domingo, 19 de maio de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Sonho realizado

Postado em 13 de maio de 2019

No ato em que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou, semana passada, o decreto que facilita o porte de armas para políticos eleitos, caminhoneiros, caçadores e atiradores esportivos, moradores de áreas rurais e repórteres policiais, entre outra categorias, quem ficou a seu lado o tempo todo, sorridente e aplaudindo freneticamente, foi o deputado federal Rogério “Peninha” Mendonça (MDB-SC), de Nova Trento.

Ali, naquela feita, Peninha viu concretizado tudo o que vem defendendo nos últimos anos.

Pedra cantada no Blog e no quadro Política em Foco – que o colunista apresenta no Jornal TopNotícias, no Portal TopElegance às quintas-feiras – deu bingo. Já consta, desde ontem, no sistema de informações partidárias do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), a comissão provisória do PSL em Tijucas com o ex-bombeiro militar Gerson Henrique Marcelino na presidência.

O litígio entre Marcelino e o servidor público municipal Renato Sartori, que concorriam diretamente pelo comando da sigla no município, durou meses. Desde dezembro, o PSL não tinha representação na Capital do Vale. Nos bastidores do processo, porém, o jogo era intenso; e as melhores cartas sempre estiveram com o ex-bombeiro.

Aliado a figuras basais do partido na região – como o deputado estadual Onir Mocellin, militar reformado, de quem é assessor parlamentar na Assembleia Legislativa, e o próprio governador Carlos Moisés da Silva, a quem acompanhou nas incursões pelo estado durante a campanha –, não tardou para que o ex-diretor de Trânsito do município conquistasse a simpatia e a preferência da cúpula peesselista. Sartori, por sua vez, tinha apenas uma promessa do presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino, e o discurso vago de que havia conquistado ampla votação para o chefe do Executivo estadual e para o presidente Jair Bolsonaro nas eleições de 2018 em Tijucas.

Pesaram, ainda, contra o chefe do Departamento de Estrada de Rodagem do município o histórico político no PT e uma candidatura a vereador rejeitada, em 2016, no PEN, por falta de prestação de contas com a Justiça Eleitoral, além da recorrente austeridade verborreica nas redes sociais e em encontros públicos confrontando cidadãos e parte da imprensa que não o reconheciam como presidente municipal da legenda – o que, de fato, não era, desde dezembro. Líderes do PSL estadual passaram a acompanhar atentamente o comportamento dos concorrentes ao comando do partido em Tijucas, a receber informações de ambos, e formaram a balança.

Marcelino se valeu da discrição, do lastro e do conhecimento prático sobre o trâmite político. Enquanto o concorrente se impunha no Facebook, o ex-bombeiro buscava perfis técnicos para a formação de uma comissão capaz de seduzir a cúpula peesselista e formalizava ofícios em papel timbrado, cordiais, rubricados por parlamentares afins, ao comando estadual do partido. Há 16 dias, o presidente do PSL em Santa Catarina rubricou o “visto” no pedido de homologação da legenda em Tijucas para um time que contava com ex-militares, um servidor da Justiça estadual, advogado e contador, além de jovens idealistas e empresários da cidade. O documento era sustentado, ainda, por quatro dos cinco deputados estaduais do PSL mais bem votados em 2018: Ricardo AlbaAna CampagnoloCoronel MocellinSargento Lima. Foi o xeque mate.

Na semana passada, no encontro regional do partido, o então postulante à presidência do PSL tijuquense Gerson Marcelino foi chamado à mesa protocolar e sentou ao lado de Esmeraldino; enquanto Sartori esteve o evento inteiro na plateia e, quando teve a palavra, achincalhou a mídia “mentirosa” e cobrou efusivamente uma posição do comando estadual do partido. E a decisão foi, enfim, tomada.

Teimosia

Postado em 8 de fevereiro de 2019

Em visita à prefeitura de São João Batista, dias atrás, o deputado estadual Ricardo Alba (PSL) – o mais votado para o parlamento catarinense nas eleições de 2018 – recorreu à insistência para que o prefeito Daniel Netto Cândido (PSD) se filiasse ao PSL.

Foram quatro investidas, todas na presença dos representantes da legenda na Capital Catarinense do Calçado, que apenas observaram. O mandatário batistense chegou a ficar constrangido, já que é um dos bastiões do PSD no Vale do Rio Tijucas e mantém relação estreita com a cúpula do partido em Santa Catarina, presidida por Gelson Merisio, a quem acompanhou fielmente na disputa pelo governo estadual, ano passado.

Sem indulto

Postado em 2 de janeiro de 2019

Dias antes do Natal, o deputado federal Rogério “Peninha” Mendonça (MDB-SC), de Nova Trento, voltou a condenar, na tribuna da Câmara, a Lei de Execução Penal, que beneficia milhares de presos com saídas temporárias em datas celebrativas. Ele é autor de um projeto de lei que visa acabar com o privilégio para apenados em todo o país.

