terça-feira, 22 de novembro de 2022 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Ascensão

Postado em 22 de novembro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Votado por 643 eleitores em 2020, o presidente da Associação de Moradores de Nova Descoberta, José Vicente de Souza e Silva, que deve se candidatar novamente a vereador nas próximas eleições municipais, não tem feito outra coisa a não ser política. E os objetivos estão muito claros, sobretudo no figurino.

Presidente do PL de Tijucas, Zezinho usa a camisa azul com o distintivo e o número do partido o tempo inteiro, sete dias por semana. Mandou confeccionar quatro peças do fardamento, e não se veste de outra maneira por nada. Quer mostrar o orgulho de representar a legenda do governador eleito Jorginho Mello, de quem se tornou muito próximo, e marcar território no município para o pleito de 2024.

Na retaguarda, tem um motorista, um secretário pessoal, um assessor de comunicação e uma estrutura de dar inveja em políticos gabaritados. Tudo mantido por apoiadores, empresários que acreditam no potencial do movimento que criou.

Dia 4 de dezembro, a propósito, ele recepciona Mello e o senador eleito Jorge Seif (PL-SC) mais uma vez na Capital do Vale, com festa para centenas de convidados e, seguramente, anúncios do que vem adiante.

Locomotiva

Postado em 13 de julho de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

No terreno dos palpites, a deputada estadual Ana Paula da Silva (PODE), de Bombinhas, aparece entre os favoritos da concorrência ao Legislativa catarinense nestas eleições. As apostas vêm da sobressalente atuação da parlamentar na Assembleia, da gradativa estrutura política que vem apresentando e, ainda, da manutenção dos apoiadores de 2018 — que deram a ela o quinto lugar entre os mais votados do último pleito. Circunstâncias que engendram no PODEMOS de Santa Catarina a expectativa de formar 10% da próxima legislatura na disputa que se avizinha.

Há quatro anos, Paulinha não foi votada em apenas 21 dos 295 municípios catarinenses. Desempenho, embora extraordinário, que deve ser ainda melhor nestas eleições a partir do “mandato estadualizado” que a bombinense vem promovendo desde que tomou posse na Alesc. No fim de junho, com agenda na Serra Catarinense, ela concluiu o roteiro de visitas a todas as regiões do Estado.

Não à toa, a propósito, chegou recentemente aos 70 mil seguidores no Instagram e passou a figurar, também, na lista de deputados catarinenses com maior notoriedade nas redes sociais.

Telhado e arquibancada

Postado em 2 de fevereiro de 2021
  •  
  •  
  • 17
  •  
  •  

As sessões da Câmara de Vereadores de Canelinha vêm sendo realizadas no auditório da Secretaria de Educação. Já foram duas: em 19 e 26 de janeiro. E, segundo o presidente da mesa diretora, vereador Robinson Carvalho Lima (PP), as reuniões não voltam à sede do Legislativo antes de junho. O prédio foi interditado por graves problemas no telhado, e obras de reestruturação já estão sendo orçadas.

Curioso, porém, é que a sede da Câmara Municipal passou por reforma recente. O presidente era o folclórico ex-vereador Arlindo de Simas (MDB), que dispendeu R$ 75 mil para a obra, não mexeu no telhado, mas construiu uma arquibancada no plenário que, desde então, vem dividindo opiniões entre os frequentadores das sessões e pautando zombarias nos balcões de botequim e rodas de esquina. Pois, então?!

Abandono

Postado em 28 de setembro de 2020
  •  
  •  
  • 2
  •  
  •  

Se o vice-prefeito Adalto Gomes (PL) já disputaria a eleição majoritária de Tijucas com estrutura e base de apoio enxutas, as dificuldades da campanha podem ter sido amplificadas consideravelmente no fim de semana. Vice-presidente do PL municipal, o coordenador do projeto eleitoral do adjunto tijuquense Edjalma Matos abandonou a cruzada e assinou pedido de desfiliação do partido ontem.

Com ele, saíram, ainda, dois candidatos a vereadores liberais e mais dois filiados ao Republicanos, que devem trabalhar em campanha paralela, sem suporte a Gomes e ao advogado Fernando Rodrigues (PL) no pleito majoritário. Os desentendimentos envolveram, sobretudo, a escassez de recursos do PL, prometidos pela cúpula estadual da legenda e não direcionados ao diretório da Capital do Vale.

