quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Compromisso rompido

Postado em 8 de fevereiro de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

A coalizão PSD/PL em Tijucas, costurada engenhosamente pelo vice-prefeito Sérgio “Coisa Querida” Cardoso (PSD) – e depois, com autoria despojada para o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) –, quebrou na emenda.

A regência municipal do partido do governador Jorginho Mello cansou de esperar. Mariano Rocha, por acordo, entraria com a indicação do representante do grupo na concorrência majoritária de outubro para que o PL definisse o complemento da chapa. Mas a procrastinação do chefe do Executivo tijuquense acabou irritando os liberalistas – que argumentaram pressa na resolução de estratégias para o pleito, como, especialmente, a formação de uma nominata consistente de postulantes à Câmara Municipal.

Como contragolpe, e para mostrar descontentamento com a violação do tratado, a representação do PL local se reuniu ontem com a cúpula estadual do partido e definiu que deve concorrer à prefeitura de Tijucas nestas eleições. Há, entretanto, impasse na decisão entre o empresário Thiago Peixoto dos Anjos, segundo colocado no pleito de 2020, que chegou à legenda em dezembro, e o vereador Fernando Fagundes, que continua no MDB, mas com promessa de assinar filiação na janela de março.

EM CIMA DO MURO

Conforme noticiado anteriormente no Blog, a indecisão do prefeito sobre o candidato governista na concorrência majoritária tem frustrado, inclusive, apoiadores da gestão.

Seguidas reuniões do grupo, a propósito, têm sido realizadas sem a presença de Mariano Rocha para debater o assunto. Conselheiros da administração municipal, nestes encontros, teriam elencado prejuízos que a postergação das definições pudesse causar. E um deles seria o afastamento do PL, que vem se confirmando.

MEDIDA DESESPERADA

O prefeito tem encontro às pressas, hoje, com o braço direito do governador Jorginho Mello e presidente do PL em Florianópolis, Heleno Orlandino, para tentar minimizar os danos.

O proponente da reunião teria sido o deputado federal Darci de Matos (PSD), que deve participar das negociações. Entre eles, deve estar, ainda, o vereador Rudnei de Amorim, talvez a indicação de ordem de Mariano Rocha no ensaio de uma retomada da conjuntura.

Infidelidade

Postado em 6 de outubro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O prefeito de Tijucas, Eloi Mariano Rocha (PSD), coordenador da campanha de reeleição do governador Carlos Moisés da Silva (REPUBLICANOS) na região, não ficou nada contente com o resultado do pleito no município que administra. Nesta semana, segundo fontes do Blog, ele reuniu os comissionados da prefeitura e fez questão de manifestar essa insatisfação.

Durante o encontro, Mariano Rocha teria falado sobre “traição” e intimado os comandados infiéis a se apresentarem e pedirem para deixar os cargos que ocupam antes que ele mesmo tomasse as medidas necessárias.

Peça prioritária do envolvimento do prefeito na eleição estadual, Moisés somou apenas 3.898 votos na Capital do Vale. O governador ficou atrás de Gean Loureiro (UNIÃO), que fez 4.443, e sequer alcançou a metade da votação do primeiro colocado, Jorginho Mello (PL), com 8.930. Pois, então?!

Frequência modulada

Postado em 18 de maio de 2021
  •  
  •  
  • 11
  •  
  •  

Se tem alguém muito descontente com o governo do prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB) em São João Batista, é o empresário Sílvio Eccel, da Rádio Clube. Sem qualquer cerimônia, ele usou a audiência da própria emissora para dizer, pessoalmente, que está “extremamente chateado” e que considera a desfiliação do MDB. “Ajudei a montar a equipe de campanha, saímos vitoriosos, e agora não sirvo mais?”, questionou, durante a programação.

Silvinho avisou, ainda, que, de agora em diante, será mais incisivo nas cobranças à administração municipal, “inclusive com documentos, quando for necessário, nos microfones da rádio”. O recado foi direcionado a Pedroca, mas também aos “dinossauros que estão no primeiro escalão”, que o empresário acusou de quererem apenas “vantagens para si”. Pois, então?!

Consenso e rusgas

Postado em 25 de setembro de 2019
  •  
  •  
  • 22
  •  
  •  

Um plano de metas e a “profissionalização” da gestão do partido estão no discurso da vereadora Fernanda Melo Bayer para assumir a presidência do MDB de Tijucas. A convenção está marcada para 19 de outubro, com chapa única e aparente consenso. Mas, apesar do ajustamento, há fissuras. Líder benemérito da legenda, o ex-prefeito Elmis Mannrich deve ficar de fora do diretório.

