domingo, 14 de julho de 2024 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Luto decretado

Postado em 8 de julho de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

O prefeito Eloi Mariano Rocha (PSD), de Tijucas, decretou luto oficial de três dias pelo falecimento do ex-vice-prefeito, ex-vereador e presidente do SAMAE (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto), Luiz Rogério da Silva.

Mariano Rocha justificou que o decreto é uma forma de reconhecer os “relevantes serviços prestados à comunidade tijuquense” e explicou que Rogerinho exerceu diversos cargos públicos ao longo de sua trajetória política.

Rogerinho cumpriu três mandatos na Câmara de Vereadores (de 1997 a 2004, e de 2013 a 2016) e chegou a presidir o Legislativo municipal em 2004 e 2013, foi eleito vice-prefeito em 2008 e assumiu a chefia do Executivo municipal em duas oportunidades: agosto de 2009 e janeiro de 2012.

Além de comandar o Samae na gestão de Eloi Mariano Rocha, Silva também foi secretário de Saúde. Em 2010, foi candidato a deputado federal e recebeu 20.429 votos. Na vida acadêmica, graduou-se em enfermagem e direito.

Mudança expressa

Postado em 24 de abril de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Arquivo Pessoal

A ficha de filiação do empresário Osmar Vidal Rachadel Filho, o popular Mazinho da Borracharia, ao PL de Tijucas, mal havia sido assinada e já passou a não ter validade. Isso porque, cerca de 20 dias após a primeira adesão, Mazinho decidiu embarcar no projeto dos Progressistas e se filiou ao partido.

Alinhado às ideologias “conservadoras”, Mazinho sempre esteve próximo dos partidos que apoiavam, direta ou indiretamente, o ex-presidente da República, Jair Bolsonaro. A ida ao PL, obviamente, era mais uma prova de fidelidade ao “bolsonarismo”.

Em atenção ao Blog, o empresário, entretanto, afirmou que decidiu seguir um “caminho que acredita” e justificou a ida ao PP por avaliar que a candidatura à prefeitura do vereador Maickon Campos Sgrott, em outubro, seja a melhor alternativa para o município.

“Sigo caminhos que acredito. E lá (no PL), não encontrei esse caminho. Nada contra as pessoas que lá estão, até porque são todos, de alguma forma, conhecidos e amigos. Entendo que o melhor pra Tijucas, hoje, é um jovem gestor com muita capacidade. E isso não encontrei em nenhum dos candidatos que colocaram seu nome à disposição, a não ser o Maickon”, revelou.

Mazinho e Sgrott, com largos sorrisos, posaram para uma foto e exibiram a ficha recém-assinada. O empresário pretende, ainda, concorrer a uma cadeira do Legislativo municipal e já se apresenta como um pré-candidato no novo partido.

Futuro indefinido

Postado em 25 de março de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Luan Lucas

Longe das urnas desde 2012, mas peça decisiva nas eleições municipais de 2016 e 2020, o presidente do Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto), de Tijucas, Luiz Rogério da Silva, ainda não definiu os seus próximos passos e, sobretudo, qual será a sua participação no pleito de outubro.

Embora ainda existam dúvidas, o ex-vice-prefeito tem pouco tempo para analisá-las e tomar uma decisão. Isso porque, caso pretenda concorrer ao Legislativo, terá que deixar a presidência da autarquia municipal até o próximo dia 6. Ou, se concorrer no pleito majoritário, a desincompatibilização deve ser assinada até junho.

“Mas precisa fazer uma avaliação e passar pelo teste da urna. É uma coisa que ainda não está descartada. Tenho alguns dias ainda pra avançar. Tenho, ainda, que me desincompatibilizar, mas, ainda tenho uma decisão a ser tomada. Pode, também, mudar o caminho. Isso ainda está indefinido”, revelou Rogerinho, em entrevista ao programa LINHA DE FRENTE, quinta-feira passada.

OPERAÇÃO ICEBERG

O desenrolar das investigações da Operação Iceberg que, segundo se especula, pode ter novos episódios, não assusta o presidente do Samae tijuquense que, à época, presidiu a Câmara de Vereadores. Entretanto, reafirma que as irregularidades citadas na denúncia, se de fato ocorreram, não foram no período em que chefiou o Legislativo municipal.

“Fez-se um circo. Mas, se houveram irregularidades, se isso for provado, não acredito que ocorreram no período em que estava à frente do Legislativo. E, no único curso que fui, em 2014, estava lá presente. Acredito na Justiça e que será feito um julgamento imparcial. Tenho certeza da minha inocência, do que fiz… acredito plenamente em todos os colegas e que não houveram irregularidades no momento em que fui presidente. Espero que isso se conclua o mais rápido possível, pois afeta a vida política, das famílias… Ainda resta a esperança de que dias melhores virão”, contou.

Representatividade

Postado em 12 de fevereiro de 2024
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

A posse da técnica em enfermagem Adenilza Iolanda Ramos (PDT), na Câmara de Vereadores de Tijucas, dias atrás, foi histórica. Afinal, “Dedê”, como ficou conhecida, passa a ser a primeira – e única, até hoje -, mulher negra a ocupar uma cadeira do Legislativo municipal.

A vereadora permanecerá no cargo por 30 dias, durante a licença do titular, Cláudio Eduardo de Souza (PDT). Em sua posse, Adenilza reforçou a importância da representatividade. “Quando olho para trás, vejo o legado de mulheres inspiradoras, como minha mãe. Hoje, como primeira mulher negra a assumir uma cadeira nesta Casa, vejo que finalmente seremos representadas, ainda que tenha demorado 76 anos para que este momento chegasse”, pontuou.

O Poder Legislativo de Tijucas, instituído em 1948, teve apenas outros dois vereadores negros. O primeiro foi Luiz Antonio da Silva, conhecido como “Luiz da Farmácia”, em 1983. Somente em 2023, após 40 anos, o segundo, Édson Ferreira de Lima, o “Edinho do Casarão”, assumiu uma cadeira no parlamento municipal, mas, este, por 30 dias.

Rodízio voluntário

Postado em 4 de julho de 2023
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Foto: Divulgação

O sistema de rodízio implementado pelo vereador Maickon Campos Sgrott (PP), de Tijucas, permitiu que o suplente Rogério Freitas (PP) assumisse, ontem (3), a cadeira no Poder Legislativo municipal. Esta é a quarta vez que o ex-presidente da Câmara se licencia da função, permitindo a participação de correligionário na legislatura.

A intenção de Sgrott é permitir que os colegas apresentem suas propostas e ideias. Além de Freitas, Júlio Bucoski, Leonel João David e Tânia Roncálio já participaram do sistema, todos por um mês. A expectativa é de que, ao término do mandato, oito suplentes tenham a chance de representar seus eleitores na Câmara.

Com a iniciativa, Sgrott abdica do cargo e, evidentemente, dos vencimentos de vereador. Ao assumir a função, Rogério de Freitas classificou o ato do colega como uma “demonstração de união, parceria e liderança”.