sábado, 6 de junho de 2020 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Caos interno

Postado em 21 de fevereiro de 2020

O litígio entre a deputada estadual Ana Paula da Silva (PDT) e o PDT catarinense deve ter desdobramentos quarta-feira (26), quando a executiva da legenda se reúne novamente para discutir a situação da ex-prefeita de Bombinhas nas suas fileiras. Paulinha aceitou o convite do governador Carlos Moisés da Silva (PSL) para ser líder do governo na Assembleia Legislativa e corre o risco de ser expulsa do partido em que milita há 28 anos.

Em nota pública, ela diz que não descumpriu qualquer norma, diretriz ou orientação partidária “simplesmente porque elas não existiam previamente, e passaram a existir ante a falta de oferendas”; e acusa dirigentes pedetistas em Santa Catarina de praticarem a “velha política”. Por sua vez, o PDT vem reafirmando a oposição ao governo Moisés da Silva e condenando a postura da parlamentar.

Migração

Postado em 17 de fevereiro de 2020

Entre 17 prefeitos catarinense que migraram para o PSL do governador Carlos Moisés da Silva, sábado (15), em cerimônia festiva na Ilha, dois pertencem ao Vale do Rio Tijucas: Daniel Netto Cândido (ex-PSD), de São João Batista, e Valmor Pedro Kammers (ex-PSDB), de Major Gercino.

DE OLHO EM 2022

Daniel Cândido tem claras intenções de concorrer ao Legislativo estadual nas próximas eleições gerais. E o ingresso no PSL tornaria esse cenário muito favorável. Ao invés da necessidade iminente de somar cerca de 38 mil votos para garantir uma vaga na bancada do PSD, o jovem mandatário batistense, no partido do governador e na calculadora, alcançaria o parlamento catarinense com votação próxima de 26 mil.

Alem do quê, o prefeito da Capital Catarinense do Calçado não ficaria sem holofotes no fim do mandato. Ele não fala abertamente sobre o assunto, mas tem convite formal para assumir um cargo de primeiro escalão no governo estadual assim que deixar a prefeitura.

NEGOCIAÇÃO ANTIGA

O prefeito de Major Gercino já estava de malas prontas para o PSL há muito tempo. Desde meados de 2019, Valmor do Pita — como é chamado popularmente — estava decidido.

As negociações envolvem, sobretudo, aporte do governo estadual no projeto de reeleição pretendido por Kammers neste ano.

Rota dos investimentos

Postado em 15 de janeiro de 2020
Foto: Divulgação

Na foto, o ex-bancário Wilson Bernardo de Souza — diretor do Samae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) de Tijucas entre 2013 e 2016 —, o corretor imobiliário Gabriel Furtado e o proprietário da famosa rede de lojas VestcasaAhmad Yassin.

Entre as maiores do Brasil no segmento de cama, mesa e banho, a Vestcasa acaba de chegar em Tijucas. Vai operar num imóvel de Souza, às margens da BR-101. Furtado, especializado em locações de galpões industriais, intermediou a negociação e diz que a Capital do Vale segue na rota dos grandes investimentos.

Beira-Rio garantida

Postado em 3 de outubro de 2019

O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) vem a Tijucas amanhã para oficializar a destinação de R$ 8,23 milhões ao município. O recurso deve garantir o asfaltamento da Avenida Beira-Rio — entre a Ponte Sobre o Rio Tijucas, na divisa dos bairros Centro e Praça, e a Ponte Sobre o Rio Oliveira, no acesso à SC-410, no Joáia. A obra ainda não foi licitada, mas, se houver necessidade, o município deve assumir a contrapartida.

Inicialmente, a recepção ao chefe do Executivo estadual estava prevista para o gabinete do prefeito Elói Mariano Rocha (PSD), em cerimonial interno, na prefeitura. Mas, por conta da repercussão e, inclusive, porque autoridades diversas solicitaram participação, o evento foi transferido para o Anfiteatro Leda Regina de Souza, às 9h, com portas abertas à comunidade.

Moisés compreendeu e considerou que a Beira-Rio é um importante corredor entre a BR-101 e o Vale do Rio Tijucas, e que não seria justo o município arcar com todas as despesas da obra.

As negociações, segundo a comunicação oficial, foram conduzidas por Mariano Rocha e governo estadual, com participação decisiva do secretário de Administração e Finanças, Rosenildo de Amorim, em seguidas incursões à Casa Civil.

