segunda-feira, 21 de outubro de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Reforço

Postado em 24 de setembro de 2019
Foto: Divulgação

O suplente de vereador Deoclecio Amancio, popular Cinho do Sertão, que concorreu à Câmara em 2016 e somou 179 votos, assinou, sexta-feira (20), filiação no MDB de Porto Belo. O prefeito Emerson Stein (MDB) comemorou o feito nas redes sociais.

Stein, a propósito, vem cimentando o projeto de reeleição com o fortalecimento do MDB — dias atrás, entumeceu as fileiras do partido com 60 novos membros — e, sobretudo, com a prostração dos rivais, especialmente os petistas, que governaram o município com Evaldo Guerreiro na gestão anterior e que ainda encabeçam o pelotão oposicionista para 2020.

Partido de Tijucas

Postado em 3 de setembro de 2019

O vice-prefeito Adalto Gomes foi alçado à regência do PL tijuquense, e a vereadora Maria Edésia da Silva Vargas (PT) virou alvo do partido do amigo e ex-correligionário. Contatos prévios já foram realizados, e uma segunda rodada de conversas deve marcar as próximas semanas.

Déda, que cumpre o primeiro mandato na Câmara Municipal, confirma o convite, mas diz que, por ora, continua no “Partido de Tijucas” — uma maneira branda que ela encontrou para se referir ao PT dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso, e Dilma Rousseff, que sofreu impeachment, sem provocar desagrado em quem ouve.

Ideologia à parte

Postado em 7 de agosto de 2019

Os maiores expoentes do PT na região vêm, pouco a pouco, cedendo à pressão popular. O ex-prefeito Sabino Bussanello, de Itapema, foi o primeiro a deixar o partido; recentemente, o vice-prefeito de Tijucas, Adalto Gomes, confirmou a desfiliação; e, agora, o ex-prefeito Evaldo Guerreiro, de Porto Belo, passou a considerar uma migração.

Guerreiro tem um convite do PRB portobelense para se filiar à legenda e concorrer novamente à prefeitura da Capital Catarinense dos Transatlânticos em 2020. A proposta vem sendo estudada.

Fala, presidente!

Postado em 18 de julho de 2019

Presidente do PT em Tijucas, o servidor público municipal Diogo dos Santos assina correspondência ao Blog para ressalvar a nota “Grupo fechado“, de ontem. A carta reconhece a importância do vice-prefeito Adalto Gomes “em todos os momentos do partido”, mas esclarece que não há, neste momento, uma definição sobre o apoio petista no pleito majoritário de 2020. “Nossos debates giram em torno da escolha de uma nova direção e da formação de uma nominata forte de candidatos a vereadores que representem o PT nas eleições de 2020”, pontua.

Santos diz, ainda, que o apoio a Gomes, “ou a qualquer outra alternativa que possa surgir”, não está descartado, mas reforça que essa discussão, por ora, “não está na pauta” do partido.

Mudar faz bem

Postado em 8 de julho de 2019

Pedra cantada no Blog fechou o bingo. O vice-prefeito Adalto Gomes, enfim, deixou oficialmente o PT – partido onde militou por 30 anos, foi eleito vereador em três legislaturas consecutivas (2001 a 2012) e concorreu à Assembleia Legislativa (2010) e à prefeitura de Tijucas (2012). O pedido de desfiliação foi assinado ontem, com direito a carta de agradecimento aos companheiros.

Gomes, que pretende pleitear novamente o cargo máximo do município em 2020, deve protocolar o ingresso no PL (ex-PR) nos próximos momentos. Os detalhes da transferência já foram acordados com líderes estaduais do partido – e o deputado estadual Nilso Berlanda (PL), um dos maiores caixas-altas de Santa Catarina, dono de uma cadeia de lojas de eletrodomésticos no estado, teve participação decisiva no trâmite.

Debandada

Postado em 28 de maio de 2019

A frase “o último que sair apaga a luz” vem caindo bem ao PT em Tijucas. Assim como o vice-prefeito Adalto Gomes, o primeiro suplente de vereador da legenda, Sivoney Silva, deve oficializar, nos próximos momentos, a desfiliação do partido que mais vezes governou a República. Com 31 anos de petismo, ele acatou as súplicas da família e anunciou o fim.

