domingo, 3 de março de 2024 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Compromisso rompido

Postado em 8 de fevereiro de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

A coalizão PSD/PL em Tijucas, costurada engenhosamente pelo vice-prefeito Sérgio “Coisa Querida” Cardoso (PSD) – e depois, com autoria despojada para o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) –, quebrou na emenda.

A regência municipal do partido do governador Jorginho Mello cansou de esperar. Mariano Rocha, por acordo, entraria com a indicação do representante do grupo na concorrência majoritária de outubro para que o PL definisse o complemento da chapa. Mas a procrastinação do chefe do Executivo tijuquense acabou irritando os liberalistas – que argumentaram pressa na resolução de estratégias para o pleito, como, especialmente, a formação de uma nominata consistente de postulantes à Câmara Municipal.

Como contragolpe, e para mostrar descontentamento com a violação do tratado, a representação do PL local se reuniu ontem com a cúpula estadual do partido e definiu que deve concorrer à prefeitura de Tijucas nestas eleições. Há, entretanto, impasse na decisão entre o empresário Thiago Peixoto dos Anjos, segundo colocado no pleito de 2020, que chegou à legenda em dezembro, e o vereador Fernando Fagundes, que continua no MDB, mas com promessa de assinar filiação na janela de março.

EM CIMA DO MURO

Conforme noticiado anteriormente no Blog, a indecisão do prefeito sobre o candidato governista na concorrência majoritária tem frustrado, inclusive, apoiadores da gestão.

Seguidas reuniões do grupo, a propósito, têm sido realizadas sem a presença de Mariano Rocha para debater o assunto. Conselheiros da administração municipal, nestes encontros, teriam elencado prejuízos que a postergação das definições pudesse causar. E um deles seria o afastamento do PL, que vem se confirmando.

MEDIDA DESESPERADA

O prefeito tem encontro às pressas, hoje, com o braço direito do governador Jorginho Mello e presidente do PL em Florianópolis, Heleno Orlandino, para tentar minimizar os danos.

O proponente da reunião teria sido o deputado federal Darci de Matos (PSD), que deve participar das negociações. Entre eles, deve estar, ainda, o vereador Rudnei de Amorim, talvez a indicação de ordem de Mariano Rocha no ensaio de uma retomada da conjuntura.

Onda, onda, olha a onda…

Postado em 6 de outubro de 2023
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Redes Sociais

A onda bolsonarista que definiu as últimas duas eleições para o Governo de Santa Catarina, em 2018, com Carlos Moisés da Silva, e em 2022, com Jorginho Mello, continua sendo procurada por muitos políticos catarinenses, na tentativa de alavancar as chances nos pleitos.

Em Tijucas, o empresário Sidney Machado (PL), autodenominado o “único candidato conversador” à prefeitura do município, foi além. Tentou, nas redes sociais, adotar o sobrenome do ex-presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PL). Mas sem sucesso.

Acontece que o Facebook não permitiu que o tijuquense utilizasse “Bolsonaro” em seu perfil. Machado, então, não se deu por vencido e decidiu utilizar “Bolsonado” no complemento de seu próprio nome, mantendo certa proximidade com o sobrenome correto. Assim, tornou-se Sidney Machado Bolsonado.

Reincidência

A tentativa de chamar a atenção do líder máximo do Partido Liberal no país não é uma novidade. Em 2020, quando concorreu às eleições municipais, na época, pelo PSC, o tijuquense deixou diversos recados ao então presidente da República, durante as tradicionais lives realizadas às quintas-feiras.

Ney da Tijusat, a propósito, colocou-se novamente à disposição para concorrer ao Executivo, no ano que vem. Mas, desta vez, na mesma legenda de Bolsonaro, valendo-se do slogan “Deus, Pátria, Família e Liberdade”.