terça-feira, 26 de janeiro de 2021 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Comando dividido

Postado em 11 de janeiro de 2021

O secretário de Obras, Transportes e Serviços Públicos do município, nesta nova gestão, é o presidente do PP tijuquense e ex-vereador Vilson Natálio Silvino. Mas o antecessor, Maycom Wollinger de Melo, com larga experiência em execução de estruturas, fechamentos e acabamentos de obras, continua muito prestigiado no departamento. Quem acompanha o dia a dia da administração municipal, diz que a pasta, agora, tem comando dividido entre um político e um técnico.

A propósito: o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) não se furtou em revelar, no anúncio do secretariado, na segunda quinzena de dezembro, que a nomeação de Silvino na gestão da infraestrutura municipal contempla um acordo partidário entre o PSD e o PP, aliados na composição majoritária para as eleições de 2020.

Presidente definido

Postado em 15 de dezembro de 2020

A presidência da Câmara Municipal de Tijucas já foi previamente definida. Com maioria absoluta na Casa, os situacionistas indicarão o comando da mesa. Entre os cotados, estavam o reeleito Rudnei de Amorim (PSD) e o estreante Maickon Campos Sgrott (PP); e corria por fora, ainda, outra debutante: Nadir Olindina Amorim de Limas (PSD). No acordo, o irmão do secretário de Administração e Finanças do município Rosenildo de Amorim foi o preferido — por mérito, por necessidade da cúpula governista e por experiência.

Rudnei, aliás, deveria presidir o Legislativo tijuquense neste ano. Mas alegou dificuldades na conciliação da presidência da Câmara com a demanda de serviços na empresa que administra e cedeu o posto, mais uma vez, para Vilson Natálio Silvino (PP). Agora, ele precisa aceitar. É quase uma convocação.

União, decepção e convenção

Postado em 14 de setembro de 2020

Empresários e marketeiros políticos, inclusive de Tijucas e São João Batista, tentaram unir as oposições em Canelinha. Muitos foram os mentores da fusão entre o PSL, o PP e o PSD, e que articularam o lançamento da chapa com o advogado Diogo Francisco Alves Maciel (PSL) e o vereador Abel Grimm (PSD) para o pleito majoritário da Cidade das Cerâmicas. O acordo foi proposto na noite de sexta-feira (12), e o ex-prefeito Antônio da Silva (PP), aceitando a convergência, já havia anunciado desistência da corrida ao paço e pré-candidatura à Câmara Municipal.

A notícia, publicada em seguida no site da Rádio Clube, porém, provocou uma enxurrada de manifestações contrárias nas redes sociais. Então pré-candidato a vice de Alves Maciel, o vereador Antonio Carlos Machado Junior (PSL), quando tomou conhecimento da manobra, falou, por mensagem de áudio para correligionários, em “surpresa e tristeza”. No sábado (13) ao meio-dia, no entanto, e diante das críticas, o acordo foi desfeito e os peesselistas confirmaram a chapa pura.

DECEPÇÃO

Desapontado com o desfecho das negociações, o vereador Abel Grimm (PSD) informou a apoiadores que decidiu abandonar as eleições e repensar a carreira pública. “Vou dar um tempo nestes quatro anos. Não sou objeto. Tenho a minha história. Não consideraram minha representação, meu trabalho”, desabafou em mensagem para uma eleitora.

Grimm garantiu que tudo havia ficado definido na sexta-feira (12) à noite, e que esperava ao menos um telefonema de Diogo Maciel para justificar a desistência do acordo. Na gravação, ele conta que apenas soube da quebra do tratado quando recebeu o vídeo em que os pré-candidatos do PSL para o pleito majoritário anunciam a manutenção da chapa. “Para mim estava tudo certo. Era negócio de homem”, lamentou.

