quinta-feira, 14 de novembro de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Bastidores da relação

Postado em 10 de outubro de 2019

Há mais mistérios entre o céu e a terra do que a vã filosofia dos homens pode supor. Os comemorados R$ 8,23 milhões que o governo estadual destinou a Tijucas, para asfaltamento da Avenida Beira-Rio, têm algumas particularidades interessantes. E a política, evidentemente, seria a principal.

De acordo com um passarinho incolor — que jura ter ouvido o secretário adjunto da Casa Civil estadual, Matheus Hoffmann Machado, afirmar e confirmar —, a relação entre o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e o PSL vai muito além da diplomacia. Diz a ave sinistra que existe um acordo, alinhado e sublinhado, para que o chefe do Executivo tijuquense concorra à reeleição, em 2020, com o número 17 na urna. Hum…

Fala, vereador!

Postado em 21 de agosto de 2019

“Se conversaram sobre isso, foi entre eles e não comigo”, diz o vereador Odirlei Resini (MDB) sobre a conjecturada oferta dos colas-brancas — de um cargo na estrutura municipal em troca de filiação ao PSD e apoio nas próximas eleições em Tijucas.

O parlamentar confirma, entretanto, que vem se sentindo isolado no MDB desde a eleição para a presidência da Câmara, e que, por conta dessa situação, tem, de fato, recebido convites de outros partidos. “O próprio PSD já me convidou, mas nunca falaram em secretaria”, garante.

CONTRAPONTO

Substituto imediato de Resini no parlamento tijuquense, o suplente Oscar Luiz Lopes (MDB), no entanto, parece certo do acordo entre o titular e a administração municipal; e teria recebido investidas para, em caso de acerto entre as partes, rezar a cartilha do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) na Câmara.

O empecilho seria a família, quase toda emedebista. Lopes, a propósito, estaria tentando convencer os parentes dos benefícios da proposta.

Prorrogação

Postado em 12 de agosto de 2019

As chances de um final feliz para o Esporte Clube Renascença aumentaram. O prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) garantiu, nesta manhã, que vai tentar um acordo com a Mitra Metropolitana de Florianópolis para manter o usufruto do Estádio Manoel Franco de Camargo para o clube.

A reunião, na prefeitura, envolveu o presidente do Renascença, Douglas “Dólar” Porcíncula, o vereador Juarez Soares (CIDA) e o empresário Luiz Antônio “Totonho” Maurício — da comissão gestora da Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes, proprietária do terreno do estádio —, além de membros do conselho do clube e do corpo jurídico do município.

Uma nova assembleia, desta vez com o padre Elizandro Scarsi, pároco de Tijucas e representante-mor da Mitra Metropolitana na comunidade, foi agendada para quarta-feira (14).

Derrota em casa

Postado em 6 de agosto de 2019

Hendecacampeão de futebol em Tijucas, o cinquentenário Esporte Clube Renascença pode, lamentavelmente, nunca mais jogar em casa. Por unanimidade, o TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina) decidiu que o terreno do Estádio Manoel Franco de Camargo — onde o Verdão se apresenta desde a fundação — pertence, de fato e de direito, à Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes. A notificação da Mitra Metropolitana de Florianópolis chegou ontem, com prazo de 30 dias para que o clube desocupe o imóvel.

O presidente do Renascença, Douglas “Dólar” Porcíncula, tem reunião com o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) marcada para os próximos dias; assim que o chefe do Executivo tijuquense voltar de Brasília. Há um fio de esperança para que o município consiga um acordo com a Igreja e assuma a gestão do estádio, atualmente mantido com recursos do clube.

Aliança

Postado em 18 de junho de 2019
Foto: Divulgação

Representantes do PDT e do PSL passaram a conversar sobre as eleições de 2020 em Tijucas. Na sexta-feira (14), o vereador Fabiano Morfelle (PDT) e o pretenso candidato pedetista a prefeito na próxima concorrência, empresário Thiago Peixoto dos Anjos, reuniram-se com o presidente municipal do PSL, Gerson Henrique Marcelino, para tratar de uma possível conjuntura.

Tanto o PDT quanto o PSL integram, atualmente, a chamada “terceira via” e entendem que uma aliança poderia amplificar as chances de sucesso no pleito que se avizinha. O acordo parece inevitável; e o projeto vem evoluindo sistematicamente.

