sexta-feira, 12 de abril de 2024 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Vice de novo?

Postado em 6 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

O nome do vice-prefeito Almir “Déi” Peixer, de São João Batista, não constava na relação de filiados de qualquer partido político, desde a fusão dos extintos PSL e Democratas, em 2021, que resultou na criação do UNIÃO BRASIL. O adjunto havia sido eleito, um ano antes, pelo PSL, mas decidiu não acompanhar a nova legenda.

A condição, entretanto, mudou. Nesta semana, atendendo a um pedido do prefeito e colega de chapa na vitoriosa campanha de 2020, Pedro Alfredo Ramos, Peixer assinou sua ficha de filiação ao MDB batistense. O ato, aliás, foi acompanhado pelo próprio mandatário e por outras lideranças do grupo.

Em atenção ao Blog, o vice-prefeito afirmou que ainda analisa o futuro e que não decidiu se estará nas urnas em outubro. Entretanto, especula-se na Capital Catarinense dos Calçados que o movimento poderia indicar a possibilidade de uma candidatura à reeleição, sobretudo, se for confirmada, no futuro, uma conjuntura entre MDB e o PSD, do ex-prefeito Daniel Netto Cândido. Pois então…

Extra! Extra!

Postado em 5 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

No último dia da janela da partidária, o União Brasil, de Tijucas, confirmou a adesão do vereador José Roberto “Betinho” Giacomossi. O parlamentar deve assinar a ficha de filiação ainda na manhã desta sexta-feira (5).

O Blog havia antecipado, dias atras, que Giacomossi estava decidido a deixar o PSD. Entre os motivos, estaria o desgaste da relação com a legenda, onde disputou três eleições consecutivas, sendo, inclusive, o primeiro vereador eleito pelo partido no município.

Antes de definir o futuro, o ex-superintendente da Fundação Municipal de Esportes comunicou o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD) sobre a desfiliação. Desde então, o vereador passou a conversar com o colega de parlamento municipal, Maurício Poli (UNIÃO), sobre a possibilidade de adesão ao novo grupo.

“Estava sempre conversando com o Maurício Poli, com o irmão dele, o Cesar (Mário César Poli). O projeto deles no União Brasil é muito legal e decidi acompanhá-los”, resumiu Giacomossi.

Separação litigiosa

Postado em 3 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Reprodução | MDB Porto Belo

A decisão do presidente da Câmara Municipal de Porto Belo, vereador Magno Muñoz, de se desfiliar do MDB, surpreendeu e irritou a executiva local da legenda.

Ontem, o partido publicou uma nota oficial que condena o ato e, nas entrelinhas, sugere que o parlamentar tenha sido ingrato. O boletim, inclusive, frisa que Muñoz foi “eleito pelo MDB e por quociente eleitoral” e que “em 2016 (quando se candidatou pela primeira vez ao Legislativo) não obteve êxito e foi convidado a participar da administração municipal como secretário de Assistência Social”.

Na justificativa, o vereador, que tem o desejo manifesto de se candidatar à prefeitura no futuro, citou a falta de espaço e de perspectiva no MDB portobelense. Condições que a publicação oficial do partido também contesta: “não lhe faltaram oportunidades, e sua saída foi uma decisão pessoal”.

Hora do adeus 

Postado em 2 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

O prazo para a desincompatibilização de quem ocupa uma secretaria municipal e pretende, em outubro, concorrer a uma cadeira na Câmara de Vereadores, termina no próximo sábado (6), exatos seis meses antes do pleito municipal. 

As previsões e especulações iniciais indicavam que Tijucas teria, nesta data, uma série de saídas. O prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD), desde o início do ano, já listava as prováveis baixas e, principalmente, os nomes para substituição. O Blog apurou, em janeiro, que nove exonerações eram cogitadas pelo mandatário. 

Entretanto, restando poucos dias para a definição, alguns dos secretários ainda não bateram o martelo sobre a candidatura. O Blog, porém, confirmou que o número deve ser menor do que o previsto e, servidores do alto escalão, que tinham as candidaturas dadas como certas, optaram por seguir no comando das pastas. 

Os indecisos, aliás, têm encontros marcados com o mandatário tijuquense, nos próximos dias, para avaliar prós e contras, e definir o futuro. Enquanto isso, aves sedentas por informações seguirão sobrevoando o paço municipal para municiar o Blog com notícias precisas.

Chancelada 

Postado em 1 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas

Se a decisão final depender única e exclusivamente do prefeito Joel Orlando Lucinda (MDB), de Porto Belo, a chapa formada com Ailto Neckel de Souza (PL), na eleição suplementar de 2022, será reeditada em 2024. O projeto de reeleição do mandatário tem como vice, justamente, o atual adjunto portobelense. 

