quarta-feira, 4 de agosto de 2021 VALE DO RIO TIJUCAS E COSTA ESMERALDA

Pasquim

Postado em 16 de julho de 2021
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Nos bastidores da política de São João Batista, tentou-se plantar a notícia de que o chefe de gabinete Juliano Peixer receberia, nos próximos momentos, a carta de exoneração e um convite para se desfiliar do MDB. A informação passou a ser disseminada hoje no WhatsApp, em redação de autor anônimo.

De acordo com o texto, Peixer vem sendo acusado de traição ao prefeito Pedro Alfredo Ramos (MDB) e aliança escusa a setores de oposição. Diz a nota que o chefe de gabinete estaria informando adversários do prefeito sobre temas tratados em sigilo na gestão, inclusive, com fotos de reuniões privativas na sede do governo municipal.

Fontes ligadas ao paço, entretanto, garantem que as informações são absolutamente falsas, com motivação unicamente política e forjadas para gerar instabilidades na administração. Até o momento, a prefeitura não se manifestou sobre o assunto.

Rádio Zap

Postado em 6 de maio de 2020
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Uma mensagem de áudio disseminada no WhatsApp alarmou a população canelinhense nesta manhã. Na gravação, uma mulher diz que “Canelinha, a partir de hoje, receberia pacientes do Hospital de Azambuja infectados com coronavírus em estado de pouca gravidade”.

A diretora da Fundação Municipal Hospitalar de Canelinha, Vanderléia Rosa, tratou a informação por fake news e pontuou que “a referência do município para transferências é Florianópolis”. A prefeitura reiterou, ainda, que tem mantido uma comunicação transparente e constante com a população pelos veículos oficiais, e pediu que notícias de procedência desconhecida ou duvidosa não sejam divulgadas nas redes.

Fonte infiel

Postado em 29 de janeiro de 2020
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O empresário Felipe Lemos entrou na lista de vítimas das famigeradas fake news. De acordo com o perfil “Vale Mais Catarinense” no Facebook, o corretor imobiliário — que tem negócios em Tijucas e São João Batista — teria sido preso pela Polícia Federal hoje, no início da tarde, com uma grande quantia de dinheiro em uma mochila, produto de “golpes aplicados por anos em todo o Vale”; e que ele seria investigado por “crimes de corrupção, formação de quadrilha, sequestro, homicídio, extorsão, sonegação fiscal, entre outros”. Nenhum outro veículo da imprensa local repercutiu o fato.

Na sequência da publicação, Lemos gravou um comunicado, em vídeo, do próprio escritório, para informar que as notícias eram falsas. Segundo o empresário, a postagem partiu de “um coitado, que não conseguiu nada na vida e que não trabalha” e uma ação judicial deve ser protocolada contra o autor do texto.

Fake news

Postado em 30 de outubro de 2018
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido (PSD), se diz vítima das famigeradas fake news nestas eleições. Ele usou o Facebook, domingo (28), para pedir que as pessoas “não participem dessa corrente do mal”. Segundo o mandatário batistense, alguns perfis falsos foram criados na rede social unicamente para “espalhar notícias mentirosas sobre a gestão” da Capital Catarinense do Calçado.

Na publicação, Cândido não especifica quais são as fake news que atormentaram, recentemente, o governo de São João Batista; mas o Blog, que tem fontes de A a Z, apurou. Uma das postagens perniciosas informava que servidores comissionados do município estavam sofrendo perseguição e sendo exonerados porque não aceitavam declarar apoio ao candidato a governador Gelson Merisio (PSD), para quem o prefeito fez campanha. E, de fato, não é fato. Não há registros, pelo menos oficiais, de demissões na administração batistense nas últimas semanas.

Nota fria

Postado em 11 de abril de 2018
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Imagem: Reprodução/Facebook

Em tempos de atenção destacada às fake news, a galhofa de gosto muito duvidoso do perfil “Tijucas M1L GR4U”, no Facebook, com foto do vice-prefeito Adalto Gomes e distintivo do PT em falso convite ao evento “Tijucas em defesa do Lula” pode reascender as discussões na região e, sobretudo, provocar complicações judiciais aos autores. Na página, usuários da rede social podem confirmar presença num encontro capcioso, que não tem anuência do partido.

De acordo com o presidente municipal do PT, Diogo dos Santos, houve, sim, a intenção de se promover uma campanha sobre o tema, mas a ideia foi abortada. “Faz mais de um mês que desistimos de realizar o evento. Nem sei quem postou isso. Muito pouca gente sabia”, revela.