Ou vai, ou racha

Postado em 22 de maio de 2019

É chegada a “hora do vamos ver” entre o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e o vice-prefeito Adalto Gomes (PT), de Tijucas. Uma reunião entre os dois foi marcada para os próximos dias. O encontro tem uma só finalidade: definir, de uma vez por todas, as intenções para o pleito municipal de 2020.

Se o secretário de Obras persistir na ideia de candidatura à chefia do Executivo, o desembarque do governo é inevitável. Mariano Rocha espera que o adjunto mude o discurso e que abrace o projeto de reeleição da chapa, com a mesma formação, sem acordos de gaveta com oposicionistas ou manifestações públicas de descontentamento. Caso contrário, o caldo entorna. Pois, então?!

Sem acordo

Postado em 1 de abril de 2019

As negativas de Tijucas para a instalação de uma penitenciária industrial no município persistem. Na semana passada, o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) esteve, mais uma vez, acompanhado dos vereadores Juarez Soares (PPS) e Rudnei de Amorim (DEM), na sede da Justiça Federal, em Florianópolis, para nova audiência sobre o tema.

Governo estadual e Ministério Público Federal tentaram, por quase duas horas, negociar contrapartidas e convencer a comitiva tijuquense a aceitar os termos, mas não houve acordo. Outra audiência ficou agendada para setembro.

Unificação à vista

Postado em 19 de fevereiro de 2019

Começou em guerra, mas pode terminar em namoro. As vertentes do PSL em Tijucas podem entrar em consenso e se unir. Há conversas de parte a parte, com intermediários interessados no acordo, que vêm evoluindo sistematicamente nos bastidores da legenda.

De um lado está o ex-bombeiro Gerson Henrique Marcelino, que tem uma comissão formada com 22 membros – quase todos militares reformados, entre advogados, professores e jovens idealistas – e conta com o apoio do líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Onir Mocellin (PSL); e do outro, o servidor público municipal Renato Sartori, que comandou a provisória do partido até dezembro e se esteia no deputado estadual Felipe Estevão (PSL) para retomar o posto. Entre eles, não há conversa; mas os seguidores das duas alas tratam internamente sobre a unidade. E a ideia parece agradar os caciques, que já impuseram condições para uma possível conciliação.

Volta ao começo

Postado em 17 de dezembro de 2018
Foto: Léo Nunes

Já diziam nossos avós: quem não queria, não queria, no fim até o prato lambia. Pivô das agruras do grupo governista na Câmara Municipal de Tijucas nos tempos mais recentes, o atual presidente Juarez Soares (PPS) foi o último a deixar a festa em comemoração ao sucesso do confrade, quase adversário, Vilson Natálio Silvino (PP), no pleito interno do Legislativo.

Soares, nos últimos meses, vinha anunciando o descumprimento do acordo de alternância da presidência da Casa do Povo entre os vereadores de situação e provocando contra-ataques severos e desmedidos nos próprios pares. Uma das mazelas do imbróglio foi a abertura de espaço, na mesa diretora, para um representante da oposição. A aprovação de Odirlei Resini (MDB) na vice-presidente da Câmara fatalmente passaria longe de ser considerada não fosse o litígio entre o atual presidente e o próximo.

PASSO ATRÁS

Ainda na tribuna, na prenunciada vitória de Silvino, a resistência passou à aderência. Na justificativa do voto, o atual presidente, já sem perspectivas de reeleição e com a candidatura renunciada, enfim, deu o braço a torcer. “Meu pai me ensinou que um homem deve honrar a palavra empenhada. Em homenagem a ele, voto no vereador Vilson”, pontuou Soares, e pôs panos quentes na relação com a bancada situacionista.

Acordo rasgado

Postado em 11 de dezembro de 2018

A presidência da Câmara Municipal, principalmente para vereadores estreantes, tem um sabor especial. Aqueles que experimentam, se lambuzam e querem mais. A sucessão do comando do Legislativo de Canelinha é mais um caso. Marinheiro de primeira viagem, o atual presidente Fernando de Souza (PRB) rasgou o acordo, vem negociando com a oposição e planeja a reeleição.

Por convenção preestabelecida, o vereador Antonio Carlos Machado Junior (MDB) deveria assumir o comando da mesa diretora da Casa do Povo em 2019. Mas o tratado tem tudo para ser descumprido. Souza entrou em rota de colisão com o prefeito Moacir Montibeller (MDB), assumiu postura de neutralidade na tribuna e, agora, quer ver o circo pegar fogo. Os opositores, em minoria, estão adorando.