiu recuar, mas pontuou que apoiará os candidatos da legenda.

FAVORITA

Tudo leva a crer que a indicação do MDB canelinhense para a composição com o vereador Robinson Carvalho Lima (UNIÃO) será a advogada e empresária Ana Claúdia Orsi Arndt, filha do ex-vice-prefeito Edson Orsi e da ex-vereadora Maria Bernadete Trainotti Orsi.

Embora a vereadora Neli Ferreira Trindade ostente um currículo político mais expressivo, especula-se que as críticas públicas da parlamentar aos colegas que “trocaram de partido”, noticiada pelo Blog em abril, na nota Papo Reto, impediriam a conjuntura.

Parte da cúpula do UNIÃO BRASIL, que encabeçará o projeto, não gostou das alfinetadas da emedebista e não aprovaria uma eventual indicação. As convenções do MDB canelinhense estão marcadas para o dia 5 de agosto.

Pelotão feminino

Postado em 28 de junho de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Fotos: Arquivo Pessoal

Três nomes se dispuseram à concorrência majoritária no MDB de Canelinha. Nenhum homem. As postulantes foram apresentadas ontem, em assembleia do partido com vistas nas eleições de outubro.

A advogada e empresária Ana Claudia Orsi Arndt, filha do ex-vice-prefeito Edson Orsi e da ex-vereadora Maria Bernadete Trainotti Orsi, finalmente confirmou a pré-candidatura. Além dela, a vereadora Neli Ferreira e a ex-secretária de Educação do município Rosângela Maria Leal Cordeiro se apresentaram como pré-candidatas emedebistas ao cargo máximo da Cidade das Cerâmicas.

CONJUNTURA
Nos ensejos, clareou-se, conforme se prenunciava, a intenção de unir forças com o UNIÃO BRASIL, enxertado com lideranças do PP – que definiu o vereador Robinson Carvalho Lima como opção para a disputa da prefeitura. Foi a primeira vez, desde que as especulações de coligação surgiram na pauta política de Canelinha, que o MDB debateu abertamente o assunto.

Passo adiante

Postado em 24 de junho de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

A advogada e empresária Ana Claudia Orsi Arndt, filha do ex-vice-prefeito Edson Orsi e da ex-vereadora Maria Bernadete Trainotti Orsi, deixou de ser uma especulação e passou ao campo da opção para a disputa da prefeitura de Canelinha nestas eleições. Na mais recente reunião do MDB, ela foi oficialmente convidada a encampar o desafio e anunciar a pré-candidatura.

Embora tenha acenado positivamente, Ana Claudia decidiu, por ora, seguir estudando a proposta. O “respeito à hierarquia do partido” – que tem figuras de expressão como o ex-prefeito Moacir Montibeler e a vereadora Neli Ferreira no topo da lista de cotações –, conforme frisou no encontro, foi o motivo de ter optado por permanecer em stand-by.

Entretanto, no ínterim, a advogada e empresária consultou estrategistas de campanha e se reuniu com possíveis apoiadores, líderes e deputados emedebistas para tratar do assunto.

Reaparecimento

Postado em 19 de março de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas | Arquivo

Que ninguém se surpreenda caso o advogado e ex-vice-prefeito Roberto Carlos Vailati ressurja no jogo político de Tijucas nos próximos momentos. O atual presidente do PSB local, de acordo com fontes precisas do Blog, teria interesse, mais uma vez, no encaminhamento eleitoral da cunhada Maria Edésia da Silva Vargas, a Déda, mas agora em projeto amplamente audacioso.

A diretora do Procon municipal manifestou, tempos atrás, desejo de concorrer à prefeitura nestas eleições. Se por impulso ou orientação, sabe-se apenas que a ex-vereadora ganhou respaldo, inclusive, no PT tijuquense, especialmente com a mudança de comando e a chegada do irmão, Adenio da Silva, na secretaria de Formação do partido.