Silva somou 126 votos nas eleições de 2016 e era o substituto imediato de Maria Edésia da Silva Vargas (PT) na Câmara Municipal. A segunda colocada do PT, Cláudia Raitz Büchele, que alcançou 292 votos no último pleito, havia se transferido para o PSD no início de 2018.

Fim da linha

Postado em 25 de fevereiro de 2019

O fim de semana – e de fevereiro – é o dead line para o vice-prefeito Adalto Gomes no PT. Ele tem reunião marcada com sectários políticos para um parecer final, e deve usar o feriado de Carnaval para definir por que partido concorrer à prefeitura de Tijucas em 2020.

“Temos alguns contatos, e tomaremos a melhor decisão”, garante o adjunto tijuquense, que não abre mão de disputar o próximo pleito eleitoral na Capital do Vale.

Ficha corrida

Postado em 31 de janeiro de 2019

Nos municípios em que não existe consenso – a exemplo de Tijucas –, a regência estadual do PSL vem sendo mais criteriosa para a formação dos diretórios locais. Uma avaliação profunda do histórico político dos interessados foi adotada como argumento. E para a Capital do Vale, a propósito, vem sendo determinante.

A direção peesselista não gostou de saber que o servidor público municipal Renato Sartori, que presidiu a comissão provisória da legenda no município até dezembro, concorreu à Câmara Municipal em 2008 pelo PT – a quem combate vorazmente –, e teve uma candidatura a vereador rejeitada, em 2016, no PEN, por falta de prestação de contas com a Justiça Eleitoral. A imagem do ex-presidente do PSL tijuquense, agora, na cúpula estadual do partido, é outra.

Sai, mas fica

Postado em 30 de janeiro de 2019

O vice-prefeito de Tijucas, Adalto Gomes, sai, de fato, do PT. Mas o PT realmente não sai dele. Apesar de alguns militantes petistas terem ficado muito contrariados com a decisão do adjunto tijuquense, caciques do partido vêm garantindo que estarão abraçados a ele numa possível candidatura majoritária em 2020, seja por que legenda for.

O advogado Roberto Vailati, ex-vice-prefeito e bastião do PT na Capital do Vale, a propósito, foi um dos que orientaram Gomes, em tempos passados, a deixar o partido de LulaDilma Rousseff se quisesse realizar o sonho de governar o município.

Estrela cadente

Postado em 25 de janeiro de 2019

Maior expoente do PT em Tijucas na atualidade, o vice-prefeito Adalto Gomes já preparou o discurso de adeus. Figuras centrais do partido – como o advogado e ex-vice-prefeito Roberto Vailati e a vereadora Maria Edésia da Silva Vargas – estão cientes e compreendem os motivos do adjunto tijuquense. Ele planeja concorrer à prefeitura em 2020 e avalia, enfim, que a legenda minimizaria as chances de sucesso nas urnas. O prazo para a desfiliação é fevereiro.

A decisão, que é irreversível, passa, sobretudo, pelas eleições de 2018. Se o PT houvesse vencido o pleito presidencial com Fernando Haddad, Gomes seguiria no partido.

COMPROMISSO

Tal qual em 2004, os governistas têm um compromisso de inversão da chapa – que naquela feita não foi cumprido – para a próxima eleição municipal. Gomes diz aos seus que confia no cumprimento do tratado e que, por imposição da saúde do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD), ressurge como franca opção entre os situacionistas; mas que não descarta ser alternativa ao governo e, inclusive, à oposição em 2020.

NOVO RUMO

Conforme noticiado no Blog em dezembro, o PSB é a sigla que mais seduz o vice-prefeito, fundamentalmente pela ideologia, que se assemelha, em partes, à do PT. Mas o rumo do policial rodoviário federal aposentado ainda é incógnito. O que se sabe, porém, é que a preferência seria por um partido pequeno, sem história na política do município; apesar das investidas severas do PSD.