Sem acordo

Postado em 1 de abril de 2019

As negativas de Tijucas para a instalação de uma penitenciária industrial no município persistem. Na semana passada, o prefeito Elói Mariano Rocha (PSD) esteve, mais uma vez, acompanhado dos vereadores Juarez Soares (PPS) e Rudnei de Amorim (DEM), na sede da Justiça Federal, em Florianópolis, para nova audiência sobre o tema.

Governo estadual e Ministério Público Federal tentaram, por quase duas horas, negociar contrapartidas e convencer a comitiva tijuquense a aceitar os termos, mas não houve acordo. Outra audiência ficou agendada para setembro.

Tapas e beijos

Postado em 26 de novembro de 2018
Foto: Léo Nunes

Está definido: o próximo presidente da Câmara Municipal de Tijucas é, de fato, o vereador Vilson Natálio Silvino (PP). Mas a direção geral da Casa é do MDB. Foi a estratégia – de toma lá, dá cá – que a situação adotou para conter o ímpeto do atual presidente, Juarez Soares (PPS), que abandonou o acordo governista, passou a negociar com a oposição, e queria a reeleição.

Na reunião de hoje, Soares tentou, ainda, indicar o diretor geral ou, no mínimo, o chefe de gabinete da presidência. Mas, já vencido, sem direito a pechincha, foi frustrado com a notícia de que os cargos estariam previamente preenchidos. Tarde demais.

RELAÇÃO CONTURBADA

Silvino e o atual presidente, que formam a bancada governista na Câmara e tinham um tratado de alternância da presidência do Legislativo, entraram em rota de colisão a partir da quebra do protocolo. Sexta-feira (23), porém, no Baile Tijucano da Acit (Associação Comercial e Industrial de Tijucas) e CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), posaram para a foto juntos e anunciaram as pazes e a retomada do acordo.

Hoje pela manhã, entretanto, na assembleia interna por cargos e posturas, discutiram mais uma vez.

Presidência da Câmara

Postado em 19 de novembro de 2018

De um vereador governista, ao Blog, em off: “o vereador Vilson Natálio Silvino (PP) é o próximo presidente da Câmara Municipal de Tijucas, haja o que houver. Temos tudo sob controle”.

As cartas já estavam na mesa. Desde sempre. Assim que conseguiram ser maioria, os situacionistas definiram Juarez Soares (PPS) em 2018, Vilsinho em 2019 e Maria Edésia da Silva Vargas (PT) ou Rudnei de Amorim (DEM) em 2020. O primeiro terço da tarefa foi cumprido, mas o atual presidente quebrou o protocolo, negociou com os opositores e assumiu candidatura à reeleição.

Soares justifica que decidiu concorrer novamente à presidência da Casa porque, quando precisou, no momento em que se lançou pré-candidato a deputado estadual, não encontrou apoios na administração municipal e sequer nos colegas de bancada. Para os confrades de vereança, “é um tiro no pé”. Parlamentares de situação entendem que o rótulo de “traidor” pode abreviar a promitente carreira política do atual presidente.

BASTIDORES

Enquanto o chefe da mesa diretora do Legislativo rema, a bancada situacionista atira a âncora. Nos bastidores da eleição, marcada para 13 de dezembro, as negociações seguem à toda. Não será surpresa – como nunca foi, e tem sido recorrente – se um, ou até dois opositores acompanharem o presidente do PP na votação. Quem viver, verá!

Atrás das cortinas

Postado em 19 de fevereiro de 2018

A ascensão do vereador Cláudio Tiago Izidoro (MDB) no poder público tijuquense é surpreendente. De suplente parlamentar no grupo derrotado, ele pode, muito em breve, emergir ao comando da Secretaria de Obras, Transportes e Serviços Públicos do município. As negociações existem; e já foram apresentadas, detalhadamente, ao prefeito Elói Mariano Rocha (PSD).

As tratativas envolvem, ainda, outro suplente do MDB. Se realmente alçado ao colegiado municipal, Izidoro – que, mesmo em legenda de oposição, mantém um pacto de fidelidade e defesa ao governo – atrairia um emedebista à vaga no Legislativo. Portanto, há uma força-tarefa para convencer Oscar Luiz Lopes (MDB) a herdar o acordo com a administração municipal e, ou, assinar filiação num partido governista durante a janela de março. As conversas estariam adiantadas, e vêm agradando ambas as partes.

