segunda-feira, 15 de julho de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Dentro e fora

Postado em 14 de maio de 2019

Bastou coordenar, satisfatoriamente e com pronto atendimento do governo estadual, a audiência pública sobre a famigerada “cratera de Tigipió”, semana passada, para o deputado estadual Altair Silva (PP) – que representa Major Gercino e São João Batista na Assembleia Legislativa – pedir afastamento do cargo.

Nos próximos 60 dias, Silva não vai frequentar o parlamento catarinense. Não tem problemas de saúde e nem qualquer outro impedimento. Apenas, entrou no questionável “rodízio” que os partidos costumam promover nos Legislativos.

Para justificar, o parlamentar disse, em nota, que está retribuindo um gesto que recebeu no passado – quando suplente, entre 2015 e 2018, assumiu uma das cadeiras do PP na Alesc por seis vezes, durante as licenças dos titulares. “Acredito que é assim que o partido cresce e que o espírito de grupo se fortalece, até porque ninguém chegou aqui sozinho”, pontuou.

Gato escaldado

Postado em 15 de abril de 2019

Desde que três vereadores tiveram a intrepidez e a estupidez de fraudar notas fiscais que serviram para o ressarcimento de despesas contraídas na Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, em 2013 e 2014, os parlamentares de Nova Trento não participaram mais do evento. No mais recente, semana passada – e em todos os anteriores, de 2015 para cá  –, apenas o prefeito Gian Francesco Voltolini (PP) representa a Terra de Santa Paulina na marcha.

LINCHAMENTO PÚBLICO

Em dezembro de 2016, a juíza Maria Augusta Tridapalli, da Comarca de São João Batista, acatou pedido do Ministério Público e afastou preventivamente os vereadores Airton Dalbosco (MDB), Elio Vill (PMDB) e Leonir Maestri (MDB) por envolvimento no esquema.

O caso segue sub judice, mas os parlamentares acusados caíram em desgraça. Dos três vereadores, apenas Maestri se reelegeu – em sétimo lugar, com 409 votos –, mas perdeu o cargo em outra ação judicial de 2017. Dalbosco não se recandidatou; e Vill ficou na 18ª posição, com 186 votos.

Fogo amigo

Postado em 19 de junho de 2018

Entre os progressistas de São João Batista paira a unanimidade: o suplente de vereador Tarcísio Soares (PP) seria um “traidor”. Ele pediu à Câmara Municipal a cassação do mandato do titular, Carlos Francisco da Silva (PP), para, quem sabe, passar os próximos 30 meses na vereança.

A decisão está nas mãos da presidente do Legislativo, vereadora Rúbia Alice Tamanini Duarte (PSD), que deve assinar o despacho entre esta e a próxima semana. Para requerer o afastamento do titular, Soares desenterrou registros de crimes ambientais cometidos por Silva no início da década. A defesa do vereador garante que as penas já teriam sido cumpridas e que o caso não é passível de cassação.

De acordo com fontes próximas de ambos – que, além de correligionário, eram amigos –, o suplente teria sido convencido por adversários políticos do PP a protocolar o pedido na Câmara. O advogado Cristiano Silva, que ocupa o cargo de assessor jurídico no gabinete do prefeito Daniel Netto Cândido (PSD), a propósito, é quem faz a defesa de Tarcísio Soares nesse processo. Pois, então?!

Balança, mas não cai?

Postado em 5 de junho de 2018

Aquele passarinho incolor vem confabular sobre o prefeito de Canelinha, Moacir Montibeler (MDB). Diz que o mandatário da Cidade das Cerâmicas passa por um preocupante quadro de saúde – ele convive, há anos, com a cirrose hepática e o diabetes – e que, nas incursões familiares, estaria considerando, inclusive, o afastamento do cargo sem previsão de retorno.

Consultada pelo Blog, a gerente de Comunicação Social e Integração da prefeitura de Canelinha, Adriana Carla Soares, respondeu que não há qualquer problema com Montibeler e que o chefe do Executivo municipal tem prazer em governar. “Ele não quer nem pegar férias!”, garante.

Alforria

Postado em 16 de fevereiro de 2018

Em reafirmação às narrativas do Blog, de que o MDB de Tijucas opera em várias e cada vez mais frentes, o primeiro tesoureiro do partido no município, Adriano Silva, popular Guinho, solicitou ao presidente Fernando Fagundes afastamento do cargo que ocupa na diretoria executiva. O pedido, entregue ontem, em ofício, tem caráter “irrevogável e irreparável”.

Não é segredo que o agora ex-tesoureiro do MDB municipal e a Família Fagundes mantinham estreito vínculo, de confiança extrema e defesa mútua. Mas a relação azedou. Um passarinho incolor destrincha as “razões de foro íntimo” citadas na carta de renúncia com relatos de recentes e irremediáveis desavenças entre Silva e os Fagundes, tanto no campo político quanto no pessoal.