Vailati, que mantem o controle do PSB e teria atuado decisivamente para a tomada do PT no município, estaria projetando um bloco alternativo para a disputa do pleito de outubro. Especuladas divergências com o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD), de quem vem se distanciando gradativamente, corroboram com essa sugerida proposta de independência eleitoral.

ISOLAMENTO

Negociações com as demais correntes do município, entretanto, enfrentariam grandes barreiras. Pesariam contra o ex-vice-prefeito as rusgas do passado e a ideologia das bandeiras que defende.

Uma conjuntura com o MDB – que foi bem-sucedida em 2004 – esbarraria na péssima relação entre Vailati e o ex-prefeito Elmis Mannrich, presidente municipal do partido e pré-candidato emedebista à prefeitura.

Com o PL, no entanto, as chances de acerto seriam ainda menores por conta da pauta nacional e da rivalidade extremada entre movimentos de esquerda e direita.

Pré-candidata

Postado em 4 de dezembro de 2023
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

A ex-vereadora e atual diretora do Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) de Tijucas, Maria Edésia da Silva Vargas (PSB) anunciou, última semana, por meio das redes sociais, que é pré-candidata à prefeita, nas eleições municipais do ano que vem.

Déda, como ficou conhecida, publicou uma foto em frente à galeria de ex-prefeitos, exposta no corredor principal da prefeitura. Na legenda, a peesebista afirmou que falta uma o retrato de uma mulher entre os chefes do Executivo municipal.

“Esta mulher pode ser eu”, ponderou Déda. A ex-parlamentar completou dizendo que está à disposição para o pleito. Se o objetivo for concluído, a ex-parlamentar tijuquense poderá se tornar a segunda mulher a disputar a cadeira do Executivo. Será?!

Prefeiturável 

Postado em 17 de novembro de 2023
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas

Pela primeira vez, de maneira pública, a ex-vereadora de São João Batista, Rúbia Alice Tamanini Duarte (sem partido), colocou-se como pré-candidata à prefeitura batistense, em 2024. Não houve, claro, surpresas, afinal, a ex-secretária de Estado adjunta do Desenvolvimento Social e Habitação sempre apareceu como uma das opções viáveis no pleito. 

A condição, entretanto, é de que o ex-prefeito e deputado suplente, Daniel Netto Cândido, não dispute o cargo novamente. “Nossa liderança, com capital político e primeiro em todas as pesquisas, é o Daniel. Ele sendo candidato, eu estou fora da disputa”, afirmou, em entrevista ao programa LINHA DE FRENTE

Entretanto, há a possibilidade, no horizonte, de que o ex-mandatário batistense assuma a vaga do deputado estadual Lucas Neves (PODE), no parlamento catarinense. Desta forma, abriria caminho para a candidatura da ex-presidente do Poder Legislativo batistense. “Tirando o ex-prefeito Daniel, meu nome é o próximo do grupo”, complementou. 

DESCARTADO 

Embora converse com boa parte dos grupos constituídos para o pleito que se aproxima, a ex-vereadora garante apenas que não estará com o prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB), em um possível projeto de reeleição. 

“Todas as outras eu iria. Daqui 10 anos, se ele mudar as posturas, podemos conversar. Mas, nessa próxima eleição, se o atual prefeito Pedroca for novamente candidato, é a única pessoa que eu não apoiaria, estaria ou sentaria na mesa para diálogo”, disse. 

Reprovação prenunciada

Postado em 2 de maio de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A ex-vereadora Rúbia Alice Tamanini Duarte — que deixou o comando da Secretaria Municipal de Assistência Social de São João Batista no início de janeiro e recebeu, sexta-feira (29), chamado do governo estadual para ocupar a secretaria adjunta de Estado do Desenvolvimento Social — não deve contar com o aval da Câmara Municipal para se afastar das funções de professora na Capital Catarinense do Calçado. A apreciação do parlamento foi marcada para hoje, e, na boca de urna, conjetura-se que ela não teria os votos necessários para ganhar a causa.