POR UM FIO

A situação do vice-prefeito Adalto Gomes (PT) na gerência da pasta de Obras segue a mesma: por um fio. Líderes da base aliada do governo vêm escancarando sistematicamente a inconformidade com a manutenção do adjunto tijuquense no posto.

Mariano Rocha, porém, tem postura mais branda. Amanhã, o prefeito viaja a Brasília; e Gomes o acompanha.

Fogueira acesa

Postado em 23 de outubro de 2017

O processo que começou conturbado, sovado em negociações e conciliações, trouxe um tópico a mais para as discussões: a traição. Sábado (21), na convenção municipal do PMDB, as rupturas se evidenciaram. De um lado do salão, o ex-prefeito Elmis Mannrich e o vereador Fernando Fagundes – único candidato à presidência do partido em Tijucas, indicado pelo atual comando – saudavam os filiados, que unanimemente votaram “sim” para a oficialização do parlamentar no posto. Na outra ponta, os proponentes da renovação integral do diretório, liderados pela vereadora Fernanda Melo e apoiados pelo ex-vereador Edson Souza.

Independente das dissonâncias, a homologação da presidência do diretório jamais esteve em cheque. Fagundes havia conquistado o consentimento dos contrários, desde que a chefe de gabinete da Câmara Municipal, Elenita Mara Alexandre, fosse contemplada na secretaria geral do partido. Existia, inclusive, um tratado, avalizado e concordado entre o atual comando e os propositores da renovação.

A tórrida surpresa chegou em seguida do escrutínio das cédulas, na divulgação do corpo diretivo do PMDB de Tijucas para o biênio 2018-2019. Na secretaria geral, para revolta, principalmente, da chefe de gabinete da Câmara e da vereadora, anunciou-se Rafaela Marques – que mantém estreitas relações com a ex-secretária geral do partido, Flávia Fagundes, irmã do novo presidente.

Num grupo de conversação do PMDB municipal, Fernanda Melo publicou, em seguida, que “a formula do sucesso está invertida mais uma vez. A democracia traz o sucesso, e a autocracia, o fracasso”.

PINGUE-PONGUE

Ao blog, a ex-secretária Flávia Fagundes afirma que desconhece qualquer negociação prévia e que “renovar é uma coisa, mas, a história não pode ser excluída”. Depois, porém, revelou ter tomado conhecimento sobre um pedido para que Elenita Alexandre fosse empossada secretária adjunta do partido.

Consultada, a vereadora Fernanda Melo mantém a primeira versão, e enfatiza que o tratado foi descumprido. “Aceitamos o acordo com Elenita na secretaria geral, e Lays Zimermann na secretaria adjunta! Cobramos do ex-prefeito Elmis Mannrich em seguida. Ele nos respondeu, em bom tom: ‘eu tenho o diretório, sou o líder, e eu mando’. Mudaram tudo na hora, sem comunicar ninguém”, conta.

TELEGRAMA

Aquele passarinho incolor revela, ainda, que o presidente estadual do PMDB, deputado federal Mauro Mariani, recebeu as reclamações com preocupação, e pretende vir a Tijucas com alguns extintores de incêndio na bagagem.

Fumaça branca no PMDB

Postado em 25 de setembro de 2017

É no trepidar da carroça que as melancias se ajeitam. As definições no PMDB de Tijucas, agora, parecem mais claras. Com eleições internas marcadas para outubro, o partido que mais vezes governou o município deve, enfim,  chancelar o vereador Fernando Fagundes como presidente para o próximo biênio. As negociações, porém, foram e continuam sendo desgastantes.

Líder do movimento contrário à manutenção dos poderes ao presidente Elmis Mannrich e seus mais próximos como, por exemplo, a família Fagundes , a vereadora Fernanda Melo teria imposto, como condição, que a secretária geral do diretório municipal, Flávia Fagundes, irmã do próximo presidente, deixasse a executiva do partido. A reivindicação teria sido atendida. Outros cargos de maior relevância, dominados pelo clã do ex-prefeito, também teriam sido negociados e devem apresentar novos ocupantes.

Há conversas em andamento com o ex-vereador Edson Souza, que ensaiou fazer frente à chapa proposta na concorrência convencional.

Opositores internos de Mannrich, entre si, planejam a tomada do ninho periquito apenas em 2019, quando das novas convenções e mais próximos do pleito eleitoral de 2020 no município.