segunda-feira, 6 de julho de 2020 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Preço alto

Postado em 9 de abril de 2020

A conta da famigerada agressão à síndica Roberta Medeiros começou a chegar para o ex-prefeito Antônio da Silva (PP), de Canelinha. Em razão da repercussão negativa do fato, ele perdeu o posto que ocupava na Escola do Legislativo, na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina), e retornou à disposição da Secretaria Municipal de Saúde de São João Batista.

A dispensa foi assinada pelo presidente da Assembleia, deputado estadual Julio Garcia (PSD), que, segundo fontes precisas do Blog, considerou a conduta do ex-mandatário prejudicial à imagem do parlamento catarinense.

Ética partidária

Postado em 28 de fevereiro de 2020

O secretário geral do PDT catarinense, Everton Wan-Dall, diz, com exclusividade para o Blog, que a deputada estadual Ana Paula da Silva (PDT), de Bombinhas, “responderá por seus atos na Comissão de Ética do partido”.

A executiva pedetista havia estipulado um prazo de 24 horas, semana passada, para que Paulinha revisse o convite do governador Carlos Moisés da Silva (PSL) e recusasse a liderança do governo na Assembleia Legislativa. De acordo com Wan-Dall, o julgamento da parlamentar ainda não tem data prevista.

Chumbo trocado

Postado em 25 de novembro de 2019

Crítico contumaz da TPA (Taxa de Preservação Ambiental) de Bombinhas — e, agora, também da Eco TPA de Governador Celso Ramos —, o deputado estadual Ivan Naatz (PV) foi denunciado à Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) e à OAB-SC (Ordem dos Advogados do Brasil em Santa Catarina). As representações foram oferecidas pelo prefeito da Capital do Mergulho EcológicoPaulo Henrique Dalago Müller (DEM).

Em ação civil pública em tramitação na 2ª Vara da comarca de Porto Belo, cuja autora é a ACDC (Associação Catarinense de Defesa dos Direitos Constitucionais), em face do município de Bombinhas, Naatz, que é advogado, assinou eletronicamente a petição inicial, documentos que a instruem, assim como uma petição intermediária.

De acordo com a lei, a conduta do parlamentar seria incompatível com o exercício do mandato legislativo. Tanto a Constituição do Estado de Santa Catarina quanto o Regimento Interno da Alesc proíbem deputados estaduais de “firmar ou manter contrato com pessoa jurídica de direito público, autarquia, empresa pública, sociedade de economia mista ou empresa concessionária de serviço público”. Ainda de acordo com os dispositivos legais, infrações do gênero são passíveis de perda do mandado.

Mau exemplo

Postado em 2 de julho de 2019

Na era digital, com câmeras e celulares em todos os cantos, ser político pode ser um convite à contradição. Que o diga a vereadora Fernanda Melo Bayer (MDB), de Tijucas, que foi flagrada – e filmada – estacionando o carro em uma vaga para portadores de necessidades especiais, e fez a alegria dos adversários. O vídeo, desde então, vem sendo replicado nas redes e, certamente, vai render repreensões e insinuações nas discussões do Legislativo tijuquense.

Advogada, articulada e crítica voraz da administração municipal na Câmara, a emedebista se transformou na pedra no sapato dos governistas – que, agora, obviamente, estão se esbaldando no WhatsApp. Pois, então?