quarta-feira, 4 de agosto de 2021 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Recurso a caminho

Postado em 7 de julho de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ex-prefeito Gian Francesco Voltolini (PP), condenado em primeira instância a pagamento de multa e ressarcimento do erário municipal em R$ 32 mil, vai recorrer da sentença. Ele, mais o ex-secretário Eluisio Antônio Voltolini teriam, de acordo com o Ministério Público, contratado o ex-servidor Roland Alfredo Koehler para a Secretaria Municipal de Turismo, que, entre 2014 e 2015, não compareceu ao trabalho em razão de ter outra atividade em Brusque.

Ao repórter Luan Lucas, do Portal VipSocial, o ex-mandatário neotrentino garantiu que Koehler justificou a nomeação e esteve normalmente a serviço do município enquanto contratado. “Embora essa condenação não afete meus direitos políticos, não concordo com a multa e a indenização impostas. Comprovamos nos autos. Ele era empregado, e batia cartão. Vamos apresentar o recurso e certamente reverteremos no tribunal”, reforçou Voltolini.

Corridão e politicagem

Postado em 6 de julho de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os vereadores Nelson Zunino Neto (PP) e Mateus Galliani (PP) entraram para a lista negra do prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB). Em entrevista à Rádio Clube, o chefe do Executivo batistense se referiu aos parlamentares como “falsos, mentirosos”, acusou a dupla de “politicagem” — na votação sobre um projeto que conveniaria o pagamento de aluguel para que uma empresa têxtil se instalasse no município — e ameaçou responder com “um corridão” caso os progressistas pisassem na prefeitura.

Nos microfones da Câmara, em atenção às declarações do prefeito, Galliani alfinetou: “Politicagem é nomear o genro do vice-prefeito como chefe de gabinete do vice-prefeito”, em referência, clara e manifesta, à contratação do estudante Tarcísio Kammers Filho, namorado da filha do vice-prefeito Almir Peixer (PSL), para a chefia de gabinete do sogro. Pois, então?!

Condenados

Postado em 5 de julho de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ex-prefeito de Nova Trento, Gian Francesco Voltolini (PP), e outras duas pessoas foram condenadas por ato de improbidade administrativa. As condenações resultaram em multa, perda de cargo público que porventura exerçam e ressarcimento ao erário municipal.

De acordo com a ação do Ministério Público, o ex-servidor Roland Alfredo Koehler foi nomeado na Secretaria Municipal de Turismo e permaneceu contratado entre 2014 e 2015, mas não comparecia ao trabalho em razão de ter outra atividade em Brusque no mesmo período. Por esse motivo, o ex-prefeito e o ex-secretário de Turismo, Eluisio Antônio Voltolini, além do ex-funcionário, foram sentenciados. Os prejuízos aos cofres do município seriam de R$ 32 mil. O caso foi julgado em primeira instância e cabe recurso.

Prestígio

Postado em 28 de maio de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Enganou-se quem pensou que a ex-vereadora Fernanda Melo Bayer (MDB), depois de vencida na corrida à prefeitura de Tijucas em 2020, ficou na pior. Desde março, a propósito, ela serve ao Iprev (Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina), no cargo de assessora jurídica, com remuneração bruta de R$ 10.720,34.

Nada de anormal, diga-se de passagem. Formação técnica e competência para o posto, segura e claramente, não lhe faltam.

Cômputos eleitorais à parte, entretanto, Fernanda segue bem relacionada e prestigiada. Nos bastidores, especula-se que a deputada estadual Ada Lili Faraco De Luca (MDB), figura importante no MDB catarinense e com quem a ex-parlamentar tem muita proximidade, tenha contribuído para o ingresso da tijuquense no quadro funcional do Iprev.

Volta por cima

Postado em 7 de maio de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) foi absolvido no Tribunal de Julgamento do processo de impeachment nesta tarde e reassumiu a cadeira imediatamente após a decisão. Com ele, volta, também, segundo fontes ligadas ao Centro Administrativo estadual, o ex-prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido (PSL), para o cargo de secretário adjunto de Estado do Desenvolvimento Social.

A nova nomeação de Cândido deve ser publicada nesta noite, no Diário Oficial. O ex-mandatário batistense havia sido exonerado pela governadora interina Daniela Reinehr (sem partido) em 28 de abril e ficou afastado do governo por apenas nove dias. Seu retorno, juntamente com Moisés, conforme antecipado pelo Blog, era dado como certo — e se confirmou — nos bastidores da política estadual.