Eleição inflada

Postado em 23 de setembro de 2020
  •  
  •  
  • 2
  •  
  •  

Tijucas deve ter um recorde de candidatos a prefeito nestas eleições. Se nada mudar, serão cinco postulantes ao cargo máximo do município no pleito que se avizinha. Nas últimas décadas, a disputa sempre foi polarizada em duas opções, e, no máximo, apresentou uma terceira — sempre com expressão e favoritismo reduzidos.

Dentre as candidaturas que vinham sendo trabalhadas nas bases, o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD), a vereadora Fernanda Melo (MDB) e o empresário Thiago Peixoto dos Anjos (PDT) nunca foram dúvidas; e confirmaram as previsões. As incertezas eram o vice-prefeito Adalto Gomes (PL), que pretendia representar o projeto governista, e o suplente de vereador Sidney Machado (PSC), que tem estrutura enxuta e um grupo modesto — em comparação aos demais — de apoiadores.

Gomes e Machado, entretanto, já garantiram participação no certame. O adjunto tijuquense traçou um plano paralelo, apresentou oficialmente o advogado Fernando Rodrigues (PL) como companheiro de chapa e já vem divulgando material de campanha; e o suplente de vereador assegura que, mesmo sem a mass media dos rivais, vai concorrer à prefeitura “com certeza” de braços dados com o pastor evangélico Wesley Paiva (PSC).

Reorganização

Postado em 13 de maio de 2020
  •  
  •  
  • 13
  •  
  •  

A representação do PT em Tijucas tem nova direção executiva desde sexta-feira (8). O artista plástico Leandro Serpa assumiu a presidência, e o conselheiro tutelar Tannay Vaz Júnior foi escolhido vice-presidente do partido no município. A estrutura institucional da legenda na Capital do Vale conta, ainda, com secretários de Organização, Finanças e Planejamento, Formação, Movimentos Populares e Comunicação.

As recentes saídas do vice-prefeito Adalto Gomes, agora no PL, e do ex-vice-prefeito Roberto Vailati, que passou ao PSB, além da renúncia do então presidente Diogo dos Santos, provocaram medidas emergenciais no PT municipal. O partido não decidiu, ainda, porém, se vai participar das eleições deste ano em Tijucas.

Recordar é viver

Postado em 17 de janeiro de 2019
  •  
  •  
  • 113
  •  
  •  

No contraponto da nota “Em abundância“, de ontem, o presidente do MDB de Tijucas, vereador Fernando Fagundes, corrige o diretor do Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto), Jilson José de Oliveira, e diz que a estrutura de abastecimento de água do município “não está 20 anos sem investimentos”.

De acordo com Fagundes, “após a instalação inicial feita pelo saudoso prefeito Bebeto (Carlos Humnerto Ternes, que governou o município entre 1997 e 2000), as administrações seguintes construíram, ainda, um reservatório de 1,8 mil metros cúbicos, uma ETA (Estação de Tratamento de Água) para atender Terra Nova, Campo Novo e Oliveira, um reservatório para Morretes, a travessia subaquática no Porto do Itinga, além da reforma do reservatório de Sul do Rio e de ter contemplado Santa Luzia e Timbé com água tratada, entre outras benfeitorias”. O emedebista termina a explanação com um recado: “lembrar também faz bem!”.

Câmara interditada

Postado em 9 de janeiro de 2019
  •  
  •  
  • 30
  •  
  •  

Na papelada esquecida, nas gavetas da Câmara de Vereadores de Tijucas, há um laudo do Corpo de Bombeiros que determina a interdição – isso mesmo: interdição! – do prédio que comporta o Poder Legislativo municipal. Amanhã, os homens de vermelho voltam à Casa do Povo para reavaliar as condições do imóvel e devem, mais uma vez, reprovar a estrutura.

O forro e o assoalho, principalmente, estão em situação deplorável. Na maior parte dos gabinetes da Câmara, o piso cedeu; e as fendas e remendos no chão se multiplicam periodicamente neste preocupante cenário. As paredes, carunchadas, denunciam as fissuras no teto. Dias de chuva são calamitosos na Casa há anos.