Sequer a bancada situacionista, sobretudo os vereadores do MDB, devem aprovar consonantemente a cessão da batistense para o Estado. Pesa contra ela o imbróglio, ainda velado, mas com capítulos cada vez mais sintomáticos, entre o prefeito Pedro Alfredo “Pedroca” Ramos (MDB) e seu antecessor, Daniel Netto Cândido (PODE), que fez a indicação da professora para o cargo que ocupou até mês passado no governo estadual.

ALTERNATIVA

Segundo consultoria jurídica do Blog, Rúbia não precisaria passar pelo crivo da vereança. Bastava pedir licença não remunerada ao prefeito em exercício Almir “Déi do Gás” Peixer (PSD) — com quem tem excelente relação — e aceitar a nomeação do governador Carlos Moisés da Silva (REPUBLICANOS) para a secretaria adjunta de Estado.

Mas, mesmo que a cessão seja reprovada na Câmara, ela teria, ainda, tempo para recorrer a esta opção.

BASTIDORES

Aos seus, intimamente, a ex-vereadora viria garantindo que seja qual for o resultado da votação no Legislativo batistense, vai aceitar o convite do governo estadual. Nos bastidores, especula-se que ela esteja apenas observando atitudes e posturas de aliados e oposicionistas para compreender a cena política do município e decidir que caminho tomar no futuro.

A exemplo de 2020, quando abriu mão de uma candidatura para contemplar o grupo que integrava, Rúbia se mantém na lista de cotações para a disputa da prefeitura nas próximas eleições da Capital Catarinense do Calçado.

DOIS PESOS

Caso semelhante passou pela Casa no ano passado, quando o Executivo pediu a cessão de outros dois servidores ao governo estadual, dentre os quais Rildo Vargas, tradicional correligionário do grupo governista. Na ocasião foram apenas três votos contrários — todos da bancada do PP — sob a justificativa de que não haveria fundamento legal para a transferência. Os demais vereadores, sem exceção, foram favoráveis.

Desta vez, a expectativa diz respeito à eventual mudança dos votos situacionistas e as motivações, alegações e satisfações a partir daí.

Saída serena

Postado em 5 de abril de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Três meses após assumir a direção geral da Câmara Municipal de Tijucas, a ex-vereadora Elizabete Mianes da Silva deixou o cargo. Diz que a decisão foi pessoal — porque, como funcionária em cargo de comissão, impediria, segundo a Lei, um dos filhos, empresário, de participar de processos licitatórios no Poder Público municipal —, elogia o presidente do Legislativo, vereador Maickon Campos Sgrott (PP), a equipe funcional da Casa, e garante que teve uma grata experiência enquanto diretora. “Consegui enxergar o todo, sem relações partidárias como no tempo de vereança, e perceber coisas que antes eu não via. Pude ter mais contato com as pessoas, os funcionários, e isso foi muito gratificante”, comenta.

Professora aposentada e recordista de mandatos consecutivos no parlamento tijuquense, Bete quer, agora, dedicar-se integralmente à família e ter mais tempo para a recreação. “É o que se leva da vida”, diz a ex-secretária de Educação do município e seis vezes seguidas vereadora.

Na ativa

Postado em 23 de agosto de 2017
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Quem imagina que a ex-vereadora Lialda Lemos uma das mais ferozes oposições que os ex-prefeitos Elmis Mannrich (PMDB) e Valério Tomazi (PMDB) enfrentaram na Câmara sossegou, abandonou a política e as denúncias contra as ingerências dos agentes públicos, pode estar redondamente enganado.

Aquele passarinho incolor garante que a professora, ex-presidente do PSDB em Tijucas, vem se abastecendo de documentos que possam comprovar incorreções nos mandos da administração municipal, sobretudo no polêmico caso das horas extras excedentes e contra o secretário de Saúde do município, Vilson José Porcíncula, o Tem, com quem mantinha relação fraterna e ideológica na Casa do Povo, nas legislaturas 2009-2012 e 2013-2016. De acordo com fontes do blog, a ex-vereadora pretende, assim que concluir esse levantamento, acionar o Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado.