quarta-feira, 26 de junho de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Omissão

Postado em 11 de junho de 2019

O TCE (Tribunal de Contas do Estado) negou o recurso do ex-prefeito Valério Tomazi (MDB) e segue recomendando à Câmara Municipal que vote e rejeite as contas do Executivo tijuquense em 2016.

No ano passado, o então presidente do Legislativo, vereador Juarez Soares (PPS), decidiu não chamar o caso à pauta enquanto o tribunal não resolvesse o recurso do ex-mandatário; e agora, a partir do Decreto Legislativo 1/2018, a mesa diretora da Câmara – formada por Vilson Natálio Silvino (PP), Odirlei Resini (MDB), Maria Edésia da Silva Vargas (PT) e Elizabete Mianes da Silva (PSD) – optou, simplesmente, e deliberadamente, pelo arquivamento da votação sobre o parecer prévio do TCE.

Ficha corrida

Postado em 31 de janeiro de 2019

Nos municípios em que não existe consenso – a exemplo de Tijucas –, a regência estadual do PSL vem sendo mais criteriosa para a formação dos diretórios locais. Uma avaliação profunda do histórico político dos interessados foi adotada como argumento. E para a Capital do Vale, a propósito, vem sendo determinante.

A direção peesselista não gostou de saber que o servidor público municipal Renato Sartori, que presidiu a comissão provisória da legenda no município até dezembro, concorreu à Câmara Municipal em 2008 pelo PT – a quem combate vorazmente –, e teve uma candidatura a vereador rejeitada, em 2016, no PEN, por falta de prestação de contas com a Justiça Eleitoral. A imagem do ex-presidente do PSL tijuquense, agora, na cúpula estadual do partido, é outra.

Adeus, treze!

Postado em 10 de dezembro de 2018

Uma perda considerável para o PT de Tijucas. Maior expoente do partido na Capital do Vale, o vice-prefeito Adalto Gomes vem revelando a gente próxima que está com os dias contados nas fileiras petistas. O prazo para a mudança de ares seria janeiro.

O adeus à sigla que mais vezes comandou a República tem a ver com o próximo pleito municipal. Gomes vem sendo convencido de que, com o desgaste natural do PT e a rejeição cada vez maior a figuras capitais da legenda, o projeto de candidatura à prefeitura de Tijucas em 2020 ficaria altamente comprometido.

NOVOS RUMOS

O secretário de Obras, Transportes e Serviços Públicos do município já tem propostas formais de filiação. Um dos interessados em Adalto Gomes seria o PP, favorito para comandar a Câmara Municipal em 2019 com o vereador Vilson Natálio Silvino (PP).

Correm por fora, ainda, agremiações menores, como o Patriota e o oscilante PV – ao qual Gomes manifesta maior afinidade. Mas a menina dos olhos do pretenso sucessor de Elói Mariano Rocha (PSD) é o PSB, atualmente sob a tutela do servidor público municipal Fabiano Saramento. O vice-prefeito estaria planejando um encontro com caciques peessebistas para, na pior das hipóteses, assumir posição de comando no partido.

Não, de novo

Postado em 3 de dezembro de 2018

Intimado, porque resiste à instalação de uma penitenciária industrial em Tijucas, o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) esteve novamente na Justiça Federal, em Florianópolis, quinta-feira (29), para a segunda audiência conciliatória sobre o tema. Desta vez, o chefe do Executivo municipal teve a companhia do presidente do Legislativo, vereador Juarez Soares (PPS) – um dos proponentes da audiência pública, em 2017, que expôs a negativa popular à obra.

Desde então, Mariano Rocha vem elogiando, sistemática e publicamente, a postura do parlamentar, que manteve o discurso de oposição à penitenciária na cidade, sobretudo na presença dos representantes do Judiciário. A administração municipal e a Câmara seguem em sintonia nessa questão. “Só se nos empurrarem de goela abaixo, porque, enquanto pudermos, vamos rejeitar”, garante o prefeito.

Chilique

Postado em 24 de julho de 2018

A coluna do jornalista Raul Sartori, publicada em dezenas de jornais catarinenses, traz o faniquito de um influente político sobre a rejeição dos municípios – Tijucas entre eles – à construção de unidades prisionais nos seus territórios. “Então, combinamos assim: os presos nessas cidades ficam impedidos de serem transferidos para outras, e quando as cadeias atingirem a lotação, que os prefeitos e vereadores os abriguem em suas casas”, disse ao colunista.

