quinta-feira, 22 de fevereiro de 2024 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Onde há fumaça…

Postado em 1 de fevereiro de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

O status da relação entre PL e PP passou ao próximo nível em São João Batista. As principais lideranças dos dois partidos se reuniram ontem no Centro Administrativo do Estado para assumir o “namoro”.

Sentados à mesa, estavam o presidente do PL batistense Felipe Lemos, o ex-prefeito Aderbal Manoel dos Santos, maior expoente do PP na Capital Catarinense do Calçado, e o braço direito do governador Jorginho Mello (PL) e presidente do PL de Florianópolis, Heleno Orlandino.

O interesse na construção de um projeto conjunto, segundo apuração do Blog, tem sido mútuo e conta com o aval da cúpula liberalista estadual. Lemos acredita que uma composição com o PP, legenda tradicional e de grande apelo eleitoral no município, engrandeceria o projeto, tanto na aliança majoritária quanto na proporcional.

Prefeito de 2005 a 2012, Santos, por sua vez, entende que o jovem empreendedor, estreante na política, além de apresentar a novidade ao pleito, ajudaria na oxigenação do PP, que já não administra São João Batista há 11 anos, quando, justamente, ele deixou a prefeitura.

ABERTO AO DEBATE

Consultado pelo Blog, Felipe Lemos confirmou a aproximação com o PP e revelou que “as conversas evoluíram bastante nos últimos dias”. Entretanto, pondera que se mantém aberto ao diálogo com todas as correntes possíveis e que, em princípio, deve seguir avaliando o cenário.

“Nós do PL vemos com bons olhos uma aliança com o PP. É uma das grandes forças de São João Batista e tem o ex-prefeito Aderbal, que é meu amigo pessoal, como grande liderança. Mas, tenho dito que nossa construção nos deu credibilidade para conversar com todos os grupos. Nós não abrimos mão das nossas convicções e ideais. Vamos seguir debatendo e pensando em uma São João Batista melhor”, justifica.

Limpeza no assoalho

Postado em 29 de julho de 2016
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Organização que nasceu com o intuito de administrar Tijucas, o L.I.M.P.E. pode ir às eleições como um bloco de partidos aliados na disputa proporcional. Pelo menos é como deve ser nomeado o grupo capitaneado pelo PSDB na coligação com o PSD, em discussão hoje à noite. Os tucanos se uniriam ao PP, ao PPS e ao PR, com expectativa de 19 candidaturas ao Legislativo – com exceção da vereadora Lialda Lemos (PSDB), condição imposta por líderes da aliança para homologar a chapa.

O segundo bloco seria formado por PT, PTB, PRB, PEN e REDE, com 18 candidaturas proporcionais lançadas. E no terceiro, com 16 postulantes à Câmara Municipal, se uniriam PSD, DEM e PSB.

Divórcio no altar

Postado em 26 de julho de 2016
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em nova assembleia, ontem, membros da executiva do PMDB de Tijucas rejeitaram novamente a composição proporcional com o PSDB. As argumentações da primeira parcial, de sexta-feira (22), permaneceram; e o polêmico casamento entre o partido que governa o município há 12 anos e sua mais feroz repreensora, a vereadora Lialda Lemos (PSDB), não vingou.

Sem pouso, os tucanos, agora, tentam se reorganizar. Se não conseguirem formar uma coligação consistente, terão que somar, sozinhos, entre 1,8 mil e 2 mil votos para eleger um vereador.

Braços dados

Postado em 21 de julho de 2016
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Se alguém dissesse, meses atrás, que a vereadora Lialda Lemos (PSDB) e o ex-prefeito Elmis Mannrich (PMDB) figurariam no mesmo palanque nestas eleições, certamente haveria intervenção do Instituto Philippe Pinel em Tijucas. O inimaginável, porém, deve acontecer.

Decidiu-se agora à tarde que PPS, PSDB, PR, PTB e PV formarão, ainda no acaso de outras adesões, uma das chapas proporcionais em aliança ao PMDB – que deve formar com PDT e PEN. As tratativas foram conduzidas pela própria vereadora, em contato direto com Mannrich.

Namoro novo

Postado em 15 de julho de 2016
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Dificilmente o PT continua na oposição, em Tijucas. O presidente municipal do partido e pré-candidato a prefeito Adalto Gomes não se entende mais com o empresário e também postulante à prefeitura Elson Junckes (PSDB). O tucano praticamente expulsou o petista do bloco oposicionista, anteontem, numa das reuniões do grupo.

Ontem, portanto, dois representantes do PT procuraram o ex-prefeito Elmis Mannrich, presidente do PMDB na Capital do Vale e pré-candidato no pleito majoritário que se avizinha, na intenção de propor uma aliança. Desde então, os petistas aguardam por uma posição.

Mannrich teria revelado aos proponentes que a coligação majoritária seria bastante difícil, uma vez que o PMDB tem uma situação encaminhada nesse sentido; mas não descartou a hipótese. O ex-prefeito, de incontestável habilidade política, porém, teria lançado uma contraproposta: a composição proporcional – que, no mínimo, engordaria consideravelmente a sua nominata de candidatos a vereadores com outra legenda de peso.

Time escalado

Postado em 1 de abril de 2016
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O prefeito Valério Tomazi (PMDB) não pode dar certeza da sua candidatura à reeleição visto que o presidente do PMDB em Tijucas, ex-prefeito Elmis Mannrich, também pretende disputar o pleito majoritário deste ano , mas já recrutou seu exército de base na concorrência proporcional.

Ontem, 31 de março, na data limite para que pré-candidatos a vereador deixem cargos públicos, parte do colegiado municipal se exonerou da função. Com a legenda do PMDB nas intenções, saíram Cláudio Tiago Izidoro, ex-diretor de Trânsito e Transportes; Rogério dos Anjos, o Guelo, ex-superintendente da Fundação Municipal de Esportes; e Sheila Dias, ex-secretária de Ação Social.

Tomazi ainda queria contar com as candidaturas da secretária de Cultura, Cláudia Venâncio, e do diretor do Procon, Erivelto Leal dos Santos, o Danone; mas ambos declinaram da proposta e seguem nos cargos.


Atualizado às 17h12: Odirlei Resini, agora ex-secretário de Agricultura, Pesca e Meio Ambiente, também deixou o posto e é pré-candidato a vereador pelo PMDB em Tijucas.