sexta-feira, 12 de abril de 2024 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Fumaça sem fogo

Postado em 1 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

Os mais atentos ao cotidiano político de Tijucas estranharam a presença e o tratamento dado ao vereador Maurício Poli (UNIÃO), no último sábado (30), durante a festa de celebração do pentacampeonato do bairro Praça, nas Olimpíadas Tijuquenses de 2024.

A comemoração foi organizada por lideranças da comunidade, entre elas, o também vereador Esaú Bayer (PL). Poli foi convidado a discursar aos presentes. Estranhou-se, porém, que Bayer, Poli e Fernando Fagundes (PL) eram os únicos personagens públicos no encontro.

Não demorou muito para que as mentes mais criativas passassem a especular que havia ali um claro sinal de aproximação entre os grupos. Há quem, inclusive, garantisse que União Brasil, de Poli, e PL, de Fagundes e Bayer, estariam juntos no pleito de 2024.

ENTRANTO…

O Blog apurou que o ex-presidente do Poder Legislativo municipal colaborou financeiramente com a confraternização e, por isso, foi convidado e fez questão de parabenizar os atletas do bairro pelo título conquistado semanas atrás. O que descarta qualquer narrativa política.

Houve, de fato, no passado, uma aproximação de Poli com o grupo dos colegas de parlamento. Entretanto, as conversas ocorreram com o empresário Thiago Peixoto dos Anjos (PL) – que rivaliza internamente com Fagundes, pelo direito de disputar a prefeitura pelo partido. As tratativas, aliás, segundo as inesgotáveis fontes do Blog, esfriaram e há, hoje, certo distanciamento.

Ex-inimigo

Postado em 11 de março de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

O empresário, ex-secretário municipal e ex-vereador Sidney Machado (PL), popular Ney da Tijusat, mudou de alvo. Antes crítico incisivo das ações do governo municipal, sobretudo do prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD), ele trocou os julgamentos locais pela disputa nacional entre movimentos de esquerda e direita.

A atenuação aos atos de Mariano Rocha, entretanto, pode ter como pano de fundo a aproximação com líderes do PP, um dos partidos aliados da gestão, e a expectativa de uma filiação à legenda nesta janela. As tratativas envolvem, ainda, uma possível candidatura à Câmara Municipal nestas eleições pelo grupo governista.

Como argumento basal da mudança, a propósito, Machado se apoiaria na questão ideológica, na falta de espaço no PL e no fato de que o PP foi, por muito tempo, a bandeira partidária do ídolo e ex-presidente Jair Bolsonaro.