domingo, 3 de março de 2024 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Compromisso rompido

Postado em 8 de fevereiro de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

A coalizão PSD/PL em Tijucas, costurada engenhosamente pelo vice-prefeito Sérgio “Coisa Querida” Cardoso (PSD) – e depois, com autoria despojada para o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) –, quebrou na emenda.

A regência municipal do partido do governador Jorginho Mello cansou de esperar. Mariano Rocha, por acordo, entraria com a indicação do representante do grupo na concorrência majoritária de outubro para que o PL definisse o complemento da chapa. Mas a procrastinação do chefe do Executivo tijuquense acabou irritando os liberalistas – que argumentaram pressa na resolução de estratégias para o pleito, como, especialmente, a formação de uma nominata consistente de postulantes à Câmara Municipal.

Como contragolpe, e para mostrar descontentamento com a violação do tratado, a representação do PL local se reuniu ontem com a cúpula estadual do partido e definiu que deve concorrer à prefeitura de Tijucas nestas eleições. Há, entretanto, impasse na decisão entre o empresário Thiago Peixoto dos Anjos, segundo colocado no pleito de 2020, que chegou à legenda em dezembro, e o vereador Fernando Fagundes, que continua no MDB, mas com promessa de assinar filiação na janela de março.

EM CIMA DO MURO

Conforme noticiado anteriormente no Blog, a indecisão do prefeito sobre o candidato governista na concorrência majoritária tem frustrado, inclusive, apoiadores da gestão.

Seguidas reuniões do grupo, a propósito, têm sido realizadas sem a presença de Mariano Rocha para debater o assunto. Conselheiros da administração municipal, nestes encontros, teriam elencado prejuízos que a postergação das definições pudesse causar. E um deles seria o afastamento do PL, que vem se confirmando.

MEDIDA DESESPERADA

O prefeito tem encontro às pressas, hoje, com o braço direito do governador Jorginho Mello e presidente do PL em Florianópolis, Heleno Orlandino, para tentar minimizar os danos.

O proponente da reunião teria sido o deputado federal Darci de Matos (PSD), que deve participar das negociações. Entre eles, deve estar, ainda, o vereador Rudnei de Amorim, talvez a indicação de ordem de Mariano Rocha no ensaio de uma retomada da conjuntura.

Fala, Sandra!

Postado em 26 de janeiro de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas

A histórica liderança exercida pela ex-prefeita Sandra Regina Eccel, de Nova Trento, no MDB, acontecerá, a partir de agora, somente nos bastidores. Candidata à prefeitura por seis vezes (1996/2000/2004/2008/2012/2016), a única mulher a governar uma cidade do Vale não pretende mais concorrer a cargos eletivos.

Uma das justificativas, aliás, é a predisposição do filho da ex-secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Luiz Fernando Eccel Rachadel, que participa de sua primeira legislatura, em governar o município. Embora ainda seja jovem, o herdeiro da família Eccel deve assumir, em breve, a presidência do MDB e aparece, inclusive, como um possível sucessor de Tiago Dalsasso.

“A Sandra não. Hoje, ela só quer ajudar o prefeito Tiago e, depois, ajudar o filho. Se meu filho vai traçar essa vida, os meus dias estão voltados para esse projeto. É um projeto de partido e, claro, no meu caso, levando o nome do Luiz Fernando. Foi tanto sofrimento… É coisa pra essa juventude”, afirmou, em entrevista ao programa LINHA DE FRENTE.

DESACORDO

A ex-prefeita neotrentina não escondeu as divergências com o também ex-mandatário, Orivan Jarbas Orsi, que foi, justamente, o seu vice-prefeito em 2004, mas que, em 2008, confrontou o grupo governista e venceu as eleições.

“Ele fez o que, naquele momento, foi dito a ele para fazer. Se ele queria ser candidato naquele pleito [2008], ele tinha que criar um ambiente de desacordo para ser o candidato. Vínhamos de união, de um trabalho bacana juntos. Achei isso correto? Não. Não era esse o acordo. Mas foi a opção que ele teve e digamos que não estava errado, porque ele logrou êxito”, disse.

Entretanto, na avaliação da líder emedebista, a carreira política de Orsi sofreu prejuízos provocados pelo rompimento. “Trouxe desconfianças que ele carrega até hoje. ‘Será que o Orivan cumpre? Que vai honrar com a palavra?’. O que está acordado não é caro. Caro é romper acordos”, explicou.

Hora da colheita

Postado em 24 de julho de 2020
  •  
  •  
  • 5
  •  
  •  

De 19 municípios afetados pelo ciclone bomba e listados pela Defesa Civil na Grande Florianópolis, apenas sete aparecem com todas as condições atendidas. Tijucas é um deles. Um relatório da Defesa Civil de Santa Catarina em parceria com a Fecam (Federação Catarinense dos Municípios), divulgado hoje, mostra que a Capital do Vale está habilitada para reconhecimento federal — com inclusão no mapa de áreas atingidas — e que encaminhou corretamente o registro de danos pelo relatório da assistência social.

O prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) fez questão de publicar a notícia nas redes sociais, uma vez que não faltaram críticas, especialmente de opositores, à primeira remessa de itens solicitada ao governo estadual no início do mês para desagravo dos prejuízos. De acordo com a mostragem, Tijucas está em dia e, portanto, apta a receber todos os auxílios que forem oferecidos daqui em diante.

Telhado apedrejado

Postado em 7 de julho de 2020
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Tijucas foi uma das cidades mais afetadas na passagem do ciclone bomba pela região, e, até o momento, recebeu somente 643 telhas do governo estadual para reparar os estragos. O pedido, modesto, gerou polêmica nas redes sociais e serviu de munição para opositores do prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD).

