quarta-feira, 15 de julho de 2020 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Briga interna

Postado em 22 de janeiro de 2020

O vereador Abel Grimm, de Canelinha, telefona para dizer que, se não houver espaço no PP para concorrer à prefeitura nestas eleições, deve buscar guarida em outro partido na próxima janela de transferências. Ele reclama da imposição do nome do ex-prefeito Antônio da Silva na seara progressista e pretende elevar a discussão no diretório sobre a representação da legenda na concorrência majoritária de outubro.

Recentemente, Grimm confrontou o ex-mandatário em reunião do PP sobre o pleito municipal, e se colocou à disposição do partido para a corrida à prefeitura. O vereador é, atualmente, o único progressista com mandato na Cidade das Cerâmicas.

Cabo de guerra

Postado em 9 de janeiro de 2020

Que ninguém convide o radialista José Carlos Trindade e a mulher, vereadora Neli Ferreira (MDB), para o mesmo evento em que o prefeito Moacir Montibeller (MDB) estiver. A relação entre eles azedou. Nos bastidores da política de Canelinha, fala-se em rompimento. Aos seus, eles reclamam da soberania do chefe do Executivo canelinhense — que cumpre o quarto mandato no cargo máximo do município e planeja a reeleição — nas bases emedebistas e ameaçam combater o alcaide na pré-convenção do partido.

Segundo fontes do Blog, o casal estaria tentando uma composição com o vereador Antonio Carlos Machado Junior (MDB) para elevar as chances de vitória contra Montibeller numa possível concorrência interna.

RUSGAS

O escanteamento de Neli em dezembro de 2018, quando foi exonerada do comando da Secretaria de Saúde e devolvida à Câmara Municipal, pesou na conta. Desde então, ela e o marido vêm protestando contra a dinastia de Montibeller no partido e da falta de espaço e reconhecimento.

Em julho, a propósito, Trindade se dispôs, publicamente, à disputa majoritária da Cidade das Cerâmicas e garantiu que, se preciso fosse, bateria chapa no diretório com o prefeito ou qualquer um que se apresentasse como opção do MDB para o próximo pleito.

Recuo

Postado em 26 de novembro de 2019

O desconforto criado na administração municipal com a declaração do chefe do departamento de Estrada de Rodagem, Renato Sartori, de que haveria “laranjas” no setor, teve desdobramentos hoje.

Sartori publicou um pedido de desculpas ao prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) e ao secretário de Obras, Transportes e Serviços Públicos do município de Tijucas, vice-prefeito Adalto Gomes (PL). Na postagem, o servidor em cargo comissionado admitiu o erro. “Me expressei mal. Tinha gente se metendo no meu trabalho e só queria cuidar do meu espaço”, escreveu.

Microfone fechado

Postado em 7 de outubro de 2019

O voluntariado da ex-primeira-dama Denise Corrêa Silva na Rede Feminina de Combate ao Câncer de Canelinha pode ter sido, conforme se especula, um dificultador para que a entidade recebesse espaço na tribuna da Câmara Municipal, semana passada. O presidente do Legislativo, Arlindo de Simas (PL), havia concordado com a participação das voluntárias na sessão, mas, na hora, justificou que o regimento interno impedia a cessão do uso da palavra.

Sob manifestações de vereadores, ponderações e discussões, Simas foi convencido, enfim, no encerramento do encontro, a ignorar o regulamento e abrir os microfones para a Rede. A presidente Berenice Goulart conseguiu alguns minutos para discorrer sobre o Outubro Rosa, mas, desde então, os termos “politicagem” e “humilhação” passaram a recorrer entre as voluntárias e nas rodas de conversa da Cidade das Cerâmicas.

Retorno previsto

Postado em 4 de janeiro de 2018

Nascido em Major Gercino, criado em São João Batista e radicado no Oeste catarinense, o deputado estadual Altair Silva (PP) está com os dias contados na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina). O titular da cadeira, Valmir Comin (PP), deve deixar o comando da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação nos próximos momentos e voltar ao parlamento catarinense.

Primeiro suplente do PP, Silva somou 28.992 votos nas eleições de 2014. Mas, no Vale do Rio Tijucas, onde nasceu e viveu, apenas 2.543 eleitores escolheram o conterrâneo. O parlamentar atribui a baixa votação em casa ao respeito pela possível candidatura, naquele pleito, do amigo Aderbal Manoel dos Santos (PP), ex-prefeito de São João Batista que desistiu de concorrer ao Legislativo estadual semanas antes das eleições e, só então, abriu espaço, e ofereceu amplo apoio, para que o majorense trabalhasse a campanha na região.

Desta vez, novamente candidato a deputado estadual, e sem obstáculos no Vale, o progressista, empresário em Chapecó, pretende multiplicar a votação nos cinco municípios da região; sobretudo em Major Gercino, sua terra natal, onde, em 2014, fez apenas 180 votos e ficou em terceiro lugar, atrás do brusquense Serafim Venzon (PSDB) e do batistense Mário Marcondes (MDB).