POEIRA SACUDIDA

O ex-prefeito Antônio da Silva (PP), no entanto, com o fim das conversas com o PSL e a crise existencial de Grimm, agiu rápido, retomou a pré-candidatura ao cargo máximo do município e definiu, em convenção, à noite, o também vereador Altamiro Adames (PSD) como companheiro de chapa. “As pesquisas dizem que 42% dos eleitores de Canelinha continuam indecisos. Vamos vencer as eleições”, diz, otimista.

Junta e ajunta

Postado em 11 de setembro de 2020

As conversas entre o MDB e o vice-prefeito Adalto Gomes (PL) para uma possível composição no pleito majoritário de Tijucas seguem à toda. Com o desmonte da dupla Fernanda Melo (MDB) e Gislaine Devitte (CIDADANIA), que parecia definida, o nome do adjunto tijuquense voltou à pauta do Manda Brasa com mais força.

Há, porém, uma condição para que o PL tope a conjuntura: os emedebistas precisam apresentar outro nome para a chapa. Gomes, que já formou com o advogado Fernando Rodrigues (PL) para a corrida ao paço e poderia rumar para o projeto periquito, não acredita na viabilidade da candidatura da presidente municipal do MDB e prefere posar nos santinhos com alguém de maior apelo eleitoral. O ex-prefeito Valério Tomazi (MDB), por exemplo, teria essa preferência.

ALINHADOS

A propósito: Gomes e Tomazi têm conversado com frequência e dito, um ao outro, que se as bases concordarem, entram juntos na disputa pela prefeitura.

Volta ao começo

Postado em 8 de setembro de 2020

As representações municipais do MDB e do Cidadania se reuniram ontem à noite para discutir — e definir — a formação entre a vereadora Fernanda Melo Bayer (MDB) e a empresária Gislaine Serpa Devitte (CIDA) na disputa majoritária de Tijucas. Os emedebistas estavam divididos quanto à viabilidade da chapa; e a direção do Cidadania, por sua vez, preferia lançar a corretora imobiliária na concorrência proporcional. E uniram, portanto, o útil ao agradável. A dupla foi desfeita, em comum acordo.

Hoje pela manhã, porém, mensageiros do MDB estiveram com o vice-prefeito Adalto Gomes (PL) para tratar de uma possível composição. O adjunto tijuquense, que acaba de anunciar a constituição de uma chapa com o advogado Fernando Rodrigues (PL), teria declinado e informado que pretende, nestas eleições, decididamente, candidatar-se a prefeito.

Fumaça branca

Postado em 2 de setembro de 2020

O tempo de espera terminou. Entre especulações, articulações, voltas e reviravoltas, o companheiro de chapa do prefeito e pré-candidato à reeleição Eloi Mariano Rocha (PSD), enfim, foi definido. O engenheiro Sérgio Fernandes Cardoso (PSD), ex-diretor de Administração e Finanças do Sebrae/SC, rendeu-se ao chamado do grupo — e, especialmente, do mandatário tijuquense, que fazia questão do acordo — e aceitou o desafio. A decisão foi tomada anteontem, depois de consultas sequentes e quase diárias ao domo do partido, a tutores pessoais e familiares.

Coisa Querida sequer considerava a candidatura nestas eleições. Tinha planos de viajar a Portugal e cursar especializações em consultoria empresarial; mas a pandemia adiou o intercâmbio, provocou expectativas e, nos últimos dias, se transformou no trending topic da coalizão governista. Ou ele, ou PP, PSB e até setores do PSD digladiariam na base para indicar o candidato a vice-prefeito.

A quem pergunta, Cardoso é pontual: “Não era minha ideia. Mas foi preciso”. Ele queria, agora aposentado, passar mais tempo em casa, curtir os netos, viajar em família… Outro projeto adiado. A partir da segunda quinzena deste mês, o cidadão do mundo — ou “cosmopolitano”, assim chamado por Leopoldo Barentin numa das reportagens do Jornal Razão — estará nos santinhos de campanha à direita de Mariano Rocha. “Por gratidão a Tijucas”, garante.

