segunda-feira, 15 de julho de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Lavanderia legislativa

Postado em 30 de janeiro de 2019

Dizer que os vereadores Neli Ferreira (MDB) e Antônio Carlos Flores (PSDB), de Canelinha, não se suportam, é chover no molhado. São inimigos políticos e pessoais; e já protagonizaram inúmeras contendas na tribuna do Legislativo canelinhense. Nenhuma, entretanto, como a de ontem.

Bastou que o tucano apresentasse os números do CFM (Conselho Federal de Medicina) – que coloca Canelinha entre os piores municípios do Estado no investimento em Saúde por habitante – para que a ex-secretária da pasta, que retornou para a Câmara recentemente, partisse para o contra-ataque; e levasse a discussão para o âmbito pessoal.

Quebrado o decoro, a emedebista defrontou o rival e deu a cara a tapa, literalmente. Não fosse a prudência do ex-servidor da Casan e a intervenção precisa do vereador Abel Grimm (PP), a delegacia da Cidade das Cerâmicas certamente lotaria de ilustres vossas excelências na noite passada. A sessão precisou ser interrompida. Lamentável. Assista:

Suplente da ex-secretária

Postado em 12 de dezembro de 2018

Com o retorno da professora Neli Ferreira (MDB) para a Câmara de Canelinha, Gentil Anastácio Pereira Neto, o Tinoco (MDB), volta a ser suplente. A ex-secretária de Saúde do município recebeu a carta de exoneração anteontem e foi eleita, no dia seguinte, vice-presidente do Legislativo canelinhense.

Ontem, a propósito, durante a sessão, Tinoco, o suplente, garantia aos mais próximos que não ficaria desamparado; e que, muito provavelmente, seria nomeado secretário de Saúde nos próximos dias. Com a palavra, o prefeito Moacir Montibeller (MDB).

Zebra amarela de cola preta

Postado em 12 de dezembro de 2018

Surpresa na eleição da presidência da Câmara Municipal de Canelinha, ontem. No frigir dos ovos, com as atenções todas voltadas ao presidente Fernando de Souza (PRB), que planejava a reeleição, e o provável concorrente, Antonio Carlos Machado Junior (MDB), que seria, em acordo prévio, o próximo da linha de sucessão, a zebra entrou no plenário.

A manobra do MDB deu à luz Arlindo Simas (PR), que, apesar de eleito na oposição, sempre manteve o discurso neutro. O objetivo dos emedebistas, que precisaram sacrificar o comando da mesa, era a derrota do atual presidente, acusado de traição ao tratado de alternância dos governistas. Deu certo. O republicano, que foi candidato à prefeitura de Canelinha por quatro vezes e jamais venceu o pleito municipal, assume, em 2019, a presidência do Legislativo da Cidade das Cerâmicas. A ex-secretária de Saúde – agora definitiva – Neli Ferreira (MDB) ficou com a vice-presidência, enquanto Adair “Dica” da Conceição Lopes Filho (MDB) e Eli Martins (PT) ocupam a primeira e segunda secretarias da Casa respectivamente.

Vota e volta?

Postado em 11 de dezembro de 2018

A secretária de Saúde do município de Canelinha, vereadora licenciada Neli Ferreira (MDB), recebeu a carta de exoneração ontem. Hoje, ela volta à Câmara Municipal e participa da votação para a presidência da Casa. Nos bastidores, trata-se o caso como manobra política, já que o suplente Gentil “Tinoco” Anastácio Pereira Neto (MDB) não pode, segundo o regimento interno, ocupar função na mesa diretora.

Logo mais, entretanto, têm-se algumas revelações. Se a ex-gestora da Saúde assumir a segunda secretaria da mesa –  que é um posto absolutamente dispensável –, ela, muito provavelmente, deixa a Câmara e retorna ao comando da Saúde municipal. Do contrário, Neli permanece vereadora, frustra os gatos-mestres da política canelinhense e atira o prefeito Moacir Montibeller (MDB) nos braços do povo; já que, para a maior parte da população, a gestão da Saúde, campeã de críticas, é o calcanhar de Aquiles da administração municipal e urgia por mudanças.

Arrependimento

Postado em 29 de outubro de 2018

Por invocação do ex-prefeito de São João Batista, Aderbal Manoel dos Santos (PP), o deputado federal e senador eleito Esperidião Amin (PP-SC) destinou à Saúde de Canelinha, para a Vigilância Sanitária, uma Mitsubishi/L200 Triton Sport. O veículo, no entanto, propôs uma quebra de tradição na administração municipal: não foi exposto na fachada da prefeitura, como de hábito, e permanece, desde que chegou, há cerca de 40 dias, sonegado no pátio, alheio à atividade pública e ao conhecimento da população.

