quarta-feira, 1 de junho de 2022 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Urna e tribunal

Postado em 1 de junho de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A situação do candidato a prefeito David Jordelino da Silva (PRTB) na eleição suplementar de Porto Belo, marcada para domingo (5), continua muito difícil na Justiça Eleitoral. Ontem, a propósito, em nova decisão, os juízes do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Santa Catarina negaram, por unanimidade, provimento ao registro de candidatura. Foram sete votos contrários ao recurso.

Jordelino tenta convencer a Justiça de que teria ingressado no PRTB em 14 de novembro de 2021, mas esbarra na ausência de provas. De acordo com a regulamentação eleitoral, ele precisaria ser filiado a um partido por, no mínimo, 180 dias para ter o direito de se candidatar a cargos eletivos. Da decisão, ainda cabe recurso ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

FAKE

Embora as condições sejam especialmente desfavoráveis nos tribunais, Sargento David trata, em entrevistas e no contato com eleitores, de fake news as informações sobre dificuldades na homologação da candidatura a prefeito de Porto Belo.

INTIMAÇÃO

O juiz José Adilson Bittencourt Junior, da 31ª Zona Eleitoral, intimou, em caráter de urgência, a direção do PRTB a se manifestar sobre a alegação de Jordelino, de que teria sido prejudicado por erro da regência partidária no lançamento do registro de filiação no sistema Filia.

Os autos, entretanto, informam que o policial militar de reserva teria, ainda antes do PRTB, se filiado a outras duas agremiações partidárias no ano passado.

Registro negado

Postado em 18 de maio de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Tão previsível quanto o amanhã, o pedido de candidatura do policial militar de reserva David Jordelino da Silva (PRTB) à prefeitura de Porto Belo na eleição suplementar foi impugnado. Conforme prenunciado no Blog sob o título “Campanha paralela“, ele não tinha tempo suficiente de filiação ao partido em que pretendia disputar o pleito, conforme requisição da Justiça Eleitoral. De acordo com a regulamentação das eleições no Brasil, são necessários, pelo menos, 180 dias na mesma legenda antes de qualquer postulação a cargo eletivo.

Surpreende, porém, que Jordelino continue em plena campanha, como se fosse, de fato e de direito, candidato no pleito extraordinário da Capital Catarinense dos Transatlânticos. No domingo (15), promoveu um adesivaço e decalcou veículos de apoiadores; e ontem seguiu em caminhada pública pela cidade, gravando depoimentos de eleitores e divulgando em redes sociais.

Nos tribunais, o militar de reserva quer ter a filiação ao PRTB reconhecida em data retroativa. Segundo consta em auto encaminhado à Justiça Eleitoral, ele garante que foi integrado ao partido em 14 de novembro de 2021. O juiz eleitoral José Adilson Bittencourt Junior, no entanto, negou o pedido e alegou que não existem documentos comprobatórios que sustentem essa versão.

Campanha paralela

Postado em 6 de maio de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O policial militar de reserva David Jordelino não se deu por vencido. Diante da dissolução do PTB, partido em que era filiado, e da negativa da executiva estadual da legenda sobre avalizar uma candidatura a prefeito na eleição suplementar de Porto Belo, ele decidiu buscar alternativas. Encontrou o PRTB, filiou-se, anunciou um pré-candidato a vice-prefeito: o corretor imobiliário Clóvis Louis Areco, e segue em plena campanha, inclusive com visitas frequentes a eleitores portobelenses.

Entretanto, com base na legislação eleitoral, a postulação de Sargendo David não teria viabilidade legal. De acordo com consultoria jurídica do Blog, ele não conseguiria manter a candidatura por não ter filiação hábil — de, pelo menos, 180 dias — ao PRTB, condição exigida pela Justiça Eleitoral em qualquer pleito. Dizem os peritos, inclusive, que o Ministério Público poderia impugnar o registro a qualquer momento.

A propósito: o PRTB, atual partido de Jordelino, sequer tem um diretório ou mesmo uma comissão provisória no município.

Decisões tomadas

Postado em 30 de março de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Dia de definições para a deputada estadual e pré-candidata à reeleição Ana Paula da Silva, de Bombinhas, e para o ex-prefeito de São João Batista e atual secretário adjunto de Estado do Desenvolvimento Social, Daniel Netto Cândido, também postulante à Assembleia Legislativa nestas eleições. Eles devem oficializar hoje o ingresso no PODEMOS, partido da base do governador Carlos Moisés da Silva (REPUBLICANOS).