META ESTABELECIDA

Para marcar o mandato, o atual presidente, Vilson Natálio Silvino (PP), estabeleceu uma meta: revitalizar integralmente a sede do Legislativo tijuquense. O start para a construção de uma Câmara de Vereadores nova, em outro endereço, também está nos planos do vereador. O prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) já acenou positivamente sobre a aquisição de um terreno para este fim.

A mesma empresa que construiu a elogiada Casa do Empresário – sede da Acit (Associação Comercial e Industrial de Tijucas) e da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) da cidade – se propõe ao serviço. Em estruturas pré-moldadas, a estimativa é de que a obra custe cerca de R$ 200 mil; apenas a quinta parte das sobras do Legislativo em 2018.

Enxugamento

Postado em 22 de dezembro de 2016
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

De acordo com o próximo secretário de Administração e Finanças do município, empresário Helio Gama, as fusões de secretarias e consequentes extinções de cargos do primeiro escalão ocasionarão, em quatro anos, a economia de R$ 2,4 milhões aos cofres públicos de Tijucas.

A nova estrutura organizacional da prefeitura, porém, passará por um período de experiência. Junho é o limite para decidir, na relação sucessos versus dificuldades, se esse modelo será mantido.

Três: O filho adotivo

Postado em 6 de outubro de 2016
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

No segundo semestre de 2008, Elmis Mannrich (PMDB) estava nos braços do povo. Em apenas três anos e meio, o prefeito de Tijucas ostentava o título informal de “melhor de todos os tempos” e caminhava a passos largos para a reeleição. Na retaguarda, sempre atenta e sagaz, a chefe de gabinete Flávia Fagundes filha do ex-prefeito Nilton “Gordo” Fagundes contribuía vigorosamente para a impressionante aprovação popular da administração municipal e, consequentemente, para a excelente imagem do chefe. Era ela quem fazia o atendimento aos pleitos da sociedade, encaminhava urgências ao prefeito, regia o colegiado municipal e cuidava pessoalmente de algumas demandas que pudessem ser terceirizadas. Chegava antes e saía da prefeitura depois de todos. Tinha pulso, jogo de cintura e vontade de trabalhar; além da fidelidade irreparável ao partido e, especialmente, ao patrão, a quem servia desde os tempos do escritório de advocacia.

Na carona desse ótimo momento, Fernando Fagundes (PMDB) despontava entre os jovens candidatos à Câmara na época. Filho de um dos políticos mais populares da história de Tijucas, peemedebista de berço, irmão da chefe de gabinete e frequente de inúmeros grupos sociais da cidade, tinha tudo para estrear bem nas concorrências eleitorais. Não deu outra. Em 5 de outubro daquele ano, ele recebeu 1.381 votos 20 a menos que a primeira colocada Marilú Duarte Carvalho (PMDB), então braço direito do secretário de Saúde à época, Walter Gomes Filho e conquistou, com virtudes sobejas, uma cadeira no Legislativo.

Mannrich estava reeleito e Fernando do Gordo na Câmara em 2009. Tudo parecia em ordem, não fosse a contestação dos métodos, inclusive pelos partidários, vereadores reeleitos e históricos, que, por ciúme ou por direito, passaram às objeções veladas. Formou-se, nos meses anteriores e anos seguintes à campanha, um elemento populário de que a estrutura municipal operava em função do irmão da chefe de gabinete. Alguns comissionados da prefeitura, inclusive, admitem quem eram mais valorizados se manifestassem apoio ao vereador e trabalhassem nesse sentido; e os demais parlamentares do partido, que não tinham as mesmas vantagens, começavam a ignorar alguns interesses da administração municipal na Câmara em razão dessa situação. Edson Souza e Elizabete Mianes da Silva eram, visivelmente, dois dos mais incomodados na época.

Fernando Fagundes continuou bem-sucedido nos pleitos eleitorais seguintes, sempre com expressiva votação. Neste, de 2016, era, flagrantemente, o candidato a vereador do candidato a prefeito. A esmagadora maioria dos cabos eleitorais do partido eram, e foram, também replicadores de votos para o edil reeleito; que, desta vez, somou 1.141 indicações e liderou, pela segunda vez consecutiva, a lista proporcional de classificados. O sucesso, porém, veio pela metade. Mannrich sofreu seu mais amargo revés, para tristeza de muitos e alegria de outros  principalmente de alguns que buscavam apenas a igualdade de privilégios nos seus governos anteriores.