Além da afinidade, Lucinda pontuou, em entrevista ao programa LINHA DE FRENTE, quinta-feira passada (28), que confia extremamente no vice-prefeito e entende, ainda, que a manutenção da dupla é uma questão ética. 

“Eu sempre fui uma pessoa muito correta na minha vida pública. Eu não vou enganar. Cabe ao partido, mas a decisão principal é minha. Tivemos um mandato de dois anos. Por que eu vou usar ele para me eleger no primeiro mandato e no segundo não? Eu não faço isso. A pessoa é valorizada. Nunca discutimos, sempre conversamos. É como se fosse da família. Tem união, a gente vê trabalhar e somar”, explicou o mandatário. 

A boa relação, aliás, pôde ser vista meses atrás, na transmissão da chefia do Executivo municipal ao adjunto, durante as férias do titular. “Em Santa Catarina, muitos prefeitos têm medo de passar a cadeira pro vice-prefeito. No começo do ano, peguei 12 dias de férias, entreguei a chave da prefeitura, a caneta e falei: ‘nem me incomoda’. Ele tava lá trabalhando. A união faz a força”, completou. 

PROCURA-SE RIVAL

A ausência de grupos oposicionistas à administração municipal, fato recorrente desde o pleito municipal de 2020, não preocupa Lucinda. O mandatário portobelense entende que o processo acontecerá naturalmente e no futuro. 

“Pelo crescimento, o desenvolvimento… É difícil criar um grupo pra ir contra uma coisa boa. Quando é uma administração fraca, irregular, tem mil candidatos pra tentar chegar no poder. Mas hoje, Porto Belo, pelo jeito que tá sendo administrada, mesmo com algumas falhas, ainda é difícil. Só o tempo vai dizer quem virá para a concorrência”, afirmou.

Perfil novo

Postado em 25 de março de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

Se o problema dos grupos de oposição ao prefeito Diogo Francisco Alves Maciel (PL), em Canelinha, era a ausência de uma novidade, pode não ser mais. Afinal, lideranças responsaveis por organizar um bloco de enfrentamento ao mandatário canelinhense vêm atuando para lançar uma mulher – algo pouco recorrente na região -, e sem histórico de envolvimento na política local.

A advogada e empresária Ana Claudia Orsi Arndt, filha do ex-vice-prefeito Edson Orsi e da ex-vereadora Maria Bernadete Trainotti Orsi, atenderia ao perfil identificado pelo movimento como o ideal para a concorrência.

O Blog apurou que os convites já existiram e que as tratativas seguem a todo vapor. Por ora, há uma natural aproximação com o MDB, mas o grupo pretende analisar outras possibilidades e deixar a decisão final para o futuro.

Consultada, a herdeira da família Orsi confirmou as sondagens e o início das conversas, mas ponderou que o tema ainda será amadurecido. “Falar em pré-candidatura é precoce. Até o momento, o que ocorreram foram convites e tratativas relacionadas ao assunto. Possibilidade existe, mas são decisões tomadas em conjunto, pois respeito a hierarquia dentro dos partidos e a opinião das lideranças partidárias”, pontuou.

Engenhoso

Postado em 18 de março de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas

O projeto de reeleição do prefeito Diogo Francisco Alves Maciel (PL), de Canelinha, deve contar com uma característica quase inédita em Santa Catarina. Rival declarado dos liberalistas no pleito de outubro, o PSD, ao que tudo indica, estará com Maciel na busca por mais quatro anos no Executivo municipal.

Ao programa LINHA DE FRENTE, na última quinta-feira (14), o mandatário canelinhense revelou que a conjuntura foi estratégica. Primeiro, para ampliar a lista de deputados estaduais e federais que poderiam contribuir com a cidade. Mas, além disso, para facilitar o trânsito na Capital Federal, fugindo também da rivalidade PL e PT.

“Não estar em chapa pura (como foi em 2020) é para ampliar o leque. O PSD foi parceiro na Câmara, desde o início da gestão. Não faria sentido o partido não estar conosco. Vamos conseguir contemplar deputados e lideranças do PSD. É um partido que cresceu muito. Tempo de tv, alguns acessos em Brasília. Por ser PL, tenho portas fechadas no governo PT. Assim, conseguimos um certo balão com o PSD, através dos deputados Darci de Mattos e Ismael dos Santos”, contou o prefeito.