Paulinha, inclusive, já fala como integrante do PODEMOS e deve ter o prefeito de Bombinhas, Paulo Henrique Dalago Müller (atualmente no UB), como companheiro de legenda. A construção foi conjunta, entre eles e figuras proeminentes do partido, como os prefeitos de Balneário Camboriú, Fabricio Oliveira, e de Blumenau, Mário Hildebrandt.

Cândido, no entanto, como de costume, tem sido mais cauteloso. “Mas essa (de migração para o PODEMOS) é a maior possibilidade”, pontua a assessoria de Comunicação do batistense. Os últimos detalhes serão finalizados nas próximas horas, e o anúncio da filiação deve ser feito ainda hoje.

Pai da criança

Postado em 23 de março de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

Se tem alguém que pode se vangloriar de ter sido decisivo na filiação do senador Dário Berger ao PSB, oficializada hoje em Brasília, é o ex-prefeito de Governador Celso Ramos, Juliano Duarte Campos. Vice-presidente do partido em Santa Catarina, o gancheiro atuou fortemente nos bastidores para convencer o ex-emedebista a aceitar a oferta e, ainda, para articular a recepção, já como pré-candidato ao governo do Estado, no seio da legenda.

A relação entre Campos e os Bergers é antiga. Ele, inclusive, comandou pastas importantes nas gestões de Djalma Berger em São José, e, costumeiramente, mesmo que em partido ou projeto distinto, faz questão de enaltecer publicamente os feitos dos irmãos. Hoje, a propósito, era um dos presentes no ato de filiação do senador — ao lado de outras figuras importantes da política nacional, como, por exemplo, os ex-governadores de São Paulo, Geraldo AlckminMárcio França.

Coluna do Blog | 21 de março, 2022

Postado em 21 de março de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

.

SEM SURPRESAS

Nada que não se pudesse prever. Da região, os prefeitos de Bombinhas, Canelinha e Major Gercino, Paulo Henrique Dalago MüllerDiogo Francisco Alves MacielValmor Pedro Kammers respectivamente, mais o adjunto canelinhense Antonio Carlos Machado Junior, seguiram o governador Carlos Moisés da Silva na migração para o Republicanos. Foram todos filiados no sábado (19), em São José.

O movimento apenas reforça o que já vinham pregando: que estarão com Moisés de corpo e alma na campanha de reeleição do governador.

ARQUIBANCADA

Mas, ainda que o jogo fosse de cartas marcadas, as críticas dos torcedores foram inevitáveis. Nas redes sociais, desde que as filiações foram oficializadas, uma leva de bolsonaristas inveterados — que são descritos intimamente como petistas de direita — vêm considerando que andar na companhia do governador Carlos Moisés da Silva seria o mesmo que trair o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PL), dado o propalado distanciamento, político e institucional, entre o mandatário catarinense e o chefe da Nação.

Muita gente não consegue avaliar os desempenhos com distinção, sem ter que colocar Moisés e Bolsonaro na mesma frase.

POR UM TRIZ

Situação mais confortável, certamente, é a dos canelinhenses Diogo Francisco Alves Maciel e Antonio Carlos Machado Junior. Continuam na terceira via local, independentes, filiados a um partido que já compunha a base governista e aliados de um projeto estadual.

Seria uma tragédia se tivessem que acompanhar Carlos Moisés da Silva no PP, que o governador namorou, ou no MDB, com quem esteve na beira do altar; e teriam que se (re)assumir “colas-brancas” ou “colas-pretas” na Cidade das Cerâmicas. Pior: um deles cairia, ainda, nas trincheiras adversárias.

CAMINHO NATURAL

Embora a deputada estadual Ana Paula da Silva (sem partido, desde que deixou o PDT) estivesse no evento de filiações dos prefeitos e vice-prefeitos ao Republicanos, o rumo dela ainda não foi oficialmente definido. Mas a assinatura da ficha deve ser questão de tempo, já que o companheiro Paulo Henrique Dalago Müller, prefeito de Bombinhas, ingressou no partido pela ponte que ela, inicialmente, construiu até Carlos Moisés da Silva.

EM STAND-BY

Outro que pode — ou deve — reforçar o Republicanos na região é o ex-prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido (ex-PSD e PSL), atual secretário adjunto de Estado do Desenvolvimento Social e do rol de confiança do governador. Mas, como habitualmente tem feito desde que administrava a Capital Catarinense do Calçado, ele tem se mantido discreto, diligente e longe de polêmicas desnecessárias e de momento.

