terça-feira, 16 de julho de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Gangorra

Postado em 9 de julho de 2019

O jogo está virando. O livramento do ex-prefeito Valério Tomazi (MDB) das censuras do Tribunal de Contas e sanções da Justiça Eleitoral, que parecia ajustado na Câmara Municipal, já não é mais tão certo. O abarcamento do também ex-prefeito Elmis Mannrich (MDB) nas articulações provocou fissuras; e o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD), embora nutra estima e gratidão ao antecessor, lavou as mãos e liberou os vereadores governistas para decidir como quiserem.

Neste momento, Tomazi está na corda bamba. O presidente Vilson Natálio Silvino (PP), mais os colegas Ecio Helio de Melo (PP) e Rudnei de Amorim (DEM) passaram a fazer coro com Juarez Soares (CIDA) pelo “voto técnico” – que acompanha a recomendação do TCE, pela rejeição das contas de 2016 do Executivo municipal. É o limite para o ex-prefeito. Se perder outro vereador, a vaca vai para o brejo.

IMPASSE

Nas entranhas do MDB, a vereadora Fernanda Melo Bayer não esconde a insatisfação de ter que absolver Tomazi. Por si, diz aos mais próximos, ela daria o quinto – e letífero – voto pela rejeição; para ser justa com o que acredita e para contrariar a colega Elizabete Mianes da Silva (PSD), que enreda o perdão ao ex-prefeito nas coxias do Legislativo.

O partido, inclusive, estaria propondo que a vereadora pedisse afastamento temporário do cargo, para que o suplente imediato Oscar Luiz Lopes – ou o próximo, Lauri Cardoso – assumisse o posto e votasse favoravelmente ao ex-mandatário tijuquense.

Sem retrovisor

Postado em 5 de julho de 2019

Alguns surpresos e outros indignados. Assim estão os emedebistas com a notícia, ora interna, nas searas do partido, de que o ex-prefeito Elmis Mannrich (MDB) estaria articulando, entre vereadores oposicionistas, o livramento do sucessor Valério Tomazi (MDB) das garras do Tribunal de Contas e das sanções da Justiça Eleitoral.

Questionado por confrades periquitos, Mannrich tem dito apenas – parafraseando o padrinho e finado ex-governador Luiz Henrique da Silveira – que “não se pode fazer política olhando no retrovisor”.

Em tempo: desde a pré-convenção do MDB tijuquense em abril de 2016, quando duelaram internamente pelo direito de representar o partido nas eleições municipais daquele ano, Tomazi e Mannrich não se falam, sequer se cumprimentam. Os emedebistas locais atribuem ao ex-prefeito engenheiro, inclusive, a derrota no último pleito majoritário, em que ele, supostamente, teria apoiado a campanha de Elói Mariano Rocha (PSD) contra o correligionário.

Oficialização do PSL

Postado em 16 de janeiro de 2019

Assessor parlamentar do Corpo de Bombeiros Militar na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina), o psicólogo e ex-vereador Gerson Henrique Marcelino, de Tijucas, continua arquitetando, nos bastidores, sem alarde, a oficialização do PSL em Tijucas. Tem ligação estreita com o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) – que é comandante de reserva do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina e a quem acompanhou pelo Estado durante a campanha de 2018 –, conta com respaldo na regência estadual do partido e vem conversando com lideranças da Capital do Vale para a formação do diretório municipal.

De acordo com os registros do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), o PSL não tem representação em Tijucas. A comissão provisória que regia o partido no município não foi homologada e deixou de constar no sistema da Justiça Eleitoral.

A lista

Postado em 23 de julho de 2018

Aquela receada – e invariavelmente recheada – lista que o TC (Tribunal de Contas) da União envia à Justiça Eleitoral com os nomes dos “inelegíveis” vem sendo prometida para o início de agosto. Estima-se que venha com mais de 5 mil indicações, e com dezenas de catarinenses entre elas. São agentes políticos que no exercício da função pública enfrentaram contratempos pelo mau uso do erário.

Um caso recente incomodou, e seguramente atrapalhou, o ex-prefeito Elmis Mannrich (MDB), de Tijucas, em 2014, na disputa por uma cadeira no parlamento estadual. Naquele pleito, o líder periquito concorreu sub judice e somente teve os votos confirmados e computados dias depois da eleição. Seus adversários, naquela ocasião, usaram e abusaram desse artifício para desqualificar a campanha do emedebista.

