sábado, 24 de outubro de 2020 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Sem efeito

Postado em 21 de outubro de 2020

O pedido de impugnação da candidatura de Neusa Ramos Régis (PDT) a vereadora, protocolado pela coligação “O Povo de Novo”, foi negado. De acordo com os impugnantes, ela teria realizado propaganda eleitoral antecipada — quando, supostamente, expôs o número de urna em uma rede social no período pré-campanha —; mas a acusação, porém, foi desconstruída.

Na sentença, o Ministério Público Eleitoral decidiu pelo indeferimento da impugnação por insuficiências de provas. Os advogados de defesa alegaram que Neusa não cometeu qualquer crime eleitoral e que a imagem apresentada pelos impugnantes, de um print de tela com a publicação da candidata no Facebook, teria sido montada. Ela, portanto, continua candidata.

Três em uma

Postado em 7 de outubro de 2020

Por descuido, desinformação ou inocência, a candidata a vereadora Neusa Ramos Regis (PDT) teve o registro cassado. Ela, enquanto pré-candidata, apresentou o número de urna no Facebook — o que configura propaganda eleitoral antecipada — e deu munição à coligação “O Povo de Novo”, que tem a advogada, vereadora e candidata a prefeita Fernanda Melo (MDB) como representante legal, e que ingressou na Justiça Eleitoral com o pedido de impugnação.

Estima-se que a cassação da candidatura de uma mulher simples, de 67 anos e estreante na vida pública, em princípio, não fosse o objetivo; mas a consequente exclusão, por diminuição do percentual feminino, de outros dois candidatos homens na chapa proporcional do PDT.

Na mesma rede, ao lado do candidato a prefeito Thiago Peixoto dos Anjos (PDT), Neusa lamentou o ocorrido, falou de tristeza e considerou “uma maldade” ter sido tolhida da disputa. O postulante pedetista à prefeitura garantiu que seus advogados farão o possível para reverter a causa.

Impugnação (2)

Postado em 31 de outubro de 2017

Três vereadores de Tijucas, todos do PMDB, estiveram ontem com o deputado federal Mauro Mariani, presidente estadual do partido. Foram tomar orientações acerca da proposta de anulação da convenção municipal, noticiada no Blog sob o título “Impugnação“. Dizem, a propósito, que saíram do encontro satisfeitos com o que ouviram.

Embora mantenha relação muito próxima com o ex-prefeito Elmis Mannrich (PMDB), que conduziu as negociações em torno da convenção, Mariani teria expressado aos parlamentares que “o partido deve ser de todos, e não apenas de um” e estimulado a busca pela anulação do processo que chancelou o vereador Fernando Fagundes na presidência do diretório municipal e empossou o corpo dirigente da agremiação.

“Já temos 25 assinaturas entre membros do diretório e suplentes. Precisamos de outras cinco. Se conseguirmos impugnar a convenção, vamos indicar um candidato à presidência”, revela um dos participantes da audiência com o presidente estadual. Outra fonte, inclusive, garante que o vereador Elói Pedro Geraldo (PMDB) postularia a presidência do diretório, designado pelo grupo, caso o processo fosse refeito.

Impugnação

Postado em 27 de outubro de 2017

Tolhida do posto de secretária geral do PMDB de Tijucas, a chefe de gabinete da presidência da Câmara Municipal, Elenita Mara Alexandre, vem recrutando membros do diretório municipal, suplentes e integrantes da comissão de ética do partido na tentativa de impugnar a convenção municipal, ocorrida sábado (21). Existem indícios de que a vereadora Fernanda Melo (PMDB) seja a mentora e orientadora da manobra.

Os contrários aos resultados do processo acreditam que com 20 assinaturas consigam a impugnação. Eles alegam que o ex-prefeito Elmis Mannrich, que conduziu as negociações para eleger o vereador Fernando Fagundes (PMDB) na presidência do diretório municipal, desrespeitou um acordo prévio e impôs membros e dirigentes a bel prazer.

Vitória contestada

Postado em 23 de junho de 2016

Embora legitimado na reunião de terça-feira (21), Adalto Gomes (PT) ainda não é, de fato, o candidato a prefeito da coalizão L.I.M.P.E. – que congrega PSDB, PT, PPS, PRB, PEN e REDE em Tijucas. Uma ação interna pela impugnação do resultado da assembleia está em curso.

Tanto o PSDB quanto o PPS já retiraram o apoio à candidatura do petista. Ambos os partidos alegam que Gomes teria cooptado votos entre membros do grupo com ofertas de cargos numa possível administração municipal, a partir de 2017; o que, em princípio, fere as diretrizes do movimento, que prega a ética e a transparência.