PRÉ-CANDIDATOS

Embora o atual vice-prefeito Antônio Carlos Machado Júnior (PSD) seja o favorito para concorrer novamente ao pleito, Alves Maciel ainda mantém a cautela sobre o assunto e explica que a decisão ficará para o futuro.

“Somos pré-candidatos. Mas a política é dinâmica. Precisamos nos provar todos os dias que podemos e merecemos ser candidatos. Pesquisas internas nos mostram certa vantagem, mas não podemos sentar nisso. Precisamos justificar o motivo de recebermos o voto em 2020 e do porque queremos o voto em 2024”, disse.

Chapa pronta?

Postado em 15 de fevereiro de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

Engana-se quem pensa que o ex-prefeito Gian Francesco Voltolini (PP), de Nova Trento, esteja alheio aos bastidores políticos da Terra de Santa Paulina. Muito pelo contrário, aliás. O líder dos progressistas neotrentinos vem se movimentando no bloco oposicionista e participando das reuniões do grupo.

Tanto que, nos últimos dias, uma fotografia do ex-mandatário, abraçado ao pré-candidato a prefeito Maxiliano de Oliveira (PL) circulou nos grupos de conversas da cidade, dando margem para que os mais entusiasmados garantissem que no retrato estaria a chapa para o pleito de outubro.

Consultado pelo Blog, Voltolini não confirmou, mas também não negou o movimento. Limitou-se, inclusive, a declarar que existem algumas conversas em andamento, mas que a decisão deve ficar para o futuro. “Vamos ver lá na frente”, disse.

O entrave, segundo se especula, seria um impedimento judicial, causado por um processo que o ex-mandatário responde. Entretanto, o progressista garante que não há qualquer empecilho. “Somente a esposa”, brinca.

Previsão

Postado em 24 de janeiro de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Redes Sociais

Uma profecia lançada pelo deputado estadual Carlos Humberto Metzner Silva (PL), neste final de semana, causou alvoroço no meio político do Vale do Rio Tijucas. Uma foto, três personagens da região e uma legenda forte foram o suficiente para o barulho.

O parlamentar foi fotografado, em um evento promovido na Marina Rio Tijucas, cercado pelo prefeito Diogo Francisco Alves Maciel (PL), de Canelinha, o empresário Felipe Lemos (PL), de São João Batista, e o vereador Fernando Fagundes (MDB), de Tijucas.

No retrato, Metzner Silva cravou: “atual e futuros prefeitos”. Com “atual”, óbvio, o parlamentar se referia ao canelinhense, eleito em 2020 e candidato natural à reeleição em outubro. Já Lemos e Fagundes se lançaram como pré-candidatos em suas respectivas cidades.

O empresário, entretanto, teria um caminho menos conturbado. Afinal, aparece como a grande liderança construída pelo PL na Capital Catarinense do Calçado, preside a legenda e é o único pré-candidato do grupo. A situação do herdeiro da família Fagundes é a mais indefinida entre os três.

Vereador por quatro mandatos consecutivos, Fernando garante que quer concorrer à prefeitura em 2024. Mas, internamente, enfrenta a disputa com o ex-prefeito e presidente do MDB local, Elmis Mannrich. Fagundes, aliás, segue sendo assediado pelo PL e Metzner Silva é, justamente, o maior entusiasta da filiação.

Se ela acontecerá ou não, só o tempo, o único e verdadeiro senhor da razão, dirá. Mas as profecias… essas estão devidamente lançadas.

Altos e baixos

Postado em 23 de janeiro de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

Ao tempo em que o PDT de Tijucas se reestrutura, renova as expectativas e caminha para o pleito de outubro sob nova direção, perde em representatividade com a saída iminente do vereador Erivelto Leal dos Santos, o Danone. Ele permanece no partido apenas até 6 de abril, no fim da janela de transferências, e, inclusive, já comunicou a regência local da legenda sobre a decisão.

O movimento, segundo apurado pelo Blog, não tem a ver com a mudança de comando e, sobretudo, com o ingresso do colega de parlamento Cláudio Eduardo de Souza na presidência da comissão municipal – que, de acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), teve atividade encerrada em setembro de 2021. “Sempre cobrei que estivéssemos unidos e atuantes, e que o partido se fortalecesse. Ficamos três anos sem qualquer ação nesse sentido”, reclama.

FUTURO

Leal dos Santos garante que continua na política e que deve se recandidatar ao Legislativo nas próximas eleições, mas com outra legenda. “Tenho convites de muitos partidos e boa relação com todos. MDB, PP, PL e PT são alguns. Posso estar na oposição ou na situação”, revela o vereador.