Precaução

Postado em 18 de julho de 2018

O vereador Heriberto Eurides de Souza (PPS), de São João Batista, que debutou na política em 2016, parece mesmo decidido pela candidatura, nestas eleições, a uma cadeira na Assembleia Legislativa.

Betinho Souza, como é conhecido popularmente na Capital Catarinense do Calçado, vem evitando aparições em cerimoniais públicos – como o de anteontem, da entrega dos termos de posse aos novos servidores concursados do município – para não comprometer a campanha. Até então, o parlamentar sempre esteve entre os mais assíduos nesses eventos. Mas ele sabe que a Justiça Eleitoral seria implacável com o que puder considerar propaganda eleitoral antecipada.

Diplomação

Postado em 14 de dezembro de 2016

Todos os eleitos em Tijucas, em 2 de outubro, serão diplomados pela Justiça Eleitoral amanhã, às 10h, no anfiteatro Leda Regina de Souza.

Há, ainda, a expectativa de que os nomes dos secretários municipais sejam oficialmente anunciados pelo próximo mandatário da Capital do Vale, professor Elói Mariano Rocha (PSD), depois da diplomação.

Palanque público

Postado em 29 de setembro de 2016
Foto: Divulgação

A coligação “Mudança e Trabalho”, capitaneada pelo ex-prefeito Moacir Montibeller (PMDB) que concorre novamente no pleito majoritário de Canelinha , acionou a Justiça Eleitoral contra os candidatos adversários, Eloir João Reis (PSDB) e Francisco Honorato Cardoso Filho (PSD).

Com fotos, vídeos e testemunhos anexos, o processo pede a cassação das candidaturas de Lico e Chico, representantes da situação na corrida pela prefeitura da Cidade das Cerâmicas, porque a dupla teria participado, usando cores e adereços da campanha, da solenidade de inauguração de uma obra pública na cidade, sábado (24).

Sub judice

Postado em 19 de setembro de 2016

Daquelas cinco candidaturas a vereadores por Tijucas que aguardam deferimento pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral), apenas Osni Orlando Lucinda (PPS) recebeu, por enquanto, parecer favorável; mas o MPE (Ministério Público Eleitoral) recorreu e a matéria voltou à pauta da Justiça Eleitoral.

Hoje à tarde estão sendo julgados os registros de Edenilson Amaro Devitte (PPS), Mileide Mariani Lopes (PPS) e Renato Sartori (PEN). As decisões devem ser publicadas no fim do dia.

Nariz de palhaço

Postado em 15 de setembro de 2016

Suplente de vereador e novamente pré-candidato à Câmara Municipal, Edenilson Devitte (PPS) atribui culpa pelos problemas com a Justiça Eleitoral e constrangimentos pelos quais vem passando à atuação “desastrosa” do presidente do partido, professor Francisco Laus, que “enquanto publicava fotos em redes sociais, usando nariz de palhaço para ridicularizar alguns vereadores, deveria estar cumprindo os deveres de líder do PPS e cuidando das filiações dos pré-candidatos junto ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral)”.

Devitte é um dos pré-candidatos a vereadores em Tijucas que enfrentam problemas no registro partidário, e ainda depende da homologação da candidatura. A defesa, apresentada pelo advogado da coligação que representa, Francisco Luciano de Vasconcelos Junior, deve ser julgada nos próximos momentos.

Novela

Postado em 13 de setembro de 2016

Daqueles cinco processos referentes aos registros de candidaturas a vereadores pelas coligações “Tijucas Unida Para Mudar” e “Tijucas: Para Crescer é Preciso Mudar”, dois estão prontos para julgamento pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) – ainda sem data prevista para as decisões – e três aguardam juntada de documentos para serem julgados na sequência.

Os pré-candidatos que têm documentação pendente na Justiça Eleitoral são Edenilson Amaro Devitte (PPS), Mileide Mariani Lopes (PPS) e Renato Sartori (PEN). Os outros dois, David José dos Santos (PPS) e Osni Orlando Lucinda (PPS), apenas aguardam decisão sobre o deferimento das candidaturas.