Santos atua na indústria calçadista, empreendeu na Cidade das Cerâmicas recentemente e quis, mais uma vez, demonstrar gratidão ao povo e ao governo canelinhense. Mas, de certo, não contava com a resistência da secretária municipal de Saúde, vereadora licenciada Neli Ferreira (MDB), à figura e ao nome do ex-governador. Amin, aliás, vem confessando aos amigos de Canelinha que se arrependimento fizesse nascer cabelos, já estaria ostentando um suntuoso rabo-de-cavalo. Pois, então?!

Secretária empenhada

Postado em 16 de maio de 2018

A secretária de Saúde do município de Canelinha, vereadora licenciada Neli Ferreira (MDB), é, certamente, peça fundamental no governo do prefeito Moacir Montibeller (MDB). Não fosse assim, o importe do município com ela, somente em ordenados, não seria maior que o dobro do montante que os cofres públicos da Cidade das Cerâmicas despendem com qualquer outro colegiado.

A conta é simples e rápida: enquanto um secretário municipal leva, em salários, cerca de R$ 60 mil anuais do tesouro canelinhense, a gestora da pasta de Saúde custa R$ 130 na folha de pagamentos do ano. Tudo porque o município precisa, para ter Neli na administração, pagar os vencimentos dela — de quase R$ 8 mil —, mais encargos sociais, ao governo estadual. Ela é professora, da Secretaria Estadual de Educação, a serviço do Deinfra (Departamento Estadual de Infraestrutura) (?).

A situação da responsável pela Saúde canelinhense com o governo do Estado, neste momento, é de cessão ao município de Canelinha com “ônus”. Ou seja, a Secretaria Municipal de Saúde tem, por obrigação, que empenhar — ou devolver — R$ 130 mil aos cofres estaduais, já no início do ano, para poder contar com a vereadora licenciada no comando da pasta. Pois, então?!

Dupla direção

Postado em 19 de abril de 2018

Os canelinhenses não podem reclamar que a Fundação Hospitalar do município não tem direção. Podem se queixar, porém, da confusão. Quem procura pela diretora do hospital da Cidade das Cerâmicas, tem logo a pergunta-resposta “qual delas?”.

A imposição vem da secretária municipal de Saúde, Neli Ferreira, que não comunga com a diretora de fato, ex-vereadora Vanderléia Rosa, a Léia. Para a gerente da pasta, a diretora é, a bel prazer, a técnica de enfermagem Noezi Pereira, a quem indicou, designou e orientou na direção da Fundação Hospitalar; mas sem que o cargo ficasse vago. Para todos os efeitos, o hospital tem duas diretoras. Uma para cuidar da outra.

Profissionalização

Postado em 27 de junho de 2017
Foto: Divulgação

Relações à parte, coube à secretária de Saúde de Canelinha – sim, Saúde! –, vereadora licenciada Neli Ferreira (PMDB), a visita ao diretor de Administração e Finanças do Sebrae/SC, engenheiro Sérgio Fernandes Cardoso, para solicitar apoio da entidade na especialização de mão de obra na cidade.

O governo da Cidade das Cerâmicas está, definitivamente, maravilhado com a instalação da Calçados Ala no município; e quer, agora, profissionalizar o trabalhador canelinhense na produção calçadista.

Fila da esperança

Postado em 25 de agosto de 2016

Dezenas de pessoas – provavelmente desempregadas – formavam filas homéricas, hoje pela manhã, no Forno Bar, que é administrado pela família da vereadora e candidata à reeleição Neli Ferreira (PMDB), em Canelinha. Esperançosos, todos preenchiam cadastros para possíveis empregos nas praças de pedágio da Autopista Litoral Sul.

Não se faz relação, no entanto, da vereadora com a concessionária que responde pela BR-101 entre Palhoça e Curitiba. Pode ser apenas coincidência, serviço voluntário; ou, numa das hipóteses consideradas pelos adversários, promessa de campanha. Os situacionistas – e o blog – seguem colhendo informações.

Estreia

Postado em 5 de agosto de 2016
Foto: Divulgação

O prefeito Antônio da Silva (PP), que governa o município há oito anos, enfim, conheceu os estúdios e, principalmente, os microfones da Rádio Canelinha FM, administrada pela vereadora Neli Ferreira (PMDB), sua mais contundente censora – que pode ser homologada candidata a vice-prefeita pela oposição hoje.

Dias atrás, Tonho esteve pela primeira vez na emissora e concedeu entrevista ao radialista Carlinhos Trindade, marido da vereadora. Ponte entre a rádio e o prefeito, o secretário municipal de Obras e Serviços Urbanos, Zulmar Simas, comemorou o feito.