sexta-feira, 28 de janeiro de 2022 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Filas 24 horas

Postado em 11 de janeiro de 2022
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As filas para atendimento especialmente no Posto de Saúde 24 Horas, na região central de Tijucas, têm gerado grande repercussão na cidade e manifestações diversas nas redes sociais. Mas a situação, segundo a prefeitura, embora preocupante, tem sido a mesma em toda Grande Florianópolis. De acordo com um comunicado da administração municipal publicado hoje, a demanda nas unidades sanitárias e no Hospital São José mais do que dobrou na última semana, e o motivo seria o alto fluxo de turistas na região.

O secretário municipal de Saúde, Vilson “Tem” Porcíncula, pediu compreensão e cautela aos munícipes. “Infelizmente, todas as cidades da região estão com essa dificuldade. Portanto, pedimos a todos que se cuidem e caso realmente precisem ir a uma unidade de saúde, compreendam a situação que estamos enfrentando”, alertou.

Já o prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD), que antecipou a reabertura do Pronto Atendimento 24 Horas — que passou por reformas e seria reinaugurada em breve —, autorizou, também, a contratação de mais médicos para o PA, mas, até o momento, nenhum profissional mostrou interesse nas vagas abertas. “Mesmo assim, nossa equipe está empenhada e os desafios são grandes. Precisamos contar com a ajuda de todos para enfrentar mais este momento difícil”, comentou o mandatário tijuquense.

Dados da Secretaria Municipal de Saúde mostram que os principais casos são de pessoas com sintomas respiratórios e suspeitas de Covid.

Indiferença

Postado em 21 de novembro de 2018
  •  
  •  
  • 21
  •  
  •  

No jargão popular, a Associação Congregação de Santa Catarina, que dirige o Hospital São José e a Maternidade Chiquinha Gallotti em Tijucas, cagou e andou para a comunidade, para a vereadora Maria Edésia da Silva Vargas (PT) e para a audiência pública de ontem. Não enviou representantes – sequer um comunicado formal – para a reunião que discutiu os problemas estruturais e administrativos das duas instituições.

Postura, no mínimo, controversa, uma vez que o hospital e a inativa maternidade têm o amparo de recursos públicos, dos impostos do contribuinte tijuquense. Desde que o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) assumiu a gestão do município, R$ 76 mil entram mensalmente, e religiosamente, na conta da associação.

Hospital e maternidade

Postado em 13 de novembro de 2018
  •  
  •  
  • 5
  •  
  •  

A velha celeuma sobre o Hospital São José e a inatividade da Maternidade Chiquinha Gallotti são, mais uma vez, temas de audiência pública em Tijucas, dia 20, às 19h30, no pavilhão de eventos da Capela de Santa Terezinha, no Universitário.

Quem propõe a reunião, novamente, é a vereadora Maria Edésia da Silva Vargas (PT), que fez o mesmo em 2017, na Câmara Municipal.

Letras afiadas

Postado em 1 de março de 2018
  •  
  •  
  • 55
  •  
  •  

As contendas entre o jornalista Leopoldo Barentin e o secretário de Saúde do município de Tijucas, Vilson José Porcíncula (PSD), o Tem, vão muito além da nota “Essa foi de trincar os grãos“, publicada hoje, que praticamente responsabiliza o gestor municipal pelo fechamento da obstetrícia do Hospital São José.

O litígio passa pelas reuniões de governo, onde, segundo fontes próximas de ambos, o secretário repete sistematicamente que “não precisa da imprensa” e que o Jornal Razão é um “jornal de m…”. Porcíncula, aliás, raramente concede entrevistas aos veículos locais – especialmente quando assuntos polêmicos que envolvem a Saúde municipal vêm à tona –, e mantém, como mantra, relativa distância da mídia.

Um trecho da comentada nota, em que Barentin destaca que o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) “não pode protelar mais um dia a substituição do secretário”, inclusive, seria o grafismo de um recado antes direcionado. De acordo com um passarinho incolor, o jornalista teria encostado o chefe do Executivo tijuquense na parede, tempos atrás, com o aviso “ou ele, ou nós”. Pois, então?!

Enfermidade social

Postado em 5 de setembro de 2017
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O leitor Douglas Porcíncula, de Tijucas, mostra, indignado, a catastrófica situação do Hospital São José. De acordo com os relatos na gravação, a principal referência de saúde pública da Capital do Vale que atende, inclusive, pacientes de municípios vizinhos dispunha, hoje, de apenas uma médica para dezenas de pessoas que precisavam de cuidados e sofriam por horas nas filas de espera.

“É uma vergonha para Tijucas, uma cidade pequena, vereadores brigando. Temos que ver as melhorias. Se não houver melhorias, não adianta”, desabafa o autor do protesto.

Sem apelo

Postado em 7 de julho de 2017
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Léo Nunes

Se a audiência pública, quinta-feira (29), sobre a possível instalação de uma penitenciária industrial em Tijucas que levou mais de 700 pessoas ao Anfiteatro Leda Regina de Souza esteve abarrotada de políticos, a de ontem, na Câmara Municipal, a respeito do Hospital São José e da Maternidade Chiquinha Gallotti, contou apenas com representantes das autoridades catarinenses convidadas.

Um destes, a propósito, era o ex-prefeito de Porto Belo, advogado Evaldo Guerreiro (PT), que fez as vezes da deputada estadual Ana Paula Lima (PT), a quem passou a assessorar na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) há alguns dias.