quarta-feira, 18 de setembro de 2019 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Montanha de gelo

Postado em 23 de novembro de 2018

Terminou agora, no Fórum da comarca de Tijucas, a segunda audiência do processo da Operação Iceberg em que são réus os servidores do Legislativo tijuquense entre 2013 e 2016. Na sessão, foram ouvidas as testemunhas de defesa. Ao todo, 13 nomes estavam arrolados – entre ex-prefeitos e ex-vice-prefeitos que também foram vereadores, e ex-presidentes da Câmara Municipal em legislaturas anteriores.

Personagens marcantes da política tijuquense – como Elmis Mannrich (MDB), Uilson Sgrott (DEM) e Valério Tomazi (MDB) – depuseram nesta tarde. As baixas ficaram na conta das ausências do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD), que viajou em função do município e justificou a falta, e do vice-prefeito Adalto Gomes (PT), que deve ser reconvocado.

O processo está dividido em três partes: uma em que são réus os funcionários da Casa na legislatura passada; outra que julga o envolvimento dos vereadores da época; e uma terceira em que a berlinda se forma com os ex-presidentes da Câmara de 2013 a 2015. De acordo com o advogado Marcio Rosa, que faz a defesa dos servidores e da maioria dos vereadores e ex-vereadores indiciados, “ainda falta muita coisa, e não existe qualquer previsão (de tempo) para a conclusão”.

Calafrio

Postado em 12 de maio de 2016

Pitonisa tijuquense afirma, sem medo de errar, que as próximas eleições em Tijucas serão altamente concorridas. De acordo com a Sacerdotisa de Apolo, serão quatro candidaturas majoritárias representando quatro alianças distintas.

Diz a bruxa, robustecida pela véspera da Sexta-Feira 13, que a diferença entre o prefeito eleito e seu mais próximo combatente pode não chegar aos 100 votos; e que, a princípio, nenhuma representante do sexo frágil surgirá em qualquer das chapas à disposição do eleitorado. Arrepiou?