Estreia conjunta

Postado em 14 de agosto de 2020

Martelo batido entre PDT e PSL em Tijucas. As agremiações se alinharam e devem formar, oficialmente, uma das chapas para a concorrência majoritária do município. Postulante brizolista à prefeitura, o empresário Thiago Peixoto dos Anjos conduziu as negociações e deve estampar os santinhos de campanha com o advogado e contabilista Paulo Roberto Severiano, vice-presidente do partido do governador na Capital do Vale.

Antes do acordo, porém, os pedetistas estiveram em Florianópolis para discutir a aliança com a cúpula estadual do PSL. E receberam a garantia de que, caso decidido, acertado e definido nas regências locais, teriam apoio irrestrito — independente da relação cordial entre o governo de Carlos Moisés da Silva (PSL) e a administração municipal.

Casaca virada

Postado em 13 de maio de 2020

Surpresa ou não, o presidente da Câmara Municipal de Canelinha, Arlindo de Simas — que somava 30 anos de oposição declarada ao MDB na Cidade das Cerâmicas —, pulou as trincheiras, quebrou o retrovisor e se juntou aos ex-adversários. Desde a janela de transferências partidárias, no mês passado, ele é emedebista.

A aproximação entre Simas e o staff político do prefeito Moacir Montibeler ficou evidenciada na eleição da presidência do Legislativo, no fim de 2018. Naquela feita, o então vereador do PL, que mantinha discurso neutro, foi pivô de uma manobra do MDB e da administração municipal para tirar o comando da Casa do Povo dos rivais, e chancelou o tratado. A filiação ao partido que sempre combateu era questão de tempo; e se confirmou.

Dito e feito

Postado em 16 de março de 2020

Pedra cantada no Blog se confirmou na quinta-feira (12). O vereador Antônio Carlos Machado Junior, de Canelinha, enviou carta ao presidente municipal do MDB, Renilson Trindade, requerendo a desfiliação do partido. Ele alega que não se sente mais alinhado com o pensamento e o direcionamento do Manda Brasa canelinhense. “A política deve ser dinâmica e inclusiva, com debates, diálogos e a participação da comunidade”, pontua.

Machado Junior deve se filiar ao PSL nos próximos momentos. O vereador tem acordo prévio com o advogado Diogo Francisco Alves Maciel (PSL) para a formação de uma chapa na concorrência majoritária da Cidade das Cerâmicas.

Gota d’água

Postado em 4 de fevereiro de 2020

O motivo basal da saída do vice-prefeito Pedro Alfredo “Pedroca” Ramos do MDB tem nome, sobrenome e cargo público: Leôncio Paulo Cypriani, advogado, vereador eleito com a maior votação da história de São João Batista, e, agora, publicamente, pré-candidato a prefeito pelo Manda Brasa nestas eleições.

No sábado (1), Cypriani reuniu amigos, correligionários e apoiadores no sítio que mantém no interior da Capital Catarinense do Calçado e, extraoficialmente, lançou a pré-candidatura ao cargo máximo do município. A postura do parlamentar foi a gota d’água na relação do adjunto tijuquense com a cúpula emedebista do município, que já vinha desgastada. Pedroca, inclusive, ao deixar o partido, falou em “evitar desavenças”.

APOIO DO PREFEITO

Em entrevista exclusiva concedida ao colunista no quadro “Política” do Jornal Vip, no Portal VipSocial, em janeiro, o prefeito Daniel Netto Cândido (PSD) confirmou o compromisso com o MDB para as eleições deste ano.

Cândido deixou claro, sobretudo, que o apoio acordado se limita à indicação do partido, e não necessariamente ao nome do vice-prefeito. O mandatário batistense pontuou, ainda, que o candidato governista “precisa continuar o trabalho que vem sendo realizado, e que tenha a mesma dedicação para ‘melhorar a vida das pessoas’ mostrada no atual governo”.