Horas a mais

Postado em 6 de setembro de 2017

As polêmicas denúncias de supostos pagamentos excessivos de horas extras para determinados servidores da Secretaria Municipal de Saúde renderam medidas urgentes no seio da administração municipal de Tijucas. A funcionária responsável pelo atendimento do público na secretaria e, frequentemente, no Centro de Saúde Orlando Barreto  e que aparece nos borderôs questionados deve ser transferida.

Passarinho incolor conta que a servidora pediu afastamento das funções, por licença, depois de se desentender com o comando da pasta, e aguarda, agora, a determinação do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) sobre seu futuro na estrutura municipal. Aos mais próximos, a funcionária pública garante que cumpriu todas as horas extras determinadas pelos superiores, inclusive aos domingos e feriados, e diz que, se houve qualquer equívoco nos cálculos, não pode ser responsabilizada.

Abaixo-assinado

Postado em 4 de maio de 2017

O requerimento do servidor público federal Henri C. M. da Silva, que solicita ao Poder Legislativo de Tijucas o afastamento dos quatro vereadores da atual legislatura indiciados a partir da Operação Iceberg, vem encorajando outras iniciativas do gênero. Com base nos mesmos argumentos – de moralidade, ajuste e melhoria dos serviços prestados –, a Associação dos Moradores do Bairro Praça vem colhendo assinaturas para protocolar na Câmara, e levar à promotoria da Comarca, um segundo pedido de interrupção dos mandatos dos réus no citado processo.

Fontes ligadas ao movimento garantem que o abaixo-assinado tem, neste momento, mais de 300 firmas. A expectativa é que o manifesto chegue à mesa diretora da Casa do Povo e ao Fórum com pelo menos mil assinaturas.

Folha carimbada

Postado em 20 de abril de 2017

Com base no artigo 44 da Lei Orgânica do Município e nos artigos 73, 228 e 230 do Regimento Interno da Câmara Municipal de Tijucas, o servidor público federal Henri C. M. da Silva, cidadão nos termos do artigo 5º da Constituição Federal de 1988, já protocolou ofício na direção do Poder Legislativo do município – conforme noticiado com exclusividade pelo blog sob o título “Julgamento antecipado” – que “REQUER o afastamento dos envolvidos nas práticas de improbidade administrativa e corrupção” no caso que ficou conhecido como Operação Iceberg.

Sob justificativa de “ajuste e melhoria dos serviços prestados pelo Poder Legislativo”, ele anexa ao documento a “notícia de fato” e o protocolo da denúncia formalizada no Ministério Público de Santa Catarina, na expectativa de que, apoiado na legislação interna, o parlamento municipal possa deliberar sobre o afastamento dos quatro vereadores reeleitos e réus no citado processo.

Trégua

Postado em 19 de abril de 2017

Os vereadores pró-governistas, que abandonaram a sessão de segunda-feira (17) em razão da presença da advogada Fernanda Melo (PMDB) na mesa diretora da Câmara, já podem voltar ao trabalho. A primeira secretária da Casa do Povo protocolou requerimento na OAB/SC (Ordem dos Advogados do Brasil em Santa Catarina) que oficializa seu afastamento, por tempo indeterminado, da advocacia.

Envolvida num polêmico entendimento, a vereadora antecipou-se às discussões seguintes, cedeu e optou pela manutenção do posto diretivo no Poder Legislativo municipal.

Os situacionistas cobravam uma posição da colega – baseados na legislação, que veda a convenção do cargo com o exercício profissional do Direito – e do presidente Elói Pedro Geraldo (PMDB), sob a ameaça de seguirem boicotando o quórum das reuniões legislativas em Tijucas.

Três por um

Postado em 18 de abril de 2017

Para os servidores do Poder Legislativo de Tijucas que ingressaram na Casa do Povo pelas mãos do PMDB, a polêmica – e supostamente possível – exclusão,  por “quebra de decoro parlamentar”, dos quatro vereadores reeleitos e investigados na Operação Iceberg, é crucial.

Eles calculam que o caso  – noticiado pelo blog sob o título “Julgamento antecipado” – desencadearia a retomada da maioria no parlamento tijuquense, a procedente continuidade na mesa diretora e, consequentemente, a manutenção dos cargos ocupados pela legenda na Câmara Municipal. Se confirmada na prática, a votação interna que poderia culminar com o afastamento dos vereadores Elizabete Mianes da Silva (PSD), Fernando Fagundes (PMDB), Jean Carlos de Sieno dos Santos (PSC) e José Leal da Silva Júnior (PSD) tiraria três adversários do caminho do PMDB em detrimento de um periquito.