Nos canais oficiais, a administração municipal justificou que este é apenas um primeiro lote de materiais que devem ser recebidos. De acordo com a coordenadora municipal de Defesa Civil, Sheila Dias, equipes da prefeitura vêm cadastrando, bairro a bairro, famílias atingidas e prejuízos. As novas solicitações ao governo estadual, com a documentação necessária em cada caso, devem garantir outras remessas. Não há um prazo estabelecido para que os pedidos sejam realizados.

Barrado e indignado

Postado em 6 de julho de 2020
  •  
  •  
  • 23
  •  
  •  

O prefeito de Governador Celso Ramos, Juliano Duarte Campos (PSB), foi barrado na chegada ao Aeroporto Hercílio Luz e não pôde participar da recepção ao presidente Jair Bolsonaro, sábado (4). Segundo ele, os prejuízos causados pelo ciclone bomba na cidade alcançam R$ 200 milhões — mais do que o dobro da arrecadação anual do município, que gira em torno de R$ 90 milhões por ano.

“Cheguei ao aeroporto e meu nome nem sequer estava na lista. Ele (o presidente) atendeu os parlamentares no piso inferior, em uma sala reservada, e nem ali pude ter acesso. É um fato lamentável. Estou voltando para a cidade, porque trabalhando lá ganho mais do que ficar esperando sem retorno nenhum”, disse Campos, na ocasião, para o NSC Total.

TOMA LÁ, DÁ CÁ

No domingo (5), porém, o prefeito convocou uma coletiva de imprensa em frente ao Ginásio Municipal de Esporte — um dos patrimônios públicos de Governador Celso Ramos mais afetados na passagem do ciclone —, no bairro Calheiros, para falar da falta de apoio dos governos estadual e federal na reconstrução do município.

Homem do tempo

Postado em 19 de setembro de 2019
  •  
  •  
  • 59
  •  
  •  

Presidente da ACMet (Associação Catarinense de Meteorologia) e membro do Fórum Climático Catarinense, o célebre Leandro Puchalski, meteorologista e apresentador do tempo na NSC TV, ministra a palestra “As condições climáticas e os negócios — Informações importantes para seu planejamento” em Tijucas na próxima quinta-feira (26), às 19h30, na Casa do Empresário.

A promoção é da Acit (Associação Comercial e industrial de Tijucas) e da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), que têm ingressos à venda por R$ 20. Na explanação, Puchalski promete detalhar como a previsão do tempo pode auxiliar na tomada de decisões para os negócios; e como o clima pode ser determinante no aumento dos lucros e diminuição de prejuízos.

Um ganha, outro perde

Postado em 12 de junho de 2018
  •  
  •  
  • 23
  •  
  •  

O prefeito Emerson Stein (MDB) e os comerciantes de Porto Belo estão convencidos de que a TPA (Taxa de Preservação Ambiental) cobrada em Bombinhas prejudica a economia do município. Eles argumentam que o vaivém de visitantes entre as duas cidades reduziu consideravelmente desde que o pedágio entrou em vigor.

Stein, a propósito, pediu que a prefeitura de Bombinhas apresente, em 15 dias, uma proposta de ressarcimento para as perdas que o comércio da Capital Catarinense dos Transatlânticos vem acumulando depois da instituição da taxa ambiental. Uma das alternativas levantadas, em conjunto com a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Porto Belo, é a extensão do prazo de validade do pedágio.

O comércio, em pesquisa com os turistas, acredita que os prejuízos seriam minimizados se o pagamento da TPA valesse por 72 horas ao invés das atuais 24 horas. O prefeito de Bombinhas, Paulo Henrique Dalago Müller (DEM), enviou a proposta dos vizinhos para análise no departamento jurídico do município.

NA SAÍDA

De acordo com o presidente da CDL de Porto Belo, Rafael Souza, a taxa de preservação ambiental deveria, ainda, ser cobrada apenas na saída de Bombinhas, e não na entrada. “Dessa forma, todos os visitantes teriam mais tempo de entender a importância da cobrança, mais tempo para procurar os locais adequados para pagamento, e mais conforto em sua chegada às encantadoras praias cidade”, explica.

Guerra fria

Postado em 20 de abril de 2017
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Embora houvesse protocolado, anteontem, requerimento de renúncia, por tempo indeterminado, aos quadros da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) – para se manter na mesa diretora da Câmara Municipal de Tijucas –, a vereadora e advogada Fernanda Melo (PMDB) não contentou, de fato, os colegas pró-governistas. Tanto que uma ação reparatória por possíveis prejuízos causados a terceiros teria sido encaminhada, hoje, ao Tribunal de Ética e Disciplina, em Florianópolis, propondo que ela responda pelo exercício ilegal da advocacia enquanto convencionou a função diretiva no Poder Legislativo à atuação profissional.

Os autores da representação querem a nulidade das incursões judiciais da vereadora ao tempo em que também participava da mesa diretora, e que ela arque com essas consequências junto aos clientes possivelmente afetados. Pois, então?!

CHUMBO TROCADO

Se a guerra está, como se apresenta, estabelecida entre o comando da Casa do Povo e os vereadores situacionistas, o contra-ataque não deve tardar. O abandono em massa na sessão de segunda-feira (17) pode desencadear efeitos corretivos para o time da administração municipal na Câmara.

O presidente Elói Pedro Geraldo (PMDB) estaria debruçado sobre a legislação, mais precisamente nas sanções por “quebra de decoro parlamentar” para, enfim, instituir as punições cabíveis aos desertores. Não seria surpresa, portanto, se na próxima reunião, segunda-feira (24), as censuras fossem aplicadas, além de uma ordem de reparação pública.