Generalizar raramente é acertado. Talvez o personagem da nota precisasse saber que Tijucas já tem um presídio, e que recebe, além dos seus, um número altíssimo de presos forasteiros. Pois, então?!

Em discussão

Postado em 3 de janeiro de 2018

Dois assuntos de relativa urgência frequentam a pauta da próxima reunião da executiva do MDB de Tijucas, agendada para semana que vem: a posição dos vereadores periquitos no parecer prévio do TCE (Tribunal de Contas do Estado) pela rejeição das contas de 2016 do ex-prefeito Valério Tomazi (MDB); e a situação do vereador Cláudio Tiago Izidoro (MDB) no partido.

Tomazi, dito alhures, é persona non grata nas searas emedebistas; e deve encontrar resistência de alguns correligionários quando a matéria vier ao crivo parlamentar. “Depois da reunião, vamos conversar com os vereadores e decidir conjuntamente”, adianta o presidente do diretório municipal, Fernando Fagundes.

E sobre Izidoro, eleito no MDB e alinhado com o governo nas demandas legislativas, Fagundes acredita que a janela de migrações, que deve ser aberta entre março e abril, pode ser o melhor caminho. “Também vamos discutir essa situação, mas, quem sabe, na janela, em março, ele decida mudar de partido”, avalia o presidente, numa clara preferência pelo rompimento amigável.

Rejeição

Postado em 22 de dezembro de 2017

Concluída na sessão do Pleno do TCE (Tribunal de Contas do Estado), terça-feira (19), a apreciação das contas dos 295 municípios catarinenses com referência a 2016 trouxe 43 pareceres prévios pela rejeição. Na região, apenas Tijucas aparece na lista.

De acordo com o relatório, o então prefeito Valério Tomazi (PMDB) contraiu despesas nos dois últimos quadrimestres do mandato, não quitou os compromissos assumidos e repassou a dívida ao sucessor, Elói Mariano Rocha (PSD), sem que houvesse recursos em caixa. Nas relações consolidadas, houve déficit de execução orçamentária – quando as despesas são superiores à receita – e déficit financeiro.

A lista completa de municípios com pareceres por rejeição das contas pode ser acessada no site da ACOM, que é a agência de comunicação social do Tribunal de Contas catarinense.

Fogo amigo

Postado em 19 de setembro de 2017

Decepção para o Executivo, mas renovação de esperança para a semeada evolução do Legislativo. Entre torcidas de nariz na bancada situacionista, o vereador Juarez Soares (PPS) que faz coro nos discursos governistas na Câmara rejeitou, ontem, o Projeto de Lei Complementar 056/2017, que visava a inclusão do cargo em comissão de assessor jurídico no texto do anexo I da Lei Complementar 002/2010, com vencimento mensal de R$ 4,7 mil, para atender às necessidades da administração municipal de Tijucas.

Com voto negativo, Soares acompanhou os oposicionistas e podou, com sete a seis para os contrários, os planos do governo. Para justificar a posição, o parlamentar vem tratando o tema como “questão de moralidade”. Pois, então?!

Aqui não!

Postado em 27 de junho de 2017

Nesta quinta-feira (29), a Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) se instala em Tijucas, no Anfiteatro Leda Regina de Souza, para, a partir das 19h30, mediar audiência pública sobre a possível instalação daquela contestada penitenciária industrial no município.

Além do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD), outros administradores públicos da região foram convocados para o ato; e a comunidade, principal interessada no assunto, tem o dever de participar, opinar e, evidentemente, rejeitar esse ônus que o Governo Estadual pretende nos impor deliberadamente.

Rejeição e anulação

Postado em 8 de dezembro de 2016

Ainda que o TCE (Tribunal de Contas do Estado) houvesse recomendado a aprovação, pela Câmara Municipal de São João Batista, das contas do Executivo referentes ao exercício de 2013 – primeiro dos três anos e meio do governo de Daniel Netto Cândido (PSD) –, os sete vereadores da bancada de oposição votaram pela rejeição, segunda-feira (5).

Ontem, porém, a juíza Maria Augusta Tridapalli acatou os argumentos da defesa de Cândido – de que não houve respeito ao devido processo legal na análise das contas – e anulou o julgamento. De acordo com o jornalista Jonas Hames, da Rádio Super – 99,9 FM, a Câmara deve recorrer da decisão.