LÁGRIMA

Morreu hoje o ex-vice-prefeito Francisco Antero Dias, de Canelinha, que, com Moacir Montibeler, governou o município entre 1989 e 1992. A prefeitura emitiu nota de pesar e enalteceu o legado que Chiquinho, como era popularmente chamado, deixa para a cidade.

Longe de casa

Postado em 11 de janeiro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ex-vice-prefeito Adalto Gomes, que concorreu à prefeitura de Tijucas filiado ao PL em 2020, agora, vota em Florianópolis. Ele precisou mudar o domicílio eleitoral para reingressar no PT, uma vez que a regência tijuquense do partido não admitiu o retorno do policial rodoviário federal aposentado às fileiras petistas.

Gomes, a propósito, revelou, em entrevista ao programa LINHA DE FRENTE, na VipSocial TV, no fim de 2021, que apenas “usou” o PL para disputar o pleito de 2020, mas que, se fosse eleito, teria deixado a legenda na primeira oportunidade. Ainda mais com a recente chegada do presidente Jair Bolsonaro, de quem diverge em absoluto, aos quadros do partido. Assista:

Talk show com personalidades da política que tenham relação direta ou indireta com o Vale do Rio Tijucas e a Costa Esmeralda, o LINHA DE FRENTE vai ao ar semanalmente, todas as quintas-feiras, às 19h30, na VipSocial TV e com transmissões simultâneas nas redes FacebookYouTube e Instagram.

Missão de retorno

Postado em 30 de novembro de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A propósito da nota “Cabo de guerra“, de hoje no Blog, o ex-vice-prefeito Adalto Gomes informa que já se filiou novamente ao PT, que ele considera uma agremiação nacional e que independe de protocolos locais. O policial rodoviário federal aposentado diz, ainda, que apenas cumpre um chamado do presidente estadual da legenda, ex-deputado federal Décio Lima, que deve concorrer ao governo, e da ex-senadora e ex-ministra Ideli Salvatti para reorganizar o partido regionalmente e apoiar o movimento eleitoral em prol do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Vale do Rio Tijucas e adjacências.

Gomes, que continua ativo no processo político e social de Tijucas — sobretudo com a reintegração ao Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Tijucas, entidade que já presidiu e que espera revitalizar —, garante que tem única e exclusiva intenção de contribuir com o fortalecimento do PT na região, e, de forma especial, com as campanhas da ex-deputada estadual Ana Paula Lima (PT), de Décio Lima e de Lula nas próximas eleições gerais.

Cabo de guerra

Postado em 30 de novembro de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ex-vice-prefeito Adalto Gomes, de Tijucas, quer regressar ao PT de qualquer maneira. Para tanto, e diante da negativa unânime e definitiva da regência municipal, ele vem recorrendo à executiva do partido em Santa Catarina — especialmente ao presidente estadual da legenda, ex-deputado federal Décio Lima, com quem mantém relação histórica e inabalada — para ter novamente portas abertas.

Lima, que advoga em favor do ex-adjunto tijuquense, tentou convencer o presidente do PT na Capital do Vale, artista plástico Leandro Serpa, de que a admissão de Gomes deveria ser chancelada no diretório municipal; e informou que uma reunião, imbuída de ato solene para filiação do policial rodoviário federal aposentado, estava agendada para os próximos dias. Mas o comando local do partido segue irredutível, considera a postura do presidente estadual desrespeitosa e arbitrária, e ameaça levar a questão à executiva nacional.

No fim de 2019, o ex-vice-prefeito deixou as fileiras petistas, onde militou por quatro décadas, para ingressar no PL e concorrer à prefeitura nas eleições passadas. Mas certamente não imaginou que o retorno às origens seria tão tortuoso.

Tapete vermelho

Postado em 8 de novembro de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Natural de Major Gercino, o deputado estadual licenciado Altair Silva (PP) — que responde, desde janeiro, pela Secretaria de Estado da Agricultura, Pesca e Desenvolvimento Rural — tenta convencer o governador Carlos Moisés da Silva (sem partido), com quem criou laços muito fortes, a se filiar ao PP.

Silva tem, a propósito, importante ajuda nessa força-tarefa: a do deputado estadual José Milton Scheffer (PP), líder do governo na Assembleia Legislativa, que diz, quando e onde pode, que adoraria ter Moisés como correligionário.