quinta-feira, 21 de novembro de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Microfone fechado

Postado em 7 de outubro de 2019

O voluntariado da ex-primeira-dama Denise Corrêa Silva na Rede Feminina de Combate ao Câncer de Canelinha pode ter sido, conforme se especula, um dificultador para que a entidade recebesse espaço na tribuna da Câmara Municipal, semana passada. O presidente do Legislativo, Arlindo de Simas (PL), havia concordado com a participação das voluntárias na sessão, mas, na hora, justificou que o regimento interno impedia a cessão do uso da palavra.

Sob manifestações de vereadores, ponderações e discussões, Simas foi convencido, enfim, no encerramento do encontro, a ignorar o regulamento e abrir os microfones para a Rede. A presidente Berenice Goulart conseguiu alguns minutos para discorrer sobre o Outubro Rosa, mas, desde então, os termos “politicagem” e “humilhação” passaram a recorrer entre as voluntárias e nas rodas de conversa da Cidade das Cerâmicas.

Fruta da estação

Postado em 6 de setembro de 2019

A burlesca sugestão do presidente da Câmara Municipal de Canelinha, vereador Arlindo de Simas (PL), semana passada, para que o município invista no cultivo do cambucá — o que, na visão dele, incentivaria o turismo e movimentaria a economia —, segue gerando pilhérias de toda sorte na Cidade das Cerâmicas. Todos os dias, nas rodas de cavaco e nos grupos de WhatsApp, alguém menciona a fruta e faz uma chalaça. Virou folclore.

Simas, porém, continua sendo o único que não vê graça nenhuma nos comentários jocosos sobre o tema. Terça-feira (3), aliás, ele pediu à secretária do Legislativo que lesse, no encerramento da sessão, um memorando repleto de parábolas e ensinamentos. A nota atentou para o fato de que “enquanto o eucalipto leva cinco anos para se transformar numa árvore de R$ 500, cada cambucazeira geraria R$ 2 mil anuais” e argumentou que “as pessoas só jogam pedras em árvores que estão dando frutos; e que são pedradas de inveja”.

Na manhã seguinte, provavelmente sensibilizado com a lição, um cidadão canelinhense escreveu alguns versos e divulgou nas redes sociais. Diz o texto, gravado em áudio, que “São João Batista tem sapatarias, e em Nova Trento vamos para rezar. Em Tijucas tem um dinossauro, e em Canelinha temos cambucá”. Pois, então?!

Ideia frutífera

Postado em 29 de agosto de 2019

As conclusões do vereador Abel Grimm (PP) sobre o colega Arlindo de Simas (PL), que preside o Legislativo canelinhense, entraram no WhatsApp e passaram, agora, ao anedotário da Cidade das Cerâmicas. “Votei quatro vezes numa coisa dessas para prefeito. Quatro vezes! Uma, duas, três, quatro! Também me culpo. Onde eu estava com a cabeça? Ainda bem que isso nunca ganhou!”, diz o progressista por mensagem de áudio nos grupos de conversação dos smartphones.

A mais recente proposição de Simas, terça-feira (27), na tribuna da Câmara, teria motivado a manifestação revoltosa — e bem humorada — do confrade. O presidente do parlamento canelinhense sugeriu que o município investisse no cultivo do cambucá, um fruto da família das Myrtaceaes — a exemplo da jabuticaba e da pitanga —, para “incentivar a economia e o turismo” locais. Desde então, em Canelinha, não se fala e nem se ri de outra coisa.

Concorrentes unidos

Postado em 6 de agosto de 2019
Foto: Divulgação

O ex-vereador e ex-secretário municipal Zulmar Simas, o vereador Antônio Carlos Flores (PSDB), o ex-prefeito Antônio da Silva (PP), o advogado Diogo Francisco Alves Maciel e o vereador Altamiro Adames (PSD) foram alguns dos convidados para a celebração do aniversário do vereador Fernando de Souza (PRB), sábado (3), em Canelinha.

Nas redes sociais, Simas comentou que “daqui (da foto) sai o próximo prefeito”. Quem há de duvidar? Afinal, dos seis dispostos no retrato, quatro têm pretensões claras para a prefeitura nas eleições de 2020.

Entre os presentes, aliás, também estavam o presidente da Câmara Municipal, Arlindo de Simas (PL), o vereador Abel Grimm (PP), a empresária Geraldina Mafra e o estrategista político Túlio Tavares Santos. E destes, a propósito, mais um ou dois se dispõem ao próximo pleito majoritário da Cidade das Cerâmicas. Pois, então?!

Workshop partidário

Postado em 4 de julho de 2019
Foto: Divulgação

O recordista de votos para a Câmara Federal em Santa Catarina, deputado – e apresentador de televisão – Hélio Costa (PRB) quer mais. Ele e o deputado estadual Sérgio Motta (PRB) têm projetos para as eleições municipais de 2020 e recebem vereadores da legenda, dia 27, em Florianópolis, para mostrar o caminho das pedras. O canelinhense Fernando de Souza, cotado para a concorrência majoritária da Cidade das Cerâmicas, já confirmou presença.

Souza tem convites de outras siglas, mas diz que gostaria de se manter no PRB caso garanta o apoio dos líderes do partido no estado e quer ouvir o que eles têm a dizer.

Na foto, o parlamentar canelinhense, que comandou a Câmara entre 2017 e 2018, e o colega Arlindo de Simas (PL), atual presidente do Legislativo municipal, emolduram o deputado federal Hélio Costa, em Brasília

Zebra amarela de cola preta

Postado em 12 de dezembro de 2018

Surpresa na eleição da presidência da Câmara Municipal de Canelinha, ontem. No frigir dos ovos, com as atenções todas voltadas ao presidente Fernando de Souza (PRB), que planejava a reeleição, e o provável concorrente, Antonio Carlos Machado Junior (MDB), que seria, em acordo prévio, o próximo da linha de sucessão, a zebra entrou no plenário.

A manobra do MDB deu à luz Arlindo Simas (PR), que, apesar de eleito na oposição, sempre manteve o discurso neutro. O objetivo dos emedebistas, que precisaram sacrificar o comando da mesa, era a derrota do atual presidente, acusado de traição ao tratado de alternância dos governistas. Deu certo. O republicano, que foi candidato à prefeitura de Canelinha por quatro vezes e jamais venceu o pleito municipal, assume, em 2019, a presidência do Legislativo da Cidade das Cerâmicas. A ex-secretária de Saúde – agora definitiva – Neli Ferreira (MDB) ficou com a vice-presidência, enquanto Adair “Dica” da Conceição Lopes Filho (MDB) e Eli Martins (PT) ocupam a primeira e segunda secretarias da Casa respectivamente.