Na semana passada, em reunião, o ex-mandatário tijuquense discordou do plano, intimou correligionários apregoados — como o ex-candidato a vice-prefeito Edson Souza e o vereador Elói Geraldo — a tomarem posição e as rédeas do partido, e pediu que o descontentamento com a chapa apresentada constasse em ata.

Desde então, a vereadora trabalha com a formação de um diretório sem Mannrich; e, ainda, com a reintegração do ex-prefeito Valério Tomazi aos postos de honra no partido. Outro encontro foi marcado para hoje, sem um convite formal ao diretor técnico da Aresc (Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina), que, mesmo assim, deve marcar presença.

Prefeito presidente

Postado em 4 de junho de 2019
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Cobranças, desgaste e divergências internas. Estes são, extraoficialmente, alguns dos motivos pelos quais o presidente do PSD de Tijucas, empresário Jilson “Gil” de Oliveira – também diretor do Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto) –, entregou os rumos do partido para o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD). O chefe do Executivo municipal deve assumir o comando da legenda por, no mínimo, quatro meses.

Para o Blog, Oliveira destacou que a transição ocorreu naturalmente, uma vez que “a executiva nacional decidiu destituir os diretórios estadual e municipais em Santa Catarina e que os próximos 120 dias serão de oxigenação, à espera das novas diretrizes”. Neste momento, o partido tem, na Capital do Vale, uma comissão provisória.

Fontes fidedignas, porém, reafirmam um descontentamento de parte a parte; do presidente com a falta de reconhecimento e com exigências e reclamações, e do pelotão de frente do PSD com a carência de ações para o fortalecimento da legenda. “A paz continua reinando, o partido vem progredindo e, com absoluta certeza, assim que o processo terminar, tudo volta ao normal”, garante, no entanto, o diretor do Samae.

Ou vai, ou racha

Postado em 22 de maio de 2019
  •  
  •  
  • 47
  •  
  •  

É chegada a “hora do vamos ver” entre o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) e o vice-prefeito Adalto Gomes (PT), de Tijucas. Uma reunião entre os dois foi marcada para os próximos dias. O encontro tem uma só finalidade: definir, de uma vez por todas, as intenções para o pleito municipal de 2020.

Se o secretário de Obras persistir na ideia de candidatura à chefia do Executivo, o desembarque do governo é inevitável. Mariano Rocha espera que o adjunto mude o discurso e que abrace o projeto de reeleição da chapa, com a mesma formação, sem acordos de gaveta com oposicionistas ou manifestações públicas de descontentamento. Caso contrário, o caldo entorna. Pois, então?!

Confiança abalada

Postado em 7 de agosto de 2018
  •  
  •  
  • 22
  •  
  •  

O prefeito Moacir Montibeller (MDB), de Canelinha, sofre na carne, literalmente, os pesares do diabetes. Recentemente, precisou ser submetido a uma cirurgia para retirada de um dedo do pé em razão da doença. Mas não esmoreceu. Embora tivesse o direito – e talvez o dever –, não recorreu à licença médica. Faltou à final do Campeonato Municipal no domingo (5), mas ontem já voltou à prefeitura.

O vigor de Montibeller para o trabalho obviamente satisfaz à população, mas não tem agradado em nada o vice-prefeito Edson Orsi (MDB). Aos mais próximos, o adjunto canelinhense vem observando que o titular resiste em se afastar do cargo por “falta de confiança” no substituto.

A insegurança se justificaria na manifesta amizade entre Orsi e figuras sobressalentes da oposição. Os vereadores Abel Grimm (PP) e Antônio Carlos Flores (PSDB), além do próprio ex-prefeito Antônio da Silva (PP) – inimigo primaz de Montibeller desde sempre – estão no rol de estima do vice-prefeito; o que, de fato, vem provocando um descontentamento cada vez maior no chefe do Executivo.

E se a dificuldade já era grande, ela provavelmente se acentuou nos últimos dias. Frequentadores de um bar da cidade gravaram o vice-prefeito em confirmação a uma possível candidatura ao cargo máximo do município em 2020, numa chapa com Abel Grimm. No áudio, que vazou no WhatsApp, Orsi diz que faria “a melhor administração da história de Canelinha” e que Montibeller deveria “sair fora”. Pois, então?!