sábado, 24 de outubro de 2020 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Sem identidade

Postado em 23 de outubro de 2020

Advogados, os candidatos a prefeito e vice-prefeito Diogo Francisco Alves Maciel (PSL) e Antonio Carlos Machado Junior (PSL), de Canelinha, não tiveram como — ou não quiseram — explicar à Justiça Eleitoral por que o candidato a vereador Martinho Luiz Tomazzia (PSL) apresentou documento de identidade de outra pessoa no registro de candidatura. O prazo para defesa foi encerrado, e o registro, evidentemente, indeferido.

De acordo com a sentença, “não se trata de mera irregularidade, mas de definição da identidade de quem é o candidato: se é mesmo Martinho, ou se é Silvio (titular dos documentos apresentados)”. O fato, inusitado e surpreendente, chama a atenção. Pois, então?!

Sem efeito

Postado em 21 de outubro de 2020

O pedido de impugnação da candidatura de Neusa Ramos Régis (PDT) a vereadora, protocolado pela coligação “O Povo de Novo”, foi negado. De acordo com os impugnantes, ela teria realizado propaganda eleitoral antecipada — quando, supostamente, expôs o número de urna em uma rede social no período pré-campanha —; mas a acusação, porém, foi desconstruída.

Na sentença, o Ministério Público Eleitoral decidiu pelo indeferimento da impugnação por insuficiências de provas. Os advogados de defesa alegaram que Neusa não cometeu qualquer crime eleitoral e que a imagem apresentada pelos impugnantes, de um print de tela com a publicação da candidata no Facebook, teria sido montada. Ela, portanto, continua candidata.

Bandeira hasteada

Postado em 21 de outubro de 2020

A candidata a vereadora Vanessa Renata Machado (MDB), estreante na política aos 40 anos, tem um propósito: tirar do papel o “Projeto Preta Ana Silvério”, que pretende estimular mulheres de Tijucas, especialmente vítimas de violência doméstica, a serem independentes. Empresária, negra e mãe de três filhos, ela desenvolveu a proposta — em homenagem à amiga Ana Cleia Silvério, assassinada em 2019 — há cerca de nove meses, mesmo antes de decidir se aventurar na política.

Eleita ou não, governo ou oposição, Vanessa quer formar manicures, cabeleireiras, artesãs e costureiras e dar atendimento psicológico e médico às mulheres tijuquenses. E viu no processo eleitoral o caminho mais curto para alcançar esse objetivo.

APOIO

“As barreiras da subrepresentatividade, do racismo e do machismo precisam ser quebradas”, diz a candidata. E já tem apoios dos mais surpreendentes. Tanto que o presidente de um partido de coligação adversária, negro, identificado com a luta da empresária, decidiu, mesmo com correligionários envolvidos no pleito, apostar na campanha de Vanessa.

Pérolas

Postado em 20 de outubro de 2020

Exímia oradora, de fala articulada e português correto, a candidata a prefeita Fernanda Melo (MDB), de Tijucas, vem pecando no que mais sabe fazer. Por pressão, emoção ou intenção — como estratégia, para se manter como assunto nas redes —, ela tem cometido deslizes que se transformam frequentemente em memes nos grupos de discussão da cidade.

Ao bradar, em comício, dias atrás, que o ginásio de esportes da Praça precisava de reparos na cobertura porque “chove mais fora do que dentro”, a vereadora motivou uma série de zombarias na internet. Ontem, porém, ela registou outra pérola em entrevista para a Rádio Super, de São João Batista, ao dizer que, em razão da falta de acessos no Rio Tijucas e no Pontal Norte, “os pescadores não conseguem nem pescar um baiacu para comer”. Hoje pela manhã, evidentemente, a declaração da candidata já era repercutida incessantemente nos smartphones dos tijuquenses. Pois, então?!

Saída pela esquerda

Postado em 20 de outubro de 2020

O candidato a vice-prefeito Ingomar Anselmo de Oliveira (PT), que concorreria na chapa de Ângelo Zunino Azambuja (PT) à prefeitura de São João Batista, desistiu do pleito. Em carta endereçada à Justiça Eleitoral, ontem, ele renunciou à candidatura; mas não apresentou as razões para a decisão.

O juiz eleitoral remeteu o pedido ao Ministério Público, e Zunino, por sua vez, já apontou o substituto: Quintiliano dos Santos (PT).