Útil e agradável

Postado em 26 de março de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os préstimos no parlamento municipal e o vigor político do ex-vereador Esaú Bayer (MDB), de Tijucas, seduziram o prefeito de Porto Belo, Emerson Stein (MDB), que vem moldando a gestão ao tempo em que promove a pré-candidatura à Assembleia Legislativa em 2022. O jovem tijuquense assina, há duas semanas, como diretor de Assistência Social da Capital Catarinense dos Transatlânticos.

Bayer, que se destacou na legislatura 2017-2020 pela atuação na comunidade, traz, ainda, na retaguarda, a esposa, ex-vereadora, candidata a prefeita em 2020 e presidente municipal do MDB, Fernanda Melo, que deve, também, encorpar a campanha de Stein nas próximas eleições.

Tudo em casa

Postado em 23 de março de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Tijuquense residente em Florianópolis, o estudante Tarcísio Kammers Filho, que cursa Direito na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), é, desde semana passada, chefe de gabinete do vice-prefeito Almir Peixer (PSL), o Déi do Gás, na administração municipal de São João Batista. A nomeação, com remunerações mensais de R$ 5,5 mil, foi assinada na quinta-feira (18) pelo prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB).

Aptidões técnicas e coincidências à parte, Kammers Filho tem como maior vínculo com a gestão ou com a política local a circunstância de ser namorado da filha do adjunto batistense, a quem, agora, além de sogro, ele deve chamar de patrão. Pois, então?!

Ao vosso reino

Postado em 17 de março de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O responsável pelo setor de Compras da prefeitura de São João Batista, Rildo Vargas, pode ser outro, a partir da próxima semana, com nomeação na Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social e Habitação. Especula-se que o convite já teria sido feito pelo ex-prefeito Daniel Netto Cândido, secretário adjunto da pasta. A assessoria do ex-mandatário batistense, porém, não confirma a informação.

Cândido, aliás, desde que assumiu o posto, vem se cercando de parte da equipe que comandou na prefeitura da Capital Catarinense do Calçado. Com ele, no governo estadual, já estão a ex-chefe de gabinete Ledir Crispim, o ex-secretário de Administração e Finanças do município Luiz Henrique Lauritzen e a jornalista Dirleni Dalbosco, que coordenava o departamento de Comunicação da prefeitura.

Estadualizado

Postado em 12 de fevereiro de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

A profecia, enfim, foi cumprida. Sempre especulado no primeiro escalão do governo estadual assim que deixasse a prefeitura de São João Batista, o ex-prefeito Daniel Netto Cândido (PSL) foi nomeado, ontem, pelo governador Carlos Moisés da Silva (PSL), secretário de Estado adjunto do Desenvolvimento Social e Habitação.

Cândido tem claras intenções de concorrer a uma cadeira na Assembleia Legislativa em 2022, e um cargo no governo de Moisés, desde que se transferiu para o PSL, em fevereiro passado, seria crucial para o projeto e compunha o pacote — ainda que o ex-mandatário batistense negue veementemente que houvesse qualquer acordo prévio. O que, evidentemente, não exclui o mérito do novo secretário adjunto, considerado, por oito anos de gestão eficiente na Capital Catarinense do Calçado, uma das mais promissoras revelações da política no Vale do Rio Tijucas.

Nas redes sociais, o ex-prefeito repetiu o mantra que o acompanhou nestes últimos anos e publicou que a intenção é “seguir melhorando a vida das pessoas, mas, desta vez, por todo o Estado que tanto amamos”.

Na foto, o chefe da Casa Civil estadual, Eron Giordini, o novo secretário adjunto do Desenvolvimento Social e Habitação e o secretário Claudinei Marques, no ato da nomeação.

Sob pressão

Postado em 10 de fevereiro de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O ingresso do farmacêutico Maxiliano de Oliveira (PP), de Nova Trento, na direção geral do Hospital Infantil Joana de Gusmão, antes comemorada na região, criou um grande desconforto no governo de Carlos Moisés da Silva (PSL). O corpo clínico do HIJG divulgou nota de repúdio, sexta-feira (5), criticando severamente a nomeação. Na “carta aberta à sociedade catarinense”, médicos e servidores da instituição manifestaram “indignação” com o governo e com a Secretaria de Estado da Saúde. Eles tratam a indicação do neotrentino para o cargo como sendo “de caráter estritamente político” e reivindicam o retorno do médico Roberto Tobaldini para a função.

Max, como é conhecido, concorreu à prefeitura de Nova Trento em 2020, mas perdeu a disputa para Tiago Dalsasso (MDB). Ex-vereador e ex-secretário de Saúde do município, ele estava, desde o início do ano, na chefia de gabinete do prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB), em São João Batista. Especula-se, nos bastidores da política estadual, que sua nomeação esteja relacionada à recente aproximação entre Moisés e o PP.