Novamente reeleito, o neotrentino, que participa ainda da famosa “Bancada da Bala” – da qual Jair Bolsonaro (PSL) também era integrante, e que pretende revisar o discutido Estatuto do Desarmamento – tem, agora, mais quatro anos para defender a proposta.

Convite aceito

Postado em 2 de janeiro de 2019
Foto: Divulgação

O empresário Alcino Pasqualotto, da Construtora Pasqualotto, de Itapema, foi um dos seletos convidados para a festa da posse do presidente Jair Bolsonaro (PSL), ontem, no Palácio do Planalto, em Brasília.

Na foto, Pasqualotto posa com a mulher, Marina, com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, e com o ministro da Economia, Paulo Guedes. E diz que não conseguiu registrar o encontro com Bolsonaro por conta do rígido esquema de segurança em torno do chefe da Nação.

Adiós

Postado em 20 de novembro de 2018

O fim da participação de profissionais cubanos no Programa Mais Médicos – a partir do governo de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) – já tem reflexos na região. Neste momento, as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de Ribanceira do Sul e Carmelo, em São João Batista, estão sem atendimento.

Uma das médicas foi convocada a retornar imediatamente para Cuba nesta madrugada; e a outra recebeu o mesmo chamado por volta das 11h. O secretário de Saúde do município, Ademir José Rover, orienta os munícipes para que, em caso de necessidade, se dirijam ao Posto de Saúde Central ou ao Hospital Monsenhor José Locks.

Battisti

Postado em 14 de novembro de 2018

Diz a coluna do respeitado jornalista neotrentino Raul Sartori que “algumas centenas de residentes em Nova Trento, de sobrenome Battisti, torcem para que o terrorista italiano Cesare Battisti, com quem possivelmente têm algum parentesco, seja devolvido à Itália, conforme manifestou o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), e lá responda pelos crimes que cometeu – entre eles, quatro assassinatos de pessoas inocentes”.

Vira, virou!

Postado em 23 de outubro de 2018
Foto: Divulgação

As notícias de aproximação entre o PSL e o MDB na disputa do segundo turno da eleição para o governo estadual têm versões locais. O irreverente Carlos Alberto da Silva, popular Calinho da Nita ou Periquito Doido – em referência aos 35 anos de lealdade inabalada ao MDB em todas as esferas – registrou, no sábado (20), o pareamento com o presidente do PSL de Tijucas, Renato Sartori, na carreata em favor de Jair Bolsonaro (PSL) e Carlos Moisés da Silva (PSL) pela região.

Silva acompanhou Mauro Mariani (MDB) no primeiro turno, e agora, com os remanescentes Comandante Moisés e Gelson Merisio (PSD) no páreo, diz que é PSL desde criança.

Prêmio

Postado em 16 de outubro de 2018

Dizem as colunas políticas do Estado que pelo menos um catarinense estará no escalão superior de Jair Bolsonaro (PSL) se o capitão de reserva do Exército for eleito presidente da República. A informação se dissemina a partir da própria executiva estadual do PSL. Seria um “prêmio” pelos barrigas-verdes terem confiado ao presidenciável a maior votação proporcional do primeiro turno entre as 27 unidades federativas do Brasil.

Há um frenesi, no Vale do Rio Tijucas, para que, se eleito, Bolsonaro convide o deputado federal reeleito Rogério “Peninha” Mendonça (MDB-SC) – por quem nutre grande estima –, de Nova Trento, para um ministério.

Em tempo: o neotrentino, aliás, sempre disse que apoiaria o amigo em qualquer circunstância, independente dos desígnios do MDB. E pouco antes do primeiro turno reuniu prefeitos, vereadores e líderes emedebistas da região para um “manifesto de apoio suprapartidário a Bolsonaro”.

Legenda à parte

Postado em 1 de outubro de 2018

Natural de Nova Trento, o deputado federal Rogério “Peninha” Mendonça (MDB) ignorou o correligionário Henrique Meirelles (MDB) – que também concorre à presidência da República nestas eleições – e Geraldo Alckmin (PSDB), o preferido do MDB catarinense, e promoveu, semana passada, em Ibirama, no Alto Vale do Itajaí, uma “aliança suprapartidária em apoio a Jair Bolsonaro (PSL)”, de quem é muito amigo.

Além de 34 prefeitos e vice-prefeitos, 25 presidentes municipais e seis coordenadores regionais do MDB assinaram um documento que formaliza o compromisso com Bolsonaro na região. O presidenciável, que já deixou o hospital e deve retomar a campanha, agradeceu a Peninha, por telefone, pela mobilização.