sábado, 24 de outubro de 2020 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Três em uma

Postado em 7 de outubro de 2020

Por descuido, desinformação ou inocência, a candidata a vereadora Neusa Ramos Regis (PDT) teve o registro cassado. Ela, enquanto pré-candidata, apresentou o número de urna no Facebook — o que configura propaganda eleitoral antecipada — e deu munição à coligação “O Povo de Novo”, que tem a advogada, vereadora e candidata a prefeita Fernanda Melo (MDB) como representante legal, e que ingressou na Justiça Eleitoral com o pedido de impugnação.

Estima-se que a cassação da candidatura de uma mulher simples, de 67 anos e estreante na vida pública, em princípio, não fosse o objetivo; mas a consequente exclusão, por diminuição do percentual feminino, de outros dois candidatos homens na chapa proporcional do PDT.

Na mesma rede, ao lado do candidato a prefeito Thiago Peixoto dos Anjos (PDT), Neusa lamentou o ocorrido, falou de tristeza e considerou “uma maldade” ter sido tolhida da disputa. O postulante pedetista à prefeitura garantiu que seus advogados farão o possível para reverter a causa.

Prato frio

Postado em 1 de novembro de 2017

Considerado algoz do PMDB nas eleições de 2016, o ex-prefeito Valério Tomazi (PMDB) – que teria, veladamente, prestado apoio à campanha de Elói Mariano Rocha (PSD) no pleito majoritário do ano passado – começa a colher os frutos do plantio. Não integra, nem entre os suplentes, a nova composição do diretório municipal do partido. Mas continua filiado à legenda.

O engenheiro é, inclusive, o único ex-prefeito periquito, ainda vivo, que não participa do diretório. Os outros – Elmis Mannrich, Nilton “Gordo” Fagundes e Lauro Vieira de Brito – continuam ativos, titulares, e em posições de destaque.

POR TABELA

A propósito: alguns periquitos históricos, mais próximos de Tomazi e compreensivos às suas razões, também perderam espaço na nova formação. Membros titulares do diretório em épocas passadas, eles foram rebaixados a suplentes ou simplesmente excluídos do grêmio.

Cartão vermelho

Postado em 20 de julho de 2017

Com eleições internas previstas para outubro, o PMDB de Tijucas tem, por ora, um assunto particular de relativa urgência. Alguns caciques do partido cobram insistentemente que a cúpula se posicione no caso da possível exclusão ou expulsão, para melhor compreensão do ex-prefeito Valério Tomazi (PMDB) das fileiras periquitas. Os desconfortos causados pela fatídica pré-convenção de abril de 2016, a consequente exoneração em massa de servidores públicos do município que optaram por Elmis Mannrich (PMDB) naquele confronto, e as recomendações de voto em Elói Mariano Rocha (PSD) no pleito majoritário, são feridas que ainda não cicatrizaram.

Diante dos fatos, o blog ouviu um dirigente do PMDB municipal, que confirmou a pressão. “Os partidários cobram bastante. Estão magoados. Principalmente aqueles afetados diretamente. O que ele (Tomazi) fez, realmente, foi grave. Estamos com esse processo na comissão de ética do partido. Vamos ver o que é adequado fazer”, disse.

Três por um

Postado em 18 de abril de 2017

Para os servidores do Poder Legislativo de Tijucas que ingressaram na Casa do Povo pelas mãos do PMDB, a polêmica – e supostamente possível – exclusão,  por “quebra de decoro parlamentar”, dos quatro vereadores reeleitos e investigados na Operação Iceberg, é crucial.

Eles calculam que o caso  – noticiado pelo blog sob o título “Julgamento antecipado” – desencadearia a retomada da maioria no parlamento tijuquense, a procedente continuidade na mesa diretora e, consequentemente, a manutenção dos cargos ocupados pela legenda na Câmara Municipal. Se confirmada na prática, a votação interna que poderia culminar com o afastamento dos vereadores Elizabete Mianes da Silva (PSD), Fernando Fagundes (PMDB), Jean Carlos de Sieno dos Santos (PSC) e José Leal da Silva Júnior (PSD) tiraria três adversários do caminho do PMDB em detrimento de um periquito.

Escanteio

Postado em 4 de julho de 2016

Enfim, o PT não é mais integrante da coalizão L.I.M.P.E. A coordenação do movimento publicou manifesto oficial acerca da exclusão do partido e, sobretudo, da retirada do apoio à candidatura do ex-vereador Adalto Gomes (PT) à prefeitura de Tijucas nestas eleições.

Nas suas considerações, o L.I.M.P.E. informou que Gomes teria ferido as diretrizes da coligação ao cooptar apoios internos com promessas de cargos num possível governo municipal; e reiterou que rechaça qualquer espécie de barganha para composições políticas. Hoje, portanto, o movimento resume-se, de fato, à integração entre PSDB, PPS e REDE.