Propaganda antecipada

Postado em 19 de outubro de 2020

Apoiador do candidato a prefeito Estevan Nascimento (PL), o empresário Joel Ricardo foi multado em R$ 5 mil por distribuir outdoors com a frase “Estevan vem aí…” em São João Batista entre o fim de 2019 e o início deste ano. A decisão, que partiu do juiz eleitoral Alexandre Shramm, foi publicada ontem.

A representação foi pedida pelo Ministério Público Eleitoral e tinha como réus, além de Ricardo, o próprio candidato a prefeito e uma terceira pessoa, que teria instalado as placas, por transgressão ao período de propaganda eleitoral. Apenas o empresário foi multado; e disse que vai recorrer da decisão.

Contraponto

Postado em 14 de outubro de 2020

Sobre a nota “Inimigo íntimo“, de hoje no Blog, o candidato a vereador Valdeci Nunes (REPUBLICANOS) garante que não pediu votos para Antônio da Silva (PP) e Altamiro José Adames (PSD) durante evento da coligação “Unidos Faremos Mais Por Canelinha”, domingo (11), em um bar da cidade, e que apenas recepcionou, cordialmente, os candidatos a prefeito e vice da aliança adversária na chegada ao local.

Nunes diz, ainda, que usou o microfone porque, naquele momento, cantava no karaokê do bar; e que continua alinhado a Diogo Francisco Alves MacielAntonio Carlos Machado Junior, candidatos a prefeito e vice do PSL, com quem o Republicanos é coligado.

Revezamento

Postado em 14 de outubro de 2020

Mais um capítulo na novela que enreda a cadeira do vereador licenciado Odirlei Resini (MDB) na Câmara Municipal de Tijucas. Novo despacho do TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina) decreta a nulidade do ato que nomeou e empossou Cláudio Tiago Izidoro (PP) na vaga e a consequente nomeação e posse de Oscar Luiz Lopes (MDB). A decisão atenta, ainda, para “risco de dano grave ou de difícil reparação se mantido o atual quadro no Legislativo tijuquense”.

Portanto, de acordo com o mais recente entendimento, a cadeira pertence ao MDB e não a Izidoro — que era filiado à legenda em 2016, alcançou votação superior à de Lopes, mas que, em seguida, deixou as fileiras emedebistas e em março se transferiu para o PP. Desde que Resini se licenciou da vereança para servir à Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Meio Ambiente, os suplentes vêm se revezando na vaga; não por acordo entre si, mas por deliberações judiciais que ora contemplam uma parte e depois outra.

Inimigo íntimo

Postado em 14 de outubro de 2020

Se o advogado Diogo Francisco Alves Maciel (PSL) depender do otimismo do candidato a vereador Valdeci Nunes (PRB) — da própria coligação — para alcançar a prefeitura de Canelinha nestas eleições, tem uma tarefa das mais difíceis pela frente. Pelo menos, foi o que ficou evidente no evento de campanha da aliança “Unidos Faremos Mais Por Canelinha”, domingo (11), num bar da Cidade das Cerâmicas.

Nunes, que surpreendentemente participava do encontro, não se conteve: pegou o microfone e bradou “Tonho e Altamiro!”, em referência às candidaturas do ex-prefeito Antônio da Silva (PP) e do vereador Altamiro José Adames (PSD) à chefia do Executivo municipal. A manifestação foi gravada e circula insistentemente, desde então, nos grupos de conversação online da cidade.  Pois, então?!

Águas passadas

Postado em 14 de outubro de 2020
Foto: Divulgação

A candidatura da servidora pública municipal Nadir Amorim (PSD) ao parlamento tijuquense foi determinante para que o irmão, Henrique Amorim — que abraçou a campanha de Elmis Mannrich (MDB) à prefeitura em 2016 —, voltasse ao ninho cola-branca nestas eleições. A quem pergunta, ele diz apenas que “foi MDB no pleito passado e agora vai votar em Eloi Mariano Rocha (PSD), e mudaria quantas vezes quisesse, porque é dono do próprio nariz”.

O mais ilustre dos Amorim, ex-vereador Antônio Zeferino “Tonho Polícia” Amorim, porém, continua resiliente. Ainda magoado com o desfecho das conjunturas de 2016, quando foi preterido por Mariano Rocha na diligência cola-branca para a conquista da prefeitura, ele prefere apenas acompanhar a batalha de Nadir e o silêncio sobre o pleito majoritário — e, inclusive, trabalha com material paralelo, sem fotos do prefeito atreladas à irmã. Pois, então?!